História Recently Divorced - Capítulo 58


Escrita por: ~

Visualizações 147
Palavras 1.608
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela
Avisos: Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hello amores ♥

Espero mesmo que gostem do capítulo e me desculpem ela demora.. Amanhã eu vou responder os comentários do capítulo anterior..

Finjam que na foto de capa é o Justin por favor ksks...

Boa Noite

Boa leitura ♥

Capítulo 58 - He Woke Up


Fanfic / Fanfiction Recently Divorced - Capítulo 58 - He Woke Up

Seis meses depois

                              Ryan P.O.V

Hoje completam exato um ano, sim, um ano que aconteceu aquela explosão na casa das meninas, um ano que meu melhor amigo está numa cama de hospital por culpa do próprio pai, um ano que ele perdeu a vida dos filhos, um ano que nós sofremos por ver o Justin desacordado praticamente morto naquela cama de hospital, já passamos por tantos sustos que sinceramente estamos perdendo as esperanças de ver meu irmão vivo.

Tia Pattie foi a primeira que desacreditou na melhora do Justin, tem meses que ela voltou pro Canadá e nunca mais ligou ou atendeu uma ligação nossa quando Justin teve outra parada cardíaca ligamos pra informar e tivemos uma resposta dolorosa de se ouvir, ela disse com todas as palavras “meu filho já está morto, por favor, não me ligue novamente.” Foram essas as palavras dela, Lucy surtou quis ir até o Canadá e esfregar na cara dela que o Justin ainda está vivo sim, mas graças aos céus e ao Chaz que conseguiu tirar essa ideia maluca da cabeça da irmã.

Sei que qualquer um desacreditaria, mas qual é, nós somos a família que ele tem, nosso dever é acreditar que ele vai ficar bem, que a qualquer hora ele pode acordar e estar bem, as chances de isso acontecer são mínimas, mas temos que nos agarrar nela e manter a fé de que ele vai sair dessa.

 A empresa que ele abriu está indo muito bem, os meninos e eu estamos conseguindo lidar com os contratos, reuniões e decisões sérias que temos que tomar tudo bem da empresa. Queremos que assim que ele acordar tudo esteja do mesmo jeito que ele deixou há um ano.

Outra coisa que o Justin vem perdendo é o crescimento das crianças, céus, eles estão com um ano e seis meses e estão muito espertos, já falam alguma coisa e andar pela casa inteira. Na noite passada o Juan acordou o Chaz pulando em cima da barriga dele, foi à coisa mais hilária de se ver, Chaz gritava de dor enquanto ele gargalhava da cara do tio.

- Jessie Smith Bieber, venha aqui agora. Escutei a voz da Cait que corria atrás da Jessie que gargalhava da tia.

Como eu falei eles estão andando a casa inteira. Sem dificuldade alguma eu peguei a Jessie no colo fazendo o pequeno ser querer me bater.

- Não pode bater no tio Jess. Falei beijando a bochecha dela.

- graças a Deus você conseguiu parar esse furacão, preciso dar banho nela e arruma-la. Cait falou pegando a pequena do meu colo e me dando um selinho em seguida.

- arruma-la pra que? Perguntei confuso.

- Lucy vai leva-los ao pediatra e depois vai passar no quarto do Justin.

Cait explicou e saiu da cozinha me deixando sozinho novamente, terminei de comer meu lanche e subi pra ver se as meninas precisavam de ajuda.

- Querem alguma ajuda? Perguntei escorando-me do batente da porta.

- Sim, pode ver se as cadeirinhas já estão no carro? Chaz ficou de colocar antes de sair, mas ele anda tão esquecido. Mia falou terminando de colocar a blusa na Lili.

Enquanto as meninas colocavam a roupa nas crianças Lucy filmava, uma das ideias que elas tiveram para gravar os momentos das crianças para mostrar o Justin depois, eu achei super legal.

Desci rapidamente para a garagem e como já era de se esperar as cadeirinhas estavam em cima do carro e não dentro, Chaz é uma cabeça de vento mesmo. Coloquei as cadeirinhas dentro do carro instalando as mesmas corretamente e fechei a porta do carro, entrando em casa novamente.

                           Mia P.O.V

Depois da difícil missão que foi arrumar as crianças, nós descemos e demos o almoço com muito cuidado para não suja-los novamente e como tem sido em nesses meses Lucy estava filmando, mas parou assim que a Cait obrigou a mesma a comer. Digamos que nossa amiga está perdendo a vontade de viver, Lucy está magra, não tem se cuidado como antes, ela agora vive em função das crianças, da loja e do Justin, mesmo que ele ainda esteja naquela cama ela vai lá todos os dias e só volta pra casa quando um dos médicos praticamente a expulsam de lá.

- Quando você voltar do hospital com as crianças nós vamos sair. Falei e recebi a atenção da mesma e das meninas também.

- Nem começa Mia, sabe muito bem que eu não estou a fim de sair.

- Mas você vai, acha mesmo que quando o Bieber acordar ele vai gostar de ver a mulher dele nesse estado? Que merda Lucy, você está se entregando a um inicio de depressão.

Estudar psicologia tem suas vantagens e digamos que eu tenho analisado a Lucy, minha amiga está prestes a entrar em depressão e não sabe e eu não vou deixar isso acontecer.

- Mia, pega leve. Giu falou baixo percebendo que eu deixei a Lucy sem palavras.

- Desculpe, mas eu não consigo ver uma das minhas melhores amiga se entregando a uma coisa horrível como essa. Nós estamos com você Lucy, também estamos sofrendo com a falta do Justin e não vamos conseguir viver com a falta de mais entre nós, então por favor volte a ser como era antes.

Terminei de dizer e infelizmente lágrimas já rolavam em meu rosto. Sem esperar recebi um abraço da Lucy que sussurrou baixinho um obrigada, retribuir o abraço que logo virou um abraço grupal e o idiota do Ryan filmando.

                         Lucy P.O.V

Depois daquele momento desabafo da Mia eu realmente percebi que estava me entregando a uma doença horrível, a depressão. Qualquer pessoa na mesma situação que a minha entraria em depressão, só que ao contrario de muitos outros casos eu tenho apoio dos meus amigos e dos meus filhos e infelizmente eu tava quase me esquecendo disso.

Terminei de almoçar, subi para trocar de roupa e aproveitei para dar um jeitinho no meu cabelo e passei um batom pra dar um pouco de brilho no meu rosto que tem ficado muito pálido ultimamente.

Assim que desci coloquei as crianças nas cadeirinhas com a ajuda do Ryan e da Cait e logo entre ligando o mesmo e seguindo para o hospital onde as crianças terão uma consulta com a Karen.

Céus faz um ano que o Justin está internado e isso me mata a cada dia, queria poder trocar de lugar com ele, só pra ver a alegria no rosto dos meus amigos, para ele poder passar esse tempo com os filhos que apesar de pequenos sentem muito a falta do pai, principalmente as meninas que sempre foram mais agarradas a ele e eu que sinto falta dos seus carinhos, das conversas que tínhamos planejando o futuro, quero meu amor de volta.

O pior disso tudo é que Jeremy desapareceu, em lugar nenhum ele aparece é como se ele estive morrido ou virado um fantasma, a única pessoa que foi pega foi o homem que me apagou e colocou fogo na casa, mais ninguém. Jeremy é considerado um foragido da policia internacional, qualquer localidade que ele for visto ele pode ser preso e exportado para Atlanta. Nem mesmo Erin tem notícias dele, ela tem me dado muita força com esse lance do Justin, Pattie até tava, mas ela desacreditou na recuperação do filho, eu não a culpo sei como isso é torturante, mas eu não vou desistir, não agora.

Nem percebi que havia chegado ao hospital, então apenas estacionei o carro em uma das vagas e desci tirando as crianças das cadeirinhas, peguei a Jess que dormia e deixei Juan e Lilian caminhando a minha frente de mãos dadas, ativei o alarme do carro e continuamos o nosso caminho.

- Bom dia, tenho uma consulta com a doutora Karen. Falei assim que cheguei à recepção.

 - São os trigêmeos Bieber certo?

Assenti e logo ela pediu para que eu a acompanhasse até o consultório.

- Lucy, quanto tempo. Karen falou assim que entramos no consultório.

- Verdade, como vai?

- vou bem e você? Essas fofuras estão bem?

- Graças a Deus eles estão bem, viemos somente para checar as coisas, sabe como é coisa de mãe de primeira viajem.

- te entendo perfeitamente, irei examinar um por um e em breve vocês estão liberados.

Karen começou por Juan que já estava elétrico na cadeira, ela tirou a roupinha dele pesando o mesmo, mediu a altura e fez outras coisas que nem eu sei o que é. Ela repetiu o mesmo ato com as meninas e por fim se sentou anotando algumas coisas.

- Seus filhos estão saudáveis e no peso certo para idade deles, o desenvolvimento está perfeito e não há nada de errado com eles. Pode marcar a próxima consulta pra daqui a três meses novamente.

- Muito obrigada, nesses últimos meses temos passado por uns problemas e eu achei que os afetaria de algum modo.

- pode ficar tranquila que tudo que passou não fez mal nenhum a eles, recomendo que continue levando eles para ver o pai é isso que tem deixado eles bem, mesmo sem o Justin responder eles sabem que o pai está ali.

Sim, Karen sabe o que aconteceu.

- Tudo bem, vou leva-los lá agora. Muito obrigada mesmo Karen.

Despedi-me de Karen e passei na recepção marcando a consulta para daqui três meses como Karen pediu e logo seguir para o quarto do Justin com as crianças.

- Vamos ver o papai? Perguntei parando na porta do quarto.

- papai. Os três falaram juntos e animados.

Abri a porta e entramos tendo uma surpresa maravilhosa., Céus, não acredito.

Ele acordou.

 

Continua...


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...