História Recomeço - Dramione - Capítulo 28


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Astoria Greengrass, Blásio Zabini, Draco Malfoy, Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Lucius Malfoy, Luna Lovegood, Narcissa Black Malfoy, Pansy Parkinson, Ronald Weasley, Theodore Nott
Tags Draco, Dramione, Hermione, Hogwarts
Visualizações 235
Palavras 4.289
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Magia, Romance e Novela
Avisos: Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


NÃOOO eu não desisti da fic hahaha. Antes que me matem, demorei pra postar a fic por motivos de: ENEM. A pessoa não estudou o ano todo e começou a chegar perto e eu fiquei como? MAL hahaha. Só estou conseguindo postar esse capítulo hoje porque eu fiquei escrevendo de pouquinho em pouquinho, e hoje tive tempo pra finalizá-lo. O Enem acabou comigo, sério? Kkkk alguém mais aí também fez?? Enfim, obrigada pelos 351 favoritossssss e 244 comentários. Amo vocês, sério! 💚💚💚 Chega de falatório, boa leitura! 😍

Capítulo 28 - Reencontro


Acordaram cedo na segunda-feira, na noite anterior, jantaram com os pais de Draco e então foram dormir devido ao cansaço. Draco parecia não estar gostando nada de voltar a escola, e andava de mau humor desde que voltaram para casa. Depois de um banho juntos, arrumaram os malões em silêncio e depois de verificar se não haviam esquecido nada, desceram para o átrio da mansão Malfoy. Aqueles corredores e tudo que aquela casa significava já não assustava mais Hermione, e ela se sentia feliz e acima de tudo realizada por mais uma vez conseguir passar por cima daquilo que tirava seu sono. Os pais de Draco estavam os esperando na entrada da mansão, apesar da pose impecável, algo em suas expressões indicavam que não estavam ao todo felizes. Draco se aproximou do pai e se afastou com ele enquanto Hermione (meio sem jeito) se aproximava para se despedir de Narcissa.

- Obrigada pela hospitalidade, Sra. Malfoy. - Hermione disse, colocando seu malão ao lado do corpo e sorrindo para ela.

- Oh! - ela exclamou surpresa. - Não se preocupe, querida. - ela deu um passo a frente, e surpreendentemente abraçou Hermione. - Obrigada por cuidar do meu menino. Eu nunca o vi tão feliz na vida. - ela se afastou, e Hermione pode ver seus olhos, tão azuis como o céu em dia de sol. Estavam brilhando em lágrimas tímidas. Hermione nunca pensou que veria Narcissa Malfoy tão sensível.

- Draco me faz bem.. - Hermione disse. - Jamais pensei que teríamos algo um dia, mas estou muito feliz por ter o encontrado no meio do caminho desta forma. - ela sorriu de lado, tímida. - Foi um prazer, Sra. Malfoy. - sorriu e Narcissa a abraçou novamente.

- Você o salvou, Hermione. - Hermione franziu o cenho quando ela a largou novamente. - Draco jamais seria tão feliz dessa forma se não tivesse esbarrado em você nesse recomeço. - suas bochechas esquentaram tanto que parecia que ela iria explodir. - Me chame de Narcissa, está bem? - ela pediu, recuperando a postura. - Volte quando quiser, querida. Esta casa estará sempre de portas abertas para você. - e antes que Hermione pudesse responder, Draco apareceu para despedir-se de sua mãe. E piscando para ela, Narcissa se afastou com o filho. Hermione ficou alguns segundos observando o amor de mãe e filho quando escutou um pigarro atrás de si. Se virou para encarar Lucius Malfoy em pé em sua frente, um tanto sem jeito.

- Tchau Srta. Granger. - ele estendeu a mão para ela, que Hermione a pegou depois de um instante de hesitação. - Sei que não tivemos tempo para uma conversa, e sei que ainda não tem uma opinião concreta sobre mim. Mas tenho certeza de que teremos outras oportunidades para resolvermos nossas diferenças. - Hermione o encarava surpresa. - Mas por ora, gostaria de agradecer ao que fez por nós. - Hermione sorriu, assentindo. - Fico feliz que Draco tenha encontrado você. - ele disse antes de se afastar e dar espaço para um Draco sorridente entrar em seu campo de visão.

- Vamos? - ele chamou. Hermione não percebeu que Pansy havia descido. Ela novamente assentiu, e depois de uma última olhada para a mansão, ela foi puxada para uma aparatação. Segundos depois, ela se viu na estação Kings Cross, no meio da multidão de pessoas que estavam prestes a pegar o expresso de Hogwarts para mais um período de escola.

A primeira semana de volta a escola fora bem corrida, já nos primeiros dias os professores passaram vários trabalhos em compensação dos dias sem aula. Ou seja, ela e Draco mal tiveram tempo para ficarem juntos em outra ocasião que não fosse estudando. Com aquelas férias, Hermione até se esqueceu de como era a correria da escola. Naquele momento, estava na aula de Defesa contra arte das trevas quando o sinal tocou, finalmente, apontando o final da última aula de sexta-feira. Hermione suspirou, guardou seu material e cutucou Draco ao seu lado que dormiu simplesmente a aula inteira. Depois de acorda-lo, eles foram direto para o salão comunal dos monitores e largaram as bolsas lá, se dirigindo em seguida para o salão principal.

- Estou morto de fome. - Draco comentou passando uma não na barriga e com o outro braço passando por seu ombro.

- Hey pombinhos. - a voz de Pansy se fez presente junto com a própria ultrapassando eles e passando a andar com os dois.

- Cadê Harry? - Hermione perguntou ao sentir falta da presença do amigo.

- Está com Rony. - ela disse dando de ombros.  - As vezes eu odeio aquele ruivo. - a morena resmungou os fazendo rir. Chegaram ao salão principal e foram direto para a mesa da Sonserina, aonde a maioria dos amigos os esperavam. O jantar foi divertido mas passou rápido, logo Hermione se viu deitada em sua cama com Draco. Estava cansada assim como ele, mas foi logo despertada quando uma coruja do castelo atravessou a janela e largou um pergaminho em cima dos dois. Assim que abriu, notou ser um pequeno bilhete de McGonagall pedindo para que ambos fossem até sua sala.

- O que será que a velha quer agora. - Draco bufou enquanto colocava uma camisa e calçava os chinelos. Hermione deu de ombros e se levantou, colocando a capa por cima da camisola e calçando os chinelos igualmente. O caminho até a gargula foi curto e logo os dois estavam subindo para a sala da diretora. Hermione bateu duas vezes na porta e após ouvir um "entre", ela é Draco entraram. Macgonall estava com um hobby atrás da mesa segurando uma carta em mãos.

- Ah, vocês chegaram. - ela disse se levantando e apontando para as duas cadeiras a frente da mesa. O sorriso dela um tanto contido mostrava qua algo estava acontecendo. Eles se sentaram e se acomodaram nas cadeiras. Logo Macgonall estendeu a carta para Hermione que pegou prontamente. - Leia Srta Granger. - pediu.

"Cara Minerva,

É com enorme prazer que te envio esta carta. Hoje finalmente conseguimos recuperar as memórias dos pais de Hermione. Gostaria de pedir que a mande para passar o final de semana na casa dela, junto de um acompanhante, para que ela finalmente possa ver seus pais. Mas peço que lembre-a de que eles ainda estão com alguns buracos em partes da memória. Se sua resposta for sim, mandarei algumas pessoas ligarem as lareiras para que o transporte possa ser rápido e sem riscos.

Espero sua resposta,

Kingsley Shackbolt."

As lágrimas caiam de seus olhos involuntariamente, Draco a olhava preocupado enquanto Macgonall esbanjava um enorme sorriso no rosto. Sem dizer nada, ela passou a carta para que Draco lesse, o mesmo não demorou a ler e lhe lançar um enorme sorriso.

- Isso é maravilhoso! - ele exclamou sorridente. Hermione continuava parada, sem realmente acreditar no que estava acontecendo.

- Deu certo. - ela sussurrou baixinho mal acreditando em suas próprias palavras.

- Sim, querida. - Macgonall lhe sorriu novamente. - Bom, vocês podem ir amanhã pela manhã, seus pais vão estar avisados de sua chegada. - a felicidade em seu peito parecia transbordar.

- Vocês? - Draco perguntou franzindo o cenho.

- Sim. - Macgonall o encarou. - Ela só poderá ir acompanhada, e o chamei porque pelas condições de vocês... - ela apontou para a mão deles juntas que Hermione mal havia notado. - Você gostaria de acompanhá-la. - Draco não respondeu e Hermione o encarou.

- Não precisa ir se não quiser. - ela disse. - Posso chamar Harry. - disse.

- Eu vou. - ele respondeu de imediato. Hermione sorriu voltando a encarar a diretora.

- Ótimo! - exclamou. - Vocês saem pela manhã. - disse se levantando, ela e Draco fizeram o mesmo. - Apenas venham direto para cá que providenciarei a ida de vocês. - ela os acompanhou até a porta e antes que Hermione pudesse sair, Macgonall segurou em seu braço. - Fico feliz por você. - Hermione sorriu alegre, murmurando um agradecimento antes de se despedir e voltar para seu quarto.

A manhã seguinte demorou a chegar, talvez porque ela simplesmente não havia dormido naquela noite. As lembranças de sua infância na casa que viveu toda vida lhe tomaram a mente durante a noite, lembrança de sua família e de como eles eram felizes. Seus pais eram dentistas, tinham um escritório muito renomado no centro de Londres, que infelizmente, pelas condições da guerra, Hermione teve de fechar por tempo indeterminado (além de apagar as memórias dos pais). Ao contrário do que muitos pensavam, Hermione não era pobre, morava em um bairro de classe média/alta desde que se entendia por gente. Seus pais sempre guardaram dinheiro em uma poupança em seu nome, e até então (apesar de usar do dinheiro durante a guerra) ela tinha ainda guardado muito mais dinheiro do que ela precisava. Seus pais nunca a deixaram se desfazer da poupança, porque sempre diziam que aquele dinheiro seria útil quando ela precisasse, e apesar de eles nunca deixarem explícito, Hermione sabia que eles sonhavam que ela usasse o dinheiro para fazer uma faculdade. Seu pai era um homem magro e alto, cabelos castanhos e olhos escuros, era um homem divertido e brincalhão, sempre esbanjando um sorriso no rosto e reformando a casa sem necessidade. O que deixava sua mãe louca, é claro. Já sua mãe era mais calma, sempre colocando seu pai de volta no lugar se precisasse. Ela tinha os cabelos meio encaracolados e meio lisos iguais os dela, os mesmos olhos de Hermione também. Ela era uma mulher feliz, amava dançar e cozinhar. Naquela noite Hermione notou o quanto sentia falta deles, e o quanto estava com medo de suas reações. Ela sabia que seus pais a amavam, mas não sabia se eles ainda a iriam querer depois de tudo. Quando finalmente o dia raiou, ela se levantou rapidamente indo direto para o banheiro tomar um banho. A ansiedade tomava conta de seu corpo a cada minuto, assim como o receio. Enquanto estava debaixo do chuveiro quente, escutou a porta se abrir e fechar e um Draco nu entrar no chuveiro junto com ela.

- Você não dormiu, né? - aquela não foi exatamente uma pergunta, estava mais para uma confirmação enquanto ele rodeava sua cintura e lhe trazia para perto. A voz dele estava rouca de sono. Ela apenas negou com a cabeça, ficando na ponta dos pés para lhe dar um selinho rápido, que Draco logo tratou de tornar em um beijo intenso. Quando se quebrou, ela encostou a cabeça em seu ombro deixando que a água simplesmente caísse. - Hey, o que foi? - perguntou se virando e colocando as mãos em cada lado de seu rosto fazendo com que ela o encarasse.

- E se eles não me quiserem mais? - sua voz saiu como de uma criança chorosa, e Draco soltou uma risadinha. - Não ri! - ela o empurrou se virando de costas e procurando o sabonete. Sentiu Draco a puxar pela cintura até que suas costas batessem em seu peito. Ele por fim, apoiou a cabeça em seu ombro.

- Eles te amam, Hermione. - ele disse suspirando. - É claro que vão te querer. - concluiu.

- Devem estar chateados. - ela disse se soltando do aperto e se virando de volta para ele.

- É claro que estão. - ele concordou tirando uma mecha do cabelo dela de seu rosto. - Mas a felicidade de tê-la de volta vai apagar qualquer mágoa, pode ter certeza. - disse. - E afinal, você fez aquilo para protegê-los. - Draco estava certo e no fundo ela sabia. Depois do banho e de pegarem as mochilas com roupas para o final de semana, eles saíram em direção a sala da diretora. O castelo parecia estar vazio, mas Hermione sabia que aquele horário todos estariam no salão principal para o café da manhã. Subiram pelas escadas e como na noite anterior, Hermione bateu duas vezes e entrou depois de ouvir a voz de Macgonall do outro lado. A porta de abriu e ela visualizou duas pessoas no recinto. Macgonall é claro, e Kingsley Shackbolt, ministro da magia.

- Kingsley! - exclamou quase correndo para abraçar-lhe. O mesmo abriu os braços rapidamente com um enorme sorriso no rosto.

- Queria vê-la. - ele disse assim que se soltaram.

- Obrigada! - ela agradeceu. - Jamais estaria indo aonde estou agora se não fosse por você. - seus olhos ameaçavam lacrimejar.

- Apenas fiz o meu trabalho. - disse ele sorrindo constrangido fazendo Hermione rir.

- Obrigada mesmo. - agradeceu novamente sorrindo.

- Bom, acho que está na hora de ir, sim? - Macgonall chamou a atenção para ela. Hermione concordou freneticamente, antes de se virar para trás e chamar Draco que estava no fundo da sala com sua mochila nas costas observando a cena.

- Sr. Malfoy. - Kingsley cumprimentou acenando com a cabeça com um leve sorriso.

- Ministro. - Draco imitou o cumprimento parando ao lado de Hermione. Em seguida se dirigiram para a dentro da lareira e falaram a casa de Hermione como foram instruídos, e antes de saírem completamente dali, ela pode ouvir a voz grossa de Kingsley dizendo um sonoro "curioso..." lhe fazendo lembrar de Dumbledore.

Assim que colocou os pés para fora da lareira, a sensação de estar em casa lhe invadiu. Estava tudo do jeito que se lembrava, as paredes brancas com fotos da família, o enorme sofá creme em frente a lareira, a televisão embutida em cima da lareira, o cheiro de comida vindos da cozinha. Era tudo como se lembrava. Draco parou ao seu lado observando a decoração parecendo captar cada mínimo detalhe. Por fim, ele a olhou ansioso, esperando que ela finalmente dissesse, e ela disse.

- Mãe? Pai? - chamou colocando a mochila em cima do sofá.

- Hermione? - a voz doce de sua mãe se fez presente assim como ela na entrada da cozinha. Hermione mal teve tempo de olha-la antes de ser tomada por quatro braços envolta dela. Seus joelhos cederam e foram ao chão quando finalmente conseguiu abraça-los e sentir o perfume deles, tão familiar. Estava finalmente em casa, naquele abraço. Não soube quanto tempo ficou, ali no meio deles, também não soube quando foi que começou a chorar, ou quando passou a ficar molhada pelo choro deles. Mas seu coração finalmente estava em paz apenas ouvindo os sussurros de sua mãe dizendo que estava tudo bem agora, e sim, estava. Finalmente. Quando conseguiram parar de chorar e se afastar, ela sorriu ao poder ver seus rostos.

- Oh, querida. - sua mãe murmurou. - Você está tão linda! - ela dizia passando a mão em seu rosto.

- Cada dia mais parecida com sua mãe. - seu pai comentou sorrindo abobado. E passaram longos minutos murmurando coisas boas para ela, o que a deixou extremamente grata por finalmente tê-los de volta. Quando finalmente se levantaram, Hermione lembrou de Draco, e soltando a mão de seus pais que pareciam não terem visto o loiro ainda, se aproximou de Draco que estava no mesmo lugar que ela havia o deixado, os olhos brilhando em um brilho completamente diferente de tudo que ela já havia visto. Era um brilho de respeito, admiração. Ela lhe sorriu e juntou suas mãos o puxando para dar um passo a frente.

- Mãe, pai, este é Draco Malfoy, meu namorado. - ela apresentou com um tanto de receio de suas reações. Seu pai arregalou os olhos e sua mãe soltou um gritinho inesperado. Draco deu mais um passo a frente e estendeu a mão para seu pai.

- É um prazer, Sr. Granger. - seu pai apertou sua mão um tanto surpreso, mas nada respondeu. E então Draco se virou para sua mãe, sorriu abertamente e estendeu a mão para ela que pegou prontamente. Draco deu um beijo na mão de sua mãe que suspirou encantada. - Igualmente um prazer Sra. Granger. - e soltou. Sua mãe sorriu abertamente.

- Estou encantada! - exclamou enquanto analisava Draco de cima a baixo. - Você apenas me dizia que o tal Malfoy era bonito, mas arrogante, Hermione. - Hermione arregalou os olhos.

- Mãe! - reclamou enquanto ela continuava a analisar Draco.

- E também dizia que ele era maldoso, como é que viraram namorados mesmo? - seu pai perguntou, seu tom de voz repleto de ciúmes que quase a fez rir.

- Não seja rude, amor. - sua mãe repreendeu.

- É uma longa história que prometo contar em breve. - ela disse. - Por enquanto eu quero saber de vocês, e desse cheiro maravilhoso que vem da cozinha. - todos riram e se dirigiram para o café da manhã. Durante todo ele, Hermione observou como Draco se comportava em relação a seus pais. Ele estava claramente nervoso, mas ainda sim conseguia a aprovação deles pouco a pouco. Com sua educação impecável e seu senso de humor radiante. Sua mãe o tinha adorado, e Hermione sabia que seu pai também, apenas estava com um pé atrás, que logo se resolveria com uma conversa.

- Eu vou arrumar o quarto de hóspedes, enquanto isso você mostra a casa pro Draco, está bem? - sua mãe se pronunciou quando eles finalmente se levantaram da mesa de café. Hermione assentiu e puxou Draco para conhecer a casa, mostrou todos os cômodos de baixo e subiu. Draco parecia impressionado, talvez com algumas coisas trouxas, ou talvez com o tamanho da sua casa, que não era nada pequena, só não era uma mansão. Por fim, ela mostrou os cômodos de cima e chegou na última porta, seu quarto, e entrou com ele. As coisas ainda estavam do mesmo jeito que ela havia deixado na manhã que retirou a memória do seus pais.

- Uma bela decoração. - Draco comentou risonho enquanto andava pelo cômodo. Era um quarto de princesa, era óbvio. O rosa claro das paredes, a cama com um enorme dorcel, móveis brancos e uma prateleira repleta de ursos.

- Ah, cala boca. - ela repreendeu, rindo depois. Era realmente ridículo. - Minha mãe que escolheu tudo. - deu de ombros. Draco riu e se aproximou dela, envolvendo as mãos em sua cintura e a puxando contra seu corpo.

- Está feliz? - ele perguntou, mexendo em uma mecha de seu cabelo.

- Feliz demais. - seu sorriso foi tão grande que quase não coube em seu rosto. Duas batidas foram ouvidas e a cabeça de seu pai entrou no quarto no momento em que ela e Draco iriam se beijar.

- O quarto está pronto. - ele disse em um tom de voz que lhe dizia claramente que não tinha gostado do que viu. Draco rapidamente pegou a mochila e foi para o quarto indicado enquanto seu pai entrou em seu quarto.

- O famoso Malfoy. - ele disse, colocando as mãos no bolso e esperando respostas. - O que? Não me olhe assim. Apenas quero saber o que mudou. - ele deu de ombros.

- Muita coisa mudou, pai. - ela sorriu enquanto tirava suas roupas da mochila. - Fiz novos amigos este ano, amigos que nunca pensei que faria. - contou. - Draco é uma boa pessoa. Ele se descobriu muito ao longo dos anos, teve que fazer coisas que ele não queria fazer, amadureceu, e se tornou uma pessoa incrível. - contou enquanto seu pai a observava. - Eu estou feliz. Agora principalmente. Draco me ajudou muito durante este tempo, ele é carinhoso e eu o amo. - ela se virou para ele e se aproximou. - Por favor não o julgue pelo passado, as vezes nos enganamos com as pessoas sem saber realmente pelo que elas passam. - seu pai estendeu a mão e passou em seus cabelos.

- Você está tão adulta. - ele murmurou. - Eu não vi essa guerra, mas sei que você amadureceu por causa dela. E se você está me dizendo que ele é um bom rapaz, eu acredito em você. - Hermione sorriu, abraçando-o rapidamente.

- Obrigada. - o apertou ainda mais.

- Sem contar que eu nunca vi seus olhinhos brilharem assim por alguém antes. - ele contou a fazendo rir.

                                ~*~

- Com licença. - Draco pediu depois de dar duas batidas na porta do quarto de hóspedes. A casa de Hermione era muito diferente do que ele imaginava, não que ele imaginasse que ela fosse pobre, mas a família dela tinha muito mais condições do que ele imaginou toda vida. A mãe de Hermione lhe sorriu, ela tinha o mesmo sorriso que Hermione. A verdade era que Hermione era a cópia de sua mãe, e ele havia ficado impressionado com isso assim que a viu.

- Entre, querido. - ela disse. - Eu arrumei como pude, não sabia que Hermione vinha acompanhada pra casa. - contou enquanto Draco colocava a mochila em cima da cama cuidadosamente.

- Não se preocupe, está ótimo. - tranqüilizou-a sorrindo.

- Sei que é meio deselegante perguntar, mas Hermione falava bastante de você quando mais jovem, e sempre dizia coisas ruins. - Ela fez uma pausa e Draco ficou observando-a. - Você pretende algo realmente sério? - ela perguntou meio sem jeito. E logo voltou a falar. - Hermione é uma menina muito boa, sabe. E eu quero que ela fique em boas mãos quando resolver ficar com alguém. - ela o encarou, procurando por respostas para aquela pergunta.

- Não se preocupe, Sra. Granger. Minhas intenções com Hermione são as melhores, e eu sei que já a magoei no passado, e me arrependo disso. Mas eu a amo de verdade, e jamais faria algo para magoa-la. - a mulher sorriu abertamente.

- Você é muito educado, e eu realmente fiquei impressionada e encantada com você. - Draco sorriu sem jeito. - Eu acredito em você, querido. Vejo que minha Hermione está em boas mãos. - ela sorriu mais uma vez, e caminhou para fora do quarto, parando na porta e se virando para ele novamente. - Não ligue para o meu marido, ele geralmente não é assim. Apenas é um tanto ciumento com sua única filha. - ela disse em um tom risonho e piscou para ele, saindo do quarto.

O dia inteiro fora bastante divertido na opinião de Draco, a família de Hermione era completamente diferente da sua. Na mesa do almoço rolava brincadeiras, conversas inesperadas e era bastante divertido. O Sr. Granger parecia ter aliviado a tensão que tinha com Draco e tudo havia ficado bem. Depois do almoço, Draco deu uma volta na vizinhança junto de Hermione e tomou um sorvete na praça ao final da rua. Achou divertido como os vizinhos se interagiam e como todos se conheciam. Desejou que um dia pudesse morar em uma vizinhança assim, e não no meio do nada como ficava a mansão dos Malfoy. Quando começou a anoitecer, eles voltaram para casa e tomaram um banho, sentando-se na sala e voltando a conversar com os pais de Hermione. A noite, o Sr. Granger resolveu fazer algumas pizzas ao invés de comprar, e Draco se divertiu ao ver Hermione junto com ele na cozinha. Descobriu que todo sábado era o dia da pizza na casa. Foram dormir tarde naquele dia, completamente estufados de tanto comer pizza.

- Não vamos mesmo poder dormir juntos? - ele perguntou manhoso, puxando Hermione para junto dele assim que entraram no quarto de hóspedes.

- Acho que você está muito acostumado a dormir comigo, em Sr. Malfoy? - ela perguntou sorrindo e ficando na ponta dos pés para roçar seus lábios.

- Estou mesmo, admito. - ele deu de ombros a fazendo rir.

- É, mas hoje vamos dormir separados, sim? - Draco bufou. - Prometo recompensar quando voltarmos a Hogwarts. - Draco sorriu imediatamente.

- Gosto disso. - seu sorriso malicioso tomou conta de seu rosto, assim como os pensamentos inoportunos tomou conta de sua cabeça.

- Eu sei que sim. - ela riu lhe dando um beijo rápido antes de se afastar. - Dorme bem. - desejou antes de sair do quarto. Draco ainda ficou parado um tempo olhando a porta fechada e com um sorriso idiota no rosto. Ele não sabia que feitiço Hermione tinha jogado nele, mas ele sabia que foi a melhor coisa que já tinha te acontecido.

O domingo pareceu passar tão rápido que Draco mal acreditou quando acabou. Hermione parecia estar de coração apertado ao ter que deixar os pais novamente, mas eles lhe garantiram que ficariam bem. Passaram o domingo no jardim, fazendo algo que eles nomeavam "churrasco", mas que Draco só pensava no quanto era bom. Desceram para a sala e se demoraram se despedindo dos pais de Hermione, antes de entrar na lareira e segundos depois aparecer no escritório de Macgonall que os esperava.

- Ah, enfim chegaram. - ela sorriu. - Agora por favor acalme seus amigos porque eles estão me deixando louca! - só então Draco se lembrou que haviam saído sem ao menos avisar alguém. - Perdi as contas de quantas vezes vieram atrás de mim. Eles querem me enlouquecer! - Macgonall resmungou os acompanhando até a porta. - Passaram todo o final de semana me atormentando, não sabia se poderia contar ou não, mas de tanto Potter me importunar eu lhe contei hoje mais cedo que você fora ver seus pais. - ela disse. - Devem estar os esperando no salão comunal dos monitores. - enfim ela parou de falar.

- Obrigada Minerva. - Hermione agradeceu sorrindo enquanto saiam de lá. Caminharam até o salão comunal dos monitores e entraram devagar, esperando pelo o que estava por vir. Que veio, por meio de gritaria e questionamentos por várias pessoas dentro daquele salão. Tinha que se lembrar de avisá-los da próxima vez...


Notas Finais


Espero que tenham gostado do capítulo! 💚 Como eu disse lá em cima, a demora fora por causa do Enem, mas quero que saiba que não desisti da fic não viu? Vou continuar com ela sim, afinal, está acabando 😓. Quero agradecer aos comentários do capítulo anterior que me deixaram extremamente feliz. Obrigada mesmo, viu?? Eu amo vocês!! 💚 Agora vou lá responder os comentários. 😍 Fico esperando os comentários desse capítulo, viu? Beijos e até o próximo 💚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...