História RECOMEÇO - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Capitão América, Os Vingadores (The Avengers), S.H.I.E.L.D.
Personagens Anthony "Tony" Stark, Clint Barton, Dr. Bruce Banner (Hulk), Feiticeira Escarlate (Wanda Maximoff), James Buchanan "Bucky" Barnes, Natasha Romanoff, Nick Fury, Sam Wilson (Falcão), Steve Rogers
Tags Bucky Barnes, Capitão América, Drama, James Barnes, Marvel, Romance, Soldado Invernal
Exibições 93
Palavras 1.139
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Fluffy, Romance e Novela, Sci-Fi, Super Power, Violência
Avisos: Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


(N) = Nome [ou seja, seu nome, ou qualquer nome ou qualquer pessoa que você queira imaginar no lugar da personagem. Eu sempre leio com o meu nome ali, embora a história dela não seja a minha.].
Repito, ela é uma personagem. Os fatos descritos na fic não aconteceram comigo, ela não sou eu. Para descrever a psiquiatra eu me inspirei em várias mulheres fortes, independentes, lindas e modernas. Eu estava em um momento difícil na minha vida e precisava criar uma persona, então eu criei ela. Estou apaixonada pelo James Barnes já faz um bom tempo e esta fic me veio na cabeça.
Enfim,
ESPERO QUE VOCÊ GOSTE <33

Capítulo 1 - O Encontro


Nova York,
segunda feira,
antes das 9am.

‘’Fury, eu não sei.’’ (N) tinha os braços cruzados na altura do peito enquanto olhava pela janela. Milhares de nova iorquinos apressados iniciando o dia. ‘’Eu nunca lidei com esse nível de estrago.’’

‘’Você sabe que se tem alguém que pode fazer isso esse alguém é você.’’ Fury estava no outro lado da sala, encostado na parede.

(N) fica longos segundos pensando em tudo e nada ao mesmo tempo. Ela já havia lido todos os arquivos possíveis sobre o Soldado Invernal.

‘’Você já pensou que talvez ele não queira mais lutar? Que talvez ele esteja cansado?’’

‘’Ele É um lutador, (N), só precisa ser direcionado, arrumar a cabeça.’’ Fury se desencosta da parede e toma seu lugar atrás de sua mesa de vidro.

‘’Arrumar a cabeça.’’ (N) repete, soltando uma risada irônica. ‘’Você fala como se ele fosse um boneco.’’

‘’Desde garoto ele tem esse espírito heróico. Infelizmente caiu em mãos erradas e deu no que deu.’’

‘’Eu sei que Bucky Barnes não nasceu pra ficar atrás de uma mesa, mas não acho que ele esteja apto para ir a campo nos próximos doze meses.’’ (N) agora toma o lugar de frente para Fury no outro lado da mesa, a expressão bastante séria. ‘’O garoto do Brooklyn morreu a muitos anos, mas precisamos dar uma chance para ele formar uma nova personalidade, se ajustar… Isso demora.’’

‘’Você foi muito boa ajudando Steve.’’

‘’Fury, não faça de conta que não entende. Steve não era um assassino torturado pela Hydra. Não teve parte de suas memórias apagadas. Bucky vai ser difícil.’’

‘’Bom, ele concordou com isso, então já é meio caminho andado, não?’’

Como resposta (N) apenas suspirou, tentando prever como seriam as próximas semanas com o caso mais difícil que ela poderia lidar.

Nova York,
terça feira,
4pm.

Bucky sentou na cama e passou a mão nos cabelos. Um suspiro alto e cansado escapou do peito. Ele nada disse quando ouviu uma batida na porta, logo uma cabeça loira aponta para dentro.

‘’Hey Bucky.’’ Steve Rogers entra, posiciona uma cadeira com o encosto para frente, sentando com as pernas abertas para o amigo. ‘’Não vai desistir, não é?’’

‘’Não, Steve, eu não vou.’’ Bucky  junta as mãos no colo e fica alguns segundos olhando para o chão, até que levanta o olhar para o amigo. ‘’E você sabe que só vou fazer isso por você. Steve Rogers é tudo o que restou do velho… James. Engraçado que é difícil até falar meu próprio nome.’’

‘’Ela é uma boa pessoa, é de minha extrema confiança.’’ Steve percebe uma ruga na testa de Bucky. ‘’A Dra. (N). Ela me ajudou quando eu… bem, você sabe. Eu estava assustado, confuso, indignado. Acordei em uma época diferente, rodeado de pessoas desconhecidas. Ela foi fundamental na minha ‘recuperação’.

Bucky nada disse, mas tinha em mente que se Steve confiava tanto nela, então ele também poderia.

Steve descansava o queixo em cima do pulso enquanto o observava. Querendo fazer alguma coisa para trazer ao menos um pouco de conforto para o velho amigo, mas sabendo que não seria fácil.

‘’Bucky, eu não vou dizer mais nada. Apenas que estou feliz pela sua decisão de colaborar. Estou muito orgulhoso e ansioso pra saber como vai ser.’’

Steve levantou da cadeira e deu dois tapinhas no ombro humano de Bucky, mostrando assim seu apoio. Eles trocaram um breve olhar e o sargento viu o amigo deixar o quarto.

___________________________________________________________________________

Nova York,
Terça feira,
5pm.

(N) deu uma última checada na aparência em frente ao espelho. Após ser diretamente chamada por Nick Fury para ser psiquiatra particular do recém capturado James Buchanan Barnes, o Soldado Invernal, tudo parecia diferente. Talvez o maior desafio de sua carreira.

Quando ela chegou ao consultório ficou sabendo pela secretária que o sargento já estava dentro da sala esperando. Um último suspiro, um pouco mais de coragem e (N) entra.

Bucky imediatamente levantou. Sem graça, ele esfregou as duas mãos no jeans e estendeu a direita para a psiquiatra, que apertou sem o menor problema.

‘’Prazer em conhecê-lo, Sargento Barnes. Eu só li sobre você nos museus mas tê-lo em meu escritório é uma honra.’’

Ele força um sorriso apenas para parecer simpático, mas (N) consegue ler na expressão corporal do homem que ele sentiu um pouco de orgulho ao ser chamado como o militar que é.

‘’O prazer é todo meu, Dra. (N). Já peço desculpas antecipadas pelo que eu possa vir a dizer ou fazer.’’

‘’Não, não faça isso. Seja lá o que aconteça, este é meu trabalho e eu estou aqui para isso.’’

Bucky a observou ela dar a volta na mesa e arrastar a cadeira para perto do sofá confortável.  

‘’Por favor, fique a vontade.’’

(N) aponta para o sofá e Bucky deita, descansando as duas mãos sobre o peito que sobe e desce lentamente. A cadeira é posicionada atrás da cabeça de Bucky para que ele não pudesse ver, apenas ouvir a voz da médica.

‘’Eu fui chamada para ir conversar com você na sua localização mas agradeço que tenha vindo até meu consultório.’’

‘’Se eles querem que eu seja uma pessoa normal, devo começar vindo até ao médico como uma pessoa normal, não é?’’

Bucky falava baixo, tinha um tom de voz ríspido porém tranquilo. Os cabelos lisos espalhados pela almofada e um olhar vazio para o teto. Ele claramente queria ajuda mas não sabia por onde começar. (N) pensa que Bucky era como o oceano: visto de fora pacífico e bonito, mas por dentro tinha muita coisa acontecendo ao mesmo tempo.

‘’Tem toda razão. Você costuma sair de casa? Não sei, ir comprar alguma coisa, quem sabe.’’

‘’Eu evito. As pessoas não gostam… disto.’’

Ele levanta o braço não humano, emitindo o som de puro metal colidindo. As camadas se fechando como escamas de um peixe futurista. (N) sabia o quanto aquilo era malígno, mas precisava aprender a lidar e o mais difícil: fazer ele aceitar.

‘’Me conte mais sobre isso.’’

‘’Não tem muito pra contar. É uma arma, matou muitas pessoas, todo mundo sabe disso.’’

(N) nada diz. Alguns segundos de silêncio até que Bucky retorna a falar, suspirando, fechando os olhos com força.

‘’Desculpa por isso é que… eu ainda lembro de tudo. Eu lembro de todos os rostos. E toda vez que eu durmo eles estão lá me assombrando. Você nunca vai saber o que é isso. Não existe terapia que mude o fato de que eu sou um assassino, Doutora. Nem você, nem Fury, nem Steve.’’

Ele foi levantando do sofá gradativamente enquanto falava, até que ficou em pé, começou a caminhar em direção a porta. Quando Bucky coloca a mão na maçaneta, ele encosta a testa na parede, os cabelos caem como uma cortina nas laterais do rosto e ele suspira.

‘’Desculpa de novo. Tchau.’’


Notas Finais


Bom, eu demorei MUITO pra postar isso. Tenho esta fic escrita a meses mas não tinha coragem de postar porque não achava boa o bastante. Estou preparada pra ser bombardeada de críticas porque não fui completamente fiel ao personagem nem a história dele, mas aguento os socos haha.
Já aviso que a fic vai ser comprida. Eu não consigo escrever pouco.
COMENTEM, isso me ajuda a pensar (já que ainda não tenho um final definido na minha cabeça).


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...