História Recomeço {JK} - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Drama, Jungkook
Exibições 49
Palavras 1.052
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


HEY BOLINHOS QUE SAUDADES ❤

Bom, primeiro: desculpa a demora >< e fiquei doente e sem criatividade... Mas já estou melhor.

Segundo: tem pergunta e avisinho lá nas nostas finals, leiam pois é importante.

Boa leitura Babes! ^^

Capítulo 25 - Um Dia Eles Serão Meus Bebês.


*Leiam as notas inicias*


•-•


Acordei com algo molhado em minha boca, era muito doce. Com dificuldade abri meus olhos lentamente e vi JungKook por cima de mim, em sua boca tinha um morango banhado em chocolate. Abri a boca vendo-o se aproxinar, mordi a fruta com cuidado para não acabar mordendo seus lábios e me afastei. O vi sorrindo de canto enquanto mastigava o outro pedaço da fruta vermelha e doce.


– Bom dia! - ele disse beijando meu rosto todo, fazendo uma trilha até meu pescoço.


–Bom dia oppa! - respondi arfando. Ele me olhou e sorriu maliciosamente e me beijou.


– Como se sente? - creio que ele está se referindo a noite passada.


– Sinceramente? Estou com um pouco de dor, mas fora isso estou ótima! - arfimei, ele me olhou preocupado e se levantou de cima de mim. – Que foi?


– Vou pegar um remédio pra você! - se virou pra sair do quarto, vi suas costas toda machucada. Fiz um som indicando surpresa e ele me olhou. – Que foi? 


– Trás a maleta de primeiro socorros... - ele me olhou confuso mas assentiu. Quando ele voltou me entregou um copo com água e o remédio, tomei os mesmo e fiz Jung se sentar de costas pra mim.


     Peguei um anticéptico em spray e passei em seus machucados, ele gemeu de dor, peguei uma pomada e passei nos mesmo, depois fiz alguns curativos básicos.  


   Me levantei e fui em direção ao banheiro, senti Jeon me abraçar por trás e beijar meu pescoço, sorri.


– As marcas que fiz em você estão lindas! - ele diz em meu ouvido, estranhei o que ele falou, então voltei pro quarto e parei em frente ao grande espelho que tinha ali.


– Meu... Deus... - me deparei com várias marcas roxas em meu pescoço, minha coxa estava vermelha e ainda com o formato da palma de Jung, virei-me um pouco e tentei olhar minhas costas, tinha a marca do chicote. – JungKook olha o que você fez!


– Falando assim nem parece que gemeu meu nome a noite toda! - ele diz vindo até mim e me abraçando pela cintura, ele se olhou no espelho e riu baixo. – Olha o que você fez no meu peitoral... - ele me soltou e virou-se um pouco para ver suas costas, assim como eu havia feito à alguns minutos atrás, e sua feição se tornou de espanto. – Minhas costa está toda machucada...


– Mas já fiz os curativos e falando assim, nem parece que gemeu pedindo mais contato com minha boca... - ri e sai em direção ao banheiro.


   Tomei um banho rápido junto a Jung, que a poucos minutos tinha entrado no banheiro, voltei para o quarto e vesti uma roupa qualquer. Era sábado e eu não precisava ir para a empresa.


     Fiz café da manhã e chamei Jung. Ele apareceu com sua roupa de trabalho, o encarei e fiz bico.


– Que foi meu amor? - perguntou se sentando e me puxando para ficar em cima de seu colo.


– Achei que você ia ficar comigo hoje e ver com o advogado sobre a adoção de May e JeongMin... - o abracei pelo pescoço, ele beijou minha testa fez carinho em minhas costa.


– Você realmente quer adotar eles? - senti um tom de incerteza em sua voz.


– Você não quer? - encarei seus olhos escuros.


–  Adoção é algo complicado e demora muito... - levantei de seu colo e fui até a geladeira pegar uma garrafinha d'água.


– Olha Kook, se você não quer adotar eles não precisa assinar os papéis necessários... - respondi. – Eu tento adotá-los sozinha.


– Hee para! Eu quero adotar eles, mas se um casal também tentar adotá-los não vamos ter muitas chances, até porque não somos casados... - ele diz me fazendo abaixar a cabeça.


– Eu não vou desistir sem pelo menos tentar! - respondi firme e sentei-me na cadeira para assim, tomar meu café em paz.


   Após tomar seu café, ele se levantou e foi até o quarto pegar sua pasta. Quando voltou estava o esperando perto da porta, ele me deu um beijo cálido e se foi. 


    Aproveitei que era sábado e coloquei música para arrumar o apartamento. Após organizar tudo tomei um banho rápido e vesti uma roupa qualquer.


– Meu pai deve conhecer algum advogado bom... - falei pra mim mesma. Liguei para meu appa e marcamos uma reunião de última hora com um amigo dele, que segundo o mesmo, é muito competente como advogado.


  {...}


     Cheguei na empresa vazia e silenciosa, me dirigindo até a sala de reuniões onde vi um homem aparentemente mais novo que meu pai.


– Bom dia appa! - o saudei com um abraço e um beijo na bochecha. – Annyonghaseyo senhor, sou Hee como se chama?


– Park Kyung-Soon. - se reverenciou assim como eu. 


– Agora minha filha, me explique o por que de querer um advogado? - meu appa pergunta se sentando e pedindo pra Kyung fazer o mesmo.


– Bom, no dia que fiquei até tarde aqui com a Yun organizando algumas coisas da empresa, no caminho de volta para casa encontramos duas crianças que fugiram de um orfanato. - fiz uma pausa. – Por conta da chuva e do frio, decidi levá-las para meu apartamento, cuidei deles e de seus ferimentos, eles passaram a noite lá. Ontem pela tarde eu os levei de volta para o orfanato... E bom, fiquei curiosa para saber como funciona uma adoção. - omiti a parte de querer adotá-los, eles não precisam saber por hora.


– Bom senhorita Kim, o processo de adoção é algo muito complexo. Adotar uma criança leva tempo. - ele toma um pouco de água. – A primeira coisa a ser feita é você ir até uma Vara de infância e Juventude daqui de Seul e ver os documentos que você terá que começar a providenciar. - assenti me sentando em uma cadeira de frente para ele. – O segundo passo seria dar a entrada e fazer a petição preparada por um advogado particular, para dar início ao processo de inscrição da adoção...


{…}


      Horas de conversa se passou, já havia escurecendo para ser mais específica. Havia ligações e várias mensagens de JungKook. Suspirei decepcionada, por conta da promessa que havia feito para May sobre ir visitá-la sempre.


    Decidi não focar muito nisso, fiquei mais intrigada com minha conversa com Kyung-Soon. 


– Ah Mayumi e JeongMin, um dia vocês serão meus... Meus bebês.


•-•




Notas Finais


Perguntinha: Se eu fizesse um grupo no whatsapp, vocês participariam? Assim, além de vocês saberem quando irei postar, também poderei dar spoilers sobre as fics. Deixem aí nos comentários o que acham da ideia juntamente com uma sugestão do nome pro grupo, irei escolher o melhor :) Aaaah outra coisa, se eu criar o grupo, é pra conversarem e tirarem dúvidas, não deixem o grupo morrer, please! É isso.

Aviso básico mas importante:
Vou ficar um booom tempo sem postar devido as minhas provas finais. Preciso me esforçar muito para passar direto. E se eu não me sair bem, dêem adeus a mim e a fic. Ashuashu

Me desejem sorte. 🙏

É isso, espero que entendam e que gostem do capítulo!

Xoxo ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...