História Recomeços - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias KNK
Personagens Jeong In-seong, Kim Ji-hun, Kim You-jin, Oh Hee-jun, Park Seung-jun
Tags Inseong, Knk, Seungjun, Seungseong
Exibições 95
Palavras 1.922
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Confesso que faço meus capítulos no dia que postarei, mas hoje demorei um pouquinho para postar porque deixei um pouquinho mais comprido em relação aos outros capítulos... espero que gostem <3
Se quiserem conversar cmg meu twitter é @who_is_naomi

Capítulo 3 - A mancha


Fanfic / Fanfiction Recomeços - Capítulo 3 - A mancha

Seungjun

- E lá vamos nós - disse Seungjun sonolento ao levantar da cama e, como de costume, olhar o relógio de pulso e coloca-lo. Eram exatamente sete e três da manhã, porque o preguiçoso insistiu em permanecer alguns minutos na cama.

Todas as manhãs Park pega o relógio para então começar o seu dia, ele gostava de ser pontual em qualquer um dos seus compromissos e por isso cronometrava algumas de suas atividades.

Banho -  8:52 minutos;
Escovar os dentes - 4:13 minutos;
Estender a cama - 11:27 minutos;
Café da manhã - 15:46 minutos;

O psicólogo se perguntava por quê ainda estendia a cama se tinha Im Chaeyeon, sua empregada, ela estava na família dos Park bem antes do rapaz nascer e desde que começou a morar sozinho os seus pais pediram para que ela o acompanhasse para que pudesse cuidar do menino Park, como ela gostava de chamar. A Noona só estendeu a cama do garoto até seus 8 anos, depois dali ele já havia a observado tanto a mais velha que aprendeu a estender a própria cama. Chaeyeon não admitiria na frente do seu pequeno, mesmo que ainda estivesse crescido continuava como seu pequeno, que tinha um grande orgulho do que ele se tornara mas não deixava de puxar a orelha dele quando fazia suas tarefas.

- O senhor devia jogar fora esses jornais e papéis velhos, menino Park. - disse a empregada tirando vários papéis, correspondências e alguns jornais antigos guardados em uma gaveta da estante da sala de estar da casa do rapaz  enquanto o olhava tomar o seu café da manhã e ler o jornal da semana.

-Mmmm, deixe aí Chae tenho que ver o que ainda tem utilidade para mim, depois jogo fora com o lixo.

A senhora assente com a cabeça mas o mais novo não percebeu por não largar seu jornal e o computador que colocara na mesa agora a pouco. Park não admitiria mas estava apenas com o jornal para que sua Noona não percebesse que estava comendo um dos croissants doce que ela fizera em cima do computador. O rapaz apreciava a habilidade da mais velha na cozinha e pedia para que ela passasse suas receitas e o seu segredo para deixar tudo tão bom mas ela insistia para que ele saísse da cozinha e dizia que a única coisa que havia de especial era o amor dela depositado no comida.

- Noona? Você pode me fazer um favor? - Seungjun disse em uma entonação manhosa fazendo bico que nem fazia quando era criança para que conseguisse um sim como resposta

- O que o menino Park quer dessa vez? - a mais velha não disfarçava a desconfiança.

- Eu esqueci de avisa-la mas já faz um tempinho que tem uma mancha de café no carpete do meu escritório, você poderia dar um jeito como sempre faz? - O rapaz estava tentando fazer uns olhos "pidões" porque sabia que ela não resistiria.

A senhora de cabelos escuros com alguns fios brancos apenas riu, com aquilo já se podia saber que ela aceitara o desafio de tirar a mancha do carpete do seu menino Park. O mais novo sorriu de canto e como já estava de saída porque tinha que ir ao escritório foi até a sua Noona para dar um beijo na testa da mais velha.

- Estarei lá ao meio-dia senhor Park, a essa hora quero você almoçando aqui ou eu vou ter que puxar a sua orelha.

- Não se preocupe, eu prezo muito as minhas belas orelhas e as quero em seus respectivos lugares, prometo estar aqui ao meio-dia. - O rapaz ri alto e saí de seu apartamento.

 *    *    *

- E quais corpos iremos enterrar hoje? - disse Seungjun ironicamente perguntando sobre de como seria seu dia hoje planejado pela secretária.

- Você tem apenas duas pessoas agora de manhã já que aquele garoto de nariz empinado, Park Jimin, resolveu desmarcar a sessão de hoje. A tarde era pra ser três pessoas mas veio um casal aqui ontem para marcar uma sessão juntos, eu podia ouvir eles discutindo sobre a relação na sala de espera, mas não marquei porque não sabia se queria preferia deixar para outro dia...

- Cancele os clientes da tarde e agende a terapia de casal para amanhã de manhã. Im Chaeyeon vem aqui hoje ao meio-dia para limpar minha sala. - Park cortou SunHee mas não era sua intenção parecer ríspido, aquilo fez a moça de cabelos louros largar os papéis que organizava e se direcionar ao notebook para avisar os clientes de hoje.

- Já que sua sala será limpada, gostaria de almoçar comigo? Poderíamos ir ao shopping naquele restaurante de comidas picantes que recém abriu. - Sun tentou parecer o mais natural possível para que o chefe não percebesse suas segundas intenções. Afinal ela seria tola em não tentar algo com um homem jovem rico, bonito e bem sucedido como Park Seungjun.

- Até gostaria mas Chae vai arrancar as minhas orelhas se eu não comer o que ela fez pra mim de almoço hoje, você poderia dar uma olhada nela quando ela chegar para que ela não estrague meus livros, não?

- T-tudo bem, sem problema algum. - A moça que hoje estava de blusa branca, saia preta e um lenço de bolinhas pretas e volta do pescoço agora estava tentando focar em arrumar novamente os papéis que largara a poucos minutos para não deixar seus rosto corar de vergonha.

- Você ainda tem aquele endereço da cafeteria que te passaram? Vou pedir pra Chae ir lá para quando estiver com fome, afinal fica no meio do caminho daqui até a minha casa. - Seungjun não estava mentindo para a moça mas também não estava dizendo toda a verdade, ele não queria que ela quisesse fazer outro agrado para ele.

- Está aqui, meio amassado eu sei, perdão, mas é que achei que o senhor não fosse mesmo ir até aquela cafeteria, sabe, não parece ser o tipo de lugar que frequentaria...

- Não acho que aquele lugar "não esteja a minha altura", eu não sou de ir em lugares muito caros mesmo, esses ambientes simples me agradam mais que um restaurante caro do shopping. - Sun arregalou os olhos e sentiu aquela indireta passar por seu peito, aquilo fez ela se sentir sufocada e alargou o lenço em volta do pescoço, Park ficou um tanto ofendido mas deixou essa passar e foi direto para o escritório sem se despedir da secretária.

*   *   *

Seungjun havia chegado em seu escritório as sete e meia, mas apenas as oito começou a trabalhar. Ele não conseguia parar de olhar o relógio em seu pulso, durante suas sessões tentava manter o contato visual com seus clientes mas quando se dava conta estava olhando os segundos se passarem lentamente no relógio. Ele se perguntava o que o estava deixando tão avoado, ele nunca fazia esse tipo de coisa, não dar muita atenção as pessoas, ele gostava bastante de desvendar os mistérios que as pessoas escondiam ou tinham e mal sabiam. Será que era pelo jeito que a secretária se referiu sobre a cafeteria ser muito simples para ele? Ele ainda não tinha certeza, mas olhava para aquela mancha de café no carpete com um sorriso de canto.

Quando finalmente se deparou que era meio-dia foi para casa com esperanças de encontrar a mais velha de saída para seu escritório, mas a única coisa que encontrou foi um bilhete nas "notas" do IPad que deu para a sua Noona caso ela precisasse usar.

"Menino Park, eu tive que sair um pouco mais cedo para poder comprar alguns produtos para levar pro seu escritório, mas não se preocupe, sua comida está sobre o fogão, espero que não tenha se atrasado para almoçar para que quando você chegue sua comida ainda esteja quente.

Não esqueça de comer seus vegetais, notei que está comendo muito mal, o senhor precisa se alimentar bem ou vou puxar suas orelhas.

Com amor,

                     Im Chaeyeon."

O mais novo sorriu largo e sentiu saudades da sua Noona, assim que largou o IPad foi direto até onde estava o seu almoço colocando a mão acima da comida. Ainda estava quente.

Park serviu-se e começou a passar os dedos sobre seu pomo de adão, olhou para o IPad acima da mesa e sem hesitar pegou-o, encheu sua boca de brócolis e deu um sorriso bem largo para posar para uma foto, ele teria certeza que sua Noona iria rir e muito, o que ele não faria para ver ela sorrindo?

*   *   *

Já eram cinco horas da tarde, e não havia nenhum sinal da mais velha na casa. Park ficou a maior parte do tempo no computador olhando as pastas sobre seus clientes e adicionando mais anotações. Ele pensou em ligar para SunHee para ter notícias de como as coisas estavam indo lá, assim na tentativa de tirar seu celular sobre o bolso da frente da sua calça, sem querer cai a chaves do seu carro e um papel amassado. Seungjun pega os objetos que caíram, e abre aquele papel, era o endereço da cafeteria. Ele sorri de canto ao associar aquela letra desengonçada feita com pressa á uma de um médico, mas era apenas a letra de um futuro advogado. Coçou seu gogó pensativo, será que deveria ir até lá? Não que ele tivesse algum motivo para aparecer lá porque não tinha, achava até estranha aquela sua vontade, devia ser apenas curiosidade sobre se o café de lá era melhor do que Sun Hee comprava, ou saber se o mais novo ainda estava constrangido pelo incidente.

Seungjun colocou seus pés sobre a mesa que estava entre o sofá que estava sentando e a passagem para a sala de jantar, olhou seu relógio mais uma vez e apertou as chaves na mão bem forte. E decidiu ir para lá.

 

*   *   *

 

O psicólogo estacionou do outro lado da rua bem em frente a cafeteria, se escorou no carro e pensou, ele ainda estava com o terno de mais cedo e se lembrara do que a secretaria disse. Será que ele devia ter se trocado? Bem, eram cinco e meia agora, provavelmente o rapaz de roupas surradas não estaria trabalhando ainda, o que deu um certo alívio, assim não teria que explicar sua visita inesperada ao local.

Então atravessou a rua, parou na porta por uns milésimos e enfim entrou, olhou em volta, varias e varias mesas, um grande balcão com banquinhos e podia ver algo mais no fundo da cafeteria mas não foi até lá. Sentou-se em um dos banquinhos e finalmente pode enxergar o que era, um pequeno palco de karaokê com uma tela branca atrás e um microfone, em volta tinha uma cerquinha  para impedir a entrada e tinha uma placa "Disponível apenas as quintas-feiras a partir das 20h."

Mais uma vez tirou o papel do bolso e fitou as letras apressadas, ele sentiu que tinha alguém em sua frente mas não direcionou o olhar.

-Vai querer algo em especial? - disse a voz masculina do rapaz a sua frente.

- Apenas um café, por enquanto...

- O de sempre?

- "O de sempre?", não me lembro de ter vindo aqui antes. - Franziu o cenho e quando olhou para frente lá estava Jeong, limpando as mãos sujas com um pano por provavelmente estar ajudando no interior da cafeteria.

- Realmente, você nunca veio aqui. - Disse o mais novo rindo baixo e sorrindo de leve.


Notas Finais


Escrevi de ultima hora então acho que deve ter alguns errinhos, mas depois dou uma revisada e corrijo. Boa noite <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...