História Recommencer....? - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 14
Palavras 1.521
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Yaoi, Yuri

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - Que inferno


Fanfic / Fanfiction Recommencer....? - Capítulo 1 - Que inferno

Ah.... Novo dia. Nova casa. Tudo novo. Novos amigos, novas paixões... 

Odeio ser acordada por despertadores na melhor parte do sonho. Sabe, aquelas horas em que você chega no lugar que você passa a madrugada toda procurando, então quando você finalmente encontra.... Bip-bip-Bip-bip!! A merda do despertador toca. 

Ah, onde estão os meus modos? Nem me apresentei... Meu nome é Gwen, tenho 14 anos e acabei de me mudar do Canadá para o Brasil. Sinceramente, eu não estava nem um pouco afim de vir para cá. Esse país está sendo um inferno. Mas OK. Bom, eu acho que não vou para a escola nova hoje. 

No momento em que eu estava brincando com os meus pensamentos, minha mãe entra no quarto com um uniforme em mãos. 

- Filha, bom dia!! Vamos levantar! 

- Não. OK mãe. 

Eu levanto rápido, sem "lenga-lenga".

- Ai, eu estou tão feliz por você ter aceitado vir aqui para o Brasil. Você está feliz? 

- Claro mãe, porque eu não estaria? 

Eu não estou nada feliz com essa merda, será que não dá para perceber??

- Você parecia meio triste e brava quando viemos para cá. 

Finalmente ela percebeu. 

- Não era nada, eu só não estava muito confortável em mudar tão depressa... 

- Desculpa, é que as aulas começam hoje. Eu tive que me apressar para pegar o primeiro vôo. 

- Tudo bem mãe. 

Eu quero ir para a escola logo, não quero trocar mais nenhuma palavra sobre ontem. Eu me levantei da cama, disse que ia tomar banho, peguei minha toalha e fui direto para o banheiro, um dos meus locais preferidos daquela casa. 

Não que eu me sinta atraída por banheiros, mas é que aquele lugar tinha uma tranca, a qual eu sabia que minha mãe não saberia abrir direito. Eu não tive muito tempo para ver a casa por completo, só vi o andar de cima até agora. Como adoro focar nos mínimos detalhes, demora um pouco para que eu conheça  o ambiente por completo. OK, chega de enrolar. Vou tomar banho, assim que chegar na escola volto a narrar o dia -que provavelmente será um inferno-. 

30 minutos depois

Sim, já estou a caminho da escola, de a pé mesmo. Bom, depois que eu tomei banho e me vesti, eu fui tomar  café com a minha mãe. Como eu não estava tão concentrada na comida, fiquei observando o lugar por -quase- completo. Até que a casa que a minha mãe havia escolhido era bem boa, espaçosa. Pelo o que eu observei da cozinha, é bem grande, tem vários utensílios coloridos, e ah, o que não pode faltar: objetos pontuados e afiados. Não que eu vá usar isso em alguém, mas eu só sei que gosto deles. 

Quando eu percebo eu já estou na frente da escola, várias pessoas acompanhadas entrando. Provavelmente todas já se conheciam. Juro que estou me sentindo solitária agora. Bom, vou fazer o de sempre: Tacar o Foda-se para tudo e todos, subir até a classe, sentar na carteira na frente do professor -a qual todos evitam, percebi isso ao longo dos anos- abaixar a minha cabeça e esperar o sinal tocar para as aulas começarem.

OK. Eu olho para o lado e vejo um menino de óculos pretos, cabelos castanhos, e parecia ter uns 14 anos também. Deve ser um nerd, ele estava lendo um livro a segundos atrás. Ele olhou o relógio de pulso, guardou o livro na mochila e com ela nas costas foi para o lugar coberto do colégio, onde supostamente daria acesso às salas de aula. Ainda com a idéia de que ele era um nerd, comecei a segui-lo. Ele está a subindo as escadas, e eu seguindo ele. O menino está andando mais rápido do que eu planejava, então apertei o meu passo para não perde-lo de vista. Assim que as escadas acabam, ele vira no corredor do lado. Quando eu vou virar também, acabo esbarrando em alguém, que me fez cair no chão. Pelos barulhos percebi que a pessoa havia caído também. 

- Olha por onde anda! 

- Me-me desculpa... 

Eu levanto a cabeça para encarar o filho da mãe. Meu Deus. A tal pessoa era um menino, de cabelos levemente tingidos de vermelho, olhos castanhos. Seu corpo a primeira vista era "perfeitinho". Não era tão alto, nem tão baixo. Não era gordo nem muito magro. Tive a impressão de sua pele ser muito macia. 

- Tudo bem. -Falei em tom seco, logo depois me levantando e dando as costas para o rapaz.

- Espera! - Eu me viro para ele - Eu, não lembro de ter te visto por aqui nos últimos anos. Você é nova por aqui?? 

Eu sinceramente não estou afim de conversar com ele. Vou mandar respostas rápidas, assim a conversa pode durar menos. 

- Sim. 

- Você vai para que ano?? 

- Nono. 

- Eu também. Qual sala é a sua? quer a minha ajuda para acha-lá?? 

Eu realmente quero a sua ajuda menino, mas não estou de bom humor agora. Então eu vou responder em tons secos, me desculpe. 

- Nono C. 

Eu pude ver que ele percebeu que a menina a sua frente não estava afim de conversar, já que ele abaixou o olhar e parou de sorrir. 

- A sua sala fica para a esquerda, no corredor ao lado. Você estava entrando errado.  

Eu apenas assenti com a cabeça, então ele foi saindo lentamente e depois deu as costas para mim. Eu o observei indo para os bebedouros, logo ao lado do local onde estávamos. Então eu segui as instruções do garoto e entrei na sala nomeada como "9° C". Procurei o lugar em frente à  professora, coloquei minha mochila nas costas da cadeira, sentei e comecei a observar a sala por inteira.

O menino nerd que eu estava tentando seguir a minutos atrás estava sentado na primeira carteira da fila do meu lado. Haviam algumas meninas que pareciam populares em um canto da sala, arrumando o material extremamente rosa-choque. Chegava a arder os olhos e me dar desgosto. Elas riam tão alto e tão fino que pareciam galinhas em um galinheiro. Eram exatamente 4. Uma ruiva, com olhos verdes, altura mediana. A outra era Loira de olhos azuis, bem alta. Essa tinha muitas pulseiras finas no braço. Bem daquelas que fazem barulhos irritantes quando a pessoa meche o braço. As outras duas meninas pareciam gêmeas. Tinham cabelo preto, -que provavelmente eram tão escorridos que elas tiveram que acordar mais cedo para fazer babyliss antes de ir para a aula- olhos castanhos, eram de altura mediana também. E óbvio, todas tinham materiais rosa, todos parecendo -e obviamente sendo- muito caros e cheio de frufru. 

Além delas e do nerd não havia ninguém na sala. Começo a ver cada detalhe da sala. 

A mesa do professor já estava com os materiais dele. Parecia ser alguém muito organizado. Foi aí que eu percebi, era um homem. A pasta era preta e ressoava como se ele fosse alguém muito importante. Haviam chaves de carro jogadas em cima da mesa, ao que parecia era um carro caro. Havia uma foto 3×4 em cima da mesa, era uma mulher. Não muito bonita por sinal. Ao redor da foto haviam uns corações desenhados de caneta vermelha. Deduzi que ele é aqueles tipos de namorados/esposos que babam pelas mulheres, fazem de tudo por elas, gastam o maior dinheiro só para fazer suas vontades de mulher mimada. 

OK. Agora é só esperar o professor chegar. Demorou apenas alguns minutos para o sinal tocar e as pessoas começarem a entrar desesperadas na eula para pegar um lugar que preste. Percebi que o alvo era a fila do meio. Enfim o professor chegou. 

Um homem alto, cabelos meio loiros meio ruivos, olhos azuis penetrantes. Ele parecia ter uns 36 anos. Olhei rapidamente o seu dedo anelar. Uma aliança dourada, parecia meio desgastada com o tempo. Chutei uns 8 anos de casamento. Ele se sentou na minha frente e me encarou. Após olhar para baixo e ver na chamada que eu era aluna nova, ele olhou para mim de novo e me abriu um enorme sorriso branco. Eu retribuí o sorriso. Percebi que ele ficou meio sem-graça, então ele voltou a olhar para baixo. Depois ele tirou uma agenda da pasta. Começou a fazer umas anotações com uma caneta que viera pendurada junto com o caderninho. Virei a cabeça para trás e as 4 meninas ainda não tinham calado a boca. Tinham muitas pessoas de pé conversando em um tom extremamente alto, acompanhado de risadas estridentes e algumas até engraçadas. O nerd ainda estava sentado na carteira dele, tentando se concentrar em um livro que ele estava lendo. O professor finalmente parou de anotar coisas no caderninho e levantou os olhos na sala. A expressão dele era de que ia dar uma bronca em todos, mas ele apenas me olhou de canto de olho, deu um sorrisinho de canto de boca e levantou calmamente e se dirigiu a frente da sala. Ele pediu silêncio umas 3 vezes. Só quando uma menina gritou para todos calarem a boca, que as pessoas olharam para frente e se Sentaram rapidamente em suas carteiras. 




Notas Finais


Diga alguma coisa para que eu melhore a fanfic! Críticas construtivas estarão sempre aceitas
Se tiver algum erro, me diga, eu vou ter o prazer de arrumar
Obrigada por ter lido!
Vou atualizar a fanfic todo final de semana!
Beijos açucarados e até semana que vem!! ^u^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...