História Recovery - Justin Bieber (SLOW UPDATES) - Capítulo 22


Escrita por: ~ e ~Smellscameron-

Postado
Categorias Justin Bieber
Visualizações 269
Palavras 886
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 22 - Insecuriets


Maggie point of view - Nova York - 08:58 am

Assim que abri os olhos acostumei-me com a fraca claridade presente no quarto. Justin e eu dormimos colados na noite passada.

Eu estava deitada em seu peito e minhas pernas estavam enrroscadas em seu quadril. Uma de suas mãos pousava sobre minha coxa enquanto Justin dormia em um sono pesado.

A boca entre aberta e a respiração serena. Observei seu peito tatuado que subia e descia antes de tentar desvincilhar-me de seu corpo.

Quando deixei a cama, ele moveu-se e resmungou algumas coisas, agarrando o travesseiro.

Tood, que dormia nos pés da cama já havia acordado e fazia barulho com as patinhas no piso do quarto.

Fui rápida e silenciosa ao fazer minhas higienes, eu queria que Justin aproveitasse a manhã vaga de sono já que todas as suas outras foram apenas correrias.

Tood seguiu-me até a cozinha e petiscou seu pote de ração enquanto eu preparava para mim, um café forte.

Depois de aprontar-me, segui para a faculdade deixando algumas mensagens como aviso no celular de Justin.

Eu finalmente havia decidido sobre os convites e alguns outros detalhes, eu só precisaria levá-los para a universidade e então buscar alguns papéis.

Espero que Justin cuide bem de meu apartamento.

xx

Quando pisei na recepção do meu prédio, respirei aliviada, cumprimentando o síndico.

Connor, um colega de faculdade, deu-me carona até a rua de casa quando viu a quantidade de flashes que pairavam sobre mim.

Eu não tinha palavras para agradecê-lo por isso. Eu não sei o que faria se tivesse que esperar pelo Uber enquanto era cegada por paparazzis.

O elevador vazio me fez sorrir ao lembrar que não precisaria enfrentar mais ninguém até meu caminho para casa.

— Olá - disse assim que abri a porta. Justin estava sentado no meu sofá, completamente relaxado enquanto Tood cochilava ao seu lado.

— Porque você demorou tanto? - perguntou puxando-me para perto. Nos beijamos rapidamente e eu ri por poucos segundos ao sentir gosto de batata frita em sua boca.

— O que você comeu?

— Hm... Fast food - deu de ombros — Eu pedi pelo delivery.

— Gente como a gente, uh - brinquei deixando minha bolsa sobre a mesa da cozinha —  O entregador gritou muito?

— Eu tive que esperar ele se acalmar - entortou a boca gargalhando em seguida — brincadeira!

— Eu sei, love.

Beijei seus lábios mais uma vez, reparando suas mãos ocupadas. Bastou que eu olhasse para a televisão e então descobri sua diversão por poucas horas.

Em sua mão, um controle branco piscava enquanto ele jogava algum jogo no Xbox. A questão é que; eu não tenho um desses.

— Ok... de onde surgiu isso?

— Eu meio que comprei. - arregalei meus olhos — O que foi? O meu estava no hotel, eu não queria buscar, liguei para uma loja e eles trouxeram.

As vezes eu esquecia como as coisas eram completamente mais fáceis para quem tinha uma conta cheia no banco. No caso de Justin, bem cheia.

— Não é nada demais, babe.

Assenti.

— Então essa é a vida de um milionário? Eu nem imaginava.

Minhas palavras arrancaram um riso breve de Justin. Ele gargalhou por alguns minutos e então focou sua atenção no celular.

Aproveitei sua distração para ir até o quarto e trocar de roupas. Não estava em meus planos sair de casa novamente, não depois da chuva de fotos que recebi.

Eu não comentaria nada com Justin, nada que pudesse deixá-lo preocupado, pelo menos não hoje.

— Love? - disse ele antes de entrar no quarto — hmm... quem é que te trouxe para casa?

Tirei o casaco grosso que me esquentava do lado de fora e coloquei-o sobre a cama, encarando Justin em seguida.

Como ele soube que alguém me trouxe? Digo, não que isso seja algum problema.

— Porquê?

— Eu vi algumas fotos, porquê não me disse sobre os caras? - pausou — Sobre o cara.

— Connor me deu uma carona, foi só isso.

— Você podia me ligar... sabe, eu ainda tenho um celular.

— Eu não queria te preocupar, estava cheio de paparazzis e eu sei o quanto você odeia isso - aproximei-me de seu corpo — Connor ofereceu-me uma carona e eu aceitei, ou eu devia ficar esperando um uber no meio daquilo tudo?

— Ok, você está certa. Me desculpe por eles.

— Está tudo bem, Justin, você não tem culpa.

Ele assentiu, abraçando rapidamente. Eu não sabia certamente sobre o que ele temia, mas eu contava e esperava com um grande laço de confiança entre nós.

Justin afagou meus fios compridos e sorriu ao separar nossos corpos. Seu rosto não estava mais sério, estava sereno. Eu podia sentir sua felicidade se exalar.

— Vamos almoçar na Blaze, Chaz ligou-me mais cedo.

Assenti, encarando meu closet aberto. Eu realmente teria dificuldade em vestir algo.

— Falta quanto tempo?

Justin inclinou-se sobre a cama e observou a tela de meu celular, voltando para minha frente.

— Quarenta minutos.

Juntei Tood que correu para perto de mim e deitei-me na cama, ainda bagunçada. Eu sei que iria me atrasar, mas eu poderia pensar em roupas deitada, certo?

— Eu me arrumo em vinte - expliquei ao ver o olhar de Justin pairar sobre mim. Ele aproximou-se de mim e pegou Tood, o levando para fora. Seus pés fecharam a porta e ele deitou ao meu lado com rapidez.

— Os outros vinte é pra te fazer gozar...


Notas Finais


percebi que os comentários vem diminuindo, onde estão minhas leitoras?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...