História Recovery - Justin Bieber (SLOW UPDATES) - Capítulo 23


Escrita por: ~ e ~Smellscameron-

Postado
Categorias Justin Bieber
Visualizações 285
Palavras 1.420
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 23 - Pyd


Entramos no prédio silencioso de Blaze e esperamos até que o elevador alcançasse o térreo. Dentro do elevador, uma melodia irritante quebrava o silêncio entre Justin e eu.

Sua franja loira estava lisa e no lugar, fazendo-me admirar seu rosto e seu maxilar definido. Minha vontade era de agarrá-lo aqui mesmo e nunca mais deixar esse elevador. Mas o fato de ainda estar fazendo drama me impossibilitou.

Estávamos atrasados graças a Justin e sua idéia, mas o pior ainda não era isso; ele começou e não terminou. Não deixou-me chegar... lá.

Justin estava inquieto, seus pés batucavam contra o piso da caixa metálica e sua respiração estava pesada. Eu sabia de seu medo por elevadores, mas não iria distraí-lo, não dessa vez.

Ele saiu em minha frente assim que as portas se abriram e segurou-as com os braços, para que eu pudesse passar. Senti seu olhar queimar minhas costas e então, uma risada fraca correu sobre seus lábios fazendo-me revirar os olhos.

— Estão atrasados! - recebemos o olhar apreensivo de minha melhor amiga mas eu apenas assenti, seu braços me envolveram e então abracei Chaz, logo em seguida  — Já está quase pronto.

— Você precisa de ajuda?

Ela negou enquanto balançava a cabeça. Seus fios loiros estavam presos no topo da cabeça e o óculos de grau mantia-se estável na frente de seus olhos. Eu sempre admirei a capacidade de Blaze em ficar incrivelmente linda de qualquer maneira.

— Porque se atrasaram? Aconteceu alguma coisa?

Senti vontade de rir. Na verdade, nada tinha acontecido ainda. Justin simplesmente provocou-me, me deixando completamente excitada e decidiu que estava na hora de ir.

— Não, só pegamos trânsito.

Meu sorriso fraco foi o que deixou-a mais tranquila. Quanto menos perguntas eu tivesse que responder, melhor.

Blaze deixou a cozinha e puxou-me junto com ela até sua sala. Justin e Chaz acompanhavam um jogo de hóquei pela televisão enquanto eu e ela falávamos sobre o bebê.

Seus planos estavam se tornando cada vez mais radicais, mas eu entendia. Blaze queria trocar de casa e comprar um trilhão de coisas, até aí, eu perguntava-me apenas até aonde seu salário duraria.

— Mamãe virá para acompanhar o início do pré-natal, você sabe, ela não ia querer ficar de fora disso. - explicou-se quando lhe pedi sobre as consultas.

Justin e Chaz que antes assistiam a competição de hóquei agora mantinham sua atenção em nós. Blaze levantou e observou a comida na cozinha alegando que já estava tudo pronto.

Nos sentamos na mesa todos juntos e esperamos até que Blaze trouxesse a travessa de lasanha sobre a mesa. Meus olhos se derreteram e minha barriga fez um barulho baixo, agradeci pelos resmungos de Chaz, se não fossem eles, todos saberiam da minha fome.

A mão de Justin pairou sobre minha perna enquanto Blaze se servia e então eu o lancei um olhar apreensivo. Eu estava sim fazendo drama, mas ele devia saber que não se brinca com as minhas vontades.

— Vocês já sabem alguns nomes? - Justin perguntou, quebrando o silêncio entre todos.

— Eles mal sabem se será um menino ou uma menina, Justin.

Blaze riu baixo e sentou-se depois de servir o namorado.

— Qual é, eu já disse que vai ser um menino, tenho certeza!

— E eu já disse para não ficar escolhendo as coisas, Chaz. - ela revirou os olhos — O que vier, vai ser bem vindo.

E ela estava certa, eu só não entendi porque o clima pesou tão rápidamente. Estávamos em silêncio e os únicos sons presentes eram os talheres se chocando com o prato.

— Hm... são tantos nomes, eu nem sei.

Blaze quebrou a tensão com um sorriso e seu namorado continuou. A maneira como eles complementavam um a frase do outro era surreal. Eles sempre foram extremamente apaixonados.

— Charlotte, Clary, Dylan, Matthew..... eles são tantos, não acredito que teremos que tomar uma decisão final.

Assenti. Essa era realmente uma escolha complicada.

— Eu gosto de Charlotte.

— É lindo.. - Justin complementou minha opinião.

Eu realmente nunca imaginei-me no lugar de Blaze agora. São tantas coisas para pensar, fazer e comprar e mesmo faltando tanto tempo, as preocupações não cessavam.

xx

Observei a hora na tela do celular. Justin se despedia de Chaz e Blaze enquanto eu o aguardava no corredor.

Eram quase sete horas da noite e espantei-me ao ver como o tempo estava indo rápido. Ficamos junto deles durante a tarde e assistimos um ou dois filmes.

Justin tentava se aproximar ou demonstrar qualquer forma de afeto mas eu sempre o cortava. Talvez eu realmente esteja gostando de vê-lo passar por isso.

As vezes eu segurava-me para não tocar meus lábios nos seus ou entrelaçar nossos dedos durante o filme, mas eu prometi para mim mesma que não seria tão facil novamente.

Então eu tornei-me difícil por algumas horas, talvez até demais, mas o sentimento todo esvaziou-me quando avistamos um drive-thru já na estrada.

— Podemos comprar sorvetes?

Os olhos de Justin encontraram os meus pelo retrovisor e ele sorriu, observando a franquia logo na nossa frente.

— Agora você está falando comigo?

Deixei um riso fraco escapar enquanto movimentava meus ombros. Ele manobrou até a entrada do estabelecimento e pediu por dois sorvetes.

Minutos depois eu já parecia a criança mais feliz do mundo, e toda e qualquer birra que eu tinha com ele havia ido embora.

O clima entre nós estava um tanto quanto mais leve e até a música animada no rádio contribuia para esse momento.

Mesmo que as coisas já estivessem mais leves, não trocamos palavra alguma até entrar no elevador. Justin respirou fundo e encarou seu semblante no espelho. Eu queria abraçá-lo.

Em passos curtos, alcançamos a porta de meu apartamento. Quando entramos, ele ficou para trás enquanto chaveava a porta mas dentro de poucos minutos, seu corpo estava colado no meu.

Seus braços tatuados envolveram meu corpo o deixando presa. Seus lábios tocaram o lóbulo de minha orelha igualmente sua respiração quente que batia contra a minha nuca. Eu estava muito arrepiada.

— Não está mais brava comigo, huh?

Não respondi. Estava concentrada demais tentando controlar meu corpo e todos os meus comandos. Justin podia fazer muito comigo mesmo de longe.

— Vai me desculpar?

Seus lábios agora chocaram-se com meu pescoço e eu podia sentí-lo arfar. Se ele queria me provocar, estava conseguindo.

Virei-me em sua direção enquanto ele apagava a luz do corredor e rodeei seu pescoço com minhas mãos. Aproximei nossos lábios o suficiente para sentir seu hálito, mas não deixei que passássemos disso.

— Talvez?

Ele sorriu levemente e falhamente, tentou unir-nos em um beijo. Neguei. Meus lábios correram até a base de seu pescoço e não resisti a marcá-lo com beijos molhados.

Suas mãos ágeis entraram debaixo de minha blusa e juntos, enquanto trocávamos olhares, caminhamos até o quarto.

Justin empurrou a porta com os pés e no mesmo momento, libertou-me do sutiã. Pude sentir meu corpo todo queimar quando sua mão, ainda sob minha blusa, acariciou meu seio. Ele empurrou-nos sobre a cama e ficou por cima de mim enquanto tirava minha blusa. Seus lábios quentes passearam sobre meu pescoço até encontrar meus peitos.

A luz apagada e nossos corpos suados tornaram o momento mais excitante do que pude imaginar que ficaria.

Retirei sua camiseta tateando seu abdômem definido e antes que eu percebesse, rapidamente ele livrou-se de seus tão indesejados jeans. Sentei-me sobre seu colo já sentindo sua ereção. Mesmo com a baixa luminosidade eu podia vê-lo morder os lábios enquanto eu arranhava o cós de sua boxer.

Rapidamente livrei-o do pedaço de pano e deliciei-me com o som de sua voz ao pô-lo na boca.

Com movimentos rápidos de vai e vem permaneci até que seus gemidos eram incontroláveis. Suas mãos que seguravam meus cabelos me trouxeram até sua boca nos juntando em um beijo quente.

Retirei o único pedaço fino de renda que separava o conflito dos nossos corpos e posicionei-me sobre ele, sorrindo de satisfação.

— Você é tão gostosa.

Suas mãos grandes seguravam minha cintura influenciando meus movimentos enquanto palavras sujas deixavam meus lábios.

Eu iria explodir a qualquer momento.

Eu já sentia gotículas de suor correr pela minha testa quando cheguei lá. Justin juntou nossos lábios mais uma vez e então ele também encontrou seu ápice.

Caí em seu lado na cama enquanto tentava regular minha respiração. Eu mal conseguia abrir meus olhos, foi com certeza, a melhor noite de todas.

Justin puxou-me para perto e entrelaçou nossa pernas. Beijei delicadamente seu rosto enquanto agradecia mentalmente por tê-lo comigo.

— Você está com sono? - balbuciei.

Ele negou.

— Eu tenho um jogo, quer jogar?


Notas Finais


Vocês gostam de hot? Algo que eu tenha que melhorar? Estou sempre de olho nos comentários de vocês 👀
Aliás, preparem os corações para o próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...