História Recrutados para Matar - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Hunter x Hunter
Personagens Alluka Zoldyck, Gon Freecss, Illumi Zoldyck, Kalluto Zoldyck, Killua Zoldyck, Kurapika, Leorio Paradinight, Maha Zoldyck
Tags Hunter X Hunter, Killua
Exibições 62
Palavras 1.847
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Eae povo! Como prometido um cap por semana, nas sextas!! Espero que goste!

Capítulo 7 - Sanidade de Kill: As aparências enganam.......


- É a última rodada... - Disse Kurapika.
- Lá vou eu então..... - Disse Killua. Ah se for assim, minha vitória será em vão. Quando Killu-san ganhar, minha vitória será inútil, pois já ganharemos.
- Hã? Killua? - Disse Leorio
- O que quer dizer com isso? - Disse Killu-san
- Droga! Eu devia ter ganhado!  - Disse Leorio
- Kill! Esse cara está me tirando do sério! - Disse Killu-san.
- Calma Killu-san, não se irrite com um idiota fraquinho.
- Não desista antes de saber o próximo desafio! Bem se envolver matemática eu desisto. - Disse Killu-san
- Bem, sempre foi verdade que o Killu-san, sempre foi burro, coitado - Eu falei com voz de dramática
- Não enche Kill. - Disse Killu-san.
- É verdade! Dependendo do adversário temos chance! - Disse Leorio. Um cara lá do fundo sentado, levantou e o smurf com erro de fabricação foi pra perto dele dizendo algo que não foi possível escutar nada. Então o cara o pegou pela cara e o afundou na parede. Então veio para frente arrancando a parede, digamos assim. O cara se acha muito.
- Não pode ser! Killua não lute com ele! - Disse Leorio quando o cara tirou o manto.
- Por que?
- Jones, o desmontador. O maior assassino da história de Zaban. Ele escolhia as vítimas aleatoriamente. Ele matou brutalmente 146 pessoas, as vítimas tinham uma coisa em comum. Eram mortas pela mãos de Jones. - Disse Leorio. Killua o ignorou e foi para a "Arena".
- Killua! Killua! Kill, pare seu irmão, não esta preocupada com ele? - Disse Leorio
- Nenhum pouco. Esse cara é pouco para meu irmão.
- Como será a luta? - Perguntou Killu-san a Jones.
- Luta? Será um massacre. Pouco me importa o exame ou qualquer oferta de anistia. Só quero lhe ver gritando. - Disse Jones. Killua como um raio tirou o coração de Jones sem tirar uma gota de sangue. Ele aprendeu com a melhor. Killua se virou para os prisioneiros e disse:
- Você ai: Tompa desistiu cedo, então não pode lutar, quer uma luta comigo?
- Dispenso. - Disse o cara que eu esqueci o apelido que eu dei.
- Quem é ele? - Disse Leorio
- Ah, é vocês não sabiam. Killua e Kill vem de uma família de assassinos de elite.
- Hã? Uma família de assassinos de elite? - Disse Leorio. Killua voltou e Leorio se arrepiou de medo.
- O que foi? - Perguntou Killu-san
- Nada! Bom trabalho - Disse Leorio nervoso.
- Minha vez! - Eu falei animada. Fui para a Arena e esperei meu adversário. Veio uma mulher, que preferiu não tirar o manto, ela parecia ser feiticeira como eu.
- Bem se você souber magias, pode usar. Mas lhe garanto, não irá sobreviver. - Disse a mulher. Ela parecia a Medusa, então a chamarei assim. Os outros prisioneiros, cochicharam. Sabe eu sou igual a Killu-san, só que garota, é óbvio que sou do mesmo poder que ele, que mulher burra.

Enquanto isso, do outro lado..........
- Ah não..... Odeio quando Kill luta - Disse Killua.
- Por que?
- Por que ela não é o que parece. Ela sedenta por sangue então podem sentar ai. Ela vai torturar essa mulher até não poder mais.

 

De volta a luta...........
A mulher começou a atacar com magias, mas eu resolvi brincar um pouco. Fiquei desviando até que cansei e peguei uma arma e atirei nela. Ela "desviou"  e riu de mim. Mas logo depois gemeu pois sentiu uma dor horrível nas costas. Mas por que essa tristeza? Ela teve a honra de conhecer minha famosa curva da morte. Mas essa foi especial, por que conteve magia nessa bala. Ela caiu no chão e ficou chorando com a dor horrível. Peguei minha faca e peguei seus cabelos e fazendo um corte em seu rosto. Coloquei a faca na língua.... Prazeroso... Peguei seu braço e o quebrei e tirando do lugar fazendo sair muito sangue. Agora..... Uma perna. Tirei a outra perna bem lentamente para que ela se divertisse, aliás aquilo foi uma simples diversão. Com a faca abri sua barriga e a fiz chorar como nunca chorou antes. Atingi uma veia e muito sangue saiu me melando. Você não devia ter feito isso coloquei a mão dentro dela e peguei seu coração.
- Vê isso? - Disse colocando seu coração na frente de seu rosto, e fazendo um pequeno corte no coração dela. - Foi a dor que você me deu chorando tanto com um presente com tanto carinho que lhe dei: Minha atenção.. - Disse Sussurrando para ela. Coloquei a ponta da faca em minha língua e apreciei sua morte.
- Realmente, prazeroso. - Eu falei e fiz uma magia para me limpar. Voltei a eles e fiquei do lado de Killu-san.
- E então Kill, satisfeita? - Disse Killu-san.
- Ela não sangrou como eu queria, mas foi o suficiente. - Eu falei, e todos ficaram em silêncio. Não sei por que tudo isso. - Gon, o que achou da minha luta?
- Boa...... - Ele falou nem olhando pra mim. Isso me deixou imensamente triste. Ah ele que se foda, se ficou com medinho o problema não é meu. Lippo disse que teria uma sala do outro lado da Arena para ficarmos 50 horas lá. Ah pau no cu do Leorio, culpa dele. Chegamos na salinha e vimos um lugar confortável.
- Então, é aqui que temos passar 50 horas? - Disse Leorio
- Killua. Pode me explicar como funciona aquela técnica? - Disse Kurapika
- Técnica? Ah! Aquilo não foi técnica, só arranquei. Para dar uma facilitada, dei uma manipulada no meu corpo. - Disse Killu-san, fazendo aquele lance maneiro que ele faz. Sua mão fica cheia de veias e suas unhas afiadas - Assassinos em série são meros amadores. Eu era profissional. Meu coroa teria feito melhor, quanto ele arranca não sai uma gotinha de sangue. Bem temos 2 dias inteiros!
- E o que vamos fazer? - Perguntou Gon.
- Bem, vamos vasculhar a sala primeiro - Disse Killu-san e os dois correram e ligaram a TV. Ficamos procurando coisas legais pra fazer por 3 horas e eu, bem escondido, um baralho.
- Ei gente! Vamos jogar batidinha! - Eu falei e fomos jogar. Jogamos por bastante tempo. Até que todos foram dormir e nos arrumamos para dormir. Eu tirei minha blusa ficando só com a regata. Não faz muita diferença mas é menos calorento. Ficamos deitados ainda jogando e Killu-san acabou dormindo. Eu e Gon ficamos jogando. Ficamos apostando castigos, quem perdia ganhava castigos. Gon me dava beliscões e me fazia responder perguntas do meu passado quando eu perdia. Eu achei os castigos que dava a ele quando ele perdia castigos muito fáceis e resolvi algo mais pervertido. Jogamos até que Gon perdeu.
- Gon, já que perdeu pode tocar nos meus seios como castigo. - Eu falei. Obviamente brincando, não sou oferecida. Quer dizer... *Lembrando de ter beijado o Gon*.... Ah foi só um beijinho inocente não conta nada.
- Quê?! Está louca? - Disse Gon vermelho
- E dai? - Eu falei tirando minha regata e ficando de sutiã. Vamos Gon, é seu castigo. - Gon fechou os olhos e quando ia pegar, Killu-san acabou interferindo.
- Pare de brincar com ele, Kill. Você sempre faz isso com os garotos que até me cansa de te parar. - Disse Killu-san
- Ah obviamente eu ia não deixar Gon apertar meus seios, nunca. Deixe de ser dramático. - Eu falei colocando minha regata de volta. E ficando de costa para Gon.
- Boa Noite Gon!
- Boa noite...... - E então eu dormi intensamente. Acho que ouvi Gon e Killu-san brincando no meio da noite mas não liguei. Quando acordei, todos já estavam acordados. Ficamos brincando, e Killu-san ficou tentando "pescar" com a vara de Gon. Eu o puxei para perto.
- Gon, naquela hora quando matei aquela mulher, por que você nem se quer olhou pra mim? - Eu falei fazendo biquinho.
- É....... Sabe.........Eu fiquei com medo, Kill.......... - Disse Gon bem baixo.
- Medo por que? Eu a matei para conseguir nos tirar daquele lugar, não iria fazer mal a você.
- Eu sei..... Mas fiquei apavorado do mesmo jeito.
- Não se preocupe, eu só sou meio sedenta por sangue. É o meu jeito, meus pais me fizeram assim para ensinar o Killua. Embora meu pai, no fundo do coração dele, bem...... acho que o coração dele não tem amor e sim ele só tem para bombardear o sangue. Ele ache melhor eu governar a família no futuro, mas como ele ainda é machista, resolveu me criar de uma maneira que orientasse Killua. Não fora previsto gêmeos, mas meu pai viu meu talento, mas resolveu escolher o Killua, e então eu fui treinada para ensinar a ele. Por isso meu nome tão aleatório, "Kill", como se fosse "Mate a desproporção de dele, e o prepare" . Odeio a minha família, mas ainda tenho irmãos e coisas que gosto naquela casa maldita. - Eu falei triste. Bem..... Eu tenho um segundo nome, mas não irei contar a ele.
- Oh....... - Ele falou totalmente sem reação - Me desculpe Kill.
- Tudo bem, você não sabia - Eu falei me alegrando. - Agora chega dessa baitolagem. Killua, me dá essa merda ai que é minha vez. - Eu falei pegando a vara e mirando no nariz do Tompa. Joguei e acertei. Ele acordou rápido assustado
- Mas o que é isso? - Ele falou tirando o anzol do nariz.
- Ah que foi? Foi só uma zoeirinha! - Eu disse rindo. O tempo passou rápido e quando me dei conta já estava caindo de sono e dormi.

                                   Enquanto isso na conversa de Gon e Killua
- Ah minha irmã sempre foi dorminhoca. - Killua falou pegando nos cabelos da irmã. - Mas, então quer dizer que você agora sabe a verdade da Kill, e pra que ela foi recrutada.
- Sim.... - Gon respondeu triste.
- Sempre odiei meu pai por isso. A Kill é muito melhor que eu, ela é meio coração de pedra como meu pai, tem grande poder como ele, governaria aquela família como ninguém, mas mesmo assim meu pai quer que eu faça isso. Ela mal olha meu pai nos olhos, por que se não, o mataria, por não a reconhecer. - Killua falou triste - Mas isso nunca a abalou muito, principalmente agora que temos amigos. Obrigado por ser nosso amigo, Gon. Isso me deixa muito feliz, pois minha irmã pensa menos nesse assunto agora!
- Não há de quê, e muito obrigada por serem meus amigos também! - Disse Gon, feliz por Kill também está feliz.
- Ah e mais uma coisa Gon, você tem sorte de eu ter parado a Kill naquela brincadeira de castigos, pois se você tocasse nos seios da minha irmã eu o mataria, sem pensar duas vezes - Killua falou, se virando e dormindo. Gon se arrepiou mas acabou dormindo.


Notas Finais


Bem, eu espero que vocês tenham gostado, comentem se quiserem e até a próxima!!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...