História Recrutados para Matar - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Hunter x Hunter
Personagens Alluka Zoldyck, Gon Freecss, Illumi Zoldyck, Kalluto Zoldyck, Killua Zoldyck, Kurapika, Leorio Paradinight, Maha Zoldyck
Tags Hunter X Hunter, Killua
Exibições 36
Palavras 1.128
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oie! *Desvia da pedra* Calma, vou explicar! Me desculpe mesmo, gente. Eu sinceramente nem sei o que dizer me perdoem! Digamos que eu não sou uma santa, e acabei tirando nota baixa e meu pai de tomou meu direito a NET. Então fiquei estudando como uma condenada '-'. Mas estou de volta, e de férias! Uhuuuuuu , enfim dediquei este episódio para tretas. No próximo ou no outro irei lhes mostrar um pouco do passado de Kill, que vai causar uma bad mas não se preocupem. Vou postar logo hoje pois não poderei postar sexta. Enfim sem mais de longas, podem ler!

Capítulo 8 - Brigas, mais brigas: Kill dividida?


Fanfic / Fanfiction Recrutados para Matar - Capítulo 8 - Brigas, mais brigas: Kill dividida?

Acordei meio atordoada, mas logo me alegrei ao ver Killua e Gon. Vesti minha camiseta e fui em direção a eles.

- Boa dia, trouxas! - Eu falei dando um abraço apertado nos dois.

- Nossa Kill. Parece mais animada hoje. - Disse Killua. Aposto que ele está feliz por mim agora.

- Bem, felizmente temos pouco tempo aqui.

- Verdade. - Eu falei olhando para o relógio. Mas... O que há com o Gon? Ele está bem estranho hoje, me encarando com um sorriso bobo. - Então, Gon. - Eu falei me aproximando dele, enquanto Killua embaralhava as cartas para uma batidinha. - Me conte sobre você. Até agora não sei muita coisa.

- Ah nada de interessante. O que quer saber?

- De sua família. Sua mãe, seu pai. - Eu falei. Ele me olhou confuso. - Me falar da porra da sua família!

- Ha ha, okay calma - Disse ele rindo. - Bem, como eu já tinha lhe dito fui criado por minha avó e pela minha tia a Mito-san. Sobre minha mãe e meu pai nunca os conheci, meu pai me deixou com a Mito-san, para ser Hunter ou algo assim.

- Ah. - Eu falei meio sem reação. - Bem, pelo menos pareceu melhor que a minha situação. Embora minha mãe seja grudenta ela sabe ser carinhosa as vezes. E meio amarga também. Meu coração aprendeu a amá-la muito.

- Bem, a Mito-san é muito carinhosa eu a amo muito. Ela é praticamente uma mãe pra mim. Ela é a minha mãe. - Gon falou sorrindo de orelha a orelha.

- Bem, como eu falei sua situação é bem melhor que a minha. Mas enfim... Você já teve namorada? - Eu perguntei a ele, e rapidamente ele corou.

- Por que está me perguntando isso?

- Por que eu quero. - Eu falei com a melhor simplicidade.

- Bem... N-Não...

- Não? Que surpresa! Bem como eu disse eu já mas durou pouco, você já sabe o por quê. - Eu falei e ele me encarou.

- K-Kill.... Você já pensou em ter outro namorado? - Ele falou pra mim super vermelho.

- Talvez. É um pedido? - Eu falei aproximando nossos lábios. Eu adoro provocar as pessoas as reações delasa ajudam a ler seus pensamentos e personalidade.

- Kill? - Ouvi Killua que já tinha terminado a muito tempo de embaralhar as cartas e tinha começado a conversar com Kurapika para ele participar.

- Ah, é... Vai jogar com a gente Kurapika?

- É, acho que sim.

- Então vamos começar! - Eu falei e nos sentamos em círculo. Depois de olhares cemi-cerrados um para outro a fodona aqui ganhou essa bagaça. - Súditos, eu Kill venci esta porra desse jogo, e eu escolho Kurapika para castigar! E eu quero um beijo seu! - Eu falo rindo. É óbvio que estou brincando. Vou fazer Kurapika fazer algo bem diabólico! Mas quando eu menos esperava duas mãos envolvem meu rosto, e logo percebo que é as de Kurapika.Ele se aproximou e pressionou seus lábios macios contra os meus. Logo pediu passagem com língua, e eu cedi. Nossas línguas travavam um tipo de batalha. Depois de uns segundos ele se separou de mim envergonhado. 

- Me desculpe Kill. Me desculpe mesmo. Fui impulsivo, aliás você estava brincando não era? Me sinto um pedófilo, você é bem mais nova que eu.

- Tudo bem, Kurapika. Você é bom talvez eu peça uma segunda rodada. - Eu falei dando uma piscadela. Ele corou e foi na direção oposta da minha. Me virei para Gon e Killu-san, que me encarou e apenas riu.

- Você não perde uma né, Kill? - Falou Killu-san rindo. Olhei para Gon e me deparou com uma cara de raiva.

-Gon? Tudo bem?

- Tudo bem, Kill? Tudo bem? Não me faça rir você sabe que não tá tudo bem.

- Uai, boiei Agora. - Eu falei coçando  a nuca.

- Hum, não se faça de desentedida!

- Hum? É por causa de beijo?

- Se fazendo de sonsa de novo? Você é uma oferecida! - Ele falou como se estivesse sendo obrigado a falar aquilo.

- Como é?! Escuta aqui, eu beijo quem eu quiser a hora que eu quiser, e você não pode se meter. Se eu transasse com o Kurapika, ainda não seria da sua conta. Foi só uma brincadeira e eu espero que não altere esse tom de voz comigo! - Falei sombria na última frase. Sinto duas mãos no braço, e duas no outro ne puxando.

- Kill, chega! - Ouvi a voz de Killua e me deparei que estava em modo assassino fase 1. Eu não percebo quando estou assim, e sem perceber estava enforcando Gon com meus cabelos que agora estava sendo puxado por Leorio se afastando de mim. Meu modo assassino tem fases, e seu não tivesse me controlado e aprendido essas fases, a humanidade estaria devastada. Arrastada por Kurapika e Killua sou encostada na parede, ficando sentada. - Ah Kill, se sente bem? Fique ai, eu falo com Gon. - Disse Killua pra mim. Ele foi com relutância não queria se afastar de mim. 

- Se sente melhor? Se acalme, ele falou da boca pra fora, foi ciúmes. Só isso. - Falou Kurapika percebendo que estou trêmula.

- Estou ficando melhor. Não falo com aquele bastardo até ele me pedir desculpas.

- Kill, já falei foi da boca pra fora. Gon não é assim, ele é outra pessoa quando está com ciúmes. E me desculpe nais uma vez por ter te beijado eu sinto muito. Se não tivesse, nada disso teria acontecido. 

- Não se culpe Kurapika. Eu até que gostei, e muito. - Eu falei. Ele fixou os olhos nos meus lábios, e eu mordi o lábio inferior para provocá-lo. Ele aproximou e me beijou. Seus lábios tão macios e quentes, contra os meus. Sua língua explorava cada canto da minha boca. Terminamos o beijo e nos separamos ofegantes. - Não sei se devíamos nos beijar de novo Kurapika.

- Também não sei. Mas tudo tem suas excessões. - Ele falou com malícia e me surpreendeu bastante. Apenas sorri com seu ato. Sinto alguém se aproximar e vejo que é Gon com lágrimas nos olhos.

- K-Kill..... - Ele falou soluçando. - Me perdoa, aquele não era eu. Era alguém idiota e ciumento. Me desculpe pelo que eu falei, não vai se repetir eu juro. - Ele falou olhando nos meus olhos. Apenas levantei e o abracei. Foi um abraço apertado e carinhoso. 

- Tudo bem, Gon. - Eu falei em seus ouvido bem baixinho.

- Que bom que tudo se resolveu. Mas se os dois pobinhos quiserem dar uma liçencinha, temos agora poucos minutos aqui. - Disse Leorio apontando para "relógio". Gon e eu nos afastamos e sorrimos, por temos nos entendido e por temos pouco tempo naquele lugar. Sinto alguma coisa ruim, estou com medo... O que será?


Notas Finais


Qual será o pressentimento de Kill? aguardem! E desculpe o cap curto, galeris.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...