História Red - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 29
Palavras 1.033
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Famí­lia, Festa, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Saga, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Transsexualidade
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Obrigado por lerem :')
É minha primeira fic, espero que gostem auhsuha
Me desculpem pelo atraso, a vida pessoal ta bem corrida

Capítulo 3 - Capítulo 3


O tempo passou rápido desde hoje cedo e já estava quase na hora de me encontrar com T. Eu fui me arrumar e coloquei a minha melhor roupa, eu estava nervoso. Fui  á escola e não se passou tanto tempo, T chegou lá 2 minutos depois de mim

-Achei que íamos à minha casa, não em uma festa, carinha - Troye riu. Ele estava simples e ao mesmo tempo deslumbrante –

-Palhaço, me empresta uma roupa sua então quando chegarmos lá – Abracei o garoto ruivo e senti seu cheiro doce –

Chegando à casa de Troye, eu tropecei no quintal e caí de bunda em um monte de terra molhada.

-Ótimo, agora preciso de uma calça também haha

-Posso ver o que tenho pra você

Subimos para o quarto do Troye e ele começou a procurar roupas no seu guarda roupas. Ele me deu uma blusa social de manga curta, aquelas de casamento. Não era o que eu estava esperando, mas estava de bom tamanho. Mas ele só meu deu a blusa

-Acho que ta faltando uma coisa, senhor!

-As minhas calças e shorts são todos grandes, nenhum vai servir em você, e eu não tenho nenhum cinto

-Eu vou ter que ficar de...

-É isso ai, carinha

-Meu Deus, não, que vergonha. Deve ter outra sobrando

-Desculpa hahahaha, mas não tem, já olhei em tudo aqui

-Vira pra trás

-Que?

-Vira

-Mas de um jeito ou de outro vou te ver de cueca depois, não vou ficar o tempo todo virado

-Porra... hahaha

Eu tirei meus tênis e logo minha calça e a deixei pendurada na maçaneta da porta. Minha blusa era brilhante demais, eu realmente tinha exagerado na roupa, era só uma visita casual, nada de mais, então tirei minha roupa de cima e vesti a blusa que T me emprestou. Abotoei de baixo pra cima até o antepenúltimo botão. Eu me olhei no espelho e estava de uma forma que eu nunca me vi antes, me senti “sexy”. Eu não estava nada mal pra falar a verdade, mas ainda assim eu estava na casa, no quarto com Troye. O mesmo estava me olhando de baixo pra cima, eu me senti incomodado

-Uou... Você é um pedaço de mau caminho hein?!

-Para com isso, idiota haha

-É sério, você sempre ta de baixo de roupas abafadas e pretas, nunca parei pra pensar que você tem esse corpo haha

-Tá, chega. O que vamos fazer?

-Qualquer coisa, filme, séries, deitar na grama

-Por mim tudo bem, podemos fazer tudo, não tem aula amanhã mesmo

-Deita aqui então – T deitou na cama me chamando com a mão para ir me deitar com ele. Era cama de solteiro, teríamos que nos apertar se quiséssemos ficar ali. Esse não era o problema. O problema era se eu sentisse muita atração pelo T a ponto de ficar excitado. Eu demorei muito pra acompanhar o ruivo, pois estava pensando, então senti ele me puxar pra cama me fazendo deitar com ele.

-Você viajou em que?

-Eu? Em nada

-Vou acreditar dessa vez. To de olho em você. Vamos ver o que?

-Terror?

-Você leu minha mente. Agora se também acertar o filme que to pensando você ganha um selinho

-Mentira sua haha, mas vamos lá... Invocação do mal?

T se aproximou em um avanço rápido e senti os lábios molhados dele nos meus. Eu não tive reação a não ser arregalar os olhos. Logo após nosso contato ser cortado eu estiquei os lábios para retribuir o selinho dele, mas ele já estava longe da minha boca. Eu olhei para ele ainda desentendido, perdido, mas querendo mais

-Não achei que fosse verdade

-Eu não sou de brincar

-Percebi. Que joguinho é esse?

-Quer jogar mais?

-Me ensina a brincar, por favor

-Deixa comigo

T estava embaixo de mim e eu estava sentado na sua barriga. Ele me envolveu nos braços dele me abraçando confortavelmente. Nós começamos a nos beijar lentamente, eu pude sentir o toque da sua língua na minha, senti formigamentos, calor, frescor... Era o paraíso? Talvez só a entrada para ele. Era como se estivéssemos indo rápido demais, mas eu não ligava para o tempo, e pelo jeito, nem ele. Nós estávamos nos sentindo livres de todo o pudor, naquela noite os espelhos se quebrariam, nós não nos inibiríamos um do outro. Era essa a hora. Por que não? Eu sentia as famosas borboletas no estomago. Eu estava atravessando mundos e épocas no momento em que estava com ele, até que vi que estava na terra novamente quando paramos de nos beijar e ele estava me olhando com aqueles olhos castanhos. Eu não me cansava de olhar seus olhos

-Dentre todos os olhos azuis, eu preferi despencar no abismo dos seus castanhos, T

-Dentre todas as escolhas, a minha melhor foi você, carinha

-Nós estamos indo rápido...

-E o que importa?

-Não sei...

-Então pare de resmungar e vem logo pra mim

Eu sorri. Eu via um anjo na minha frente ao mesmo tempo em que via o diabo no seu sorriso malicioso. Cada movimento executado na sua boca eu acompanhei, cada toque nos nossos corpos era um arrepio a mais.

-Você é tão quente, T

-Se não fosse por você eu estaria frio

-Não sou pra tanto

-Se você pudesse beijar a si mesmo, veria que é mais que “pra tanto”

-Você não pode me roubar pra você agora

-Por que não?

-Já tinha roubado desde o primeiro sorriso

-Para com isso haha

-Não... – Eu tentei beijar o garoto novamente, mas ele recusou –

-Eu sou problema, carinha... Não quero te machucar

-Que história é essa? Você me chama na sua casa, mais especificamente no seu quarto, me faz ficar de cueca, me beija e “eu sou problema e não quero machucar você” Troye...

-Eu gosto de você, mas eu sou imprevisível

-Eu quero você pra mim e quero ser seu, T, agente pode tentar

-É... A gente pode

Eu deitei minha cabeça sobre o peito de Troye e passei a mão pela sua barriga fazendo gestos carinhosos. O garoto me fez cafuné e beijou minha testa, fazendo com que eu pegasse no sono, as últimas palavras que eu ouvi antes de adormecer foram “eu amo você, carinha”


Notas Finais


Não deixem de comentar para eu saber o que pode mudar e se estão gostando :') thanks <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...