História Red - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias SHINee
Personagens Jonghyun Kim, KiBum "Key" Kim, Minho Choi, Taemin Lee
Tags Drama, Jonghyun, Kibum, Minho, Romance, Shinee, Taemin
Exibições 73
Palavras 1.370
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Lemon, Musical (Songfic), Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Fiquei feliz em saber que favoritaram o one-shot JongKey que publiquei, e por isso me senti livre para começar uma short-fic. Não sei mais ou menos quantos capítulos devem ter, mas provavelmente menos que 10. Ainda estou escrevendo uma boa parte, tendo pronto só os dois primeiros capítulos e o começo do terceiro. Ter um feedback aqui vai me ajudar a saber se devo ou não continuar a escrever.

É de alguma forma uma short-fic especial que estou escrevendo, me remetendo à sentimentos pessoais por diversas vezes. Não vou entrar muito em detalhe mas espero que seja tão especial para vocês também.

Aproveitem a leitura!

Capítulo 1 - I


Estava sentado na penúltima fila, esperando ansiosamente pela chegada de JongHyun. Já havia algum tempo que escutava as suas músicas, estas que sempre me tocavam o coração de alguma forma. Era tempo de finalmente poder vê-lo cara-a-cara e então, dizer o quão grato eu era por sua música.

 

Me pegava jogando um dos meus jogos favoritos no celular quando a gritaria havia começado. Me espantei e arregalei os olhos, procurando por qual possível entrada JongHyun usaria.

 

Quando o mesmo entrou, minha boca se abriu em um formato ‘O’. Era surreal vê-lo de perto. Senti o CD tremer em minhas mãos e minhas pernas ficarem mais fracas. Eu não iria conseguir me controlar ou muito menos olhar em seus olhos. Tinha certeza disso.

 

As fãs já estavam com seus cliques frenéticos em suas câmeras gigantescas. Aquele ambiente era assustador, mas mágico ao mesmo tempo.

 

Enquanto JongHyun acenava para as fãs e seus gritos aumentavam, eu fitava meus pés e o CD em minhas mãos. Sentia vergonha de ser o único fã homem no local. Pensei em desistir e sair correndo do local, mas isso só ajudaria a trazer mais atenção a mim. Definitivamente, aquela seria uma péssima ideia.

 

No momento em que JongHyun pegou o microfone e nos deu oi, senti meu coração acelerar. Tudo nele era ainda mais incrível pessoalmente. Ele também agradecia nossa presença, e dizia que faria questão de tornar aquela tarde inesquecível.

 

Não havia demorado muito para a sessão de autógrafos começar. De fundo, tocava baixinho as faixas de seu novo CD. Os seus assistentes preparavam as caixas para os presentes e outros se dividiam na tarefa de lhe entregar as canetas e posicionar as garrafas de água.

 

Não demorou também para JongHyun começar a atender a primeira fã. Durava em média 2 minutos para cada uma.

 

A maioria tocava em suas mãos, lhe levavam presentes e alguns doces. Em 20 minutos, sua mesa já estava repleta de brinquedos que vez ou outra ele tirava uma pausa para interagir com as fãs e suas câmeras.

 

Quando finalmente só restava a minha fileira e a última, meus olhos foram ao encontro aos dele. Não tinha certeza se era um eye contact de fato, mas percebi que ele aparentava estar um pouco nervoso com o fato de ter um fã homem. Surpreso no bom sentido, claro. Foi fácil notar isso por seu sorriso. Talvez aquela situação era algo que ele não esperava.

 

E finalmente era a minha vez. Levantei-me rápido demais e por pouco não caí de cara no chão. Percebi pelo canto do olho JongHyun por alguns segundos preocupado, interrompendo até por alguns segundos suas interações com a câmera para checar se eu estava bem. Curvei-me, envergonhado, e então me ajoelhei para ficar em sua altura.

 

Quando ele olhou em meus olhos e sorriu, eu travei para começar a falar. As palavras queriam sair de minha garganta mas algo as impedia disso. Talvez JongHyun era o responsável por isso. Antes mesmo de finalmente me apresentar, ele havia me interrompido.

 

- Está tudo bem? – ele havia me perguntado, sorrindo. Pisquei algumas vezes e assenti com a cabeça. Ele fez o mesmo, e logo entreguei o CD para que ele o autografasse. – Qual é o seu nome? – perguntou novamente.

 

- Kibum. – respondi com uma voz fraca. – É Kibum, mas pode escrever Key. É como sou chamado por meus amigos e... – fiz uma pausa. Por que eu estava falando aquilo? Não era como se fosse superimportante para ele. – Só Kibum mesmo, esquece. – suspirei, desejando sumir daquele local o mais rápido o possível. Era muita vergonha para pouco tempo.

 

JongHyun por sua vez me escutava atenciosamente e ria ao perceber meu rosto vermelho de tamanha vergonha. Quando olhei para o CD, já estava escrito ‘Para Key’ e aquilo me fez desejar sumir ainda mais.

 

- É um pouco estranho ser o único fã homem aqui, mas como gostei muito de seu último CD, resolvi tentar a sorte. – finalmente disse, com a coragem que havia construído após o ‘Para Key’.

 

- Você acha? – JongHyun perguntou. Antes que eu respondesse, ele havia me interrompido novamente. – Não acho que seja estranho. Gostei da sua coragem de se aventurar aqui.

 

Seus lábios formavam novamente um sorriso largo, e seus olhos fitavam profundamente os meus. Naquela hora eu mal conseguia pensar, dizendo então as seguintes palavras sem pensar duas vezes:

 

- Descobri que sofro com depressão há 6 anos. Sua música me ajudou a enfrentar diversos momentos em minha vida. Gostaria de lhe agradecer por isso. – disse enquanto fitava as minhas mãos, visivelmente envergonhado. – Eu vim aqui depois de tanto tempo exatamente para poder lhe agradecer pessoalmente. Eu sentia que era um dever que eu tinha.

 

As mãos de JongHyun foram ao encontro das minhas. Ele as acariciava lentamente, e logo deu-me um leve tapinha no local. Sua pele era macia e eu já sentia a necessidade de poder tocá-lo novamente. Era eu um fã maníaco?

 

- Você é bem forte. Espero que consiga enfrentar ainda mais. Fico feliz que tenha ajudado sem nem saber, e espero que melhore logo! – JongHyun disse, com uma feição de quase pena, mas não era pena. Olhando em seus olhos eu via empatia.

 

- Gostaria de poder conversar mais com você, mas acredito que meu tempo esteja acabando. – disse enquanto me levantava e curvava-me para ele. JongHyun então abriu o CD em uma página aleatória, escrevendo ali alguns números.

 

- Me mande uma mensagem. Espero ouvir em breve de você. – ele disse, acenando em despedida.

 

Pisquei algumas vezes, ainda confuso, e logo dei espaço para a próxima fã que já estava impaciente esperando por sua vez. Um dos seus assistentes me puxava pelo braço, me dirigindo novamente ao meu lugar. Quando finalmente havia sentado em minha cadeira e li a mensagem que ele havia me deixado, grande parte da conversa fez mais sentido.

 

Para Key,

Espero que continue te emocionando ainda mais a partir de agora. Continue sendo forte, vou lhe cobrar ainda mais!

Do seu mais novo amigo,

JongHyun.”

 

E até o último instante, se não fosse pela voz novamente de JongHyun ecoando no microfone dizendo que a sessão havia acabado e éramos para voltar para casa em segurança, eu ficaria pensando em todas aquelas palavras. Cada uma martelava em seu próprio ritmo e tudo se tornara ainda mais confuso.

 

Estava mesmo com o seu número?

 

Resolvi rapidamente pegar meu celular e adicionar o que JongHyun havia deixado no CD. Olhando pelo Kakao, vi que estava escrito seu nome e tinha uma foto pessoal que provavelmente ninguém a não ser seus amigos e família haviam visto. Era realmente o seu número pessoal.

 

Voltando a olhar para ele, o vi acenando para as fãs enquanto deixava o mini palco que havia no local. Mandava alguns beijos para as fãs com as câmeras, e percebi que procurava por onde eu estava entre elas. Não seria difícil de achar, devido ao fato de que eu era o único fã homem e me vestia de um jeito um pouco extravagante. Ele sorriu ainda mais e deu uma piscadinha rápida. A fã que estava ao meu lado começou a gritar histericamente, gritando ‘JongHyun piscou para mim!’ para a amiga que estava ao seu lado, que confirmava ainda mais o tal feito.

 

É, de fato ele realmente poderia ter piscado para ela. Era uma jovem bonita e provavelmente fazia seu estilo.

 

Depois quando todas as fãs haviam deixado o local e ido para o portão do estacionamento, acabei indo atrás. Não por curiosidade total, mas era o caminho que eu teria que fazer para ir de volta para casa. Foi então quando atravessei pela frente do portão que o mesmo se abriu. As fãs gritavam, e logo saiu uma van branca enorme de dentro, com os vidros totalmente escuros. Não tinha certeza se ele estava ali mesmo, até que uma das janelas se abriu e aquele rosto angelical apareceu.

 

- JongHyun! Oppa! – as fãs gritavam. Eu arregalava os olhos e sorria, achando tudo aquilo mágico demais para mim. Minha mão se segurava forte na alça da bolsa que eu levava, onde lá dentro estava o mais precioso presente que ele havia me dado.

 

Mal sabia eu que ele ainda me daria muito mais depois daquele dia.


Notas Finais


E é isso. Em algumas partes tentei adicionar um pouco de humor básico pra ver se encaixava bem com a personalidade que tenho em mente para o Kibum. JongHyun sempre um amor né? ;-;

Espero que tenham gostado e vejo vocês em breve no segundo capítulo! :D


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...