História Red - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Personagens Originais
Tags Chapeuzinho Vermelho, Lobo, Releitura, Serial Killer
Visualizações 101
Palavras 635
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oizinho!

➯ Sim, é mais uma releitura. Desta vez, trouxe o clássico da “Chapeuzinho Vermelho” para os dias atuais. Mantive algumas coisas do original aqui, contudo, este enredo é totalmente meu;
➯ Haverá canibalismo, assassinato e tortura. Portanto, se não se sente confortável com coisas deste tipo, sugiro que não leia;
➯ Lembre-se: Plágio é crime!
➯ Justin Bieber não me pertence, sua personalidade dentro da fanfic sim;
➯ Alguns fragmentos do assassino são partes dos seriais killers que mais me interesso, mas o modus operandi é totalmente meu;
➯ Comentem, por favor! É importante saber o que vocês estão achando.
➯ Capa sensacional feita pelo meu xodozinho mais lindo @dabiebz te amo, bia <3

BOA LEITURA :)

Capítulo 1 - 00.Prefácio;


Fanfic / Fanfiction Red - Capítulo 1 - 00.Prefácio;

“Aprendera como a humanidade pode ser cruel. Talvez fosse melhor ser um bicho que um ser humano."


Bellevue, Washington.

Apreensivos. Assim que todos os policiais se encontram nesse exato momento. É o quarto desaparecimento registrado dentro do curto período de uma semana. A sensação de perigo já está percorrendo a pequena extensão de casas da cidade. A população está espantada, visto que é raro acontecer algo dessa proporção. Todos envoltos da mesa não querem cogitar a ideia de ser um assassino em série. A última coisa que a cidade precisaria no momento é de uma histeria coletiva.

As famílias das vítimas anseiam por respostas plausíveis, mas a polícia prefere não se pronunciar no momento. A falta de provas deixa tudo ainda mais misterioso. Não há corpos nos necrotérios para serem investigados. Não há um ponto de partida.

一 Esse cara é bem cuidadoso. 一 Diz o xerife da cidade. 一 Temos tudo para considerar que é um assassino em série. As vítimas são bem parecidas, mas não tem ligação entre si. Todas jovens, na faixa etária de quinze a vinte anos, cabelos claros e atraentes. 一 Ele coloca as quatro fotos, uma ao lado da outra, sobre a mesa de madeira.

一 Não temos os corpos. É como se ele conseguisse se desfazer de tudo, o que é impossível. 一 Jason, um policial rechonchudo e sardento tenta justificar o fato de não acreditar que seja um serial killer.

一 E o que você acha que é? 一 O xerife ergue uma de suas sobrancelhas grossas, desafiando-o.

一 Para mim, são apenas coincidências. 一 Responde. 一 Nós acharíamos alguma coisa a essa altura.

一 Acreditar nisso é como cogitar a possibilidade de OVNIS terem levado essas garotas. Não tem como usar essa explicação para as famílias, Jason. 一 Irritado, o homem levanta, tirando seu chapéu e levando uma das mãos até a cintura. 一 Nós precisamos de algo para ter certeza que estamos lidando com um serial killer.

A porta da sala se abre, dando-lhes visão da expressão aterrorizada de uma policial. Em um solavanco, todos da sala levantam e seguem para o lado de fora. Tomando frente, o Xerife atravessa uma multidão de pessoas fardadas, e para de frente para uma mesa, analisando a caixa entreaberta. Com uma das mãos, ele abre e se afasta assim que se depara com um coração ensanguentado, e um papel próximo.

Arrastando as mãos pela mesa em busca de coragem para pegar o papel, ele respira fundo. A tamanha frieza é novidade para todos dali. Acostumados a lidar com roubos pequenos, não sabiam como reagir a algo desse nível. Quando enfim pega, desdobra a folha, e rola os olhos pelas palavras quase ilegíveis.

“Aqui é o Lobo. Como já devem ter suspeitado, sou um assassino em série. Sim, sou. Gosto de matar pessoas no meu tempo livre, como também já devem ter percebido. Não irei revelar minha identidade, pois sei que irão tentar atrapalhar meu hobby. Gosto de me divertir, e de sentir o prazer em ter a vida delas nas minhas mãos. Este coração que estão vendo é da minha quarta vítima. Ela tinha os cabelos louros atraentes, e os olhos claros que poderiam ser comparados a imensidão de um mar azul. Foi prazeroso despedaçar todos seus sonhos em uma só noite. A melhor parte é sentir o sabor dos órgãos delas. Devo admitir que é mais saboroso do que degustar órgãos de animais. Espero que ofereçam uma boa quantia pela minha cabeça.”


As suspeitas foram confirmadas. Impressionado com o deboche que o indivíduo teve de desafiar a polícia, o Xerife joga o papel de volta na caixa. Eles estão lidando, não só com um assassino em série, mas com um monstro cruel, que está disposto a derramar quanto sangue for necessário apenas para saciar a sua sede.

 


Notas Finais


Bom, esse foi apenas uma palhinha do que está por vir. A denominação que o assassino usa é "lobo", para manter a estrutura original da chapeuzinho vermelho. Espero que tenham gostado!

Não esqueçam de dizer o que vocês acharam, ok?

XOXO DA TIA JU.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...