História Red Like Roses - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Ocs, Original, Projeto Escrita Criativa
Visualizações 21
Palavras 614
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Yoo!
Essa é minha 12ª fic do Projeto Escrita Criativa, quinta do Nível 2. A música dessa rodada foi de Jeff e Casey Lee Williams, “Red Like Roses part II”, escolhida por mim ♥

Desejo a todos uma boa leitura ♥

Capítulo 1 - O vazio na ausência das rosas.


Às vezes Violet ainda sonhava com ela. Aquela que havia sido seu suporte, sua inspiração, sua motivação. Com quem dividira bons e maus momentos; e, principalmente, aquela que protagonizara a segunda maior perda de sua vida.

Como se o falecimento do pai já não fosse uma dor pesada o suficiente, ainda tinha que lidar com as loucuras e amarguras vindas de sua mãe, cujo luto tirou seu melhor, transformando-a em uma flor de lótus murcha e desbotada. Foi após isso que descobriram o quão amarga e desagradável aquela mulher conseguia ser, não demonstrando um pingo de compaixão pela filha, que era nova demais para entender tudo o que estava acontecendo.

Aos sete anos de idade, Violet não entendia que seu pai não iria chegar do trabalho como ele sempre fazia. Melhor dizendo: ela sabia, sim, que ele havia partido, que aquele acidente de carro tirou sua vida imediatamente. Porém, em algum lugar do inconsciente daquela criança, algo alimentava seus sonhos de que aquilo não passava de uma brincadeira, de um mal entendido; que a qualquer momento seu pai entraria pela porta da sala sorrindo e brincando como sempre fazia.

O tempo foi passando, e com ele a realidade tornava-se cada vez mais rígida e fria, crescendo e pesando sobre a jovem menina como uma grande peça de granito. Já não chorava mais toda noite antes de dormir. Já havia se conformado que as pessoas que tinham a chave daquela residência estavam todas sob aquele teto quando iam dormir, significando que mais ninguém poderia irromper por aquela porta assim que fossem deitar.

Foram tempos muito, muito difíceis. Que apenas se agravaram quando sua irmã mais velha foi embora.

“Vou seguir os sonhos do papai”, foram as últimas palavras que ouvira de Rose Frost – Violet só não sabia naquela época que seria a última conversa das duas. A irmã, que herdara os cabelos róseos e olhos esverdeados da mãe – olhos esses, que Violet também herdara – só se assemelhava à progenitora em relação à aparência. Elas eram como fogo e gelo, e após a perda do patriarca daquela residência os conflitos entre as duas se tornaram ainda mais intensos. Muitas vezes, eles surgiam quando Rose protegia Violet da violência física e psicológica da mãe, que insistia em culpá-las por tudo de ruim que acontecera em sua vida. E enquanto ela aparentemente se sentia melhor com isso, as jovens ficavam cada dia mais saturadas.

Até que o inevitável – talvez não tão inevitável assim – aconteceu, e Rose fugiu de casa sem deixar rastros. Não havia sequer um bilhete para sua irmã. Após todos os discursos de que a protegeria de todo o mal, a adolescente dez anos mais velha simplesmente sumiu no mundo, deixando Violet ainda mais desolada.

Nunca mais teve notícias dela. Dez anos depois, já não lembrava de todos os detalhes de seu rosto – além de sua mãe ter queimado todas as fotos da casa, ela com certeza estaria diferente depois de todo esse tempo –, tampouco o timbre de sua voz. Sequer fazia ideia de onde ela poderia estar, ou até mesmo se ainda estava viva. Aquela jovem de cabelos róseos, que uma vez já fora sua cavaleira montada em um cavalo branco, mostrou-se uma bruxa tão egoísta quanto sua mãe.

Nada que Violet pudesse fazer traria sua irmã, seu pai, ou o próprio tempo de volta. E também não havia nada que pudesse substituir em seu coração aqueles momentos preciosos que passara com eles. Aquela cicatriz em sua alma, de um vermelho vivo como rosas, aparentemente não cicatrizaria nunca; só lhe restava viver um dia de cada vez, nutrindo sua cabeça com sonhos vazios para que pudesse tentar ignorar a dor e seguir em frente.


Notas Finais


Link da música: https://youtu.be/euuxPokAeIA

E aí, o que acharam?
Aqui temos a aparição de mais um dos quatro protagonistas do plot principal, e a citação de uma personagem que já apareceu antes. Se alguém precisar de ajuda para entender a ordem dos acontecimentos, aqui nesse jornal as histórias estão na ordem cronológica: http://socialspir.it/9560545
Por enquanto é só, espero que tenham gostado!

Até a próxima ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...