História Red Lovers - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Asking Alexandria, Vanessa Hudgens
Personagens Ben Bruce, Danny Worsnop, James Cassells, Joe Lancaster, Vanessa Hudgens
Exibições 10
Palavras 2.003
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drabble, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 4 - Different Man


Fanfic / Fanfiction Red Lovers - Capítulo 4 - Different Man

 

POV Nathalie
 

Almoçamos na casa da Alana , e passamos a tarde toda '' nos divertindo '' , ou seja , usando tudo quanto é tipo de drogas . Eu não usei muito porque estava com dor de cabeça , Alana também não usou muito , ele não aguentava tanto assim , mas Scott e Phillip , aqueles !

- Vai amor , cheira mais um pouco - Scott esticou a mão me entregando o pacotinho
- Não Scott , eu tô com muita dor de cabeça !
- Por favor ! - ele fez uma carinha fofa 
- Não ! 
- Mas que porra ! Você é uma fraca , não aguenta nada - ele levantou e começou a gritar
- Para de gritar comigo, porra. Eu não quero porque estou com dor de cabeça, eu não quero abusar da sorte e acabar tento uma overdose - gritei mais alto do que ele
- Você não serve pra nada , você é um lixo garota. Você não sabe cheirar nem dá direito , sabe o que você é? você é uma puta - ele cuspiu as palavras em minha cara
- EU SOU UMA PUTA MESMO , VOCÊ SABE MUITO BEM QUE SOU , SABE MAIS AINDA PORQUE EU FAÇO ISSO , EU FAÇO ISSO PARA ALIMENTAR O NOSSO VICIO IDIOTA - comecei a chorar e sentir o meu rosto queimar , sim , Scott havia me batido - SEU FILHO DA PUTA 
- Nunca mais grite comigo assim - ele disse em um tom ameaçador 
- Phillip , você não vai fazer nada ? - ele negou e eu sai correndo dali 
 

Andei , andei , andei , até que parei no Starbucks comprei algumas coisas para comer quando chegasse em casa 
Cheguei em casa , tomei um banho , coloquei uma roupa confortável  e desci para comer o que eu havia comprado . Comi e subi novamente para dormir , mais tarde teria que sair para fazer a mesma rotina de sempre.

Hoje é meu dia na dança e nesses dias não precisamos ir pra cama se conseguirmos uma boa quantia com as danças, a menos que alguém pague para nos ter.
Fui direto para o clube e comecei a me arrumar junto com o resto das meninas. Vesti uma lingerie vermelho sangue com um sobretudo de seda preto.

Hoje a noite esta bem movimentada, a noite promete. Logo anunciaram nosso número de dança, bebi um copo de uma batida forte e fui para atrás do palco. 
Logo a musica começou e nós desfilamos até nossas barras de Poli dance. Comecei rebolando enquanto segurava a barra e quando virei para o público notei um homem aparentemente da minha idade, muito lindo. Com a barba por fazer, uma blusa social branca aberta nos primeiros botões e segurava um copo que parecia ser whisky. 
Só percebi que meu número estava acabando quando o vi sair de perto e falar com o organizador da noite e apontar para mim.

Peguei as notas que jogaram em mim e desci do palco. Sentei nos fundos e comecei a juntar para guarda-las.

- Ótima apresentação! - Ouvi sua voz um pouco abafada pela música.
- Sempre é. - Me gabei e ele riu.
- Qual é o seu nome ? - Perguntou se sentando ao meu lado.
- Para você é Little Nath. O seu? - Disse admirando seus olhos que percebi serem azuis.
- Pra você é Danny.


⁃ Para você é Little Nath. O seu?- Perguntei admirando seus olhos que percebi serem azuis. 
⁃ Pra você é Danny - Disse piscando.
⁃ Quer dançar Pequena Nath? - Disse fazendo graça do meu apelido. 
⁃ Claro, Daniel. 
⁃ Oh droga, ela descobriu meu nome. - Rimos e fomos para a pista de dança.

Uma música bem provocando começou a tocar e aproveitei a deixa pra provocá-lo. Deslizei meu corpo pelo seu, descia ate o chão e subia passando minha bunda pelo seu corpo e suas mãos acompanhavam meus movimentos sempre que podiam. 
Me virei para sua frente e fui surpreendida com seus lábios atacando os meus. Com o calor do momento suas mãos foram descendo e parando em minha bunda e apertando- a, me fazendo arfar. Coloquei minhas mãos e sua nuca e ele voltou as dele para minha cintura.

- Que tal irmos pra outro lugar? - perguntei partindo o beijo.
- Leu minha mente.

Fui o guiando para a ala dos quartos, mas antes de chegar perto da escada e me para.

⁃ Hoje não será aqui. - Disse me virando para ele. - Digamos que paguei mais do que deveria pra te ter. 
⁃ Me guie então. 

Segui-o  ate o estacionamento e paramos em frente a um Audi R8.

⁃ Oh... Eu amo esse carro. - Disse admirando a preciosidade a minha frente. 
⁃ Acredita que eu também? - Disse rindo.

Entramos no carro e fomos em direção aos bairros de classe alta. Entramos em um condomínio bem chique e ele estacionou no subsolo de um apartamento. Eu achei que iríamos para um motel, ganhei minha noite.
Descemos do carro e ele subimos ate o seu andar. 
Assim que entramos em seu apartamento os lábios de Danny foram de encontro ao meu pescoço, me explorando cada vez com mais vontade. Comecei a explorar seu tórax e logo tirei sua blusa branca. Ele apertou minha coxa e feia impulso para agarrar sua cintura com minhas pernas.
Enquanto ele andava até seu quarto eu comecei a beijar e dar chupões em seu pescoço.

Percebi que ele abriu a porta do quarto e logo já estava em cima de algo macio. Ele pegou a barra do sobretudo  e começou a tira-lo. Logo já estava sem ela e para sua felicidade meu sutiã abria pela frente, em segundos não estava mais em mim. Ele me olhou por um segundo e começou a chupar meu seio esquerdo enquanto massageava e apertava o direito. Eu mordia os lábios para conter os gemidos.
Ele começou a descer, já sabia o que ele pretendia fazer, mas primeiro eu iria brincar com ele. 

Antes dele chegar em minha intimidade inverti nossas posições e o beijei. Desci meus beijos pelo seu maxilar barbudo, tórax e barriga. Parei na barra de sua calça que por mim nem estaria mais aqui. Tirei-a e me sentei em cima de seu membro já ereto e comecei a
rebolar escutando gemido da parte dele.

Me abaixei e comecei a tirar sua boxer vermelha com a boca, olhei para seu rosto e pude ver seu membro pular pra fora. Peguei o
mesmo e comecei a masturba-lo , dei um beijo no topo antes de colocar aquilo tudo dentro de minha boca.
Chupei e massageei seu membro e só parei quando vi que ele estava quase lá e com isso recebi um gemido de reprovação da parte dele.
Quando eu ia me sentar em seu colo o mesmo me segurou pela cintura e inverteu nossas posições. Sem aviso prévio ele me penetrou e eu involuntariamente gritei de dor e prazer.

Ficamos nesse vai e vem prazeroso até que ele começa a ir devagar.

⁃ Geme pra mim Nath, geme - Ele pediu e eu sem pensar o obedeci.
⁃ Ahhh Danny, por favor - Aquele ritmo devagar estava me matando ele colocava bem devagar.
⁃ O que você quer Nath? - Ele ta de gozação com a minha cara né.
⁃ Mais... rápido - Gemi.
⁃ Seu pedido é uma ordem.

E ele voltou com as estocadas fortes e tão rápidas que ele ia bem no meu ponto de prazer me fazendo gemer mais alto.
Se ele acha que pode fazer isso comigo está muito enganado.
Inverti nossas posições e comecei a cavalgar tão devagar que chegava a ser torturante até pra mim.
Ele gemeu em reprovação e eu ri.

⁃ Viu como é bom - E rebolei em cima dele e recebi um gemido em troca.
⁃ Você qu... me matar né.
⁃ Se for de prazer, quem sabe.
⁃ Eu não vou pedir por mais rápido, se é isso que você está pensando que eu vou fazer. - Filho da mãe.
⁃ Por que você não pediria por mais? - E continuei a cavalgar devagar.
⁃ Por isso.

Ele me surpreendeu invertendo e me penetrando com muito força. Depois de mais algumas estocadas, nós chegamos ao
orgasmo juntos. E só ai percebi a merda que eu fiz, transamos sem camisinha.

⁃ Porra Danny - Assim que ele se deitou ou meu lado.
⁃ O que? - Se fazendo de inocente.
⁃ Você gozou dentro de mim.
⁃ Mas você toma pílula né?
⁃ Sou uma prostituta, claro que tenho que tomar. Mas vai que você tem alguma doença.
⁃ Sabia! Mas se eu tivesse, não seria filho da puta a esse ponto, então relaxa baby- E subiu em cima de mim me beijando de novo. ⁃ Quer tomar um banho?- Acabamos de transar e esse garoto quer mais? Acho que vou cobrar mais caro, mas quem eu quero enganar eu também que isso.
⁃ Por que não, né?

Seguimos para o banheiro que tinha no quarto nos beijando. Bom nós batemos em um móvel, mas chegamos ao local bem.
Ele me colocou na pia e se abaixou. Logo senti sua mágica língua dentro de mim.

⁃ D-Dannny. - Senti ele sorrir, mas não liguei.

Logo ele penetrou um dedo dentro de mim e depois mais um. Seus dedos e sua língua faziam um
ótimo trabalho em mim até que eu gozei. Não acredito que gozei só com os dedos desse homem.
Ele lambeu tudo e depois veio me beijar. Ele me pegou no colo e fomos para debaixo do box e ele abriu o chuveiro. Me 
encostou na parede e ficou debaixo da água. Que visão ótima. Quando achei que ele ia abocanhar
meus seios, sinto ele me penetrando de novo.
Ficamos nesse vai e vem até nossos 2º e 3º orgasmo chegar.

Saí de seu colo e tomamos um banho normal. Com alguns beijos no meio, mas vamos fingir que isso não aconteceu. Ou não. 
Saímos e do banheiro e ele nos enrolou em uma toalha e fomos agarrados para o quarto.
 

Sabe quando eu falei que com ele seria diferente? Então esta sendo, ninguém com que eu já transei fez isso. Quando eu fiz menção de ir pegar minhas roupas ele me agarrou pela cintura.

⁃ Acha que vai pra onde? - E mordeu meu pescoço.
⁃ Ai viado isso dói. Bom vou ir embora.
⁃ Eu sou viado? Tem certeza? - E me deu mais um chupão.
⁃ Ah tá, você não é.
⁃ Fica comigo, dorme aqui e amanhã eu te levo pra casa.
⁃ Não posso. - E me soltei dele.

Coloque minha calcinha e ele me agarrou de novo.

⁃ Eu te imploro. Se quiser eu pago mais.
⁃ Você acha mesmo que que ficaria só por dinheiro? - Agora ele me ofendeu.
⁃ Não mas foi a primeira coisa que me veio em mente.
⁃ Tá eu fico, mas é só porque você acabou comigo. - E fui para sua cama
⁃ Foi ótimo ouvir isso. - E se virou pra mim
⁃ Eu sei - Ele colocou uma boxer preta, que eu preciso comentar que só com isso eu já comecei a ficar molhada.

Ele se deitou e me puxou para seu peito de modo que desse para ficar fazendo carinho em meu cabelo.

Não era pra isso estar acontecendo. Primeiro que nem deveríamos ter saído do clube. Segundo, eu deveria estar voltando para o condomínio agora... Scott vai falar horrores no meu ouvido quando chegar e saber que dormir com um riquinho. Mas que riquinho em Natalie, deu uma sorte hoje em. Que homem é esse? É bom de cama, sabe ser selvagem sem deixar de ser carinhoso. E não está me tratando como uma puta, isso foi o que mais me surpreendeu. 
Mas nem posso sonhar, isso não acontece duas vezes na vida de alguém como eu. 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...