História Red Riding Hood - Yaoi - Incesto - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Chapeuzinho Vermelho
Personagens Chapeuzinho Vermelho, Lobo Mau, Personagens Originais
Tags Chapeuzinho Vermelho, Incesto, Lemon, Shotacon, Yaoi
Exibições 174
Palavras 711
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drabble, Ecchi, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Essa é só a primeira parte, esperem por mais.
Vamos dizer também que essa imagem diz como mais ou menos foi o banho.
Favoritos.
~Makosan
~Jay-kuro
~ViihCoelho
~AgnesHitsugaya
~LauraMei639
~Dudazinhachan
~darksugar
~anonimoqualquer
~KaraFicy3006200
~Isa-sempai
~TRAP4EVER
~YaUK
~gabilove23
~JiminieCornio
~RHAU-CHAN
~Browz
~karynnakyoko

Capítulo 3 - You Love Me?


Fanfic / Fanfiction Red Riding Hood - Yaoi - Incesto - Capítulo 3 - You Love Me?

Yuki ON

Ele me puxava com forte, e me fazia tropeçar em algumas pedras e galhos que haviam no caminho. Temia que marcas aparecessem no meu pulso. Haru ainda não havia cortado as unhas essa semana, e meio que arranhavam e doíam de mais, com o tempo, gotas rubras escorriam no chão.

-Ai. Haru... Tá doendo. – Pedia gemendo um pouco.

-Oh. Desculpe-me Yuki, toma... – Disse ele rasgando uma faixa de sua roupa e me dando para estancar o sangue. – Olha, desculpa.

-Tudo bem, mas ainda falta muito?

-Não. Já estamos chegando, alguns... Ah... Metros.

-Mas eu estou cansado, e você me fez bater minha perna em varias coisas pelo caminho enquanto me puxava.

-Ok, então... – Disse ele me carregando “ao estilo princesa”.

-Kyyyaaaahhh, Haru, me solta! – Dei o maior, e mais fino, grito da minha vida.

Depois, o Haru acabou caindo no chão, se contorcendo. Aproveitei e peguei me telefone para gravá-lo gemendo que nem uma criança, e admito que ele estava fofo daquele jeito indefeso. Mas então ele pegou meu telefone ao se levantar.

-Hey. Dá-me Haru.

-Não. Vou apagar aquilo. – No!

-Não, Haru. Num paga nhão. – Apelei para minha voz de criança.

-Não. – “Pi! Apagado com sucesso.”.

-Te odeio Haru.

-Não mais... – Ele beijou minha bochecha.

-Ahn. – Corei, muito.

-Ah, e... – Ele me carregou de novo. Mas eu fiquei estático sendo levado, e pensei: Nossa! Ele é quentinho, com o papai.

Estávamos chegando perto, ele disse. E chegamos até que bem rápido, mas tivemos que passar por cipós finos, cheios de flores que acabaram de desabrochar, mamãe me ensinou as fases das flores, por quê? Ainda não sei. Elas também estavam molhadas, mas não havia chovido hoje, que estranho.

Depois descemos um morrinho de terra, muito íngreme, estou surpreso que o Haru tenha conseguido me carregar, já que ele teve que escorregar um pouco para descer, o que quase me fez cair, mas continuamos de pé, no caso, ele continuou de pé.

Depois chegamos a uma pequena lagoa, ela estava um azul brilhante, parecia uma safira gigante, como os olhos do Haru. Será que foi aqui que o papai pediu a mamãe em namoro, espera aí, o Haru vai fazer isso aqui?

Fiquei com um pouco de medo, não sei o que fazer. Ele vai me pedir... Espera, ele gosta de mim. Acho que ganhei o meu dia hoje, o que eu sinto é reciproco, mas como será que nossos pais vão reagir. Depois eu penso nisso.

-Yuki! Vamos logo entrar! – Disse ele retirando as roupas... Espera aí, ele tirou todas as roupas. Meu Deus! Que tamanho. Fazia tempo que nós dois não tomávamos banho juntos.

-Eu já vou Haru! – Senhor, não sei o que eu faço.

Decidi descer, mas é claro, sem roupas... Estou muito envergonhado, mas quando olho para o Haru, ele ficou vermelho. Acho que é por causa do meu corpo. Bom mas, eu não tenho culpa de ter nascido com curvas bem delineadas, como a mamãe. Sendo que o Haru puxou o papai com o peitoral, os músculos, e o resto... Mas enfim.

Pulei pelo mesmo lugar que Haru, era tipo uma rampa de terra sólida. A agua estava muito gelada, mas não liguei, ao chegar lá, Haru me abraçou...

-Agora você esta quentinho. – Puta que pariu! Fiquei tão vermelho, que acho que passo agora mais calor que ele. – Vamos, tem um lugar que eu quero te mostrar.

Eu o segui para uma pequena gruta que não tinha visto quando cheguei. Ela era escura e um pouco úmida, senti alguns calafrios ao entrar, vamos se dizer que estou com um pouco de medo e frustração, por que a mamãe entraria aqui para se pedida em namoro.

-Sabe que lugar é esse? – Haru me pega de surpresa com essa pergunta.

-Onde o papai pediu a mamãe em namoro? – Fiz como se não soubesse.

-Não. – Eu estava errado. No!

-Então que lugar é aqui, gênio? – Fiz um semblante de desprezo.

-É o lugar onde... – Ele deu uma pausa, e me chamou para perto, como se fosse contar um segredo. – Aonde eu vou te pedir em namoro. – Fique em transe, até ele lamber minha orelha. – Aceita? Yuki?

“Não sabia o que dizer, não sabia o que falar, não sabia o que botar para fora” (Por mim).

Yuki OFF


Notas Finais


Kissus de bundas pra todo mundo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...