História Red Stops - Capítulo 1


Escrita por: ~ e ~AliensL3to

Postado
Categorias 30 Seconds to Mars, Cara Delevingne, Danielle Campbell, Emma Watson, Jared Leto, Margot Robbie, Nathaniel Buzolic
Personagens Cara Delevingne, Danielle Campbell, Emma Watson, Jared Leto, Margot Robbie, Nathaniel Buzolic, Shannon Leto
Tags Adultério, Ficção, Romance, Sobrenatural
Visualizações 152
Palavras 4.409
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oiê gentiii ?! Então ... Eu sou novata por aqui e essa fanfic é a primeira que vou lançar nesse bagulho !!
Espero que curtem bastante a estória. ❤

Capítulo 1 - Welcome to the Louisiana School


Fanfic / Fanfiction Red Stops - Capítulo 1 - Welcome to the Louisiana School

MARGOT 

 

 

- Louisiana -

 

 

É estranho e ruim ao mesmo tempo em pensar e viver que seus pais não estão mais juntos, para certas pessoas é uma catástrofe ver sua família se despedaçar, já para outras é algo que já estava preparado para isso. E essa pessoa sou eu. Meus pais se separaram a 1 ano, e já me preparei para isso. As brigas, reclamações e discussões eram constantes e fui obrigada aturar. Principalmente minha mãe chorando e meu pai gritando, era horrível. Mas isso se acabou e por um lado dei graças a Deus . Porém as vezes sinto falta em ver a família reunida no final de semana, sinto falta daquelas conversas alheias. Sinto falta das broncas que os dois me davam. Eu sinto falta do papai, mas minha mãe quer evita-lo para o nosso bem. 

 

Mamãe resolveu mudar a vida dela, quer dizer, a nossa. Arranjou um novo emprego, pintou seu cabelo e começou a se arrumar melhor. Para mim ela mudou de escola, me colocou em um curso de teatro e tenta ter mais tempo para mim. Até que tudo isso é bom, mas para uma garota de 17 anos e mudar de escola derrepente e deixar seus amigos é muito tenso. Sinceramente, eu sou muito tímida em relações de coisas novas . Mas para ver minha mãe feliz eu devo aceitar e seguir em frente. Isso aí Margot. Só seguir em frente .... 

 

 

Sou interrompida dos meus pensamentos com minha mãe me falando algo. Olhei para ela que dirigia em concentração a estrada lá fora : 

 

 - O que disse ?!- pergunto franzindo o cenho 

 

- Eu perguntei se está ansiosa para seu primeiro dia de aula ?!- ela sorri sem me olhar 

 

Tinha me esquecido que ela nesse exato momento está me levando ao novo colégio que irei frequentar . E se eu estou ansiosa ?! Sim !! Mas estou mais nervosa. Estou surtando por dentro. Mas tento manter calma: 

 

- Não. - digo virando o rosto para o lado disfarçando minha cara de desespero. 

 

- Você vai gostar Mag! Vai conhecer pessoas novas, fazer amizades. Ter um namoradinho !!- ela me cutuca fazendo -me encara-la com uma careta e a mesma soltar uma risada alta - E o melhor que vai ter o dia inteiro pra dormir , já que vai ser a noite !!- 

 

- Já aumentou um pouquinho de estar gostando da escola. - falo

 

- Viu só. Você vai gostar mais ainda, pois eu gostei das regras e como a escola funciona. Seria perfeito pra você. - mamãe justifica 

 

- Mas eu não sei porque me fez sair da antiga e deixar meu amigos !!? Isso é castigo !- cruzo os braços e faço bico de triste 

 

- Qual é Magg !! Isso não impede de vocês saírem ou se encontrarem ... - ela diz - ... Mas vamos focar no seu futuro nessa !!- 

 

 

Então sem perceber minha mãe estaciona o carro. Olhei curiosa para o lado de fora e eu engoli seco. Havia um prédio enorme, ele era beje com várias janelas com suas bordas pintadas de marrons. Envolta da estrutura tinha algumas árvores grandes com as folhas alaranjadas por conta da época de outono que está se aproximando. Os portões eram grades cinzas e enferrujadas . Pelo jeito essa escola é das antigas. Observei alguns alunos parados e conversando ali próximo e alguns adentrando no prédio. Senti meu coração disparar em desepero. Estava nervosa, eu não sei se vou me adaptar aqui, não sei se vou me encaixar em um tal grupo de adolescentes e não sei se vou aturar aqui. Estou um pouco preocupada com isso. Me encolhi no banco do carro em desespero. 

 

- E não se esqueça que você vai voltar sozinha para casa! - ela sorri e me entrega a mochila 

 

-  Mas é perigoso. É a noite !!- arregalou meus olhos

 

- Mas são só 5 quadras. Logo você se acostuma e também terá um amigo ou uma carona pra te levar pra casa. - 

 

- Falar é fácil. Não é você que vai sofrer na escola. - revirou os olhos 

 

- Para de ser dramática. - ela reclama .. - Agora eu tenho que também trabalhar e acho melhor você entrar. Não quer chegar atrasada no seu primeiro dia !!- 

 

- Tá bom . - bufei irritada e soltando meu cinto 

 

- Boa garota. - ela solta uma risada 

 

Abri a porta do carro e desci, sentindo o vento gélido bater contra meu rosto. 

 

- Não esqueça de entregar seu histórico escolar. - mamãe me avisa 

 

- Tá ok. - afirmei e ajeitei minha mochila nas costas                       

 

- Boa sorte querida. Te amo. - ela manda um beijo no ar pra mim e eu sorri 

 

- Também mãe. Tchau !- fechei a porta do carro

 

 

Então me virei em direção a escola e respirei fundo. Senti minhas mãos suarem frias e meu coração disparar mais. Tomei coragem e caminhei para a entrada do portão do prédio enorme. Havia poucos alunos ali o que me deixava tensa. Sem olhar caminho rapidamente para dentro da escola. 

 

Adentrei no local. Observei em volta, era um corredor enorme com vários armários e portas e algumas escadas . Mas o que chamou atenção foi a enorme placa na entrada : Bem-vindo ao Louisiana School. Além de estar escrito era vermelho e preto um pouquinho dark. Enfim, caminhei lentamente pelo corredor que por sinal havia algumas líderes de torcidas e jogadores que me olhavam torto, o que me deixou mais preocupada a ponte de querer correr. Mas tentei ignorar suas encaradas. Caminhei aleatória, não sei porque estava assim. Então lembrei do histórico. 

 

Resolvi procurar a diretoria da escola. Caminho pelo corredor olhando para todas as portas ,mas a maioria era salas de aula. Droga. Fiquei um pouco histérica e perdida. Eu teria vergonha de perguntar para alguém pois sei que a pessoa poderia ser rude ou ignorante. Prefiro eu mesma.

 

...  Caminho com os olhos atentos por todo canto. E graças a Deus encontrei. A porta tinha uma plaquinha escrita Diretoria. Calmamente adentrei no local. Observei o todo , era uma sala sofisticada , tinha um balcão dividindo ali, havia duas poltronas no canto. Ao lado delas tinha como enfeite um vaso com uma flor branca. Nas paredes bejes, tinham quadros decorativos e de pintura, e um com um símbolo triângulo com um leão no meio. Símbolo da escola. 

Porém não tinha ninguém ali a não ser eu. Lentamente me aproximei do balcão e olhei bem para ver se realmente se tinha uma pessoa ali. Enganei. 

Resolvi ficar a espera enquanto vasculho minha mochila a procura do histórico. 

 

- O que deseja ?!- escuto uma voz rouca e masculina por trás do balcão

 

Assustada. Levantei meu olhar arregalado para aquela pessoa. 

 

Como ?! Dá onde surgiu esse ser ?! 

 

Então olhei para aquele homem e senti minhas pupilas dilatarem e meu coração disparar. Lindo demais. É o que eu poderia descrever naquele momento. Seus cabelos castanhos escuros levemente penteados para trás, seu rosto juvenil, lábios finos e rosados, sua pele parecia porcelana de delicada e branca até demais. Não consegui ver como ele está vestido, mas está com uma camisa social com os primeiros botões abertos mostrando um pouquinho do seu peitoral. Puta merda! Como era lindo. 

Sem perceber estava "secando" demais. Que o homem ficou um pouco incomodado. Droga Robbie. 

 

- E... Eu vim entregar o histórico ...- digo tirando o papel da mochila 

 

Ele estende sua mão e eu entrego o papel. 

O mesmo começou a ler o meu histórico. Estava distraído e isso não impediu de admirar mais sua beleza. Perfeito. Seus olhos eram da cor do mar e brilhantes.  Eram lindos e hipnotizantes. 

 

Que isso Margot !! Nem sabe direito o nome dele e já está assim ! Abusada. 

 

- É aluna nova !?- ele pergunta olhando ainda a folha 

 

- Si..sim !- por que estou gaguejando !! Que isso. 

 

O homem virou as costas para mim e se afastou me deixando sozinha ali. Ué ? Estranho. Estava a espera dele me ajudar. Ignorante mesmo. 

Cabisbaixa. Ajeitei minha mochila novamente nas costas  e me preparei para sair dali. Mas o homem retorno e me entrega um outro papel. 

 

- Aqui está. Algumas orientações para ajudar você !!- pego o papel com várias palavras. Não entendi.  

 

- Obrigada !!- dou um sorrisinho de leve 

 

Ele não disse nada e se afastou com uma expressão séria. Ih ! Além de lindo é um idiota  antipático. Virei as costas e bufei, detesto pessoas assim. Sai daquela sala e tornei a caminhar pelo corredor onde havia mais alunos do que antes. Droga. 

Então como logo tocará o sinal, vou a procura da minha sala.

Caminhei desviando das pessoas, e lendo o papel que estava confuso. Porém consegui ver a sala quê é n°23 turma C. Olhei para as portas e vi uma a suposta futura sala quê terei que entrar todos os dias. 
Respirei fundo e caminhei até lá abri a porta. Olhei em volta e tinha alguns alunos que com o meu barulho me olharam de tal forma que me deixou tensa. Porcaria. Senti minhas bochechas rosarem, mas eu com vergonha adentrei na sala. Fui até uma carteira no fundo vazia, coloquei minha mochila sobre a carteira e me sentei . Tinha um grupinho de meninas ali na sala conversavam e riam altamente. Parecia que estavam rindo de mim. 
Suspirei e tentei me distrair com a folha que aquele bendito homem. 
Na folha havia algumas regras, horários de aula, matérias...
... O sinal toca indicando o horário da aula agora. Maravilha !! Então rapidamente começa os alunos entrar na sala, pareciam bem animados para aula. Alguns olhares deles caíram sobre mim, me deixando totalmente envergonhada e desviar para atenção a folha que está em minha mão. A sala só tinha risadas e conversação alheia, as vezes uns davam um grito exagerado. Enquanto eu estava na penúltima carteira, tentando disfarçar meu nervosismo. Com aquela bagunça toda, entra uma senhora de 50 anos segurando alguns livros e sua bolsa em seus braços. Deve ser a professora. Uns alunos chegavam e abraçavam a professora, que intimidade deve ser uma senhora muito querida pelos alunos . A mesma deixou suas coisas em sua mesa. 

- Boa noite ?!- ela olha para todos que começam a se aquietar e sentar em seus devidos lugares 

- Boa noite professora Ruby !!- a maioria responde em um coral. Pareciam aquelas crianças do infantil 5 !!

- Hoje o dia vai começar com trabalhos de literatura pra vocês. Então se preparem.  - ela sorri de uma forma diabólica para os alunos que soltam uma risada - Mas antes vou fazer a chamada !!- 

- Tem uma novata na sala prof !!- uma garota ruiva diz 

- Quem ?!- a senhora percorre o olhar pela sala inteira 

- Ali !- a garota aponta para mim. Porcaria.

Todos os olhares daquela sala caíram sobre mim, o que me deixou mais vermelha de que um tomate, minhas bochechas queimaram. Que constrangedor . 

- Qual é seu nome querida ?!- a professora pergunta com um sorriso gentil 

Não faça merda Margot ! Não fala nenhuma burrice. 

Respirei fundo e abri um sorrisinho vergonhoso :

- É Margot !!- respondo 

- Ah ! Seja bem vinda Margot !! Espero que curte bastante as aulas, a escola. Eu sei que você vai adorar. - 

- Obrigada !!- dou um sorriso meigo 

- E podem serem simpáticos com a novata, galera. Se não ... Já sabem . - ela brinca com a turma. 

Então a senhora vai até a lousa e começa a escrever algumas frases. Ótimo dia pra começar a encher o caderno. Bosta. 

- Peguem os seus cadernos e vamos começar a aula que os tanto amam !!- ela diz 

- Não se ilude professora !!- diz um garoto moreno, fazendo a turma inteira rir e a senhora bufar irônica. 

- Ok ! Vamos lá !- ela continua a escrever no quadro . 

 

                     ∆.∆.∆ 

 

Após uma metade da noite com a aula de literatura e com aquela professora meia doidinha. Foi um ótimo começo para a primeira aula . Até bater o sinal e trocar de matéria. 

Ótimo qual será agora ?! 

A professora se retira da sala para trocar de professor, os alunos começam a bagunça novamente. E a única coisa que eu fiz, foi apenas observar tudo aquilo. Até que é engraçado o jeito de alguns alunos, me faziam rir mentalmente. Mas pelo meu jeito vai ser difícil me encaixar em algum grupinho. Fazer o que é apenas o começo Magg !! Logo terá amigos. Não se preocupe. 

Todavia me surpreendo com a correria de uma loira. A mesma foi até a sua carteira toda histérica e animada. 

- Aí gente ! O professor gostosão está vindo aí !- ela anuncia toda animada. 

Ri baixinho das suas palavras ditas. A turma inteira se senta nas carteiras e se preparam para a chegada do professor. 

- Cadê ele ?! - a loira se preocupa 

- Calma Cara !! Ele já vem. - uma morena responde rindo                        

Então sem demoras entra o professor. E arregalo os olhos ao ver que aquele era o homem que estava na diretoria, aquele bendito homem maravilhosamente charmoso, mas um pouquinho ignorante. Ele caminha em silêncio até a mesa central deixando suas coisas encima. A sala estava em silêncio observando-o. 
Até de longe ele é incrível. Cala a boca Margot !! 


- Boa noite galera. Tudo bem com vocês ?!- ele diz num tom animado para a turma que começam a fazer alvoroço. Tudo que é canto respondia ao mesmo tempo.
Nem dava para entender. 

- Então... Alguma novidade ?!- ele pergunta caminhando pela sala 

- Sim profe... - diz a mesma ruiva de uma forma meio esquisita . Parece tentar seduzir. 

- Sério Tiffany ? Qual seria !!?- ele diz surpreso e com um sorriso gentil 

- Temos uma novata na turma. - ela aponta novamente para mim. Droga garota idiota. 
 
O olhar daquele professor parou em mim. Seus olhos ficaram totalmente fixos nos meus, o que me causou um pouco de  desconforto. Me encolhi ao sentir um arrepio em meu corpo e minhas bochechas rosarem novamente. Só você Margot. !! 
O homem ficou assim por longos minutos me encarando. 
Ele vai fazer os alunos estranhar, como eu !! 
Então o mesmo caminha até a minha carteira com as mãos no bolso da sua calça jeans. 
Com gentileza ele estende a mão como cumprimento para mim. 

- Seja Bem-Vinda ... 

- Margot. - seguro sua mão áspera e ao mesmo tempo macia. E cumprimento. 

- Seja Bem-Vinda Margot !!- ele sorri meigamente - Eu sou o professor Leto, mas prefiro que todos meus alunos me chamem de Jared. Espero que curte Arte, como eu. - 

- Professor de Artes !!- digo um pouco envergonhada e o mesmo assentiu 

- E acredite eu sou o melhor aqui. - ele dá um sorriso orgulhoso

- Sempre será !!- escuto algumas meninas dizerem 

Hummm . Pelo jeito esse professor é aquele que todas as garotas do colégio desejam. Cambada de vadias. 

Então ele se afasta e torna a ir na frente da turma. O mesmo se encosta na sua mesa e coloca suas mãos em seus bolsos novamente e por fim se prepara para dar aula. 

- Então ... Estou elaborando um trabalho para vocês ... - 

- Aaaaaahahhhhhhh !- os alunos resmungaram não gostando da ideia 

- Nem falei direito e já estão assim. Eu ein ?!- ele olha esquisito ,  mas abre um sorriso . - Continuando ... Estou com um trabalho em mente para a turma de vocês e sei muito bem que vão adorar. - 

- Acredite professor. Seus trabalhos são Sempre os meus favoritos e tenho orgulho de fazer !!- diz uma morena " oferecida " . 

- Fico muito lisonjeado Lana. - ele responde um pouco desconfortável. - Então o trabalho vai funcionar assim. Vocês vão forma duplas ou trios. E semana que vem eu levarei a turma para visitar um museu. Como vocês vão conhecer e aprender algumas coisas. O trabalho será relacionado ao museu e cada dupla ou trio terá que explicar o que achou mais interessante e histórico no museu. - 

- E quanto é a nota ?! - um menino na frente pergunta 

- A nota é 5,0 pontos. - 

- Professor ?!- uma outra menina levanta a mão  

- Sim ?!- ele sorri 

- Posso fazer junto com você ?!- fala é a maioria da turma ri 

- Oferecida !!- alguém grita


A turma inteira solta risadas altas e divertidas e eu também entrei no embalo.  

- Ok pessoal ! Vamos começar a aula com um conteúdo novo. - ele caminha até sua mesa - Quem aí curte Arte contemporânea ...

Ninguém levantou a mão. E ficaram em silêncio. 

- Mais alguém ?- ele verifica a sala, deixando risinhos das garotas saírem. - Enfim... 


O Jared começou a fazer explicações e dar suas aulas de Artes. Que por um lado até que era legal, mas era muito calma em alguns momentos. As vezes isso me deixava entediada. Só não dorme Margot !! No seu primeiro dia de aula não faça isso. - Fiquei apenas prestando atenção nos seus movimentos ou nos alunos que riam de algo que o professor dizia ou conversavam na aula dele. Já no primeiro momento estava meio avoada na aula dele. Normal sou assim mesmo. 
Brincava com meus lápis enquanto Jared explicava sobre a arte contemporânea, o que eu não entendia nada. 
É assim que vou passar o ano !! Uma burra desatenta.  
Isso aí loirinha, vai ser uma decepção !! 

- Entendeu Margot ?!- escuto aquela voz rouca me chamar. 

Levantei meu olhar assustada e vejo todos os olhares da sala me olhando curiosos. E novamente minha bochecha ficou quente. O professor estava com os braços cruzados e a sobrancelha levantada. Porra, me ferrei. Engoli seco e meu coração acelerou. Assenti mentindo por estar atenta na sua aula. 

- É bom mesmo. Não queremos uma novata desatenta. - diz com sarcasmo. Desgraçado                        

Olhei como o diabo para ele que ignora e continua a falar. Os olhares dos alunos tornaram ao professor. Fiquei assimilando o meu ódio, não gosto que queiram chamar a minha atenção. Principalmente quando estou na minha sem atrapalhar nada. 
Além de ser lindo é um babaca. Quieta Margot !! 

Me escorei na carteira e tentei ficar atenta a sua aula. Que estava agora desejando acabar mais do que nunca. 
Jared fala várias coisas até mesmo coisas " fofas" e dava para escutar os suspiros de apaixonadas das garotas. Pelo modo esse professor curte ser flertado pelas alunas Nojento. (...) Mas o que me incomodou foi que aqueles olhos azuis me fuzilivam sorrateiramente. Seus olhos me encaravam com intensidade que sentia até um arrepio na espinha. Ele parecia querer ler algo em minha mente.  Só deve ser loucura minha, mas o pior que ele me olhava a todo segundo. 
Deve ser porque sou aluna nova e os professores podem achar que estou perdida ou não entendendo. Sei lá é o que imaginei. 

(...) 


Após aturar as gracinhas, risadas, explicações e as garotas dando encima dele. O sinal tocou para o intervalo. Dei um graças a Deus. Relaxei totalmente na carteira. Os alunos saíram da sala de aula indo pra fora. 
Resolvi ficar ali dentro da sala passando o meu tempo, mexendo no celular e mandando mensagem para os amigos. Já que no primeiro dia não conseguiria me socializar por enquanto com os outros. Porém me esqueci de que o professor estava ali recolhendo seu material. 
Mas ao invés de querer chamar sua atenção, tornei a focar no meu celular.                        

Portanto sinto o Jared me olhar sem expressão. Levantei meu olhar confusa vendo ele se retirar da sala, engraçado. Pensei que iria se despedir ou dizer um até amanhã. Me enganei. 
Mas antes dele botar os pés para fora da sala. Uma aluna o barra na entrada e eu fiquei apenas observando. 

- Professor Leto ?!- ela diz ofegante e rindo. 

- O que houve ?!- pergunta preocupado 

- Será que pode me ajudar com uma atividade ?! - 

- Claro. Qual seria a sua dúvida ?!- ele diz sorridente 

- É sobre arte e música. Eu preciso só da sua ajuda já que você é bom nisso. -  ela sorri sapeca. 

- Ok !!- ele assenti sem se importar com o jeito da garota 

- Vamos até a minha sala !!- ela sai para fora. 

Então Jared me olha rapidamente. E eu revirei os olhos, pois acredito que ele vai para se pegar com a garota. Dá para perceber isso, na cara da menina e a expressão dele. Isso vai dar merda mais tarde ...                        
                  

∆.∆.∆ 

 

Estava entediada. Eu não aguentava mais. As horas pareciam parar aos poucos, estava lenta demais, me seguro para não fechar o olho e dormir. Presta atenção na aula Magg !  A sala inteira estava atentos na aula de física. O pior que o professor não ajudava muito, suas explicações eram literalmente igual uma lesma caminhando. 

Como odeio Física !! 


O sinal bate indicando o final da aula. Dei graças a Deus. Duas aulas dessa matéria me mata, pois só entendia o que ele dizia como: cálculo, cálculo, cálculo e números. As vezes minha cabeça pirava de tantas coisas que eu ficava perdida no que ele dizia. Enfim, respirei mais aliviada e comecei a guardar o meu material dentro da minha mochila. Os alunos já estavam saindo da sala com suas mochilas nas costas. Então levantei da minha carteira e me retirei da sala. Olhei pelo corredor lotado de alunos querem sair e ir embora. Caminhei desviando de alguns que demoravam para caminhar. Queria sair o rápido possível antes que eu chegue em casa tarde demais. 

Porém olhei para o lado e vi o Professor Leto parado na porta de umas salas me encarando de uma forma esquisito, que sinceramente fiquei com medo e senti como se ele lê- se minha mente. Desviei o olhar e ajeitei minha mochila e caminhei rapidamente para a saída daquela escola.                        
Sinceramente para o primeiro dia de aula foi um verdadeiro saco. Sempre é assim. A única coisa que eu queria era que as aulas acabassem. Nem começou a semana direito e já estou cansada. 

Após sair do prédio, observei em volta e já estava noite. Porém senti o vento gélido bater contra minha pele e causar vários arrepios, que até encolhi o meu corpo. Caminhei lentamente até o portão aberto onde alguns alunos estavam saindo e algumas pessoas esperavam do lado de fora.. Sem pressa sai dali, desviando de algumas pessoas que eu me encontrava. Ando rapidamente pela calçada em frente a escola, indo ao meu destino que são 5 quadras. O vento da noite só piorava e as ruas estavam em silêncio, poucas luzes iluminando as ruas. Estava me afastando da escola e indo para uma rua coberta com várias árvores. Que suas folhas de mexiam e faziam barulhos. Admito que fiquei com medo agora, eu não quero enfrentar todas as noites indo para casa sozinha e de a pé. Para mim é perigoso. Mas fazer o que ?! Estou sendo obrigada. 

Caminho por aquela rua que a cada barulho me causava um arrepio. Eu deveria ter desviado ou ido por uma outra que seja mais movimentada. Sua loira burra. Aperto meus passos indo ligeiro para sair dali, meu coração estava acelerado demais. Parecia que eu estava tendo um ataque cardíaco. Caminhei o mais rápido possível e olhando para todos os lados.                        

E novamente sinto ser observada, senti na minha pele essa sensação. Olhei para os lados tentando ver se alguém está me perseguindo. E não havia ninguém, porém mesmo assim sentia alguém me olhar e parecia que a pessoa não estava longe. Tentei olhar através de algumas árvores, mas era impossível estava escuro demais. Droga. Para não entrar em desespero caminhei mais rápido ainda  e tentando ignorar essa maldita sensação. 

Mas piorou uma das árvores fez um barulho com as folhas, me fazendo quase gritar de susto. Olhei com os olhos arregalados para todos os lados e com a respiração mais rápida. 

- Vá embora de uma vez Margot. Vá de uma vez !!- cochicho para mim mesma 

Andando em desepero por aquela rua que parece não ter fim. Cada vez piorou além de ser observada e ouvir barulhos esquisito. Escuto alguém assobiar uma canção. Um assobio assombroso que vem através das árvores. Merda . Senti minhas mãos suarem e meu corpo fraquiar. O assobio estava cada vez mais perto, olhei para os lados e não havia ninguém, olhei entre as árvores enormes e não havia ninguém. Que medo.  

E mais uma vez escuto o barulho esquisito nas árvores. Corre Margot !! Correee menina.  Meu coração pulava de medo é meu corpo estava tremendo. O assobio só aumentava . 


- Quem está aí ?!- grito em desepero Cala a boca Robbie. Vai fazer merda. 


Ninguém respondeu. Essas sensações de observações sobre mim , eu ainda sentia. E aquele assobio macabro. Melhor eu correr pode ser um estuprador ou um assassino. Respirei fundo e me preparo. 


- Se correr vai ser pior para você, loirinha !!- uma voz rouca e familiar ecoa atrás vez de uma das árvores 

Medo. É o que senti. Sem pensar duas vezes me virei e sai correndo pelas ruas. E sentindo ser perseguida pelo anônimo. Os barulhos das folhas das árvores parecem piorar e me seguir também. Tentei não olhar para trás , mas não resisti e olhei. Me assustei com as luzes dos postos se apagarem conforme eu corria, deixando tudo escuro. Me deixando totalmente nervosa. Corre mais rápido garota.  As luzes da ruas estavam se apagando e logo eu ficarei na escuridão. 

Quando finalmente cheguei ofegante e cansada no final da rua. Olhei para os lados nas outras que se encontravam e as mesmas estavam vazias. A rua que me deixou maluca estava uma completa escuridão ainda. Parecia o demônio que fez isso.  Observei parada no meio da rua se encontrava algum movimento. Até que sinto um arrepio frio na minha nuca fazendo meu corpo paralisar ali mesmo, sinto uma respiração gelada bater contra minha pele, tentei me virar para ver quem era, mas eu estava petrificada ali. Enfim, sinto um sussurro próximo ao meu ouvido: 


- Eu mandei não correr. Você foi avisada Robbie .... -


Notas Finais


Gostaram?? Até o próximo capítulo😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...