História Redamancy - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Chen, Lay, Suho
Tags Cheho, Fluffy, Lemon, Suchen
Exibições 166
Palavras 5.374
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Fluffy, Lemon, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oii, então, eu to aqui postando minha primeira One Shot SuChen, primeira one shot d todas tbm :>
Eu espero que gostem, eu estava pensando em deixa-la em aberto por enquanto, queria fazer um epilogue, mas quero primeiro saber se vão gostar dela e querer o término. Queria agradecer a ~RigelsStarr pela capa linda, e por me dar inspiração pra escrever essa fanfic. Sem mais delongas, a fanfic.

Capítulo 1 - Capítulo Único


            - Te vejo depois então - Disse o garoto de cabelos negros acenando para o amigo.

 

Seguiu seu caminho de volta para casa em silencio, segurando as alças de sua mochila ele caminhava tranquilamente. Em seu rosto, um sorriso aliviado se abriu ao já conseguir notar em suas vistas, a casa em que morava.

 

Apertou o passo, andando mais rapidamente enquanto suas mãos serpenteavam seus bolsos já a procura de suas chaves, e exatamente no momento em que pisou no tapete de casa, ele as encontrou as retirando do bolso e destrancando a porta com facilidade, logo adentrando sua moradia.

 

De imediato, se direcionou as escadas para o segundo andar onde ficavam os quartos, e logo que chegou ao seu, colocou sua bolsa onde sempre a deixava, tudo arrumado como gostava. Junmyeon não era um perfeccionista mas pode-se dizer que um de seus robes era deixar todo o seu quarto arrumado, desde suas mínimas coisas como suas figuras de ação do star wars, como as mais importantes, seus livros e seu material escolar. Outro fato sobre si é que ele ama ler. E um de seus preferidos livros que já até perdeu a conta de quantas vezes já leu, e não se cansaria de ler por amar a história e o protagonista é o box de Percy Jackson.

 

O garoto logo se dirigiu até sua cama, se jogando no colchão de molas macio e aconchegante, sentindo seu corpo inteiro relaxar ao entrar em contato com a maciez do estofado. Novamente tateou os bolsos procurando e encontrando com sucesso o aparelho metálico, seu celular.

 

Entediado e sem muito o que mexer, abaixou os braços que antes estavam segurando o aparelho a frente de seu rosto, e fechou os olhos lembrando da figura nova na escola e que mesmo chegando agora, já está rodeado de amigos. O garoto de peles claras, olhos castanhos, e cabelos também castanhos, invadiu novamente a cabeça de Jun. O mesmo ficava se perguntando como alguém que chegaste agora em sua classe, fosse tão simpático e atencioso para fazer amigos tão rapidamente, o que Junmyeon não conseguiu em anos, o único que o acompanha desde que entrou naquela escola, é seu fiel amigo Yixing, que tem o apelido de Lay. O garoto recebeu o apelido de Laysado do amigo, pois as vezes acaba sendo lerdo demais e por não entender as coisas é um jeito “carinhoso” de ser chamado de lesado. Pelo menos foi o que o Jun o explicou.

 

Largou o celular que antes estava em suas mãos e levantou-se da cama, caminhando rumo quarto afora, descendo as escadas em direção a cozinha, onde teria sua refeição da tarde, o almoço. Chegou adentrando o cômodo logo sentindo o cheiro de comida fresca que sua omma estava a preparar.

 

- Oi omma - Disse ele ao puxar uma cadeira e sentar-se.

 

- Olá meu filho, como foi na escola? - A mais velha sorriu ao ver o filho - Já estou terminando de preparar o almoço, está com fome?

 

- Foi normal, como todos os outros dias, exceto por um menino que entrou recentemente na minha classe - Explicou observando sua progenitora cozinhar - Bom já faz uma semana que ele chegou na minha sala, mas hoje ele veio falar comigo, ele é legal, o nome dele é Chen. Na verdade, o nome dele é Kim Jongdae, mas o apelido dele é Chen.

 

- Vocês já são amigos? - Ela indagou sorrindo, desligando o fogão e retirando as tampas das panelas.

 

- Bom, pode-se dizer que sim, nós trocamos os números, e ele propôs de a gente sair um dia desses. - Disse ele vendo sua omma colocar o seu almoço em um prato e entregar-lhe - Obrigado.

 

- Sair uh? - Olhou o mais novo com um sorriso torto fazendo-o corar no mesmo instante. Sunhye sabia da orientação sexual de seu filho, ela nunca foi preconceituosa e quando Jun a contou pensando que iria reagir da pior forma, ela a abraçou e o confortou dizendo que o amava e que independente do que ele seja, ou de quem goste, ele sempre será seu filho e isso nunca mudaria.

 

- Omma! - O garoto a repreendeu e se queimou com a comida quente, fazendo-a gargalhar ainda mais - Eu nem o conheço direito.

 

- É uma boa oportunidade, não é? - Zombou e se sentou na frente do filho para comer. Viu que o mesmo havia corado um pouco - É não é, não minta para mim Kim Junmyeon - Ela sorriu, acompanhando-o na refeição.

 

- Eu achei ele bonito, só isso. - Mentiu tentando disfarçar comendo seu almoço.

 

- Você não me engana - Ela disse rindo quando o garoto corou ainda mais - Quero saber de tudo sobre esse Jongdae, em.

 

- Ta bom, omma...

 

E assim os dois almoçaram, e assim que terminaram, Junmyeon ajudou a sua omma na limpeza da louça e voltou a subir as escadas, indo para o banheiro. Chegando lá, jogou agua no rosto e escovou os dentes. Olhou no espelho por alguns segundos e se pendeu em pensamentos.

 

Será que um dia, ele terá olhos para mim? ”

 

Balançou a cabeça para afastar tais pensamentos, não queria pensar nisso agora, possivelmente estaria se iludindo, ele com tantas opções naquela escola, por que escolheria logo a si. Enfim andou banheiro afora se dirigindo novamente a seu quarto, decidiu que estudaria um pouco para ver se espantava o novo garoto de seus pensamentos.

 

Depois de passar exatamente duas horas estudando as mesmas equações que certamente já dominava sem ser preciso daquele estudo, se esforçou em criar mais e mais equações mais difíceis para apenas tirar o maior da cabeça.  Fechou o caderno e bufou, decidiu pegar seu celular e mandar uma mensagem a Lay, mas o mesmo não estava online. Seu único amigo não estava ali para si no momento, o que ele faria, estava cansado de criar mais e mais contas matemáticas em seu caderno. O relógio marcava exatamente 15H30M, o dia mal havia passado e parecia agora não passar mesmo.

 

Junmyeon virou e virou na cama agoniado com o tédio pegou o celular novamente e abriu uma conversa com o número do amigo que conhecera hoje. Ficou em um sério dilema em sua cabeça, ele chamaria ou não, ele não queria ser ignorado, ou que fosse respondido depois de “minutos”, queria atenção e queria agora. Ele criou coragem para escrever, e quando ia digitar, olhou na tela do celular “Jongdae está online” logo que leu, seu coração falhou uma batida e um sorriso nasceu em seus lábios, mas logo se desfez ao ver que ele havia saído novamente. Provavelmente ele só entrou para responder alguém importante, pensou, mas logo viu que o amigo tinha ficado online novamente, e quando o online mudou para “escrevendo” o coração de Jun falhou mais algumas batidas.

 

Ér... Oi Jun.

 

O demorou um tempo lendo e relendo a mesma mensagem, parecia um idiota, mas realmente não estava acreditando que o mesmo havia lhe mandado uma mensagem.

 

Junmyeon? Está aí? Está ocupado? Posso lhe chamar outra hora...

 

Não... não estou ocupado.

 

 

Ah, que bom. Eu estava aqui em casa, estou entediado, e fiquei pensando em você o dia todo... quer dizer, te conhecer foi muito legal, e eu realmente queria sair com você hoje, será que dá?

Ele ficou estático, paralisou totalmente encima da cama, assim que leu a mensagem foi como se o tempo tivesse parado, ele pensa em si, ele disse que foi muito bom conhecer-te. Ele leu e releu a mensagem para ver se não havia entendido errado, e se estapeou para ter a certeza de que não estava alucinando nada. Mas o melhor de tudo, ele o havia chamado para sair, hoje, tudo bem que ele não tinha nada melhor a fazer, mas aquilo o pegou de surpresa e vindo de Jongdae.

 

Jun? Está aí? Estou atrapalhando algo? Você está ocupado, não é?!

 

O quê? Não, não estou ocupado, desculpe. É que eu não esperava que me chamaria para sair.

 

A sabe... já faz um tempo isso, mas como só tive coragem para falar contigo hoje. :P

 

Entendi... mas da sim, eu só vou me arrumar. Onde nos encontraremos?

 

Que tal naquela sorveteria perto da escola?

 

Perfeito. Te vejo lá. Até Jongdae. :D

 

Tudo bem, me chame de Dae. Até Jun. Te vejo lá. ©

 

Junmyeon pousou o celular encima do peito e soltou um suspiro fraco, olhando fixamente para o teto, imaginando o que ele mais queria fazer desde que colocou os olhos em Jongdae no primeiro dia de aula do outro em sua classe, beijar os lábios finos e convidativos do mais novo amigo.

 

Levantou da cama em um pulo, não tinha muito tempo para se arrumar, o relógio já estava quase marcando 16H e ele nem havia escolhido que roupa usaria. Correu até o guarda roupa e escolheu sua melhor roupa para sair, uma camiseta branca, uma calça jeans preta, uma camisa xadrez azul escura, e um all star branco de couro. Correu até o banheiro e tomou um belo banho, saindo às pressas do banheiro molhando quase a casa toda, entrou em seu quarto e se vestiu, amarrando a camisa xadrez em sua cintura logo após de vestir todas as roupas, andou até o grande espelho que ficava na porta do meio de seu guarda roupa e se olhou por uns dez minutos, vendo se sua roupa estava combinando, e se estava bonito o suficiente para encontrar o amigo. Depois de se sentir confiante sobre suas vestes, foi até sua cômoda e borrifou em si, seu melhor perfume. Olhou para cima pensativo, lembrando de tudo que fez, checando de não tinha esquecido nada.

 

Enfim desceu as escadas e parou a frente de sua omma que estava vendo TV na sala.

 

- Omma, eu estou bonito? - Perguntou simples, afastando os braços do corpo e dando uma rodadinha para mostrar como tinha ficado.

 

- Vai sair? - Indagou ela o olhando com atenção - Está bonito sim, está lindo aliás, vai sair com aquele seu amigo lá? O Jongdae?!

 

- Vou - corou levemente - Obrigado omma - andou até a mulher, e a selou a bochecha, logo em seguida saiu pela porta.

 

Caminhava em passos largos até a sorveteria, estava nervoso e não fazia ideia do que esperar desse “encontro” ao qual estava indo. Já se marcavam 16H24M o dia estava um pouco nublado e ele implorou para que o amigo já não tivesse cansado de lhe esperar e ido embora. Preocupado caminhou mais rápido a caminho da sorveteria, preocupação que logo se esvaeceu quando de longe enxergou o sorriso que tanto lhe fazia suspirar apenas em lembrar.

 

Assim chegou a sorveteria e cumprimentou o amigo com um aperto de mão, mas o mesmo o puxou para um abraço calorosamente delicioso. Os dois trocaram algumas palavras e entraram na sorveteria, fizeram seus pedidos e saíram estrada a fora com seus sorvetes na mão. Eles decidiram caminhar no parque não estava tão tarde então eles ficaram um tempo caminhando por lá.

 

Sentaram em um banco afastado de todos e comendo o sorvete começaram uma conversa normal de adolescentes, sobre estudos, profissões, jogos, garotas... Embora Jun fosse gay, ele percebeu só agora que não sabia a orientação sexual do amigo, e se ele o estranhasse por ser gay? Pior, e se ele não gostasse de si, como gosta dele. Essas perguntas rondaram a cabeça do Kim mais velho.

 

- Jun? Alô? Está me ouvindo?

 

- Hã? Oi? Estou, pode continuar.

 

- Aham, do que eu estava falando?

 

O menor suspirou em derrota, não sabendo do que o mais novo dizia só restava confessar não prestar atenção em uma palavra dita do mesmo. A única coisa que fizera em quando pensava era encarar os lábios alheios.

 

- Tá, eu não sei o que você estava falando, desculpe.

 

- Não faça isso de novo em, se fizer isso de novo, eu lhe darei um beijo - Brincou, sorrindo felino.

 

- VAI O QUÊ? - Sem querer gritou - Quer dizer... vai me beijar?

 

- Calma, eu só estava brincando - Disse um pouco desanimado com o espanto do mais velho.

 

- Tudo bem, é que... - Subiu o olhar que antes estava em seus dedos inquietos em seu colo e olhou o maior - Ei está sujo aqui - Pegou em mãos seu guardanapo e levou até o canto dos lábios do amigo, limpando lentamente o local sujo de sorvete.

 

Jongdae apenas ficou apreciando a “ carícia ” que recebia enquanto sorria olhando fixamente as feições concentradas do outro.

 

- Pronto - Sorriu satisfeito e voltou a olhar o lindo sorriso no rosto do castanho.

 

- Se... eu por acaso te beijar, você ficaria bravo? - Indagou meio receoso com a resposta do menor.

 

- Você vai me beijar mesmo? - Perguntou um nervoso.

 

- Vai ou não vai?

 

- N-não...

 

Aquilo foi a deixa que Jongdae queria, não estava querendo tomar nenhuma decisão precipitada, mas queria muito sentir aqueles lábios colados nos seus o quanto antes possível. Lentamente foi se aproximando do menor, levou sua destra até o queixo alheio e o segurou delicadamente, fechando os olhos e colando seus lábios nos do mais velho.

 

Junmyeon não estava acreditando naquilo tudo, primeiro ele o chama para sair, depois brinca que vai beija-lo, e depois realmente o beija. Aquilo tudo parecia mais um sonho, que ele certamente deixaria para descobrir depois que se separasse dos lábios alheios, no momento a única coisa que se passava em sua cabeça era os lábios do maior e a sensação de beija-los.

 

Eles se separaram do selar, e o Jun demorou a abrir os olhos, iria julgar ter acordado do maravilhoso sonho, mas assim que abriu, encontrou um Jongdae ainda perto de seu rosto, sorrindo felino para si.

 

- Isso realmente aconteceu? Eu não estou sonhando? - Indagou.

 

- Não - Rio baixo - Bobo.

 

- Posso te beijar de novo? - Dessa vez foi seu momento de ficar receoso.

 

- Deve.

 

Jun se aproximou e selou novamente os lábios, tomando a liberdade de empurrar o outro para que encostasse no banco e subir em seu colo, sentando com uma perna de cada lado do corpo alheio. Como o tempo estava meio nublado e frio, não haviam muitas pessoas no parque então eles não ligaram para interrupções.

 

O beijo seguia calmo, até o Kim mais novo pedir passagem e o mais velho de imediato conceder, assim fazendo as línguas se encontrarem e travarem uma guerra entre si, se chocando até que uma se rendesse, Junmyeon deixou que o outro adentrasse sua cavidade e explorasse tudo ali até que fosse a sua vez de explorar a boca do outro. Assim separando o beijo com um fino rastro da saliva compartilhada dos dois, ficando com a respiração ofegante pelo beijo e as testas coladas, com as bochechas dos dois levemente coradas.

 

- Jun... seu beijo... é tão... - Disse pausadamente ainda ofegante - É tão bom...

 

- O-o seu também... Dae - Respondeu o Kim mais velho ainda tímido.

 

E os dois ficaram ali se encarando e se beijando até que a lua tomasse o céu e a escuridão tomasse conta do ambiente ficando apenas a iluminação dos postes e a luz da lua clareando o local onde estavam.

 

- Está tarde - Comentou o castanho.

 

- Preciso ir para casa.

 

- Eu te levo em casa - Levantou ao ter o menor fora de seu colo.

 

- Não precisa, eu posso voltar sozinho - gesticulou com as mãos a frente do peito negativamente.

 

- Não é questão de não precisar, eu quero te levar em casa, vai recusar?

 

- Não... claro que não.

 

Foram caminhando a saída do parque e assim que chegaram no portão do mesmo Jongdae pegou em sua mão e entrelaçou seus dedos e olhou sorrindo para o rosto corado que o encarava sorrindo sem graça. O caminho até a casa do Kim mais velho foi tranquilo, o mais novo deixou-o na porta de casa, e se despediu com um beijo caloroso.

 

- Bom, até amanhã na escola então, Jun - Deu as costas após acenar para o menor.

 

- Espera... - O mais velho gritou fazendo o outro se virar - Não está tão tarde assim você não quer entrar?

 

- Eu não quero incomodar - Voltou a passos leves até o mais velho.

 

- Não vai incomodar, entra vai, fica só um pouquinho - Formou o menor um bico nos lábios, fazendo o outro sorrir largo e arrancar um selinho inesperado de si.

 

- Se você insiste.

 

Junmyeon corou e abriu a porta, sua omma ainda estava na sala vendo TV, estava assistindo um dorama qualquer, mas assim que ouviu o barulho da porta se abrindo se virou e encarou os dois meninos que passaram por ela.

 

- Oi omma, esse é o Jongdae - apontou formalmente para o garoto ao seu lado.

 

- Boa noite, senhora Kim - se curvou em um cumprimento.

 

- Olá meninos - ela se levantou e foi até eles - Então esse é o Jongdae... - Ela o analisou e o mesmo ficou nervoso por ser encarado tão fixamente - E não é que ele é bonito mesmo.

 

- OMMA! - Jun a repreendeu corando violentamente, arrancando um riso baixo do garoto ao seu lado - Não liga pra ela, ela é loca.

 

- Eu sou o que moleque? - Indagou ela com uma falsa raiva.

 

- Nada omma, te amo! - Disse e correu com puxando o maior consigo escada acima, adentrando seu quarto e batendo a porta.

 

- Juízo em! Qualquer coisa eu estou na cozinha - Ela gritou rindo e indo para o cômodo mencionado.

 

 Eles entraram no quarto e o Jun ainda estava incrivelmente corado, ele deitou de bruços em sua cama com o rosto escondido no travesseiro, fazendo o amigo rir e se sentar ao seu lado.

 

- Então quer dizer que, eu sou bonito? - Indagou provocando com um sorriso torno nos lábios.

 

- Para! - Exclamou retirando o rosto do travesseiro vermelho igual a um tomate.

 

- Está tão fofo corado.

 

- Eu disse pra parar - Inflou as bochechas.

 

- Tudo bem, tudo bem. Eu paro, mas vai ter que me calar com um beijo.

 

- Agora.

 

E assim mais beijos foram trocados naquela noite. A hora passou e eles conversaram, jogaram, se beijaram e terminaram deitados os dois um do lado do outro na cama fitando o teto.

 

- Agora eu acho que já está na hora de eu ir - Comentou o castanho.

 

- Aish, eu não quero que vá - Disse o Jun emburrado.

 

- Mas eu tenho que ir, eu nem avisei minha avó que iria ficar tanto tempo fora.

 

- Você não pode ligar para ela e dizer que vai ficar mais um tempinho? - Virou-se de lado para encarar o outro com um bico - Ou melhor, por que você não dorme aqui?

 

- Não sei não, e se sua omma brigar?

 

- Ela não vai brigar, ela é legal.

 

O maior riu e se sentou na cama acompanhado do mais velho. Pegou o celular e ligou para a avó, e enquanto o telefone chamava ele encarou o menor. Assim que a idosa, avó de Jongdae atendeu o telefone, eles conversaram e acertaram tudo, o castanho disse que já iria da casa do amigo para a escola e ela encontraria o neto com seu material na porta do colégio.

 

Chen desligou o telefone. Os dois se entreolharam e involuntariamente sorriram, se aproximaram e assim fariam o que tanto queriam, colariam os lábios, se não fosse pelo estomago de ambos roncarem assim que eles fecharam os olhos. Se afastaram da mesma forma em que se aproximaram e sorriram sem graça um ao outro.

 

- Está com fome? - Indagou o menor.

 

- Estou - sorriu amarelo, coçando a nuca.

 

- Vamos descer, minha mãe deve estar preparando o jantar.

 

O mais novo assentiu e os dois caminharam até a porta do quarto. Em um ato involuntário Jongdae abraçou Junmyeon por trás e deixou um selar em sua nuca, fazendo o mesmo corar violentamente e se afastar por instinto, arrancando um riso bobo do maior.

 

Chegaram ao primeiro andar e foram ligeiramente até a cozinha. Chegando à porta do cômodo já sentindo o cheiro da deliciosa refeição em que a mãe do Jun preparava.

 

- Omma, o Dae vai dormir aqui hoje, ok?!

 

- Oh, tudo bem, sentem-se já irei servir o jantar - Respondeu ela.

 

Sentaram-se e logo a mais velha os acompanhou, sentando-se e se servindo da deliciosa refeição que preparara. Passaram o jantar inteiro conversando, exceto por Junmyeon que apenas advertia a mãe por falar algo de sua infância ou por perguntar algo em que o deixava com vergonha. Chegou até a dizer que mostraria o álbum de fotos de quando o mesmo era pequeno, álbum qual o Jun disse que iria tacar fogo caso a mais velha mostrasse. Riram, trocaram mais algumas palavras até que chegou a hora de irem para a cama.

 

Já no quarto, os meninos puxaram o colchão que ficava embaixo da cama do mais velho e forraram com lençol e pegaram um travesseiro do armário.

 

- Pronto - Sorriu o Jun.

 

 - Ér... Jun, se importa de - fez uma pausa - Eu dormir de boxer?

 

- N-não - gaguejou e virou-se quando viu o maior retirar a vestimenta de baixo.

 

O mais novo apenas riu e se deitou no colchão. Junmyeon estava se achando um bobo por sentir tanta vergonha assim de seu amigo, eles já haviam se beijado, e o que Jongdae tem, o Jun também tem, não tem porque sentir vergonha. A sra. Kim aparecera na porta do quarto desejando boa noite aos meninos e apagando as luzes ao receber um “boa noite” como resposta.

 

- Boa noite, Jun.

 

- Boa noite, Dae.

 

E assim os dois pegaram no sono. Bom, não necessariamente os dois, Junmyeon estava bem acordado, não conseguira dormir, estava com a cabeça cheia de pensamentos, e o que não fugia deles eram, os beijos, os lábios, o calor, os olhos, seu sorriso, seu cheiro, seu ser. Jongdae.

 

“Jongdae”

 

Acabou que sem perceber chamou o nome do amigo baixinho, e escutou o corpo do mesmo se remexer no colchão abaixo, seus músculos se tencionaram logo que sentiu um peso a mais na cama e longos braços o abraçando.

 

- Me chamou? - O castanho disse sorrindo.

 

- O-o quê? - Gaguejou.

 

- Eu não acho que estou alucinando, juro que ouvi o meu nome saindo da sua boca.

 

- É... você não está alucinando - confessou e se virou ao mais novo.

 

- Por que me chamou?

 

- Eu não consigo dormir, só queria saber se estava acordado - Mentiu, não conseguia tirar o maior da cabeça, estava tendo até alguns pensamentos pervertidos que nunca ousou ter com ninguém.

 

- Não consegue dormir? - Indagou sorrindo, estavam iluminados apenas por um fio de luz da lua que a cortina deixava escapar.

 

- Não, era só isso mesmo.

 

- Talvez você não consiga dormir por isso - Jongdae sentiu um leve volume em sua perna assim que o Jun se virou para ele, e sorriu vitorioso ao tocar e ver que suspeita estava correta.

 

O menor se afastou num impulso, quase caindo da cama, mas foi amparado pelas grandes mãos do outro, que logo as puxaram para si.

 

- Vamos lá, o que estava pensando para ficar assim? Tem que ser algo bem excitante, você me parece bem alegrinho - Sorriu travesso, dando leves apertos no membro alheio.

 

- Aigoo... tire a mão daí - O mais velho gemeu e fechou os olhos.

 

- Não, até você me dizer no que estava pensando pra ficar assim - Teimou.

 

- Eu não estava pensando em nada... - Disse em um suplico para que o maior soltasse seu membro coberto pelo seu fino short do pijama.

 

Jongdae puxou o elástico do curto short, adentrando com sua mão a vestimenta e passando a massagear a ereção do menor por cima da boxer.

 

- Não vai me dizer? - Sorriu travesso novamente.

 

- Yaa, eu estava pensando em você - Disse rápido, corando fortemente ao pousar o olhar no outro e ver que o mesmo estava o encarando com um misto de surpresa e malicia.

 

- Então, quer dizer que você ficou assim por minha causa? - Disse se fazendo de desentendido - Então me deixe te ajudar com isso.

 

Jongdae retirou o cobertor que os cobria, jogando em sua cama, deitou o menor virado para cima e subiu em seu colo. Atacou os seus lábios os beijando com ferocidade, enquanto rebolava seu quadril encima da ereção do mais velho. Sentia seu membro já criando vida, enquanto sentia aquele volume roçar em suas nádegas.

 

Se separaram por parte do maior, que começou a beijar e chupar o pescoço do Jun que apenas podia responder libertando os gemidos que ele fazia de tudo para saírem abafados. Jongdae trilhou beijos e mordidas do começo do pescoço branquinho de Junmyeon até seu largo ombro, fazendo o mesmo caminho de volta.

 

Chen parou por um momento e encarou o mais velho, estava frágil e indefeso, estava praticamente implorando em pedidos mudos por mais de seus toques, fazendo-o sorrir triunfante e voltar a beija-lo. Segurou na barra da regata que o pequeno usava e a ergueu, deixando cada vez mais o abdômen e o peitoral do mesmo mais visível. Acariciou aquela região com suas mãos encontrando com os mamilos do mais velho, os apertando levemente e os massageando.

 

Cessou os beijos apenas para tirar aquela camiseta que já o incomodara tanto que não se via a hora de retira-la. Desceu os beijos pelo pescoço até os mamilos que antes apenas massageava com os dedos. Chupou e sugou com vontade arrancando mais gemidos sôfregos e arrastados do menor que tentava como podia abafa-los o quanto conseguia. Desceu mais agora passando a língua pelo abdômen chegando ao cos do short que o mais velho usava.

 

Jongdae não deixou de sorrir ao ver que a ereção estava mais viva que nunca, e não demorou em aproximar sua boca e roçar seus dentes levemente apenas para poder ouvir os gemidos abafados e manhosos que o mais velho estava liberando. Não demorou em fazer o mesmo com o short o que fez com a regata do menor, deixando-o apenas com a boxer. Passou sua mão pelo membro alheio apenas o massageando enquanto encarava com atenção o olhar tímido que recebia do outro. Puxou com voracidade a boxer alheia vendo o falo do mais velho saltar assim que foi liberto. Sorriu e baixou a cabeça até o membro do outro, o tocando com a língua, e passando-a por toda sua extensão lentamente. Junmyeon não conseguiu segurar um gemido alto que provavelmente até o vizinho escutara, se amaldiçoou por isso e tapou a boca com as duas mãos assim que sentiu outro gemido vir quando Jongdae abocanhou seu falo por inteiro, serpenteando a língua cada vez que subia e descia sugando a glande e passando seu musculo quente por sua fenda, sentindo o pré-gozo.

 

Logo largou as mãos do membro alheio, ficando apenas com a boca fazendo movimentos de vai e vem. Levando-as até sua boxer, a retirando e começando uma masturbação lenta em seu falo rígido. Junmyeon só conseguia gemer, levou sua destra até os fios do mais novo e numa caricia o ajudava com os movimentos, mesmo que timidamente ele sorria enquanto olhava seu amigo o chupando com maestria.

 

Jongdae sentiu sua boca ser preenchida com o liquido quente e pegajoso do mais velho e retirou a boca do falo alheio engolindo todo o conteúdo sorrindo. Se ergueu e se colocou no meio das pernas do outro, mas hesitou ao olhar o rosto novamente frágil e inocente que o encarava.

 

- A gente pode parar por aqui se quiser... - Disse com um certo desapontamento.

 

- N-não... eu quero. C-continue - Respondeu ofegante e timidamente.

 

O mais novo sorriu e novamente se encaixou no meio das pernas do Jun que agora gemia com a proximidade do membro alheio em sua entrada. Tateou a gaveta ao lado de sua cama, e pegou uma camisinha que sua mãe o havia dado, não sabia para que usaria, afinal não imaginaria que transaria com alguém, mas agora ela seria usada. Entregou-a ao maior que sorriu a pegando e a abrindo, cobrindo seu falo com a proteção e posicionando ele na entrada alheia, contornando-a enquanto ouvia os gemidos sôfregos do menor, quase implorando para ser penetrado.

 

- Você quer que eu te foda, Jun? - Fez uma voz manhosa, mas ao mesmo tempo sexy, sorrindo vitorioso ao ver o amigo corar e desviar o olhar - Vamos, responda.

 

- Q-quero - Respondeu baixo, com a voz embargada de prazer.

 

- Eu não consegui ouvir, peça Jun - Novamente sacou as palavras com o mesmo tom de voz.

 

- M-me foda, Dae. Me faça seu - Disse rápido e quase gritando.

 

Sorrio o mais novo, e logo pressionou seu falo a entrada alheia, sentindo de começo seu membro ser expulso. O aperto que estava sentindo era incrivelmente prazeroso, não sabia descrever em palavras o delicioso prazer que estava sentindo. O que só aumentou ao chegar ao fundo do menor, e sentir a rebolada do mesmo como sinal de que já poderia se mover. Começou com estocadas lentas e fundas, as vezes chegara a sair do menor e a voltar invadindo seu interior com força chegando ao seu final de uma só vez. Os dois gemiam em sincronia, mas particularmente Junmyeon parecia ter esquecido que sua mãe dormia no quarto ao lado, e deixou que os gemidos saíssem livremente, dando gritos de prazer sempre que o mais novo estocava seu ponto sensível.

 

Jongdae se retirou do menor e o virou segurando em suas nádegas, Jun se empinou o máximo que conseguia e logo sentiu ser preenchido com o membro alheio novamente. O maior dessa vez o estocou com mais voracidade e rapidez, saindo e entrando com ferocidade, e vez ou outra, desferindo tapas nas nádegas do outro, deixando a pele branquinha em um tom avermelhado com as marcas de seus grandes dedos. O Jun logo procurou pelo seu membro esquecido e começou uma masturbação precisa, mas sentiu sua mão ser afastada e substituída pela destra do maior, que masturbava seu membro com a mesma velocidade e intensidade em que desferia as estocadas. Jongdae sentia seu ápice chegando, então aumentou o tanto que podia a velocidade e a masturbação no membro alheio, fazendo Junmyeon desmanchar-se por uma segunda vez no lençol da cama, e logo saiu do menor e retirou a proteção, voltou a invadi-lo e gozou no interior do mais velho. Os dois gemeram alto pelo orgasmo, Jongdae se retirou da entrada alheia e se deitou na cama. Junmyeon sentia suas pernas bambas e o liquido quente escorrendo por elas, deitou no peito do maior fechando os olhos por um momento.

 

- Isso foi maravilhoso - Comentou Chen.

 

- Foi... - Respondeu receoso.

 

- Você gostou mesmo? Não me parece muito contente, eu te machuquei? - Indagou preocupado.

 

- Não, não é nada disso - Se explicou um pouco nervoso - É que, essa é a minha primeira vez...

 

- E o que você achou? Fui bom o suficiente pra você? - Perguntou sorrindo.

 

- Você foi ótimo - Sorrio, mas logo esse se transformou em uma expressão preocupada.

 

- O que foi? Por que está tão preocupado? - Arqueou uma das sobrancelhas.

 

- Minha mãe está dormindo no quarto ao lado, e com certeza ela deve ter nos escutado - Ele disse e viu agora o sorriso de Jongdae o acompanhar na preocupação - Eu não sei com que cara, eu vou olhar ela amanhã.

 

- Nossa, imagina eu então. Eu só estava comendo o seu filho, nada de mais, usamos camisinha, relaxa - Brincou tentando diminuir a tensão e fazer o mais velho relaxar o que deu certo pois logo os dois estavam rindo.

 

- Bobo - Sorriu e selou os lábios alheios.

 

Jongdae puxou o menor e o apertou em um abraço fazendo-o deitar em seu peito, adormecendo os dois nessa posição.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Então é isso, se quiserem o epilogue, não deixem de comentar, me importunar, me xingar, e o que for para que eu escreva. é isso ~Chu. :>


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...