História Redtale - Undertale - Capítulo 9


Escrita por: ~ e ~cecifrazier

Postado
Categorias Undertale
Personagens Asgore Dreemurr, Asriel Dreemurr, Chara, Frisk, Papyrus, Sans
Tags Charisk, Redfell, Redtale, Undertale
Exibições 181
Palavras 1.221
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Fantasia, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Usagi17- Heeey

Mais um capítulo

Espero que gostem, boa leitura.

CeciTesudona- Aeow!

Espero que gostem ~pensamentos impuros

Boa leitura!

Capítulo 9 - Capítulo 8- Pureza.


Fanfic / Fanfiction Redtale - Undertale - Capítulo 9 - Capítulo 8- Pureza.

  

Chara mordeu o lábio inferior e sorriu, então passou as delicadas mãos pelos ombros de Frisk e os apertou levemente.

— Eu não me importaria. — Novamente, repreendeu-se mentalmente, mas não queria deixar claro para o lobo que estava com vergonha.

   O rapaz sorriu, levantou-se com dificuldade do sofá e a fez deitar, ficando por cima dela.

— Frisk...os seus machucados... — Ela sussurrou enquanto passava as mãos pelos músculos do mais alto.

— Não se preocupe... — Murmurou, depositando um beijo no pescoço da mesma. — Eu estou bem.

   Após passarem poucos segundos trocando um olhar apaixonado, Frisk partiu para um beijo intenso. Ele a desejava, a queria mais do que qualquer coisa e acima de tudo, a amava mais do que a si mesmo. Não imaginava passar um segundo sequer sem aquela menina chata que lhe atormentava todos os dias, já não imaginava sua vida sem ela e faria de tudo para tê-la ao seu lado.

   Ele estava completamente viciado nela.

   O beijo apenas tornava-se cada vez mais intenso, Frisk explorava cada cantinho da boca de Chara com sua língua, sentindo aquele gosto e sensação indescritível. Mesmo sentindo o ar faltar, prosseguiu com o beijo, até que ela separou o rosto, completamente sem fôlego.

— Eu...eu te amo. — Murmurou, ofegante.

— Eu também te amo, princesa. — Sussurrou enquanto sorria.

   Novamente, partiram para um beijo intenso, mas dessa vez, era Chara que passou a explorar cada canto da boca de Frisk, criando um tipo de dança entre ambas as línguas. O rapaz começou a acariciar o corpo da moça, começando por sua cintura até seus seios. Ela estremeceu ao sentir aquelas mãos firmes tocarem-lhe, mesmo que fosse por cima da roupa. Mesmo com aquele toque ousado, permitiu que Frisk continuasse, entrelaçou seus braços no pescoço dele e começou a puxar suas madeixas levemente.

  Chara também o desejava, por mais que às vezes fosse um pouco tímida, ainda adorava quando aquele garoto irritante lhe provocava, por isso, sempre fazia imitações daquele jeito ousado e adorava mais ainda ver as expressões engraçadas de vergonha que Frisk tinha.

   Sentiu as mãos do rapaz apertarem seus seios com mais intensidade e soltou um gemido entre o beijo. Ele apenas sorriu de forma maliciosa e inclinou-se um pouco para beijar o pescoço da menina. A cada beijo que Frisk lhe dava, sentia seu corpo arrepiar de diversas formas, até que ele lhe deu um chupão e Chara soltou um gemido baixo.

— Você me provocou demais, garota. — Murmurou enquanto distribuía mais chupões pelo pescoço dela. — Já chega...

— Frisk.... — Gemeu seu nome quando sentiu as mãos de Frisk subirem por baixo de seu vestido.

   O rapaz apenas subiu mais suas mãos e apertou a cintura de Chara. Para esconder a vergonha, a menina o puxou para mais um beijo apaixonante. Seus corpos se apertavam, como se quisessem se fundir, suas bochechas arderam quando sentiu um volume crescer nas calças de Frisk, sabia muito bem o que fariam e não se arrependeria nenhum pouco daquilo.

   Não ligava se era casada ou não, ela apenas o queria.

   Chara começou a passar suas mãos pelo abdômen de Frisk, enquanto ele levantava lentamente o vestido da mesma.

— Eu posso...? — Perguntou ele, dando um selinho na menina.

— P-pode. — Não pôde esconder a timidez naquela hora, então apenas mordeu o lábio e concordou.

   Frisk então tirou o vestido de Chara, expondo um delicado e esbelto corpo. Coxas grandes, quadril ligeiramente largo, cintura fina e seus seios eram médios. Por um momento, ela envergonhou-se por não ter ‘tanto corpo’.

— Char... Você é linda. — Ele disse, apertando as coxas da menina.

   Chara sorriu e mordeu o lábio, então, Frisk tirou sua calça e a jogou no chão. Ela observou cada cantinho do corpo do rapaz, até arregalar os olhos quando viu o volume que estava lhe apertando, voltou a encarar os olhos dourados e o viu sorrir maliciosamente.

   Frisk não disse nada, apenas voltou a beija-la, enquanto passava as mãos por seu corpo. Ao chegar com a canhota na intimidade da menina, mordeu o lóbulo de sua orelha.

— Posso mesmo? — Ele sussurrou.

— Se continuar me provocando assim, eu mesma faço algo. — Disse mordendo os lábios.

   O mais alto passou sua mão por dentro da calcinha de Chara, estimulando-a. A moça soltou um gemido alto, nunca sentira algo assim antes e não queria de jeito nenhum que aquilo parasse. Frisk lambeu o pescoço da moça e mais uma vez distribuiu chupões por ele, o que arrancava cada vez mais a sanidade e juízo de Chara.

   Lentamente, ele retirou sua mão de lá e tirou a calcinha da menina, deixando-a totalmente nua. Ela sentiu suas bochechas arderem e seu coração acelerar, confiava demasiadamente naquele garoto, entretanto, ainda sim tinha medo, nervosismo e vergonha.

   Perguntava-se se aquilo doeria muito.

   Quando Frisk retirou sua cueca, o desespero aumentou e mordeu o lábio inferior.

— Frisk...v-vá com calma... — Pediu, passando suas mãos pelo rosto do rapaz.

— Calma...me avise se doer, tá?

   Chara assentiu, então ele a segurou pelo quadril e posicionou seu membro na entrada da menina. Começou a empurra-lo lentamente, tomando muito cuidado para não machucar sua menina. Frisk não pôde deixar de gemer ao sentir seu membro ser pressionado pelo interior quente e apertado da moça. Chara também soltou um gemido, mas este foi de dor, já que era uma moça virgem e o membro do rapaz não era nada pequeno.

   Frisk a beijou e ficou alguns instantes parado, até que começou a mover-se suavemente, estocando carinhosamente dentro dela. Chara apertou os ombros do mais alto com certa força, a sensação ainda era um pouco desconfortável.

O rapaz apertou fortemente as coxas da menina, não sabia bem como descrever aquela sensação, ser seu primeiro...o primeiro homem a toca-la daquela forma, saber que ela o amava e que confiava tanto a ponto de fazer algo assim. Era uma sensação que Frisk realmente não sabia como explicar.

  Após um tempo estocando devagar para que Chara se acostumasse, ele passou a aumentar a velocidade e força, fazendo a moça soltar gemidos altos.

   Algumas vezes, ela perguntava-se o que seu pai diria se soubesse que teve relações antes do casamento, com um homem que, com certeza, não seria considerado ‘digno’, já que a filha do prefeito merecia mais além de um rapaz desconhecido e ‘estranho’.

   Frisk já estocava sem piedade, já não conseguia controlar o instinto selvagem dentro de si. Ouvia Chara ofegar e praticamente gritar seu nome, e como ela não reclamou em momento algum, sugeriu que estava gostando tanto quanto ele.

   Chara sentiu um calor subir em seu corpo, um calor diferente, desconhecido até então. Ela arranhou as costas de Frisk, sem se importar com os machucados, sua mente estava em branco e não tinha um pingo de sanidade sequer. O rapaz a beijou com intensidade e continuou estocando com força, até que o orgasmo a fez separar o rosto e soltar um gemido alto. Não demorou muito, até que Frisk também fez o mesmo, preenchendo o interior de Chara com todo seu ‘amor’.

   Ambos estavam suados, e mesmo que a noite estivesse fria, o calor de antes permanecia.

— Eu te amo, princesa... — Fris sussurrou, dando um beijo suave na testa de Chara.

— Eu...também... — Ela murmurou um pouco ofegante.

   O rapaz sorriu, então a carregou até o quarto e deitou-a na cama, pegou uma manta e cobriram-se. Abraçou sua garota e fechou os olhos, caindo no sono em poucos instantes.

 


Notas Finais


Gostaram? Nos digam!
Não esqueçam o comentário e o favorito, isso enche os autores de determinação!

♥ ♡

~Beijinhos com Flores de Maracujá da Usagi- chan ~

E um tchau cheio de coisas trevosas da Cecifrazier


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...