História Reencontro - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias League Of Legends
Personagens Azir, Cassiopeia, Garen, Lux, Nasus, Quinn, Riven, Sivir, Yasuo
Tags Aventura, Azir, Drama, League Of Legends, Luta, Nasus, Riven, Romance, Shurima, Sivir, Taliyah, Yasuo
Exibições 142
Palavras 1.874
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Fluffy, Hentai, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Peço desculpas pela enorme demora da minha parte em postar o capítulo. Tenho muuita dificuldade em escrever cenas de luta e levou tempo pra que ficasse num resultado que eu gostasse.

Estamos quase nos 50 favoritos! Obrigada pelos comentários e por acompanharem a fanfic Reencontro. Eu nunca iria imaginar que chegaria num nível desses por ser de um casal não muito conhecido pela comunidade brasileira de League of Legends. Espero que continue crescendo mais e mais!

Capítulo 13 - A Farsante


Fanfic / Fanfiction Reencontro - Capítulo 13 - A Farsante


— Você não pode ir, Yasuo... N-Não pode... - sussurrou, fechando os olhos com força. 

A mão que tocava a bochecha morena da garota perdeu suas forças e Taliyah ficou estática com aquilo. Deixando lágrimas pesadas escorrerem pelo seu rosto. Apertou o corpo sem vida de Yasuo contra si, chorando alto. 

— Você não pode ir... - mais e mais lágrimas escorriam e caíam na bochecha de Yasuo. - Eu ainda não consegui dizer... que te amo. 

Ela fechou seus olhos e segurou a mão de Yasuo com força. Aquilo não podia estar acontecendo. Era apenas um pesadelo, tinha que ser. Porém a dor em seu peito era real demais. Era doloroso demais. As lágrimas não paravam de vir e ela não conseguia controlar o desespero que estava tomando conta da sua mente. 

Riven não sabia como reagir ao que havia acabado de acontecer. Sentiu-se mal quando viu o  estado da garota por Yasuo estar morto e estranhou aquilo. Cassiopéia deu um sorriso satisfeito e a espadachim ficou incrédula. 

— Era isso que vocês queriam?! - perguntou, confusa. 

— Você é realmente tola, Riven. - falou a mulher metade cobra.

A espadachim lembrou-se do que Cassiopéia disse ao entregar o frasco que foi usado para matar Yasuo. Agora tudo fazia sentido. 

— Use isso nele quando quiser que a garota desperte os seus poderes em sua próxima invasão em Demacia e terá um grande estrago.

— Não me diga que... era isso que vocês pretendiam fazer desde o começo? -  perguntou, relutantemente. 

— Era óbvio que ele iria fazer isso. Não fique preocupada quanto à recompensa pelo criminoso, ele não morreu.  

—  C-Como...? O jeito que ele está agora... - olhou para o corpo sem vida de Yasuo, sentindo uma dor angustiante.

—  O veneno vai continuar agindo por alguns minutos. O suficiente pra parar o seu coração por alguns momentinhos. 

— Mas ela acredita que ele está morto! 

— Cada pessoa tem uma reação diferente ao ver alguém importante morrer na sua frente. Com os poderes que ela tem, já fica fácil de saber o que virá logo a seguir... - respondeu.

— Ela vai se recusar a fazer qualquer coisa! - observou a garota que chorava sem parar. 

— Você esqueceu que Le Blanc é ótima controlando a mente das pessoas? Espere e veja. 

Le Blanc andou em passos lentos até Taliyah. Estava trêmula e não conseguia parar de chorar. Arregalou seus olhos ao ver a mulher se aproximando e segurou Yasuo com mais força ainda. Instintivamente, fez com que diversas rochas fossem atiradas na direção dela.  Uma sensação de dor, desespero e angústia tomava conta da morena. Taliyah sentiu algo mudar dentro de si naquele momento. Aos poucos, ela passou a sentir as vibrações da terra de maneira mais aguçada que nunca e isso doía em sua cabeça. Sabia muito bem que suas emoções estavam ficando cada vez mais descontroladas e que isso era transmitido através de seus poderes. Perdeu a noção ao ver o sorriso estampado na cara de Le Blanc.

— Você tirou ele de mim... - sussurrou em meio as lágrimas, franzindo o cenho. - Você vai pagar! - ela soltou o corpo de Yasuo, deixando o ódio que se formava em seu coração tomar conta. 

Sentiu a terra tremer sob seus pés, podia sentir as vibrações vindas do solo com total precisão. Seus poderes estavam mais fortes do que nunca. Havia deixado suas emoções tomarem conta. Daquela vez, não ficaria sussurrando para si mesma ter controle. Levou a mão até o chão e nisso fez um enorme bloco de terra que fosse suficiente para dar impulso até a maga. Levantou suas mãos em meio ao ar e diversas pedras rodeavam o seu corpo, sendo atiradas rapidamente na direção de Le Blanc. A farsante parecia se divertir com a cena e desviava com total facilidade. Num momento a maga ousou aparecer repentinamente na frente de Taliyah numa tentativa de pregar uma peça em sua mente com seu cajado, que falhou ao ir de encontro com uma enorme rocha e fazendo com que fosse empurrada pra muito longe. Deu um grito quando sentiu outro bloco de pedra vindo até suas costas. Uma dor angustiante se encontrava em sua costela. Provavelmente havia quebrado alguns ossos. 

Os soldados sentiam os tremores da terra aumentando cada vez mais, ficando assustados. Levantaram suas lanças e ameaçaram partir pra cima de Taliyah. Essa que notou rapidamente e moveu seus braços para que formassem uma enorme muralha de pedra na frente deles, separando-os de Cassiopéia e Riven que agora assistiam aquela batalha de perto. Não atrapalhariam. 

— Ela está se descontrolando... - comentou Riven. Sua mente estava confusa, não conseguia sentir aquele ódio enorme por Taliyah. Sentia algo parecido com pena e empatia. Observava Le Blanc e percebia que algo muito errado estava acontecendo. 

Cassiopéia olhou para a feição confusa de Riven e logo concluiu que Le Blanc estava gastando energia suficiente ao ponto de deixar de controlar a mente da espadachim. Sabia muito bem o que estaria por vir a qualquer momento e precisava estar preparada. Riven era uma mulher forte e sabia que perderia caso fosse obrigada a entrar num combate contra ela. A serpente preparou a sua voz e gritou em tom autoritário para seus soldados as seguintes palavras. ''Precisamos dos Du Couteau, vá até o acampamento deles. Agora!''. Podia ouvir o assentimento de um dos guardas e o som do galope de um cavalo que se distanciava cada vez mais. 



No caminho até o local descrito por Cassiopéia, Nasus, Renekton e Sivir conseguiram encontrar espiões Noxianos que se renderam no mesmo instante em que viram os enormes ascendentes na sua frente. Pegaram a informação de que pretendiam realizar um ataque usando os poderes de Taliyah e precisaram partir rapidamente até Demacia para avisar do que estaria por vir. Ficaram incrédulos no começo mas logo se viram obrigados a acreditar. Nasus e Renekton eram guerreiros honrados e que jamais viriam de tão longe para contar boatos. O enorme reino de Demacia era protegido por uma enorme muralha com ótima visão para o cenário que ocorria próximo dali, essa agora que estava reforçada de arqueiros prontos para atacar a qualquer momento. A líder daqueles soldados era uma mulher de cabelos azuis e olhos dourados. Uma ave majestosa da mesma cor de seus trajes pousava em sua mão. Nasus conseguiu ouvir o nome do animal que fora pronunciado pela sua dona, ''Valor''. Os soldados de Demacia eram interessantes demais para o ascendente. O trio sentiu o chão sob seus pés tremer cada vez mais e olharam entre si, preocupados com o que poderia estar acontecendo. 

Um guerreiro usando uma enorme e chamativa armadura de cabelos castanhos apareceu em meio à muralha. Renekton estava prestes à fazer um comentário ridículo sobre os trajes do soldado mas logo foi cortado por Nasus. 

— Nossa aliada está batalhando sozinha. Precisamos ir até ela. - falou Nasus cordialmente. 

— Eu vejo. Noxus não consegue pensar em nada além de guerra. Chegaram ao ponto de usar uma criança como fonte de poder pra expandir seus territórios. - falou o guerreiro em tom autoritário. - Demacia tem uma dívida com Shurima. Estaremos à postos caso precisem.

— Nós agradecemos. - Nasus deu um olhar de empatia para com o espadachim e seguiu até a entrada do reino. 

Mais um tremor veio, dessa vez mais forte. Parecia como um terremoto. 

— Outro... - Nasus comentou. 

— Vamos chegar rápido, fiquem tranquilos. - Falou Sivir, batendo a ponta de seu pé no chão como se estivesse se preparando pra uma corrida. 

— Somos ascendentes, você já viu o nosso tamanho? - debochou Renekton - Correr não é o nosso forte. 

— Agora vai ser. - respondeu a mulher. 

— O que você tem em mente, Sivir? - perguntou Nasus. 

— Eu não fui uma das melhores ladras de tumbas atoa. Eu precisei aprender a correr o mais rápido possível pra não ser pega. - ela fechou seus olhos e uma aura de tom azulado junto de uma corrente de vento rodeou o seu corpo. Abriu seus olhos e fez com o que o mesmo acontecesse com os dois. 

— Você foi uma trombadinha e tanto, ein. Os mercadores devem sentir a sua falta. - comentou Renekton. 

— É claro que sentem. Eu dava muito lucro pra eles. - riu Sivir, satisfeita ao ver o clima pesado e de preocupação se tornando cada vez mais leve. - Agora, vamos! - ela tomou a liderança, correndo em alta velocidade até onde Taliyah estava. 



Taliyah viu Le Blanc se esforçando pra levantar e logo concluiu que ela já não tinha força suficiente para lutar. Menos uma. O sangue da morena esquentou mais ao olhar para Cassiopéia e Riven. Isso era culpa delas. Também pagariam por isso. A terra sob seus pés reagia a cada passo que dava e era como se ela deslizasse por cima dela numa velocidade impressionante.

—  Você já sabe o que deve fazer, Riven. - falou Cassiopéia - Noxus é o seu lar. 

— ...Eu sei. - Riven falou em voz baixa, segurando sua espada e fazendo com que as runas da lâmina se iluminassem. 

 Taliyah aproximou-se o suficiente e moveu seus braços, trazendo pedras cada vez maiores e atirando-as na direção das duas. Elas corriam de um lado pro outro, desviando dos ataques da tecelã. Riven viu uma abertura na garota e saltou pra cima dela, mirando em seu ombro. A espada teria perfurado com sucesso se a morena não tivesse visto antes, fazendo uma barreira em volta de seu corpo. 

— Ela é forte... - sussurrou Riven pra si mesma, afastando-se. 

A tecelã abriu a barreira e fez com que se despedaçasse, atirando mais rochas na direção das duas. Cassiopéia atirou veneno no local onde Taliyah estava em pé. Era ácido e podia corroer tudo que tocava. A morena deu um grito de dor e saltou pra cima, fazendo um bloco de terra por cima da poça de veneno. Bateu seu pé e moveu os braços pra cima, fazendo diversas pedras saírem por baixo delas. Ela sentiu algo tocando a sua cabeça e virou-se, assustando-se com o que via. Era Le Blanc. Mal conseguia se manter de pé. As ametistas do cajado agora brilharam ao serem encostadas em sua testa.

— Você aguentou o suficiente, criança. Seu poder agora pertence à Noxus e não há nada que possa fazer. - a maga falou em tom autoritário, dando um sorriso satisfeito apesar da enorme dor que sentia.

Taliyah ficou estática e sua cabeça parecia estar vazia. Não conseguia pensar em nada. Quando ouviu as palavras vindas da maga, notou o seu corpo se mover sem que quisesse. Seus pés se moveram e fizeram um enorme pilar feito de pedra. Tentava se mexer e dizer pra si mesma não fazer isso, mas era impossível. Só podia observar a destruição que estava por vir. As possíveis mortes que ocorreriam por sua causa. Levantou suas mãos até a montanha próxima ao reino de Demacia e fez outro enorme tremor acontecer. Fez com que toda pedra ou rocha levitasse e rodeasse o seu corpo até que tivesse o suficiente para atacar o reino. Podia sentir o seu corpo ficando cada vez mais fraco conforme usava sua energia para controlar a terra. Sentiu algumas lágrimas escorrendo pelos seus olhos. Seus poderes eram uma dádiva, não uma arma para a guerra. 

Não devia ter acabado assim. 

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado, de verdade! ;a;

Estive planejando essa cena desde o comecinho da fanfic. A Taliyah sempre procurou ter controle com as suas emoções para que não machucasse ninguém. Mas dessa vez não teve como, não é mesmo? Imagina dor e raiva que ela sentiu ao achar que perdeu uma das pessoas mais importantes pra ela.

Comentem o que acharam e até o próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...