História Reencontro no momento certo. - Capítulo 26


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor à Vida
Visualizações 177
Palavras 1.225
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hey, mais um capítulo! Aproveitem.

Capítulo 26 - Vamos para Búzios?


Fanfic / Fanfiction Reencontro no momento certo. - Capítulo 26 - Vamos para Búzios?


2 meses depois. - Marco pov's on:
Acordei cansado, as gravações ficaram mais intensas e cansativas, mas todo esse cansaço vale a pena quando vejo o resultado e quando eu tenho uma mulher incrível do meu lado para me fazer esquecer esse cansaço físico. Olhei para o lado e ela estava ali dormindo como um anjo, seu cabelo espalhado perfeitamente no travesseiro e ela mantia seu rosto calmo e um leve sorriso no rosto como se estivesse sonhando. 
Sempre quando dormimos juntos e acordo antes dela eu fico desse jeito, um bobo admirando ela. Estamos a quase 3 meses juntos mas parece que faz anos, nós temos uma sintonia fora do normal, uma cumplicidade linda. Ainda não assumimos publicamente porque é mais díficil lidar com isso, mas saiu uns dois flagras nossos que fizeram todos suspeitarem, nós resolvemos não nos pronunciar nas perguntas feitas pela mídia.
Eu sei que atualmente não precisa de pedidos oficiais para dizer que está namorando, as pessoas estão juntos e basta, mas eu quero pedi-la em namoro, mas eu sinto que ainda não é o momento. Quero que tudo se torne oficial de vez, mas com calma, sem pressa. Eu estou cada vez mais apaixonado e é recíproco, estamos sempre deixando as coisas fluirem como tem que ser. Eu e Paolla além de "namorados" somos melhores amigos, é comigo que ela desabafa e conta tudo ao chegar em casa e vice-versa, porque ela é a pessoa que eu mais confio para contar tudo. 
Nós construimos isso nesse tempinho juntos, uma amizade forte além de um amor que só vem crescendo. As pessoas que convivem conosco todos os dias dizem que nosso amor daqui a pouco tem como tocar, de tão nítido que é e tão forte. Todos os dias aprendo algo incrível com ela e faço o meu melhor para sempre ser o homem que ela merece, acho que estou sendo. 
Parei de observá-la mesmo sem querer e levantei para tomar banho, fazer a higiene matinal. Era sexta-feira porém feriado e não temos gravação hoje. Chegamos em casa da gravação de ontem às 02h da madrugada. Eu e Paolla iriamos perder o feriado hoje porque teria gravação de luta, mas ela teve a ideia de viramos a noite gravando tudo para que todos na sexta tivessem sua folga. A produção toda aceitou, quem não quer um feriado prolongado? Sexta, sábado e domingo sem gravar, que saudades disso acontecer e agora vai rolar. 
Terminei meu banho e vi que ela dormia pesado ainda, peguei meu celular e vi era quase 13h, ela deve tá com muita fome. Fui preparar o almoço e só acordaria ela com tudo pronto. Antes de sair do quarto ouvi o celular da Paolla tocar, esperei só um segundinho para ver se ela acordaria para atender, ela se mexeu e dormiu novamente. Ao pegar o celular vi que era sua mãe, meio nervoso atendi:
- Alô? - Atendi.
- Alô? Marco? - Daniele perguntou e eu me assustei.
- É, sou eu. - Dei uma risadinha e sai do quarto para não acordar a Paolla.
- Oi meu querido, tudo bem? - Simpática, fiquei feliz.
- Estou ótimo, e você? 
- Estou bem. - Ela deu uma risadinha.
- A Paolla está dormindo por isso atendi. - Eu me expliquei. - Chegamos das gravações ontem era 02h da madrugada, ela está exausta. 
- Ah, meu Deus muito tarde. Tudo bem, você pode pedir para ela me ligar quando acordar? 
- Claro que sim.
- Quero conhecer você, viu? - Ela disse e eu dei uma risadinha.
- Igualmente! Quero muito conhecer toda a família, Paolla fala muito de vocês. - Conversamos mais um pouco sobre mim e Paolla e ela parecia está muito bem informada sobre tudo. Nunca tive a oportunidade de conhecê-la devido ao tempo mesmo, Paolla mal conseguia ver a família e eu mal conseguia ver a minha também, ansioso pelas férias. A Daniele desligou e eu fui fazer o almoço. 
Eu fazia tudo com calma e tentava ao máximo não fazer barulho, não queria acordá-la. Apesar de ter ficado até as 02h da madrugada também gravando eu não cansei nem metade do que ela cansou. Eu estava na torcida, cena nem tão cansada assim e ela lutando, sofreu muito, mais MUITO mais. Merece descanso e cuidados de rainha, sou suspeito por pensar assim já que independente do que ela tenha feito para mim ela merece sempre ser tratada assim.  Depois do almoço pronto e era estrogonofe, fui acordá-la:
- Amor... - Ela estava com as costas expostas, beijei com delicadeza cada parte dela. Me aproximei do seu rosto e a vi sorrir, linda. Dei uma risadinha e beijei seu rosto. - Linda! 
- Linda? Tá brincando? - Ela perguntou rindo e colocando as duas mãos no rosto para cobrir. 
- Quê? Como pode duvidar? Você é absurdamente linda o tempo todo. - Eu disse e me aproximei do seu rosto fazendo carinho no seu rosto com o nariz. 
- Você é incrível demais! - Ela me encheu de beijinhos no rosto e eu sorri.
- Eu sei, eu sei... - Eu disse fingindo ar de superioridade. - Sua mãe ligou, você escutou o celular tocar, se mexeu e voltou a dormir. Atendi. - Eu disse e dei um sorrisinho.
- Hum, falou com a sogra finalmente? Queria ter visto essa cena. - Ela sorriu. - O que ela queria? 
- Ela não me disse, mas pediu para você ligar. - Ela fez uma afirmação com a cabeça.
- Minha mãe e o meu pai querem muito te conhecer, nunca os vi tão ansiosos. - Ela sentou na cama e eu sentei bem na sua frente puxando-a para perto de mim fazendo ela entrelaçar as pernas em minha cintura. 
- Ela disse isso, que queria me conhecer. - Eu sorri.
- Acho que ela quer marcar algo lá em casa para poder todos se conhecerem, sabe? Não dúvido que seja isso. - Paolla disse e saiu da cama indo para o banheiro.
- O almoço tá pronto amor. - Eu disse e levantei também, aproveitei e arrumei a cama.
- Vou tomar banho rápido! - Ela disse e eu ouvi sua voz abafada devido a porta fechada. Respondi com "Ok, vai rápido!".
Fui para sala e arrumei a mesa, peguei a comida e quando deixei tudo pronto vi a Paolla chegando na sala falando no telefone. 
- Ok mãe, marcado. - Ela olhou para mim sorrindo. - Não sei, mas vou perguntar. De qualquer forma eu vou, ok? Não se preocupe. Beijos, tchau. Amo você! - Paolla me olhou sorrindo.
- O que foi?
- Vamos para Búzios?  - Paolla disse sorrindo animada, os olhos brilharam. - Minha mãe nos chamou, temos uma casa lá. Podiamos ir hoje e voltar domingo, ou na segunda de manhã. Vai poder ou...?
- Achei ótima a ideia! - Eu disse sorrindo e ela correu até mim, entrelaçando os braços no meu pescoço e me enchendo de beijo.
- Quero muito que minha família te conheça. - Sorrimos.
- Vamos hoje? - Eu perguntei.
- Seria ótimo, a gente vai poder aproveitar mais. 
- Ótimo, comemos e você me ajuda a arrumar uma malinha e depois passamos na sua casa. Vamos no seu carro, ok? 
- Ok meu bem! - Ela me deu um selinho e sentamos para comer. 


Notas Finais


Será que vai acontecer algo em Búzios? Aquela prima tarada? Ou aquele primo que fora um amor de infância?

Não deixem de comentar, sinto falta disso. Estou me esforçando para sempre postar capítulos apesar está cheia de coisa para estudar, já que esse é meu momento "relax", quando escrevo. Espero que estejam gostando, beijos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...