História Reencontro no momento certo. - Capítulo 30


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor à Vida
Visualizações 126
Palavras 1.174
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hey, espero que gostem! Aproveitem babys.

Capítulo 30 - Não conseguia acreditar que era ELE.


Fanfic / Fanfiction Reencontro no momento certo. - Capítulo 30 - Não conseguia acreditar que era ELE.


Paolla pov's on:


Que dia bom, tava com saudade de passar o dia com minha família e mais feliz ainda de tá com eles e Marco aqui também. Todos estão amando ele, fico tão feliz por isso. Minha família gostou dos namorados que tive mas do jeito que estão tratando o Marco nunca tinham tratado nenhum outro, quer dizer... Minha mãe amava um namorado que eu tive, se chamava Guilherme, esse sim ela tratava como está fazendo agora com o Marco, cheia de amor.
Decidimos ir jantar em um restaurante aqui próximo e foi ótimo, deu tudo certo até que na hora de ir embora Marco disse que tava afim de ir ao banheiro e eu fiquei esperando ele encostada no carro. Meus pais, meus irmãos e minha tia resolveram ir comprar sorvete.
- Quer um filha? - Minha mãe perguntou.
- Não mãe, obrigada. Estou bem satisfeita. - Sorri e eles foram comprar o sorvete, eu conseguia ver a barraca de onde eu estava mas não era tão perto. O Lucas ficou, fiquei bem nervosa quanto à isso.
- Enfim sós, queria muito isso. - Lucas se encostou no carro também, ao meu lado. Gelei. Sorri sem mostrar os dentes. - Saudades do seu beijo, sabia? Muita saudade.
- Você é doente Lucas, de verdade. Nada que você diz é normal. - Cruzei os braços nervosa.
- Não se mexa, me deixe te beijar e eu te deixo em paz. Tenho certeza que depois do beijo você é quem vai me procurar.
- Ah tá, melhore. - Eu disse me ajeitando no encosto do carro querendo sair dali já que ele estava na minha frente.
- É sério, se você deixar eu te beijar eu nem fico perto mais e prometo não olhar para você de forma pervertida, o que é quase impossível já que seu corpo está fora do normal de tão lindo. - Ele segurou meu rosto com suas mãos e eu travei minha maxilar, não deixaria ele me beijar.
 TÁ MALUCO? - Ouvi Marco gritar e um alívio percorreu todo meu corpo já que o Lucas se assustou e me soltou, sai da frente dele me afastando um pouco.
- Que foi? Sabe aquele ditado "namorou perdeu o lugar"? Nesse caso é "vacilou perdeu a namorada". - Vi Lucas sério e eu fiquei muito irritada com que ele disse.
- Quem perdeu algo aqui foi você, sua sanidade! MALUCO! - Falei quase cuspindo as palavras em sua cara, Marco se aproximou me abraçando, ainda bem que ele está se controlando para não atacá-lo. 
- Calma amor. A gente resolve isso em outro lugar. - Ele me abraçou forte, me tranquilizei um pouco.
- Toca na minha irmã novamente e você é um cara ferrado. - Vi meu irmão se irritar. - Se toca, isso que você sente aí não é amor! Tá doentio já. Já passou o tempo em que a família acreditava no seu lindo amor pela Paolla, agora não faz mais sentido com certas atitudes.
Acalmei meu irmão e vi que todos que foram comprar sorvete estavam voltando, combinamos não falar nada que aconteceu até chegar em casa. Procurei minha mãe e ela estava logo atrás acompanhada de alguém e eu não consegui reconhecer de imediato.
- Filha, olha quem eu acabei de encontrar! - Eu não conseguia acreditar, sorri feliz em vê-lo. Era Guilherme! Aquele namorado que minha mãe amava. Ele estava simplesmente LINDO, mais forte. Meu coração acelerou e eu só conseguia sorrir, Guilherme estava da mesma forma, sorrindo lindamente.
Eu e Guilherme nos conhecemos quando fiz um intercâmbio para Nova York, moramos no mesmo prédio e sempre nos encontrávamos no elevador até que um dia ele tinha esquecido o guarda-chuva e estava chovendo, ofereci minha "carona" na sombrinha e ficamos amigos a partir daquele dia. Saímos várias vezes, acabamos tendo uma amizade colorida. 
Ele voltava para o Brasil no mesmo dia que eu, pura coincidência. Quando voltamos era Natal e juntamos nossas famílias, nesse dia ele me pediu em namoro, lembro que foi em sua casa no jardim. Namoramos por 2 anos e preciso dizer que foram ao todo 3 anos incríveis, eu amava muito Guilherme. Nós dois acabamos o namoro porque ele voltaria para Nova York à trabalho e sem previsão para volta, a gente podia ter continuado firme e forte, mas sentimos que a liberdade um do outro era muito importante e mesmo que a gente sofresse com o fim, seria o melhor. 
No dia que terminamos nós dois choramos, doía muito e eu achei que não conseguiria gostar de mais ninguém que não fosse ele.  Namorei duas vezes depois dele e tenho que admitir que amor mesmo, não teve em nenhum desses dois namoros, eu sentia que amar mesmo eu amava Guilherme. Mas cá estou eu, eu encontrei o AMOR, o Marco veio para minha vida agora mostrar que sim, eu posso amar outro alguém e de forma ainda mais intensa que amei Guilherme. Eu senti meu coração acelerar porque Guilherme foi importante na minha vida, mas não era amor. O Marco sim eu amo, sou apaixonada  e sinto que é com ele que eu vou ficar o resto da vida. Eu pensava em tudo isso rapidamente como um flashback, Guilherme veio me abraçar.
Senti meu corpo estremecer quando nossos corpos se encontraram, nos abraçamos forte e ele falou no meu ouvido bem baixinho:
- Que saudade... - Sorri ao ouvir aquilo. Também senti saudade dele. - Sempre linda, o tempo só deixou você ainda mais. - Dei um tapinha em seu braço envergonhada com o elogio, trocamos olhares e sem parar de sorrir um para o outro. Ouvi Marco tossir pedindo uma explicação e eu olhei para ele meio alheia a tudo que estava acontecendo e consegui colocar meu pensamento em ordem.
- Amor, esse é o Guilherme. Guilherme, esse é o Marco meu namorado. - Apresentei os dois. Eles se cumprimentaram educadamente, fiquei feliz de não ver faísca de nada entre os dois. 
- Prazer! Tá cuidando bem dela? - Guilherme perguntou ao Marco e eu sorri.
- Ela que responde isso, estou? - Marco me olhou sorrindo.
- Bem demais! - Abracei o Marco de lado e o Guilherme sorriu, Marco também.
- Ainda bem, ela merece toda felicidade do mundo. - Nos olhamos com mais intensidade.
- Me conta, voltou de vez para o Brasil? - Eu perguntei mudando de assunto. Marco me abraçou por trás, fiquei fazendo carinho em suas mãos que estavam entrelaçadas em minha cintura.
- Não, estou de férias. Vou passar uns 3 meses aqui, cheguei semana passada. - Guilherme disse assumindo uma postura mais séria, mãos no bolso.
- Você está lindo! Quase não reconheci, ele que veio falar comigo. - Minha mãe disse animada, rimos. 
- Como sempre maluca pelo Guilherme né? Nunca vi! - Eu disse rindo. 
- Melhor sogra que já tive! - Ele disse e minha mãe se gabou jogando os cabelos de um lado para o outro, rimos. Marco me apertou mais na hora que Gui disse "sogra".


Notas Finais


Gostando?
Não deixem de comentar.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...