História Reflexo (Jikook) - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Chimchim, Fanfic Jikook, Jikook, Jimin, Jugkook, Kookie, Sobrenatural, Terror, Tragedia, Yaoi
Exibições 52
Palavras 1.786
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Ficção, Lemon, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi oi pessoal
Essa é a minha 1° Jikook, eu espero que gostem ^^
Boa leitura

Capítulo 1 - Capítulo 1


Fanfic / Fanfiction Reflexo (Jikook) - Capítulo 1 - Capítulo 1

Batia meus dedos freneticamente a mesa enquanto encarava meu celular.

-Eu vou ligar! -Disse levantando da cadeira de madeira, fazendo algum barulho

Peguei o telefone em mãos e disquei seu número, número de telefone que eu já havia decorado cada dígito e, até o momento, usado para absolutamente nada.

A verdade é que já se fazia mais de um mês que estava adiando a falar com ela, Taehyung quando me deu o telefone dela dizia que se eu demorasse mais iria a perder para outro cara, mas, eu discordo. Sei que ela sente algo por mim desde a primeira vez que conversamos no seu aniversário, apenas, somos tímidos demais para tomar o próximo passo.

Encarei a tela de meu celular apreensivo, depois de tanto tempo eu finalmente estava tomando coragem para falar com ela. Eu não sei dizer o que sinto, apenas, quando estou ao lado dela, quando a vejo ou até quando escuto sua voz, eu fico estranho, isso de algum jeito me faz bem, mas, ainda não sei dizer se posso chamar isso de amor.

Apertei o botão verde, reunindo toda a minha coragem, me sentei novamente a cadeira e apoiei meus cotovelos na mesa lisa de madeira, eu permanecia inquieto encarando um ponto fixo da cozinha, cada toque era um aperto a mais no coração.

-Alô! -Ouvi uma voz grossa do outro lado da linha -Alô! -Tornou a dizer

Eu estava paralisado.

-Quem é?! - A voz grossa tornou a dizer -Isso é algum tipo de piada?!

-Hyuna…-Foi tudo que saiu de meus lábios

-Ela não pode falar agora! -Disse a voz, que interpretei ser um homem

-Quem fala?! -Perguntei abaixando minha cabeça e encarando a madeira lisa e polida da mesa

-Jonn! -Disse o homem -Sou o namorado dela! Quem é você?! -Perguntou

O namorado dela.

-U-um velho amigo que estudou com ela! -Gaguejei minhas palavras pois não havia digerido as anteriores ainda

-Bem, eu digo a ela que ligou! -Disse simplista -Qual seu nome?!

Voltei minha atenção a tela do telefone o desligando em seguida. Abaixei minha cabeça a encostando a mesa e coloquei meu celular sobre a mesma mas ainda encostado a minhas mãos.

Ele disse aquilo com tanta naturalidade, será que foi tão fácil assim de dizer. Eu sabia que meu consciente jamais iria admitir que Taehyung estava certo, até porque eu jamais deixaria ele ter esse gostinho, mas, a realidade tinha de ser aceita. Eu demorei e a perdi.

Afinal, porque eu pensei que ela estaria esperando por mim?!

Ela era mais uma garota que se machucava por minha culpa e já estava na hora disso parar.

Já faz algum tempo que não consigo me envolver com mulher alguma, eu não sinto atração por elas, tanto física como atração por sua personalidade. No começo eu acreditava piamente que eram elas, elas que eram fúteis, desinteressantes e tímidas demais, mas, agora eu percebo que sou eu. Eu sou fútil, desinteressante e tímido demais para qualquer garota.

Quando contei a Taehyung ele me disse que talvez fosse só uma fase, que eu precisava relaxar e me estressar menos com o trabalho, eu trabalho como modelo, e foi em uma sessão de fotos que conheci Hyuna. Porém, depois de mês com esse problema, Taehyung começou a especular coisas, disse que eu deveria ir ao médico, a um psicólogo, e de tanto me encher acabei marcando uma consulta.

O médico era legal, um homem alto, loiro, era canadense, ele percebeu que eu não queria estar ali, então foi rápido, uma semana depois chegou o laudo da consulta; eu não era louco nem tinha nenhum problema, só dizia que eu andava meio estressado, o que não posso negar de qualquer forma.

Foi apenas depois disse que Taehyung me disse algo que por um minuto pareceu fazer sentido. Eu me lembro como se fosse ontem.

FlashBack On

Estávamos no sofá da minha sala de estar, tomando umas bebidas e matando tempo depois que lemos o resultado, ele se virou para mim um pouco receoso e disse olhando em meus olhos:

-Você não acha que pode ser...você sabe...gay!

Meus olhos se arregalaram no mesmo instante. O que ele estava insinuando! Mas, por um minuto aquilo pareceu fazer total sentido na situação em questão

-Mas eu já fiquei com garotas! -Disse o olhando

Ele colocou sua bebida sobre a mesa de centro me olhou nos olhos.

-Jimin, você sabe que eu também já fiquei com muitas garotas no passado até conhecer Hoseok! E então tudo mudou!

Taehyung e Hoseok estavam juntos a três, de fato, eram um belo casal.

Por um segundo um manto de razão pousou sobre ele, talvez, apenas, talvez eu pudesse ser gay, ou talvez era apenas um solteirão inventando alguma desculpa interna.

Dei um longo gole em minha bebida e disse em seguida.

-É, talvez você esteja certo!

E naquela noite o assunto morreu ali.

FlashBack OFF

Senti o celular vibrar sobre a mesa, ergui a cabeça e o peguei, na tela estampado havia um nome “Taehyung”.

Atendi assim que levantei meu corpo, me sentando corretamente.

-Jimin! -Disse, seu timbre rouco fazia contraste com os barulhos ao fundo -Onde está?!

-Oi Tae! -Respondi e suspirei -Em casa, porque?! Aconteceu algo?

-Não! -Disse simplista do outro lado, ouvi uma buzina -Está tudo bem?! -Pergunto claramente preocupado

-Kim Taehyung está falando ao telefone enquanto dirige! -Falei um pouco mais alto

-Eu estou usando cinto de segurança! -Disse em tom brincalhão -Mas, não mude de assunto, perguntei o que houve!

-Não houve nada! -Disse debruçando meu corpo de lado sobre a mesa -Só o velho tédio de sempre!

-Ótimo! -Disse alegre -Se arrume, vamos há um leilão comigo!

-Leilão?! -Perguntei sem interesse -Vai comprar um boi?!

-É um leilão de antiguidades! -Disse, continuava a ouvir barulhos de trânsito ao fundo -Vou comprar alguns quadros de aniversário para o Hoseok!

-Sabe que eu não entendo nada de arte! -Disse me levantando e caminhando até a sala de estar -Onde está em?!

-Isso não importa, venha me fazer companhia! Vão sortear um espelho do século XVIII é uma antiguidade valiosa -Disse e suspirou em seguida -E, se eu fosse você se arrumaria o mais depressa possível!

-Porque?! -Perguntei

-Estou a duas esquinas de sua casa! -Disse e riu em seguida

-Eu ainda te mato Taehyung! -Disse e desliguei em seguida

Subi até meu quarto e apenas troquei minha blusa regata por uma listrada de mangas compridas, calcei um par de tênis pretos e peguei uma jaqueta, já estava de calça jeans.

Peguei minhas carteira e as chaves da casa assim que ouvi o carro de Taehyung buzinar do lado de fora. Tranquei tudo e saí, quando entrei ele me encarou e sorriu.

-Oi Tae! -Disse colocando o cinto, o encarei novamente -Já podemos ir!

-Pensei que fosse desistir e me mandar ir embora! -Disse dando a partida

-Estou fazendo isso pelo Hoseok! -Disse encarando a estrada pela janela -Não é muito longe, ou é?!

-Na verdade é bem perto! -Disse, o encarei, seu olhar permanecia firme a estrada

-Tae, se lembra da conversa que tivemos na minha casa há um tempo atrás? -Perguntei o encarando

-Lembro! -Disse calmo -O que que houve?!

-Acho que, você estava certo! -Disse e senti seu olhar desviei para frente encarando uma roda de pessoas em frente a uma loja -É ali?! -Perguntei apontando

-É! -Disse parando o carro -Desça, eu vou procurar uma vaga!

-Você não vai me dizer nada?! -Perguntei abrindo a porta do carro

-Conversamos depois Jimin! -Ele disse e sorriu, saí do carro e fechei a porta

Caminhei rumo as pessoas paradas a entrada da loja, haviam algumas esculturas, vasos e quadros do lado de fora, todos muitos bonitos, mas, como eu já disse, eu não entendo nada de arte.

-Gostaria de um bilhete?! -Perguntou um homem de terno que estava próximo a porta

-Para que isso?! -Perguntei o encarando

-Estaremos sorteando um espelho antigo! -Disse um tanto animado -Pegue um, eles são de graça!

Assenti e peguei o bilhete. Quatrocentos e quarenta e sete. Esse era meu número, dava para acreditar que haviam tantas pessoas alí?!.

Entrei ao local o olhando por inteiro, haviam muitas pessoas alí, porém haviam poucas antiguidades, acho que o evento já estava ao fim.

Senti uma mão em meu ombro, virei-me em seguida.

-Pegou seu bilhete?! -Perguntou

-Sim, e você Tae?! -Perguntei

-Claro! -Disse e sorriu -Vem vamos ver alguns quadros!

Caminhamos bastante, foi difícil achar algo que agradasse nós dois, mas, Tae acabou comprando dois quadros muito bonitos. Conversávamos sobre algo aleatório quando uma voz ecoou por todo lugar sendo ouvida por qualquer um ali.

-Senhoras e Senhoras, agora, o momento que todos esperavam! O sorteio do espelho da alma! -Disse e aplausos ecoaram em seguida

Um homem puxou um pano branco que cobria o espelho, não era tão grande, não era possível refletir um corpo inteiro, estava manchado e parecia velho.

-Porque alguém iria querer essa porcaria?! -Comentei baixo com Taehyung

-Não fale assim Jimin! -Disse

-Senhoras e Senhores! -Tornou o homem -O espelho da alma, como é chamado, é uma relíquia do século VXIII, pertencia a família Huston! -Disse e ouviu-se espanto e interesse -Como sabemos a casa dos mesmo se desmanchou em cinzas, mas, um item foi salvo, o espelho da família, que segundo dizem, ficava ao quarto do filho mais novo!

Palmas novamente ecoaram.

-E agora vamos ao número sorteado! -Disse sorridente - Parabéns ao sorteado, o número é quatrocentos e quarenta e sete! -Suas palmas logo contagiaram o resto das pessoas

-Sou eu! -Disse baixo a Taehyung

-Então se pronuncie! -Disse me encarando

-Não, eu não quero esse espelho! -Falei baixo, o homem chamava o sorteado

-AQUI! -Disse Taehyung alto erguendo meu braço

-Meus parabéns meu jovem! -Disse o homem, olhei feio para Taehyung -Venha até aqui!

Caminhei até ele com um sorriso falso ao rosto recebendo os parabéns assim que cheguei a ele.

xxxx

-Bem, está ai! -Disse Taehyung encarando o espelho que eu havia colocado a sala de estar -Eu ainda acho que deveria o colocar em seu quarto!

-Não! -Disse o encarando sentando ao sofá -Ai onde está já está bom!

-Você quem sabe! -Disse e sorriu fraco -Bem, eu tenho de ir, Hoseok está me esperando, obrigada pela ajuda!

Assenti e o vi sair, voltei meu olhar ao espelho, ele era totalmente desnecessário, eu deveria o jogar fora, mas, já era noite.

-Eu me livro de você amanhã! -Disse indo até ele e encarando meu reflexo -Ei, há um nome aqui!

Sobre as bordas douradas desgastadas havia gravado um nome.

“Jeon Jungkook”

Deve ser o filho mais novo! Pensei comigo.

Apaguei as luzes da casa e subi ao meu quarto, já era noite e eu estava cansado, tudo que precisava era dormir.

 


Notas Finais


Eu espero que vocês tenham gostado
Comentários são bem-vindos
Um beijo a té mais :)
Min ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...