História Refresco - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saint Seiya
Personagens Shaina de Cobra, Shura de Capricórnio
Visualizações 116
Palavras 2.604
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Hentai
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Fic em comemoração ao 1° aniversário do grupo 14° casa.
Capa editada pela @Lisle linda
Betado pelo bródis @BobV

Capítulo 1 - Capítulo Único



O dia hoje fora um dos mais quentes de todos, o verão havia chegado e chegou de com força, algumas atividades dos aspirantes tiveram que ser adiadas devido ao sol,  e só por isso que Shina e Shura passaram boa parte do dia em casa. 


A noite também não estava das mais frescas, mesmo a casa de dele sendo mais alta.

- Shura, ainda tem picolé no congelador?

Shina parou de mexer nos cabelos dele enquanto fazia a pergunta.

Estavam os dois na sala da casa de capricórnio, ela deitada no sofá e o cavaleiro no chão com as costas apoiadas nele, a televisão mostrava uma competição de bolos que Shina sempre assistia e por tabela Shura, mas ele geralmente respondia sua resvistinha de criptograma durante o programa.

-Picolé? - perguntou sorrindo - Desde quando aqui tem isso? - ele nem se preocupou em olhar pra ela, pois preenchia a pergunta mais fácil de todos os tempos na revista. 

Espada do rei Arthur, balela!

 - Tem porque eu comprei.

- Sério? - ele começou a marcar os símbolos iguais - Então deve tá lá na geladeira - deu de ombros - Se eu soubesse já tinha dado fim, tá um calor infernal.

Shina balançou a cabeça e girou os olhos se levantado indo para cozinha.

- Mas que bagunça! - disse franzindo o cenho quando abriu o congelador - Shura, o que foi que disse sobre colocar saco diretamente na placa do congelador? - ela falou alto e ele apenas ergueu as sobrancelhas sem deixar seu criptograma de lado.

- Pelo báculo  de Atena!

A amazona puxou o plástico com um pouco de esforço e o colocou sobre uma vasilha, aproveitou e tirou uma outra que chamou sua atenção.

-Sério Shura, um pedaço de carne pequeno desse numa vasilha desse tamanho, por favor né? 

Shura agora parou o que estava fazendo e esticou a cabeça olhando para cozinha por um momento, depois ele  voltou para sua revista.

- Não, eu não acredito nisso! - Shina tirou de dentro do congelador uma bolsa de gelo - Venha aqui Shura!

O pobre homem soltou um suspiro e depois esfregou uma das mãos no rosto se levantando e indo, sem querer, para a cozinha.

- Que foi?

- O que é isso aqui?

- Uma bolsa de gelo - respendeu dando de ombros.

- E o que é para ter dentro?

- Gelo.

- E preciso ter água dentro pra ser congelada, não é? 

Shura ergueu uma das sobrancelhas querendo entender aonde ela queria chegar.

- É - disse meio incerto.

- Então por que é que a bolsa de gelo estava vazia dentro do congelador?

Dizer que Shina estava um pouco alterada era a verdade, mas ele sabia lidar com isso.

- Eu devo ter esquecido - dizendo isso ele avançou para ela e tomou a bendita bolsa de suas mãos - Agora tudo certo - continuou depois que foi até a pia e encheu a coisa com água.

Shina olhava tudo de rabo de olho, Shura terminou de encher e passou por ela enfiando a bolsa dentro do congelador.

- Pronto enfezadinha - sorriu e deu um beijo nela.

- Sai!

- Sai nada - retrucou querendo roubar mais beijos - Minha enfezadinha fica tão bonita com a cara amarrada.

Ele a abraçava e dava pequenos beijos nela.

- Humm, cheirosa.

- Claro. - respondeu uma Shina bem mais calma.

- Vem cá, vem!

Ele foi arrastando ela até a porta e depois a deixou parada enquanto foi na sala desligar a televisão.Voltou para onde tinha deixado Shina e se pôs atrás dela.

- Sabe, você precisa relaxar mais - ele dizia passando os braços pela cintura dela - Sempre tão nervosa e estressada - eles caminhavam agarrados para o quarto - Isso causa uma gastrite sabia?

Shina e rodou os olhos e sorriu para as besteiras dele, ao passo que o espanhol e girou em seu braços e puxou a blusa que ela vestia pela cabeça.

- Hum ...

 Ele a observou parada com as mãos nos quadris e com a cabeça levemente inclinada para o lado, não se incomodando com os seios  expostos para o olhar guloso dele.

- Você me deixa louco com essa calcinha cheia de ursinhos.

O cavaleiro a pegou pela cintura e ela enganchou suas pernas ao redor dele mordiscando o lábio antes de se entregarem a um quente beijo. Shura não parou de explorar a boca da mulher caminhando para cama, muito menos quando, ajoelhado, subiu no colchão e inclinou-se para depositá-la sob o mesmo, se afastou apenas para vê-la sorrindo  para ele.

- Eu gosto de deixar você louco - disse Shina passando a mão pelos negros e fartos cabelos negros dele.

-Claro que gosta.

Shura mergulhou em seus labios novamente, dançando com a língua em sua boca quente.

Ele segurou os pulsos dela colocando nas laterais da cabeça da amazona,  ela por sua vez o apertou mais entre suas pernas, sentido todo o calor e força daquela região, gemendo quando Shura ondulou sobre ela. Isso fez com que a mulher findasse o beijo inclinando a cabeça um pouco para  trás.

Era incrível como a mulher mais dura de todo o Santuário fosse extremamente sensível e que se entregasse a com total abandono. Shura recebia de maneira bem vinda o que ela lhe dava e agradecia aos céus por tê-la em seus braços.

- Você é tão bonita de se ver - Shura sussurava ao pé do ouvido - Tão gostosa - continuou beijando o pescoço dela, que virava a cabeça facilitando o assalto - Tenho vontade de amarrar você em minha cama e fazer você gritar meu nome várias e várias vezes.

- E por que você não faz?

Ele ergueu um pouco a cabeça e olhando para o rosto corado dela. Um misto de surpresa e desejo rodeava a mente do espanhol.

- Tem certeza?

A mulher balançou a cabeça. Ele levantou rapidamente e foi até o armário para pegar duas gravatas, depois amarro cada pulso e os prendeu à cama, tomando o cuidado para não deixar apertado demais. A italiana olhava de um braço a outro cheia de expectativas, apenas estranhou quando ele deixou o quarto, mas logo ficou desconfiada quando o cavaleiro voltou com as mãos para trás e com um sorriso traquino no rosto.

- O que tem aí? 

Ela ergueu um pouco o tronco, o permitido pelas amarrações nos pulsos e arregalou os olhos quando ele mostrou um picolé de limão para ela.

- Hoje foi um dia tão quente não foi? - perguntou aproximando-se da cama - E a noite também não está das melhores, não é? - a mulher balançou a cabeça sorrindo - Acho que nós merecemos um refresco, não merecemos?

O capricorniano deslizou o picolé ainda fechado pelo ventre dela arrepiando a pele e alterando a respiração da italina. Shura parou com os movimentos apenas para colocar o picolé sobre o criado mudo e subir na cama.

Shina segurou o ar quando Shura puxou o elástico de sua calcinha e a desceu por sua perna. Ela o ajudou erguendo um pouco os quadris, mas perdeu toda a força quando ele subiu o trajeto beijando sua perna. 

O cavaleiro sorriu quando pairou sobre a feminilidade dela e depois deitou a língua sobre a mesma, fazendo Shina ter um pequeno espasmo e soltar um gritinho. Ele resolveu que ainda não era hora para isso e subiu com a boca pela barriga, passando pelos seios, onde deu pequenas lambidas seguidas de chupadas em cada um deles, para depois passar a língua pelo seu pescoço até o pé da orelha onde ele a mordiscou.

Shina apenas contorcia-se sob ele, gemendo a cada carícia, louca para abraça-lo, mas sendo impossibilitada pelas amarras em seus pulsos. 

Shura ergueu-se sobre ela, alcançando o picolé de limão sobre o criado, o retirou do pacote e em seguida o levou até a boca da mulher de cabelos verdes.

- Ponha a língua para fora. 

Obediente a mulher fez o que ele mandou e passou a língua no picolé.Primeiro ela passou a ponta da língua pelo doce e o contornou de maneira bem sugestiva. Depois, Shina deu uma grande lambida da base até ponta de um jeito lento e sensual. Shina sorriu. Olhando diretamente para ele, abocanhou o picolé inteiro e soltou um gemido fraco. Os olhos de Shura brilharam imediatamente com aquela visão erótica. Ele teve que se controlar para não mandar tudo para o inferno e por seu membro entre os lábios dela, lábios esses que agora sugavam o picolé calmamente. Ele apertou seu membro duro dentro da bermuda enquanto a mulher ia e vinha com a boca no picolé. Shina sorriu olhando diretamente para ele e abocanhou o picolé inteiro, um pouco do suco escorreu pelos cantos da boca de Shina e Shura o resgatou com a língua rapidamente e depois beijou a boca gelada dela num beijo agressivo.

O cavaleiro, depois que ficou satisfeito por deixá-la com com os lábios inchados, seguiu com o picolé até os seios. Ele o rodeou na auréola e depois o parou sobre o mamilo já endurecido, causando um arrepio por todo o corpo da amada. A mulher gemeu e arqueou as costas quando Shura imitou o movimento no seio esquerdo e em seguida, levou a boca até o monte macio para chupa-lo com volúpia. A mulher soltou um grito, adorando a sensação da boca quente de Shura contra seus seios gelados. O Homem apreciou a pele macia e eriçada dentro do sua boca, chupou e lambeu de um a outro, embalado pelos sussurros de Shina.

Ela protestou quando ele se afastou de seus seios, mas logo pode sentir as gostas de limão caindo em seu corpo para depois a boca de Shura seguir os rastros molhados. Shina remexia de prazer, mordendo os lábios e gemendo o nome do cavaleiro. 

Shura ergueu-se sobre ela novamente, mordeu um pedaço do picolé e voltou a se abaixar sobre a amazona. Ele deu-lhe um beijo profundo e gelado que derreteu o pedaço do doce entre os seus lábios ,Shina sacudia os braços querendo agarrá-lo pelo pescoço. Shura riu com a tentativa débil de se libertar da mulher de cabelos verdes. O espanhol tirou um outro pedaço e o arrastou pelo corpo da amazona até chegar em seu centro molhado para abocanha-lo.

Shina gritou arregalando os olhos e erguendo os quadris na direção da boca de Shura. Ela gemia e ofegava a cada lambida de amado, que por sua vez passou os braços pelas coxas e as prendeu do jeito que queria para poder ter mais acesso a sua intimidade. Ele mordiscava, lambia e chupava cada dobra da amazona, tomando o cuidado para não tocar no feixe duro de nervos. Foi só quando o cavaleiro a sentiu vindo ate ele, que passou a sugar o pequeno botão, levando a guerreira a gritar seu nome. 

Ele tomou tudo dela. Soltando suas coxas, deu pequenos beijos naquela região e subiu pelo corpo dela sem interromper as carícias. Shina ofegava com os olhos fechados, sentindo seu corpo tremer a cada contato dos lábios de Shura sobre si. A esverdeada recebeu de bom grado o beijo calmo dele em sua boca, sentindo seu próprio gosto e adorando como as mãos dele passavam pelo seu corpo. Uma moleza abateu sobre ela, mas que logo foi dissipada quando de repente, Shura esfregou um de seus mamilos. A mulher abriu os olhos para vê-lo sorrindo como um predador para ela. 

- Não terminamos 

O cavaleiro disse, serpenteando a mão pelo corpo esbelto da amazona e às vezes a apertando. Deitou- se de lado e apoiando-se no cotovelo, esfregou uma outra vez os mamilos rígidos da mulher a ponto faze-la respirar alto. 

- Olhe para mim! 

Shina prendeu os lábios entre os dentes enquanto que ele alcançava sua carne macia entre suas pernas com a mão. 

- Shura! - ela gemeu seu nome 

-Olhos abertos! 

A mulher balançou a cabeça olhando para ele. O espanhol a acariciava lentamente, roçando os dedos pela sua maciez quente e molhada. Ela gemia a cada movimento da mão do homem, fechando os olhos ante aquela sensação prazerosa. 

- Eu disse para me olhar Shina! 

Dizendo isso o espanhol enfiou dois dedos dentro dela.

Shina o mirou na mesma hora, abrindo a boca e sugando de uma só vez todo o ar por ela. Ele riu descaradamente e mexeu os dedos esfregando o polegar em seu clitóris. 

Shina começou a implorar por algo que ela não sabia o que era, mas pedia por favor sem parar. 

- Venha para mim carinho! 

Shura levantou-se, cobrindo o centro da mulher com sua boca e fazendo um movimento de vai-e-vem com os dedos em sua parte mais íntima. Shina arqueou as costas inclinando a cabeça para trás, seus dedos dos pés se flexionaram enquanto uma onda forte de prazer subia de seu ventre e se espalhava rapidamente por todo o seu corpo para finalmente, explodi-la em mil pedaços. 

O cavaleiro sorveu dos líquidos dela, percebendo os tremores do corpo e a pele arrepiada sob suas mãos. Shina ainda estava em total êxtase sentido pequenos tremores passar por seu corpo, estava tão sensível quer com qualquer toque ela explodiria novamente. 

Shura a achou tão bonita, corada e suada, com os cabelos espalhados e com o olhar brilhando, parecia num mundo só dela, não poderia esperar mais para tê-la. Shina nem percebeu que Shura desatou os nós em seus pulsos e beijou as marcas nele. O cavaleiro não perdeu tempo e se livrou da bermuda e cueca, e em seguida sentou sobre os joelhos. Ele passou as mãos lentamente pelo corpo dela, as parando possessivamente em seus quadris redondos e então os ergueu levemente. O espanhol a trouxe para si e a penetrou lentamente. Shina chamou por seu nome vindo de novo e agarrando-se aos lençóis da cama. Shura gemeu ao sentir a umidade dela apertando ao seu redor. Ele esperou os espamos cessarem para poder começar a se mexer dentro dela.

Shina não conseguia ter controle de nada, gemia a cada estocada do amado. A amazona o sentiu deitar-se sobre seu corpo, amando o peso dele sobre ela, enlouquecendo com fricção dos seus seios contra o peitoral duro dele. A guerreira queria mais, pedia por isso. 

Shura ia e vinha dentro dela, cadenciado o ritmo. Os gemidos de Shina o incentivavam a ir mais fundo e mais rápido. O cavaleiro a trouxe mais para si passando os braços pelas costas dela. A mulher o rodeou com as pernas, o envolveu com os braços e arranhou arranhando suas costas. O homem foi mais rápido dentro dela, fazendo-a gritar, enterrar o rosto em seu pescoço e cravar as unhas em suas costas suadas. Novamente um mundo de sensações prazerosas e indescritíveis tomou o corpo da amazona e ela derramou-se nele com os olhos cheios de lágrimas. Shura arremeteu mais forte e lento, prolongado a sensação da amada enquanto ele próprio apreciava seu prazer.

Shura voltou a acelerar os movimentos,  descontrolado por ela ser tão quente e molhada, ele não duraria muito e nem queria durar mais.

- Olhe para mim!

Shina pressionou os lábios um contra o outro balançando a cabeça sem parar. Shura veio dentro dela logo em seguida. Ele estocava enlouquecido e em uma última investida, tremeu dos pés a cabeça e a encheu com tudo o que podia. Pulsava sem parar, sentia cada fibra do corpo vibrar tamanho era aquele sentimento prazeroso que o envolvia ao se sentir seu corpo unido com o da amada no maior ato de confiança que duas pessoas poderiam ter uma com a outra.

Shura ainda respirava com dificuldade quando decidiu sair de cima dela, deitou ao seu lado e puxou Shina para que ficasse sobre ele.

- Você está bem?

- Estou - ela se mexeu um pouco se aconchegando melhor nele. - Agora me deixe dormir, porque quando eu acordar vou querer que você me refresque no chuveiro também.

Shura riu alto apreciando a idéia.



Fim.



Notas Finais


Sim, eu escrevi um hentai u.u
Chocante né?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...