História Regras de convivência - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias VIXX
Personagens Hongbin, Hyuk, Ken, Leo, N, Ravi
Tags Hyukbin, Neo, Raken, Wontaek
Exibições 270
Palavras 1.333
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oieeee. Voltei
Demorei eu sei..
Ja estou recuperada, muito obrigado a todos que se preocuparam e desculpem por isso, juro que estou tomando mais cuidado.
Sorry . Nao tive tempo de revisar.
Espero que esteja bom.. estou com bloqueio de criatividade com essa estória.

Capítulo 4 - Tarefa de matemática


Fanfic / Fanfiction Regras de convivência - Capítulo 4 - Tarefa de matemática

- Hyung! - Hongbin gritou enquanto entrava no quarto - Você vai trabalhar hoje?

- Binnie pare de gritar - Hakyeon entrou saiu do banheiro com uma toalha amarrada na cintura - Irei sim, mas voltarei mais cedo, por que?

- Preciso de ajuda para um trabalho de matemática - falou com uma carinha inocente.

- Tudo bem, estarei aqui as 15:30. Agora saía, preciso me arrumar.

O mais novo saiu sorrindo e foi para seu quarto. Já o N colocou uma bermuda apertada preta e uma blusa de manga longa, fina, de cor vinho. Saiu do quarto, pegando sua mochila no caminho, calçando os sapatos Allstar, e saindo as preças pra não perder o ônibus.

Cerca de 15 minutos depois, Hakyeon chegou no apartamento de Leo, o encontrando deitado no chão, com uma garrafa de whisky na mão. Se aproximou e cutucou o seu patrão, que resmungou mas não se mexeu. Decidiu leva-lo para o quarto, para poder limpa-lo. Com muito esforço, ja que Taekwoon era pesado, conseguiu deita-lo na cama e passou a tirar suas roupas que fediam a bebida. Pegou uma bacia com água morna e uma toalha, voltou ao quarto e com cuidado, limpou o corpo de Leo. Após terminar, saiu do quarto e voltou a sala.

- Mas o que houve aqui? - perguntou para o nada, enquanto olhava a bagunça que estava a sala - Parece com o dia que o tal Wonsik estava aqui - Refletio, pois parecia que tinha passado um furacão lá dentro. Vidros quebrados, móveis revirados. Um caos - Hora da limpeza!

Colocou um avental e vestiu as luvas de silicone, catou e varreu os vidros para não se machucar, tirou as cortinas e abriu as janelas - a casa precisava de um ar - virou os móveis e aspirou a sujeira do chão, passou pano e trocou os tapetes. Pronto. Ligou para a lavanderia e pediu para irem buscar os tapetes e cortinas, ja que não daria tempo dele sair de casa.

Como não era seu dia de fazer limpeza, mas a casa não estava em condições de ser deixada daquela maneira, ligou para seu irmão e pediu para ele ir até o apartamento onde estava. Não sabia se seu patrão concordaria, mas havia feito uma promessa e iria ajudar seu irmão.

Suspirando alto, foi até a cozinha, para preparar o almoço, mesmo que o relógio marcasse 10:40h. Decidiu fazer a famosa macarronada italiana. Macarrão cozido num recipiente, molho à parte e almôndegas. Tudo pronto e com um sorriso satisfeito abriu a porta para seu irmão entrar.

- Hyung, por que tive que vir pra ca? Pensei que seu patrão não quisesse que voltasse - falou colocando sua mochila no chão, encostada no sofá.

- Eu sei, mas é que a casa estava um furacão quando cheguei e tenho que terminar de organiza-la, não daria tempo de chegar em casa a tempo, agora venha almoçar.

Hakyeon virou de costa e não pôde ver a feição culpada do seu irmão. Hongbin via o esforço que seu hyung fazia por si e sabia o quanto ele estava cansado por trabalhar como empregado, mesmo que isso significasse mais dinheiro, só não queria que ele se cansasse ainda mais por sua causa, se ele tivesse avisado que estaria muito ocupado, concerteza não iria insistir sobre a matéria é pediria ajuda a um de seus colegas.
Sentou na mesa, ainda receoso e, se serviu da macarronada, enchendo o prato, Hakyeon chegou com uma jarra de suco e copos, colocando um para seu irmão e o outro sobre o porta copos em frente, deixou um breve selar na testa de Hongbin e voltou para a cozinha. O mais novo por sua vez, comia tranquilamente, até levantar seu olhar e ver um ser alto de olhos negros o encarando como se quisesse sua cabeça. Deixou a colher escorregar de volta para o prato e engoliu em seco desviando o olhar.

Taekwoon não sabia exatamente por que estava o encarando assim, mas se sentiu incomodado com o carinho que Hakyeon tinha tratado o mais novo. Se sentou de frente para ele, sem desviar o olhar e achou divertido a forma como o garoto a sua frente se encolhia. Estava ganhando a batalha, só não sabia exatamente qual era o prêmio.

- Quem é você? - perguntou baixo e ríspido.

- Cha Hongbin senhor - respondeu de cabeça baixa e ombros encolhidos.

- Senhor Taekwoon, perdoe-me - Hakyeon falou se curvando e depois colocando o prato com salada em cima da mesa - Ele é meu irmão mais novo, precisei trazer ele hoje, espero que ele não incomode, prometo que não irá se repetir.

Taekwoon não se importava com esse fato, contanto que ele não mexesse em nada, mas estranhamente se sentiu aliviado por ouvir a palavra "irmão mais novo" proferida por seu subordinado.

- Não há problemas em traze-lo - sorriu suavemente para Hakyeon que concordou en alívio - Só não mexa em nada - dessa vez seu olhar foi pada Hongbin, mas não houve sorriso - Vejo que o almoço hoje será Alá Itália, obrigado, estava cansado de comida coreana.

Mais do que satisfeito, encheu o prato e mandou Hongbin voltar a comer. Não que o mais novo fosse mal, mas sentia como se ele estivesse atrapalhando o seu caminho, mesmo não sabendo do que se tratava. Olhou para Hakyeon que estava de costas virado pra pia, sorriu ao ter a visão daquela bunda e ficou imaginando como seria ela empinada para si, de quatro na sua cama.

Hongbin olhava o mais velho a sua frente de boca aberta, ele notou o olhar dele para seu irmão e ficou assustado. O último homem que deu em cima do seu irmão, o estrupou e bateu com força sua cabeça na parede, fazendo Hakyeon perder parte de sua memória, tanto que ele não lembra disso, pelo contrário, seu hyung nem sabe o que é sexo. Tinha que protege-lo. Se levantou devagar, se curvando e indo para a cozinha. Olhou seu irmão de cima a baixo e suspirou frustado. Como proteger algo tão desejado?

- Qual é o assunto dessa vez? - Hakyeon perguntou ao notar seu irmão a seu lado.

- A mesma de sempre, catetos, equação de 3° grau, só vamos mudar semana que vem.

- Malefícios do crescimento - bagunçou os cabelos de Hongbin, que reclamou, mas riu - Deixe esse prato aí, depois eu lavo, vamos estudar - Hakyeon deixou Hongbin na cozinha e foi até Taekwoon - O senhor vai precisar de alguma coisa agora?

- Não, por quê?

- Vou estar no quartinho, meu irmão pediu para ajuda-lo com a tarefa da escola.

- Quantos anos ele tem?

- 16, senhor.

- Hum, Hyuk tem 18, se quiser posso pedir para que ele auxilie seu irmão qualquer dia.

- Se não for incomoda-lo.

- Não é nada, Hyuk não faz nada que preste desde que se formou. Bom, irei à empresa, portanto fique à vontade com seu irmão.

- Senhor, acho melhor descansar, levando em conta o estado que estava.

- Da minha vida cuido eu, não se intrometa.

Taekwoon se levantou e saiu pisando duro, odiava quando as pessoas o diziam o que fazer. Já Hakyeon estreitou as sobrancelhas para o comportamento do patrão, afinal foi apenas uma sugestão. Retirou os utensílios da mesa, colocando-os na pia e voltou para o quarto, encontrando Hongbin com o caderno aberto pronto a aula. Sorriu e sentou ao lado do maos novo.

- Por onde devo começar?

(XxxxxxxxxX)

- Eu quero que você vá pra o inferno Wonsik, você e a vadia que está comendo.

- Não posso nem me justificar?

- Se voltar a colocar o pé nesta empresa, acabo com sua reputação!

- Vai mesmo me descartar? Isso tudo é ciúmes?

- Pode sonhar, eu deixo - se aproximou do mais novo o segurando pelo colarinho - Entenda uma coisa, mesmo que não fosse um relacionamento sério, não divido nada, você fez sua escolha, fora daqui!


Notas Finais


E então??
Ficou bom.???
Amo vocês, obrigado por não ter desistido.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...