História Regression (Revisão) - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Himawari Uzumaki, Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Jiraiya, Kaguya Ootsutsuki, Kakashi Hatake, Kiba Inuzuka, Kushina Uzumaki, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Sai, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Shino Aburame, Shion, TenTen Mitsashi, Toneri Otsutsuki
Tags Coma, Drama, Espiritualidade, Naruto, Regressão, Revoluçãonaruhina, Vidaspassadas
Visualizações 44
Palavras 4.119
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Luta, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen, Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi gente, demorei, mas estou de volta com um capítulo fresquinho e muito tenso.
Acredito que muitos ficarão com raiva dos acontecimentos desse capítulo, mas tudo tem seu propósito, e acreditem, não foi fácil tomar a decisão de fazer certas coisas. Mas, aqui é drama, então tem que rolar drama.
Sem mais delongas, boa leitura!

Capítulo 5 - Confession


Capitulo 5

Confession

Era Heisei – ano 2017, Tokyo

Naruto e Shikamaru estavam terminando mais um dia de trabalho, e após muita insistência do moreno, Naruto acabou aceitando seu convite para irem a um bar, como sempre faziam. Na verdade, os planos do jovem loiro para aquela noite eram diferentes, ele finalmente tinha reunido uma gama de artigos, que falavam sobre o tipo de coma que se encontrava Hinata, então ele queria ler todos o mais rápido possível. Por outro lado, fazia tempo que ele não saía com seu amigo, e ele também merecia um descanso. Após saírem do hospital, eles seguiram para um bar que sempre frequentavam. Shikamaru estava de certa forma aliviado, mas não imaginava que Naruto só queria desabafar.

— Eu preciso te contar uma coisa que está me perturbando. — Falou o loiro que seguida pedia uma dose de vodca.

— Deixe eu adivinhar, é sobre aquela garota, não é? — Shikamaru ficou visivelmente irritado, o que ele queria era afastar seu amigo de sua obsessão, sim, aquilo já havia se transformado em uma obsessão.

— Sim, tenho sonhado muito com ela, quase que todas as noites. — Naruto começa a bebericar a bebida que havia pedido.

— Você sabe que os sonhos são criações de nosso subconsciente, somos neurologistas Naruto, ou você está achando que tem algo a mais nisso? — O moreno ficou espantado com as palavras do amigo, ele estava realmente envolvido por aquela mulher.  — O que essa mulher está fazendo com você?

— Não sei, mas preciso ir mais fundo nisso, nem que para isso eu tenha que ir além do que a ciência prova. Juro que tentei evitar, mas eu sinto uma necessidade imensa de ajudar aquela mulher, não consigo esquecer de seu olhar no dia do acidente. — Naruto fez cara de frustrado, de fato nem mesmo ele entendia o que estava acontecendo.

— Você precisa conhecer outras mulheres, começar uma relação quem sabe?

— Está de sacanagem com a minha cara? Eu acabei de falar que não consigo parar de pensar em minha paciente e você quer que eu comece um relacionamento sabe se lá com quem?

“A única mulher que preciso se chama Hinata...”

— O que eu preciso é descobrir o motivo de estar sonhando tanto com ela.

— Mas isso é muito fácil, isso é por que você não para de pensar nela. — Shikamaru começou a rir das próprias palavras e também da cara de irritado que o loiro fez.

— Você vai ouvir tudo ou vai ficar caçoando da minha cara? — Shikamaru passou a mão pela boca, indicando que não falaria mais nada.

Naruto então começou a contar sobre o ultimo sonho que tivera com a morena, um sonho diferente de todos, sonho que mais parecia uma lembrança, lembrança de uma outra vida? Quem sabe? Naquele dia Naruto estava terminando de fazer a fisioterapia em Hinata, seria a última tarefa que faria no hospital naquele dia, depois que terminou, ele cuidadosamente a ajeitou sobre a cama e a cobriu. Por um breve momento ele a olhou, e imaginou qual seria a sensação de conversar com ela, ele lembrou das suas fotos no celular, e no quanto ela demonstrava felicidade. Neste momento ele teve uma sensação nostálgica, como se pudesse lembrar de algo que fora esquecido, então movido pelo impulso ele depositou um cálido beijo em sua têmpora. 

— Até amanhã, bela Hime.

O jovem médico seguiu o caminho de sua casa, de certa maneira ele estava feliz, leve, mais uma vez era como se pudesse lembrar de algo. Mas ele acabou deixando isso de lado, quando chegou em casa, foi para o escritório, para terminar de revisar alguns exames. Já passava da meia noite quando foi para o seu quarto, enfim ele iria descansar, rapidamente ele pegou no sono enquanto lembrava da imagem de Hinata deitada na cama do hospital. Quando o loiro abriu os olhos já estava mergulhado em mais um sonho, novamente ele estava naquela sala branca, e Hinata estava no centro da mesma sentada em uma cadeira, ele chamou por ela, mas não obteve resposta, então correu até onde ela estava.

— Hinata? — Se ajoelhou em frente a jovem e colocou as mãos sobre as dela, que estavam na altura do joelho. — Hinata, abra os olhos, acorde, por favor. — Implorou o loiro.

— Quem é você que tanto me chama?

— Abra os olhos e saberá. — No fundo Naruto sabia que ela não abriria os olhos, era sempre assim, ela sempre dizia que não podia e em seguida iria embora, e ele acordaria frustrado. Mas para sua surpresa a perolada abriu os olhos e o encarou espantada.

— Naruto! Era você quem me chamava? — A morena passou mão pelo rosto de Naruto e sorriu com ternura — Você está diferente, sua cicatriz sumiu?

— Mas qual cicatriz? Aliás como você sabe meu nome? Claro isso é um sonho, então é normal que você saiba.

— O que é um sonho? E se sonhos fossem lembranças? — Hinata se levantou e apontou para uma arvore que não estava muito longe dali. — Veja, você não lembra desse lugar? — A morena caminhou tranquilamente até a cerejeira, que estava lindamente florida, para Naruto era como estar olhando uma pintura que ganhara vida.

— Eu acho que lembro, não sei ao certo, nós já estivemos aqui, é isso? — Ele a seguiu até a cerejeira e ficou ao lado da morena. — Não vê que isso é um sonho? Você precisa acordar, você precisa voltar, só assim nós...

Nesse momento a expressão de Hinata mudou, aquele lindo sorriso se fechou, e seu olhar perdeu o brilho.

— Por que eu deveria voltar? Se eu não tenho ninguém? Até mesmo você é apenas uma lembrança, já que nessa vida nós ainda não nos encontramos.

— Espere Hinata, você não lembra? Hinataaa! — Naruto acabou acordando antes que pudesse falar com ela, ele estava completamente molhado de suor, nunca em sua vida havia sonhado com tamanho realismo.

“O que é um sonho? ”

— Então foi isso? Que loucura, você não pode estar acreditando que isso foi real. — Shikamaru demonstrava não ter interesse no que o amigo estava falando, mas internamente ele entendia muito bem o que estava acontecendo.

— Você não entende, eu sinto que foi real, aquele lugar era familiar. Bom, não importa o que você pense, irei descobrir com ou sem sua ajuda. — Naruto retirou da carteira um pouco de dinheiro e jogou sobre o balcão para pagar pela bebida, e foi embora. Shikamaru apenas o observou ir embora.

— Desculpe irmão, você precisa se lembrar de tudo sozinho. Mas, ao que parece, ela está te ajudando. — O moreno sorriu e continuou a beber tranquilamente.

(...)

Era Edo - ano 1680, Tokyo

Alguns dias haviam se passado, e o grande dia do ritual de coroação do príncipe herdeiro finalmente havia chegado, o palácio real ouke estava especialmente movimentado. As damas da corte passavam de um lado para o outro, preparando tudo para o ritual, pois nada poderia dar errado. Hinata, que estava em baixo de sua cerejeira favorita, observava tudo de longe, e com grande tristeza. Pois ela lembrava que o rei havia marcado o casamento para que acontecesse somente após a cerimônia de coroação, e lembrar disso a deixava angustiada. Muitos dias se passaram desde que ela passou a morar no palácio real, e a mesma não conseguiu pensar em nada, para tentar livrar-se daquele horrível destino. Até chegou a cogitar a possibilidade de fugir, mas Ino a convenceu de que aquela não era a melhor opção, então acabou desistindo.

— Vai ficar tudo bem Hinata. — Falou para si mesma. — Ele prometeu que não permitiria que esse casamento acontecesse.

— E não permitirei! — O loiro já se aproximava e acabou escutando o que a morena falava.

— Vossa alteza, não percebi que estava aí. — O rosto da morena acabou ganhando uma coloração avermelhada, após perceber que o príncipe escutara seus devaneios. — Vejo que já consegue cobrir a cicatriz com perfeição, fico feliz por você. — A jovem sorriu carinhosamente, causando um aperto no coração de Naruto, que passou a mão na cabeça e sorriu envergonhado.

— Bem... eu tive a melhor sensei. Antes que me esqueça, tenho um presente para você. Mas primeiro, quero que me responda se aceita.

— Um presente para mim? Eu aceito com muito prazer.

Naruto se segurou para não pular de alegria, naquele momento ele se lembrava das palavras de sua mãe, e no quanto ficou magoado.

“ Está vendo mãe? Eu encontrei alguém que aceita um presente meu. ”

Então o loiro pegou a mão direita da jovem e colocou um lenço belíssimo, que guardava algum objeto, Hinata agradeceu e começou a desenrolar o lenço. E ao ver um lindo prendedor de cabelo, abriu um lindo e sincero sorriso.

— É belíssimo, muito obrigada. Eu posso usá-lo na cerimônia?

— Claro que sim, posso colocar em seu cabelo?

— Sim!

E assim ele colocou o prendedor no coque feito por Ino na manhã daquele dia. E movido por um grande impulso, ele a abraçou. Uma brisa leve passava por entre os galhos, fazendo cair várias pétalas de cerejeira ao redor do casal.

— Parece que foi feito especialmente para você, sabia que ficaria lindo em seu cabelo. Obrigado por aceitar. Em parte, estou agradecendo pelo o que você fez por mim, e também por que em meu coração cresce um sentimento por você, sentimento que nunca senti por nenhuma mulher. Mas de verdade, não estou obrigando você a me corresponder, eu sei que isso não é possível. Mesmo assim não desistirei de você. — O loiro afirmou com convicção, enquanto prometia a si mesmo que nunca desistira de conseguir o amor da bela Hinata. Ele fechou os olhos e sentiu a brisa que passava, queria que tempo parasse. Mas a contragosto, se afastou dela.

A morena iria responder ao que o loiro acabara de confessar, no entanto, não teve tempo. Pois Naruto saiu rapidamente.

“ Não é impossível, pois sinto o mesmo por você, vossa alteza. ”

(...)

Naruto foi até o pátio do palácio, ele precisava conversar com Kakashi (Príncipe herdeiro) e Shino, sobre a troca que eles iriam fazer durante a cerimônia. Ao chegar no local combinado, viu que seu irmão e o conselheiro real já o aguardavam.

— Então, como vamos fazer para trocar de lugar? Eu acabei sendo o escolhido para fazer seu cortejo. — Naruto estava visivelmente preocupado com toda aquela situação, eles realmente estavam em grandes apuros. Alguém tentaria matar o príncipe herdeiro, e ele seria aquele que faria o cortejo do príncipe.

— Não se preocupe, pois já pensamos em uma solução. — Falou o conselheiro Shino.

— E qual seria?

— É permitido ao príncipe que fará o cortejo utilizar uma máscara, e o palanquim no qual eu deveria estar, será todo fechado. Então eu ficarei em seu lugar com a máscara. — Kakashi explicou a solução que eles encontraram para burlar aquela cerimonia, e se alguém de fato tentasse atacá-lo, se daria terrivelmente mal. Pois Naruto não teria piedade, seja quem for.

— É um ótimo plano, e minha katana estará pronta para entrar em ação. — O loiro sorriu de lado, fazia tempo que ele não lutava com alguém. Sem dúvidas ele iria se divertir, em acabar com a alegria do criminoso.

— Tudo bem, então vamos logo fazer essa troca, antes que alguém perceba. — Shino apontou para o palanquim, que Naruto ficaria. Em seguida entregou a máscara para Kakashi. E assim eles seguiram para o cortejo, alguns guardas chegaram no local para carregar o palanquim. Então seguiram para as ruas de Tokyo, onde as pessoas aguardavam nas portas de suas residências, para abençoar o futuro rei do império japonês.

O rei Jiraya, as rainhas Tsunade e Kaguya, os príncipes Shikamaru, Sasuke, Kiba e Toneri, e é claro a princesa Shion. Juntamente com as damas da corte e as famílias influentes do reino, esperavam o cortejo em frente a escadaria que dava acesso ao templo de adoração aos deuses.

Fora do palácio ouke, o cortejo seguia tranquilamente pelas ruas de Tokyo, Kakashi que estava no lugar de Naruto, segurava uma espécie de pote com água e alguns galhos de uma árvore. Que era mergulhado na água e em seguida o mesmo era balançado em direção as pessoas, para que recebessem a benção do futuro Rei. Enquanto isso a população fazia reverencia e aceitavam de bom grado aquele que herdaria o grande império japonês. Tudo correu tranquilamente, os irmãos já estavam começando a acreditar que tudo não havia passado de boato. Mas ao se aproximarem da escadaria do templo, vários homens mascarados apareceram nos telhados das casas, que haviam ao redor do palácio real. Naruto percebeu a movimentação e se preparou para lutar, Kakashi soltou o pote e os galhos que segurava, e em seguida empunhou sua espada, enfim os boatos eram verdadeiros. Os guardas colocaram o palanquim no chão e se posicionaram ao redor do mesmo, os mascarados desceram do telhado, e uma luta sangrenta teve início.  A vontade do loiro era de sair daquele lugar e ajudar seu irmão mais velho, no entanto, ele não poderia ser inconsequente, aquele ataque provavelmente era uma distração para que o verdadeiro mandante do atentado ficasse frente a frente com ele. E assim aconteceu, os guardas acabaram ficando distraídos, e se afastaram do palanquim. Então um outro mascarado apareceu, e ficou em frente ao palanquim, ele analisou tranquilamente, e se abaixou para tentar visualizar algo. Naruto percebendo a movimentação do criminoso, decidiu de uma vez atacar, e acabou chutando com extrema força a porta do palanquim, saindo assim do mesmo e encarando aquele homem que havia acabado de assinar sua sentença de morte. A porta que Naruto chutou acabou acertando em cheio o mascarado, que ficou paralisado quando percebeu que não era o príncipe herdeiro que estava no palanquim.

— Parece que você se enganou de príncipe.

O Homem se levantou e partiu para o ataque, mas Naruto foi mais rápido e deteve com precisão a investida, e mesmo ele sendo o melhor espadachim do reino, o seu oponente não era um homem qualquer, pois a luta de espadas estava acirrada. Mas Naruto ouviu gritos e acabou se distraindo, foi quando o mascarado o acertou em cheio na altura de seu ombro, Naruto se abaixou com a dor, e quando o homem o iria atacar novamente, mais guardas se aproximavam rapidamente, juntamente com o rei e os outros príncipes. O homem então constatou que não teria mais chances de concluir sua missão, e preferiu fugir, assim como os outros que o ajudaram. Naruto se levantou para ir atrás do criminoso, mas seu o pai o impediu.

— Quarto príncipe! Você está bem? — Questionou o rei, demonstrando preocupação com o filho.

— Sim, e é por isso que preciso ir atrás deles.

— Não! Deixe que os guardas façam isso, você já fez o bastante.

Naruto ficou abismado com a repentina preocupação de seu pai, ele não esperava aquele tipo de atitude partindo do mesmo. Por fim resolveu seguir o conselho do rei.

— Tem razão vossa majestade.

— Chamem o médico agora mesmo, ainda precisamos terminar o ritual. Você se saiu muito bem hoje meu filho. — Sorriu.

— Obrigado por suas palavras, pai.

— Vamos entrar!

O quarto príncipe foi atendido pelo médico real, e assim todos seguiram para finalizar o ritual. Kakashi subiu a escadaria,  e quando chegou no templo, fez as oferendas aos deuses, e assim todos comemoraram. Kakashi oficialmente era o príncipe herdeiro do trono.

Hinata que estava próxima aos príncipes, viu que Naruto estava com um curativo no braço, e foi até ele para saber se estava tudo bem, o rei ao ver a jovem indo em direção ao seu filho, acabou se lembrando que o mesmo o havia pedido que desistisse daquele casamento, o que o deixou bastante intrigado, naquele momento ele pensou que o melhor seria aproveitar que estavam todos comemorando, e realizar o casamento naquele instante. Ele chamou a dama da corte Kurenai, e ordenou que as damas levassem Hinata para ser preparada para o casamento, o mais rápido possível. Ele não poderia permitir que sua futura concubina, tivesse sentimentos por um de seus filhos, ele não permitiria aquilo em hipótese alguma. As damas da corte fizeram o que lhes foi ordenado, pegando Hinata de surpresa.

— Kurenai, o que significa isso? Por que a está levando a força? — Perguntou o loiro, que começava a ficar irritado com a situação.

— Ordens do rei, segundo ele, o casamento será realizado em instantes, por isso devemos arrumar a jovem.

Naruto arregalou os olhos, e encarou o seu pai que o lançava um olhar vitorioso, mas isso não ficaria assim, nem que tivesse que lutar contra o exército inteiro do país, aquele casamento definitivamente não iria acontecer. Hinata que por sua vez, já esperava que isso aconteceria logo após o ritual, ela percebeu pelo olhar do loiro que ele planeja fazer uma loucura, e ela não podia permitir que nenhum mal o acontecesse.

— Naruto, está tudo bem, eu darei um jeito. Eu peço, não, eu imploro que não faça nada.

— Mas Hinata, não está vendo que não existe solução? Nós temos que fugir daqui eu preciso leva-la para longe, não entende que não posso permitir esse casamento? — Naruto estava ficando visivelmente desesperado, Hinata iria mesmo aceitar aquele absurdo? Mas ele não poderia negar um pedido da morena, ele prometeu a si mesmo que não a faria sofrer. — Está bem se é isso que deseja, eu não farei nada.

O loiro se retirou do pátio e seguiu para o quarto, ele estava desolado, e acima de tudo culpado por não ter conseguido evitar aquela insanidade de seu pai. Hinata ao ver o estado em que o príncipe se afastava, sentiu como se uma faca entrasse em seu peito. Ela precisava pensar em algo e rápido. As damas da corte a levaram até o quarto, e começaram a arrumar a morena para a cerimônia de casamento, Hinata naquele momento não conseguia processar quase nada, ela entrou em estado automático, aquele realmente seria o único destino para ela? Logo agora que seu coração estava feliz, e sendo preenchido por um lindo sentimento, vindo daquele homem que tanto a ajudou, e apoiou. Ela elevou a mão até o prendedor que o príncipe colocara a poucas horas atrás, sorriu com tristeza, e se lembrou do lindo momento em que ele a abraçou e confessou o que estava sentindo por ela, e lamentou profundamente por não ter conseguido responde-lo adequadamente, e provavelmente não haveria outra oportunidade. Kurenai percebeu o estado em que a jovem estava.

— Eu avisei que deveria esquecer qualquer sentimento, o rei não muda de ideia. Querida, infelizmente não existe opção para você nesse momento. Você deve se resignar. Ao menos dessa vez, me escute, ok?

A jovem não falou nada, apenas continuou a viajar pelas lembranças que tinha com o quarto príncipe.

— Enfim, você já está pronta, está lindíssima. Anime-se! Vamos para a sala do trono, o rei já está a nossa espera.

Naruto que estava em seu quarto, tentava pensar em como poderia tirar Hinata do palácio, mas a única opção seria a de fugir com ela, mas isso provavelmente acabaria com a morte de ambos. Porém, mesmo com o risco, ele devia tentar, então ele pegou sua katana e seguiu para a sala do trono. Esperaria por um momento oportuno, e a levaria para longe daquele lugar.

Na sala do trono, toda a família real estava reunida e aguardando o início do casamento. Toneri estava furioso, mas ele não tinha coragem e muito menos um plano para evitar que seu pai, ficasse com seu maior objeto de desejo, por fim, ele apenas aceitou que havia perdido. Naruto entrou tranquilamente na sala, não poderia levantar suspeitas, por isso escondeu a katana por dentro da roupa, e esperaria o melhor momento para agir. Naquele momento as portas abriram revelando a bela noiva que se tornaria a terceira rainha do Japão, Naruto ficou ainda mais encantado ao ver como ela estava linda, e acima de tudo que ela ainda usava o seu presente.

Hinata e Jiraya começaram a caminhar em direção ao trono, e mais uma vez Hinata mergulhava em lembranças, ela sentia que havia algo que poderia salvá-la, só que, por mais que tentasse não conseguia se lembrar, foi então que ela olhou para Naruto, mais precisamente para o seu rosto, que estava suado devido a luta, e como resultado a cicatriz se fez novamente presente. E esse foi o estopim para que ela relembrasse de sua primeira conversa com a dama da corte Kurenai.

“— Querida você ainda é muito jovem, o rei não muda de ideia, ele decidiu, então assim será. Tome cuidado, pois ele mandará matar seja quem for. Damas? Podem entrar. Tire sua roupa.

— O que? Tirar minha roupa? Para que? — Hinata andou até a cama se encolhendo em proteção.

— Uma mulher com cicatriz não pode casar com o rei. Tirem a roupa dela. — Ordenou. “

Enfim era isso, uma mulher marcada não poderia em hipótese alguma ser esposa do rei, Hinata lançou um sorriso para Naruto, como se pedisse desculpas por algo de errado que iria fazer. Ela parou na metade do caminho, e Jiraya que não percebeu, acabou dando alguns passos à frente, até que Hinata chamou sua atenção.

— Acho que esse casamento será cancelado vossa majestade. — Hinata lentamente levantou a mão até a cabeça e puxou o prendedor que ganhou de presente, e levou a ponta do mesmo que era extremamente fina e afiada até a lateral de seu rosto, mais precisamente do lado direito, próximo ao olho.

— O que vai fazer sua estupida?

Hinata sorriu por um breve instante, e em seguida fechou o sorriso, e com toda força e coragem que reuniu naquele momento, cortou o rosto da região próxima à testa até o início do pescoço. Todos na sala ficaram perplexos com a atitude da jovem, ela realmente chegou ao ponto de marcar definitivamente seu rosto, afim de evitar o casamento? Naruto entrou em desespero, e correu até ela, pois a morena já dava sinais que iria desmaiar a qualquer momento devido a dor que sentia. O rei ficou furioso, como aquela garota poderia ser tão estúpida? Ele ergueu uma das mãos e ao tentar bater em Hinata, foi impedido por seu quarto filho, que no mesmo instante que segurava seu pulso, também segurava a jovem.

— Já chega! Você não fará mais mal a ela, eu não vou permitir. Não é o suficiente, que tenha a obrigado a fazer isso?

— Essa pirralha estúpida acha mesmo que irá se livrar de mim? Pois eu declaro que Hyuuga Hinata nunca sairá do palácio, mesmo que não seja minha esposa, ela será eternamente uma dama da corte. Ela será minha escrava até o fim se sua existência.

— Isso é o que veremos. — Naruto carregou Hinata em seus braços e a levou em direção a casa do médico real. Ele estava extremamente abalado e se sentindo culpado, se ele tivesse feito algo, ela não teria cometido tamanha atrocidade contra si mesma. Ela ficaria marcada pelo resto da vida e ele era o único culpado.

— Naruto, Naruto, me escute, por favor pare eu preciso falar algo. — Hinata falava em meio a dor que sentia, e o sangue que não parava de escorrer do seu rosto.

— Não! Você precisa de um médico.

— Por favor Naruto, é importante.

Por fim, o príncipe resolveu atender ao pedido dela, então ele se abaixou e apoiou o corpo da jovem no chão, enquanto a segurava na altura dos ombros, fazendo a ficar praticamente sentada. Hinata fixou o olhar em Naruto, que evitava a olhar nos olhos.

— Olhe para mim, você não tem culpa disso, eu que decidi por mim mesma. — Nesse momento Naruto criou forças para olhar em seus olhos, e Hinata colocou sua mão ensanguentada na face do jovem príncipe.

— Por que você fez isso? Por que chegou a esse ponto? Agora você ficará marcada para sempre, sabe o quanto isso é terrível? — Lamentou.

— A cicatriz o incomoda? Seus sentimentos irão mudar por causa disso?

— CLARO QUE NÃO! Eu só não quero que você passe pelas mesmas coisas que eu passei. — Agora foi a vez dele de colocar a mão no rosto da morena. — Me diga, por que?

— Por que eu te amo...

Fim do capítulo 5


Notas Finais


Pois é gente, Hinatinha foi obrigada a cometer uma loucura contra si mesma, peço que não fiquem tristes com isso, pois ainda tem muita coisa para acontecer. Acho que parei no momento mais emocionante ne? Quem vocês acham que comandou esse atentado? Próximo capitulo começa a saga do casal para conseguirem ficar juntos e enfim viverem esse amor. Deixem seu feedback.
Espero vocês no próximo capítulo.
Beijos de luz :*.
P.s: O prendedor de cabelo que Naruto deu a Hinata é o mesmo que ele iria dar a sua mãe, porém ela o rejeitou.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...