História Rehab (Camren) - Capítulo 71


Escrita por: ~

Postado
Categorias Demi Lovato, Fifth Harmony, Justin Bieber
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Demi Lovato, Dinah Jane Hansen, Justin Bieber, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camila, Camren, Lauren, Lesbicas, Reabilitação, Romance
Visualizações 416
Palavras 1.446
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 71 - Camally


Camila's POV

Acordei com o barulho de algo batendo no andar de baixo. Eu ainda não estava totalmente acordada,mas ri baixo ao pensar no que a Dinah e a Mani estariam aprontando sozinhas na sala. Virei para o outro lado com o braço pronto para abraçar a Laur,mas toquei o colchão frio,ela não estava ali. Abri os olhos e sentei na cama em um pulo,demorando um tempo para raciocinar que devia ser a Lauren no andar de baixo. Me levantei da cama e conferi se ela não estava no banheiro,indo para o andar de baixo logo depois.

— Lauren,eu já disse...Volta para a cama. — Escutei a Dinah brigar baixo.

— Eu não vou fazer nada,Dinah! Só quero comer. — A Laur falou.

— Camila,controla a Lauren. Ela tá acordando todo mundo! — A Dinah pediu quando me aproximei.

— O que houve? Porque não está dormindo? — Segurei sua mão,que estava fria.

— Eu levantei para comer,mas eu não consegui fazer nada porque...porque não tinha faca. — Começou a falar tudo muito rápido. — E agora quero sair para ir em um fast food,mas a Dinah não deixa! Abre a porta para mim,Camz! 

— Sabe que eu não posso fazer isso.

— VOCÊS ESTÃO ME PRIVANDO ATÉ DE COMER? É ISSO? — Gritou e soltou minha mão com brutalidade.

— Não é isso,amor. Vamos lá fazer algo para você comer.

— Eu não quero nada que tenha aqui,quero comer fora. — Foi na direção da porta e tentou abri-la diversas vezes,mas estava trancada. — Onde está a chave?

— Eu não sei. 

— Onde está,Camila! — Se aproximou com raiva nos olhos,mas a Dinah a segurou.

— Calma,porra! Você está tendo uma crise,luta pelo controle. — A Dinah falou e a Laur parou,encarando a Demi e a Ally que desciam as escadas correndo.

— Não,eu estou bem. — Se esforçou para manter a voz calma e baixa. — Eu não estou tendo uma crise,eu só quero tomar um pouco de ar puro. Podem abrir a porta? Eu volto logo.

— Nós não vamos abrir a porta. — A Demi falou firme e o rosto da Laur ficou tão vermelho que pensei que ela fosse explodir de raiva.

— VOCÊ É SÓ UMA PSICÓLOGA,NÃO PODE SAIR ACHANDO QUE MANDA NA VIDA DAS PESSOAS! EU NÃO SOU O BRINQUEDINHO DE VOCÊS,ESSA É A MINHA VIDA. — Voltou a tentar abrir a porta,e quando não conseguiu deu um chute e foi na direção da Demi. Eu tenho certeza que ela iria dar um soco,se não fosse pela Dinah e pela Mani,que entraram na frente e a seguraram. — ME DIZ ONDE VOCÊ COLOCOU! ONDE VOCÊ JOGOU A PORRA DA MINHA HEROÍNA?

— Já era,Lauren. Eu joguei na pia do banheiro e liguei a torneira. — Manteve a postura. — Está no esgoto agora.

— Me larguem! — A Laur começou a se debater até as meninas a soltarem.

Assim que conseguiu se soltar,ela subiu as escadas correndo,caindo quando estava quase lá em cima,mas continuando sem se importar. A seguimos sem pensar duas vezes e paramos na porta do banheiro do quarto,encontrando a Laur sentada no chão, puxando o cano da pia,como se sua vida dependesse daquilo. Ela ignorou totalmente a nossa presença ali,e continuou tentando destruir o cano.

— Demi,o que vamos fazer? — Perguntei assustada e desesperada

— Deixa ela. — Sussurrou. — Uma hora ela se cansa.

Minha respiração começou a ficar acelerada e eu comecei a suar. Fui até a minha bolsa, que estava jogada em cima de uma cadeira e remexi rapidamente,mas as minhas mãos trêmulas atrapalhavam. Encontrei o frasco laranja após o que pareceu uma eternidade e enfiei um comprimido na boca, o engolindo com um certo desespero.

— Você está bem? — A Ally perguntou.

— Sim,Eu só...Preciso r-respirar. — Não aguentei e tomei outro remédio.

— Vai com calma aí. — Ela tirou o frasco da minha mão e colocou na minha bolsa, a fechando e colocando na cadeira do outro lado do quarto. — Vai ficar tudo bem.

— Olha como ela está! — Olhei para o banheiro e a Lauren já havia conseguido tirar o cano,agora olhava dentro dele achando que iria conseguir algo.

— Você é o motivo pelo qual ela está aqui. Tenta falar com ela,antes que acorde todos os vizinhos. 

Segui o conselho da Ally e fui contra os meus instintos de apenas deixar tudo passar. Caminhei até o banheiro e me abaixei de frente para a Laur. Fiz ela me encarar e pedi para que ela fosse forte,para que lutasse contra o que quer que esteja lhe deixando mal e por um segundo eu vi uma luz em seus olhos,antes dela voltar a perder o controle e me empurrar para o lado,se levantando e correndo até o andar de baixo. Os remédios ainda não haviam tido efeito e eu comecei a ficar nervosa. A Demi e as meninas nem perceberam meu estado e assim que a Lauren saiu elas foram correndo atrás dela,mas a Ally já estava desconfiando que  tinha algo errado comigo. Ela me ajudou a levantar do chão e me levou até o quarto, me deitando na cama.

— Você se lembra de quando eu fiquei viciada em coca cola? — Perguntou e me abraçou de lado,deixando eu colocar o rosto em seu pescoço. — Eu não bebia mais água, minha sede só parava quando eu sentia o gás da coca e eu estava começando a ter problema nos rins. Então um dia você invadiu a minha casa e pegou todos os refrigerantes,colocando garrafas de água no lugar. Três dias depois você voltou e a minha geladeira estava lotada de refrigerantes novamente e você fez um experimento para que eu visse o quanto o refrigerante poderia ser corrosivo. Após outros três dias foi a mesma coisa e você de algum jeito desligou minha geladeira para que eu tomasse coca cola quente. Mais alguns dias se passaram e você encontrou algumas poucas latinhas...Então você saiu sem dizer nada e voltou minutos depois com várias garrafas que continham água com gás.

— Aí você disse "Mas tem gás do mesmo jeito" e eu disse "Mas é água e você precisa beber água" — Comecei a relembrar a cena,enquanto ela me fazia cafuné. — E nos dias que se passaram você deixou a coca cola aos poucos e começou a tomar água com gás,fazendo com que sua glicose e seus rins voltassem ao normal.

— Sim. O que eu quero dizer é...Você não desistiu de mim. Você tentou de todos os modos criativos que conseguiu pensar,até que conseguiu me fazer voltar a tomar água. Talvez a Lauren precise disso, criatividade. E eu sei que você é bem criativa. — Escutei os gritos da Lauren no andar de baixo e por impulso quis me levantar para ver como ela estava,mas a Ally me segurou. — A Demi e as meninas sabem o que fazer. Agora você precisa pensar em um jeito criativo de ajudar.

— Ela me disse que fica pior de noite. — Tentei o máximo ignorar os gritos. — Então nós podemos fazer algo durante a noite.

— Ótima idéia, aí nós podemos...

Começamos a colocar as ideias em pratica, eu estava animada com nosso plano e realmente achava que iria funcionar. Pouco tempo depois a voz da Ally foi ficando mais distante e os dois comprimidos que eu tomei começaram a fazer efeito,fazendo com que meus olhos se fechassem lentamente e eu dormisse com a Ally me fazendo cafuné.

Lauren's POV
Acordei no sofá da sala de estar. Olhei para baixo e a Mani dormia agarrada com a Dinah em um colchão e a Demi dormia em outro. Eu me lembrava pouco do que aconteceu na noite anterior,mas não tinha certeza se foi real ou se eu realmente causei toda aquela bagunça. Decidi me levantar e senti um pouco de tontura, então fiz a análise física que a Demi me ensinou quando eu ainda estava na clínica. Fechei os olhos e respirei fundo, sentindo o cansaço começar a aparecer e lutar contra a agitação dentro de mim, os fracos tremores involuntários começaram a se espalhar pelo meu corpo juntamente com a dor e conclui que era mudança da primeira fase de abstinência para a segunda. Olhando pelo lado bom,pelo menos o risco de eu espancar alguém iria diminuir. Me levantei em um pulo por conta da agitação e subi as escadas, me sentindo meio culpada por ter deixado a Camz dormindo sozinha no quarto e pensando em alguma maneira de pedir desculpas. Abri a porta com cuidado para não acorda-la e me assustei com a cena que vi, sentindo a adrenalina ir a mil. A Camz estava dormindo abraçada com a Ally,da mesma maneira que ela dorme comigo.

— CAMILA! — Gritei com toda a raiva que eu senti ao ver a cena.


Notas Finais


Ok, eu sei que os últimos capítulos estão uma merda, mas eu juro q vou melhorar a escrita kkkk tenham paciência e n desistam de mim


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...