História Reinado - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood
Exibições 145
Palavras 1.467
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Luta, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


E como eu prometi todo final de semana terá capitulos novinhos!! E os desse final de semana já estão prontinhos só esperando para ser revisados e postados haha!! Então preparem que sábado e domingo também tem capítulos novos! Então borá lá e boa leitura. Espero que gostem 💕

Capítulo 18 - Revelações.


Fanfic / Fanfiction Reinado - Capítulo 18 - Revelações.

 Regina acordou na manhã seguinte sentindo um calor absurdo; abriu os olhos de vagar e viu Robin praticamente deitado em cima de si. Robin dormia tranquilamente com as pernas entrelaçadas com as de Regina, um dos braços dele passava ao redor da cintura dela e a cabeça estava deitada no peito da esposa havia também um cobertor branco grosso que cobria os dois. Regina olhou para Robin e sem perceber abriu um leve sorriso era a primeira vez que acordava ao lado do marido. 
— Robin?! — Regina sussurrou com a voz rouca ainda. 
— Amor, não! — Robin sussurrou com os olhos fechados e a respiração calma. Regina paralisou ao ouvir a palavra "amor", olhou para Robin e o mesmo não havia nem se mexido seria um sonho? Ele apenas estava sonhando não estava? Regina o encarou e pensou "será que ele está sonhando com ela?". Robin abraçou mais Regina e ela ergueu os braços sem saber se o tocava ou não.
— Meu Deus! — Regina sussurrou olhando para o teto e com os braços ainda erguidos. — O que eu faço?
 Regina ficou um bom tempo parada ali olhando para o teto e depois para Robin que ainda dormia.
— Robin, acorda! — Regina sussurrou e o sacudiu um pouco mais nada. Robin nem se quer se mexia. Regina olhou as expressões faciais de Robin e concluiu que ele estava sonhando mesmo. Regina riu e abaixou os braços para acariciar o cabelo do marido.
— Regina... — Robin sussurrou quase imperceptível.
 Regina sorriu ele estava sonhando com ela. 
— Ei... — Regina sacudiu Robin novamente, porém mais forte. — Robin! Acorda!
 Robin acordou assustado e olhou para Regina sem entender.
— O que? Que? O que aconteceu? — Robin falou de uma vez com a voz rouca.
— Nada é que você estava praticamente em cima de mim e eu estava com calor. — Regina deu ombros.
— Me acordou por isso? — Robin revirou os olhos e a agarrou mais forte. — Fique quieta!
— Robin... — Regina riu por um momento se esqueceu de tudo e de todos e aquilo era realmente reconfortante. 
— Podemos passear hoje! — Robin disse com a voz rouca voltando a deitar a cabeça no peito de Regina.
— Passear? Robin não tenho tempo para isso... 
— Já disse que preciso conversar com você e pensei em fazer isso longe do castelo! — Robin ergueu a cabeça para olhá-la. — Sei que não está bem ainda, mas no fundo você sabe que eu não estou mentindo.
 Regina encarou Robin por alguns segundos e concluiu que o reino ficaria bem sem eles por um dia e ela estava curiosa para saber o que ele tanto insistia para contar.
— Tudo bem! — Regina sorriu. — Vamos dar uma trégua hoje estou disposta a te ouvir.
— Ótimo! — Robin sorriu e aproximou o rosto do dela para beija-lá, mas Regina desviou o rosto.
— Isso não muda nada, esteja ciente! — Regina disse e o empurrou delicadamente para o lado e se levantou. Robin suspirou e jogou o corpo para trás, Regina o olhou deitado ali na cama dela e negou com a cabeça indo para o banheiro logo em seguida.
 Mais tarde Regina e Robin andavam lado a lado pelas trilhas que ficavam na floresta de Corning. Os dois andaram por um bom tempo em silêncio, ouvia-se apenas os sons das árvores, das flores e dos pássaros. A floresta de Corning era calma sem muitos animais e apesar de ter muitas árvores a floresta não era escura. Era adorável, Regina adorava. 
— Você disse que a gente precisava conversar e até agora não disse nada... — Regina olhou para Robin. 
— Não sei por onde começar. — ele respondeu.
— Começamos por sentar um pouco, porque eu estou cansada! — Regina disse e Robin riu. 
 Os dois sentaram debaixo de uma grande árvore onde Regina costumava brincar com Emma quando crianças. A perda recente de Emma fazia Regina se sentir uma completa incapaz e mesmo sendo um tremendo absurdo ela queria trazer a prima de volta. 
— E então? — Regina perguntou mexendo em uma folha. Estava sentada com as pernas cruzadas na famosa posição "índio" e Robin estava sentado ao lado dela com as pernas esticadas e cruzadas, a cabeça dele se apoiava tranquilamente na árvore. 
— Quando eu viajei não fui ver Marian... — Robin começou e só então Regina o olhou. — Sei que ficou chateada por eu ter viajado, mas foi necessário.
— Quem foi ver? 
— Marie! — Robin respondeu e Regina o olhou confusa. — Ela é uma senhora muito sábia e eu a tenho como uma mãe. 
— Entendi! — Regina deu um leve sorriso se sentia mais tranquila ao saber que Robin não tinha ido ver Marian intencionalmente. — E o que foi falar com Marie?
— Eu precisava saber o que Corning tinha de tão importante para interessar tanto ao meu pai. — Robin respondeu e Regina o olhou sem entender.
— O que seu pai quer com Corning? Annecy é muito maior...
— Sim, Regina! Mas... Corning pertenceu a Annecy há muito tempo atrás. 
— Espera... — Regina o olhou surpresa. — Corning era de Annecy? Mas... O que mudou?
— Sua mãe! É ai que sua mãe entra.
— Minha mãe?! — Regina deu um leve riso achando aquilo absurdo. — Robin minha mãe era tímida, quase nunca falava com ninguém e era desastrada, com certeza você está enganado. 
— Quem te falou que sua mãe era assim?
— Meu pai. — Regina deu de ombros. — Como sabe eu não a conheci ela se foi quando eu era bebê ainda... Acho que eu tinha uns dois, três meses... Ai meu pai me falava dela.
— Acho que seu pai não lhe contou a verdade! — Robin disse e viu Regina o olhar furiosa. — Não, calma, não estou o chamando de mentiroso... Sua mãe pode ter se tornado essa pessoa que ele descrevia, mas antes disso ela era uma mulher extremamente poderosa e que fundou Corning. 
 Regina olhou para Robin, mas nada respondeu. Não conseguia digerir as palavras dele como assim sua mãe fundou Corning? Não fazia sentido algum. 
— Sei que isso é bem confuso, mas é verdade! Sua mãe era habilidosa, derrotava facilmente os inimigos e por isso não teve problemas em ganhar a guerra. Bem... Sua mãe era... Digamos que... Uma bruxa. — Robin concluiu e viu Regina o olhar como se aquilo fosse uma piada. Ela riu, ele revirou os olhos.
— Robin você sabe que isso soa ridículo não sabe? Ainda mais vindo de alguém como você... — Regina gargalhou. — Ai... Ai...
— Você nunca fez algo de estranho que não pudesse explicar? Nunca notou habilidades fora do comum em você Regina? — Robin perguntou e viu a esposa ficando séria de repente. 
 Regina desviou o olhar do dele e olhou para as folhas no chão. Sim, coisas estranhas já tinham acontecido com ela. Como a vez em que ela conversava sobre o casamento com Vicent e ele a deixou nervosa as luzes do castelo piscavam cada vez que ela se irritava mais com ele. E aquilo não era a primeira vez que acontecia, por isso Regina ignorava o piscar das luzes, pois não sabia o que era e sempre que ia investigar achando que a fiação estava com problemas via que tudo estava normal. 
— Regina?! 
 Robin segurou a mão de Regina e ela o olhou. 
— Eu nunca fui treinada! — Regina sussurrou. Robin a olhou sem entender e então ela continuou: — Eu disse a você que eu fui treinada para defender meu povo, mas era mentira. Nunca treinei Robin! A minha mira sempre foi impecável sem eu passar anos treinando, eu sempre fui boa com a espada desde que peguei em uma.... O que eu quero dizer é que...
— São habilidades naturais suas! — Robin sorriu. 
— Pode ser! — Regina olhou para suas mãos e suspirou. — Uma vez eu tentei conversar com meu pai... Eu dizia que coisas estranhas aconteciam comigo e eu não sabia explicar o que era... Ele sempre desviava do assunto e dizia que era coisa da minha cabeça e que era uma fase que logo iria passar.
— E passou? 
— Não! — Regina suspirou. — A cada dia minhas... habi.... Essas coisas que eu tenho aumentam! E eu não sei o que fazer. 
— Marie pode te ajudar... — Robin sorriu para a esposa. 
— O que acontecera comigo? 
— Regina... Annecy quer Corning de todos os modos... O exército de Annecy foi responsável pelo massacre na aldeia leste! 
— O que? — Regina disse com a voz transbordando ódio. — Está me dizendo que seu pai matou meu povo? Matou Emma?
— Eu não sei se foram eles que mataram a Emma, mas olha eles querem Corning e vão fazer de tudo para conseguir... Não vamos deixar! Haverá guerra Regina precisamos estar prontos, precisamos lutar pelo nosso reino e pela sua vida! 
— Robin... 
— Confie em mim... Eu estou do seu lado, meu pai me enganou também e isso não vai ficar assim! Nenhum desses assassinatos sairá sem uma punição. 
 Regina olhou para Robin, cerrou os punhos antes de concluir:
— Eu vou destruir a felicidade do seu pai... Nem que seja a última coisa que eu faça. 

 


Notas Finais


Precisava ter uma frase inspirada na Evil queen não é? hahaha Gente por hoje é isso amanhã tem mais! E vocês iram amar o que está por vir prometo. Até breve e beijaaaaaão 💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...