História Relação pecaminosa - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Fugaku Uchiha, Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Izumi Uchiha, Kakashi Hatake, Karin, Konan, Mebuki Haruno, Naruto Uzumaki, Pain, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Temari, TenTen Mitsashi
Tags Adultério, Fardado, Itachi, Itakonan, Itasaku, Izumi, Konan, Naruto, Sasusaku, Sexo
Exibições 237
Palavras 2.468
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Festa, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo-Ai, Suspense
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Necrofilia, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Minna-san voltei com mais um capítulo pra vocês, espero que gostem e me digam o que estão achando. Boa leitura

Capítulo 3 - Desejo


Fanfic / Fanfiction Relação pecaminosa - Capítulo 3 - Desejo

- Argh. - resmungo pela vigésima vez observando a hora no despertador ao lado da cama. Já havia uma hora que a "diversão" no quarto ao lado acabou o que me deixou de certa forma aliviada. Por outro lado minha mente parecia estar num complô contra minha sanidade, reproduzindo os gemidos/rosnados de Itachi.
"Que voz rouca sensual, pqp", me repreendi quando já estava tocando meu seio lembrando de seus barulhos. Sinto meu corpo quente e não é bom sinal, caminhei a passos rápidos até o banheiro, joguei uma água no rosto e olhei-me no espelho percebendo meu peito subir e descer rápido devido a minha respiração acelerada. Oh kami, o que está acontecendo comigo? Volto para o quarto, vejo a hora 3:45 da manhã, eu realmente preciso me acalmar.

"Rebola sua gostosa" minha boca secou ao lembrar daquela voz carregada de luxúria. Água, preciso me hidratar visto que a cada minuto se passava, ficava mais quente. Abri a porta do quarto devagar com medo de trombar com alguém pela casa. A cada passo dado era como se uma borboleta nova surgisse no meu estômago, continuei andando a passos leves até chegar na cozinha. A janela de vidro era grande e a lua essa noite estava totalmente charmosa dando uma considerável iluminação ao recinto, por esse motivo não liguei a luz, caminhei até a geladeira pegando uma garrafa de água servindo-me logo em seguida. A água gelada descia pela minha garganta levando consigo um pouco do calor, terminei de beber e caminhei em direção o quarto. Quando estava prestes a sair da cozinha, uma mão tampa minha boca e um corpo grande e quente me arrasta até a dispensa da cozinha. Isso é mais um closet, só que pra comida. A luz continuou desligada, senti a pessoa desgrudar de minhas costas e parar na minha frente,  uma respiração calma bater em meu rosto, "próximo demais", minha mente alertava. Fechei os olhos, não queria ver, não acreditava que ele estava ali na minha frente.

- Não devia andar por ai essa hora da madrugada sendo a vítima perfeita rosadinha -  estremeci ao ouvir sua voz rouca num sussurro, perto demais dos meus lábios. Oh kami!

- Vítima perfeita? - perguntei num fio de voz, engoli seco abrindo os olhos só para ver Itachi abrir um sorriso malicioso em meio a escuridão.

Senti suas mãos agarrarem minha cintura a apertando grosseiramente, da mesma forma me prensou contra a porta sem nenhuma delicadeza.

"Rude e forte" como eu gosto, me enlouquece.

- Sim - disse simplesmente, logo após toca em meus lábios com o polegar - Ah como eu queria beijar essa boquinha. - Oh não, involuntariamente entreabri meus lábios ansiando por um beijo que não veio, me deixando frustada. Mas como assim eu queria  beijo do meu próprio cunhado? Eu só posso estar ficando louca. Preciso sair daqui, mas meu corpo não responde então decido perguntar num momento de ousadia:

- Porque não beija? - Me arrependo assim que termino de perguntar. Onde eu estou com a cabeça? Recupero o pouco de consciência que tenho - Me deixe sair por favor.

- Não tem ninguém te segurando. - só então percebi que ele já havia tirado suas mãos de cima de mim. Antes mesmo de me virar para abrir a porta, ele se aproxima novamente segurando rudemente meu queixo e passa de leve sua língua pelos meus lábios. Fiquei estática em meu lugar enquanto ele abria a porta mas parou por um momento para dizer - Não irei tocar em você até que peça Sakura. - terminou sussurrando meu nome, abriu a porta e saiu.
Continuei parada como uma estátua assimilando o que acabou de acontecer, sempre soube desde aquela noite em que o vi com Izumi que ele seria um problema para mim. Voltando para o quarto encontrei Konan na escada, me olhou e apenas sorriu. Continuei meu caminho, deitei na cama pensando em como parar de mentir pra mim mesma e tentar lidar melhor com os fatos. Me sinto atraída pelo meu próprio cunhado? Sim. Quando sai do quarto queria encontrar com ele? No fundo sabia que sim. Ele não vai mexer com a minha mente certo? Certo. Fico me questionando até dormir.

Ao acordar estava sozinha na cama, olhei a hora no relógio e estava atrasada demais para ir ao trabalho. Levantei da cama num pulo, fiz minha higiene matinal, escolhi um vestido social preto dois palmos acima do joelho e meus famosos saltos. Decidi ir a cozinha pegar uma fruta para comer a caminho do trabalho, mas ao chegar me deparo com todos reunidos tomando seu café.

- Bom dia - disse com a voz doce, todos os olhares se voltaram para mim. Rapidamente sentei ao lado do Sasuke dando um selinho rápido no mesmo - Bom dia meu amor. - me deu um bom dia e voltou a tomar seu café.

- Bom dia querida, dormiu bem? - perguntou Dona Mikoto amável como sempre.

- Dormi sim, e a Senhora? - menti descaradamente.

- Na verdade foi meio difícil dormir ontem com tanto barulho - respondeu com um tom brincalhão, corei absurdamente com sua afirmação. Olhei para Sasuke que estava com aquele sorriso de canto que eu amo, apenas deu de ombros e continuou sua refeição.

- Nao me parece que dormiu bem Sakura, esta com olheiras horríveis - Konan falou sorrindo ironicamente. Qual é o problema dessa mulher?

- Talvez seja porque não dormi tanto quanto gostaria - olhei para Sasuke sorrindo e completei - fica meio difícil dormir com um homem desse ao lado.
Me arrependi  amargamente de dizer isso ao ver Itachi da um sorriso de lado. Saiu em duplo sentido, mas ninguém precisava saber no entanto infelizmente ele pegou a frase no ar. Embora eu estivesse atrasada para o trabalho, fiquei para tomar café com a Família Uchiha. Enquanto todos conversavam percebia o olhar do meu cunhado discretamente sobre mim, mas ao sentir algo subindo vagarosamente pelas minhas pernas soube que era ele de novo. Minha respiração começou a acelerar. Oh não!

- Foi um prazer tomar café com todos, mas já estou atrasada para o trabalho então é melhor eu ir. Bom dia a todos - disse com um sorriso no rosto mas por dentro eu estava apavorada com o que estava acontecendo. Sou noiva do Sasuke e o amo, entretanto meu maravilhoso cunhado irresistível vem atormentar meus pensamentos e não posso deixar isso acontecer.
Me despedi do meu noivo, entrei no carro ligando o radio para distrair meus devaneios. Já próximo ao prédio onde trabalho havia um semáforo fechado, pensei em avançar o sinal no entanto pensei melhor não. Reparei na movimentação estranha de pessoas lá fora, andando apressadas e como se estivessem com medo de algo, até que ouço batidas no vidro do meu carro, ao olhar para janela me arrependo. Uma arma apontada para minha cabeça, palavras e gestos agressivos, e meu carro virando em alta velocidade na avenida. Oh kami! Quando me recuperei do choque pude ver mais duas pessoas nervosas porque também tiveram seus carros levados, só que o meu tem um valor sentimental "meus pais me deram antes de morrer". Decidi então ir prestar queixa numa delegacia próximo do local do assalto, andei aproximadamente uns 30 minutos no calor, vestida de preto e com saltos. Argh hoje definitivamente não é meu dia!

Ao chegar na delegacia avistei muitos policiais porém o que se destacou ao meu ver foram as mulheres sorridentes, algumas coradas, outras se abanando. Ignorei tudo aquilo caminhando até a recepção e pude ouvir comentários como "Já viu o novo delegado?", "Um gato", "Maravilhoso, deve fazer loucuras na cama", "É claro que vou transar com ele". Então é por isso que as mulheres estavam daquele jeito quando cheguei, para ficarem assim deve ser um homem e tanto, enfim não vim até aqui pra querer saber disso.

- Olá, quero fazer uma ocorrência. - fui o mais breve possível ao falar com a recepcionista que soltava suspiros apaixonados.

- Só um minuto senhorita - pegou o telefone, falou com alguém e logo pediu para que eu fosse até uma porta preta no segundo andar. Rumo a sala percebi os olhares sobre mim, fiquei um pouco incomodada mas logo tratei de parar com esses pensamentos afinal minha cabeça anda tão cheia, que parece estar prestes a explodir a qualquer esforço. Tudo culpa daquele maldito Uchiha. Ao bater na porta negra, ela logo se abriu revelando o tal delegado que é a pessoa que mais quero evitar nesse momento.

- Sakura o que faz aqui? - perguntou erguendo uma sobrancelha.

- Ver você que não é Itachi - rebati com um tom irônico.

- Eu não teria tanta certeza disso - cruzou os braços enquanto se sentava em sua cadeira, fitou-me dando um sorriso de fazer qualquer uma molhar a calcinha. Oh já sinto meu corpo esquentando de novo. Droga!

- Pense o que quiser Uchiha, o que você faz aqui? - pergunta idiota eu sei, mas fiquei curiosa afinal o cara chegou ontem.

- Não sei se você sabe mas sou delegado, entretanto você deve estar se perguntado o que faço aqui hoje, se cheguei ontem certo? - apenas assenti - bom eles estavam precisando de alguém competente por aqui, e como eu cresci nessa cidade decidiram me transferir pra cá.
É meio urgente devido a muitos furtos que andando acontecendo.

- Entendo, é exatamente por isso que estou aqui. Levaram meu carro agora a pouco. Itachi por favor eu preciso do meu carro de volta, ele tem um valor sentimental e você sabe disso. - falei com a voz estranhamente manhosa.

- Farei o possível para encontrar seu carro rosadinha, mas você deve saber que as vezes ele nao vai estar do jeito que você espera quando o encontrarmos - disse meu cunhado com um sorriso gentil sem malícia aparente, na verdade estava sendo bem profissional, com uma postura séria digna do profissional respeitado que é. Toca minha mão por cima da mesa dando um leve aperto, no mesmo instante sinto um arrepio correndo por todo meu corpo com esse simples toque. Levanto com certeza brusquidão espalmando as mãos na cama logo em seguida, preciso terminar isso e sair o mais rápido daqui. Mantenha distancia minha mente alertava.

- Olha Uchiha mande seus homens fazer o que deve ser feito logo, não importa como eu quero meu carro de volta! Não andei nesse sol escaldante com esses saltos para ouvir você dizendo que não vai encontrar meu carro do jeito que espero. - ordenei num tom nada amigável. Ele apenas sorriu só que diferente da ultima vez, esse é aquele sorriso safado. Cretino!

- Fale direito comigo Haruno, isso é desacato a autoridade. - alargou o sorriso.  

- Vai me prender? - rebati petulante.

- Só se for na minha cama.

Oh my god, esse cara não devia falar isso pra mim, ele não sabe o poder que tem sobre a minha pessoa. É como se cada célula do meu corpo ansiasse por ele, como cocaína que após o primeiro consumo te deixa dependente. Itachi sabe ser gentil, cavalheiro mas eu sei que lá no fundo ele curte coisas ilícitas e meu corpo anseia pelo pecado, pelo prazer da carne, meu coração certamente tem dono mas o resto procura pelo ilegal afim de se satisfazer plenamente.

- Vou te passar o número da minha placa e o modelo do carro - peguei um papel e caneta no canto da mesa afim de fugir daquele assunto. Após tudo anotado, levantei rapidamente da cadeira e comecei a andar em direção a porta, perigoso demais ficar aqui após essa provocação dele.

- Sabe ninguém nunca ousou levantar o tom de voz comigo, você é insolente e gosto disso. - ouvi sua voz rouca extremamente sexy atrás de mim, bem próximo. Estou perdida

- É porque sei que não vai acontecer nada, o que você poderia fazer? - ouvi uma risada sacana.

- Não teria tanta certeza disso cunhadinha - ao terminar de falar me prensou conta a porta negra me fazendo ficar com os seios colado nela - quer ser punida por desacato a autoridade Sakura?

- Como se você tivesse coragem de me prender - onde eu to com a cabeça para enfrentar ele? Eu estou fora de mim, só pode ser isso. 

- Ainda vou te prender pequena gata, mas não é a punição que esta pensando - sussurrou em meu ouvido e colou seu corpo ao meu fazendo-me sentir sua poderosa ereção sobre a calça. Instintivamente arfei com o ato. Precisava tomar uma atitude e sair daqui o mais rápido possível, meu corpo esta em chamas e o desejo ardendo em minha pele - Me referi a uma bela e prazerosa surra com um cacetete - agarrou meu cabelo o jogando para o lado, deu um bela mordida em meu pescoço me arrancando um gemido, passando a lingua por cima logo em seguida como se aquilo fosse aliviar a dor o que só me deixou mais excitada.

- Pare Itachi - tentei pedir em vão porque tudo que saiu foi um gemido. Logo levantou meu vestido até a cintura enfiando sua mão dentro da minha calcinha sem puder algum, começou a fazer movimentos circulares em meu clitóris ora de rápido, ora devagar. Porra, isso é covardia.

- Eu. Vou. Te. Foder. Com. Muita. Força. - Cada palavra era uma estocada com seus dedos, três para ser exata. Empinei a bunda contra sua ereção e podia a sentir dura e quente escondida dentro da calça. Oh não aguento, preciso de mais!
Quando eu estava prestes a pedir por mais ele para, se afasta com um sorriso zombeteiro no rosto. Cafajeste gostoso. Andei até ele prestes a atacar sua boca, pronta para terminar o que começamos porém ele desvia o rosto.

- Acha mesmo que vou te comer aqui? Podendo ser interrompido ou até mesmo pego. - perguntou malicioso, apenas o fito confusa. - A resposta é não, quando formos fazer isso terá de ser em algum lugar onde sei que não seremos interrompidos ou pegos afinal ambos somos noivos.

"Noivos, noivos, noivos" essa palavra ficou dando voltas em minha mente. Oh kami o que eu estava prestes a fazer?

- Ora seu... Fique longe de mim - falei andando a passos duros até a porta, como ele faz isso comigo? Me provoca e não acaba o trabalho. É melhor assim mesmo, vou me lembrar de o agradecer depois. Abro a porta terminando de baixar o vestido e a pessoa que encontro paralisada em frente a porta me faz querer morrer por ser pega ali, a pessoa me olha dos pés a cabeça e quanto chega ao meu rosto arregala os olhos. Será que escutou algo? Estou fodida. Eu sabia que hoje não era meu dia.


Notas Finais


Eita, o Itachi é um homem bem mal né? Adora um jogo pelo visto k
E quem será que apareceu na delegacia? Será que a pessoa ouviu eles?
Mas então, gostaram? Espero que sim, até a próxima amores ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...