História Relação Perigosa — Imagine Jungkook - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Bts, Imagine, Jeon Jungkook, Jimin, Kook, Suga, Taehyung, Traição, Você
Visualizações 2.644
Palavras 2.433
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi, oi. <3

Outra atualização, Raffa? Sim, amores! Outra. Com essa é a sétima de hoje KKKKK. Eu amo esse site, amo escrever e amo todos os meus seguidores e leitores. Amo até os fantasmas. T.T

Quero agradecer aos 1000 favoritos, vocês são incríveis! ♡_♡

E o beijo de vocês com o Suga? Ui, adoro. >_<

Boa leitura!

Capítulo 5 - Shopping.


Fanfic / Fanfiction Relação Perigosa — Imagine Jungkook - Capítulo 5 - Shopping.

Yoonie olhou-me com a sobrancelha arqueada, esperando por uma resposta. Jeon Jungkook não seria louco esse tanto, ou seria? Eu estava brincando que nós transaríamos em meu quarto. Imagina se o meu pai, ou até mesmo o Suga descobrissem?

— Maninha, porquê gritou o nome do Jeongguk? — O loiro pendeu a cabeça para o lado, vindo até mim.

— Eu não disse nada, Oppa. — Sorri amarelo.

— Não? Mas eu escutei. — Coçou a nuca, confuso. — Isso não importa. — Inclinou o corpo para frente e beijou a minha testa carinhosamente. — Vou lá fora ver o que está acontecendo.

— Não, Oppa. — Segurei a sua mão, e um choque percorreu o meu corpo e acabei lembrando do nosso beijo. — Fique aqui comigo, hm? — Fiz bico.

— Eu preciso ir lá, princesa. Irei voltar rápido. — Suga inclinou-se novamente e dessa vez me deu um selinho demorado.

Sorri fraco e observei o loiro afastando-se e saindo do quarto. Corri para a janela e observei ao redor, estava um pouco escuro, e não dava para ver ninguém. Se o meu irmão encontrasse o Kookie, com certeza iria rolar uma grande confusão. O que o amigo do papai iria estar fazendo em nossa casa? Ainda mais pulando um muro.

Vi o meu irmão andando pela calçada, o Yoongi vasculhou toda a garagem, perto da piscina, atrás das plantas. E nada. Respirei aliviada e voltei para a cama. Logo, o pálido adentrou o quarto com uma vasilha cheia de salgadinhos. Depois desse "mal entendido", meu sono havia passado. Suga sentou-se ao meu lado e ofereceu-me os salgadinhos, claro que aceitei.

— Não era ninguém. Bom, pelo menos eu não vi ninguém. — Disse com a boca cheia, fazendo-me rir.

— Ainda bem, Oppa. — Ditei manhosa.

Coloquei mais alguns salgadinhos na boca e escorei minhas costas na cabeceira da cama, o loiro imitou-me e colocou a vasilha em seu colo. Ficamos em um silêncio constrangedor por longos minutos, o único barulho era dos salgadinhos sendo mastigados.

— Está tudo bem mesmo entre nós dois? — Suga quebrou o silêncio e eu assenti. — Tem certeza, pequena?

— Sim, Oppa. — Sorri fraco e coloquei o recipiente vazio no chão.

Para provar que estava tudo certo mesmo entre nós dois, deitei em seu peito, aconchegando-me. Yoonie riu e acariciou os meus dedos que estavam sobre o seu abdômen. Seus dedos eram grandes e longos, já os meus, eram pequenos e engraçados.

— Gostei de ter te beijado. — Suas palavras atingiram-me em cheio.

Permaneci em silêncio, não sabia o que dizer. Levantei o rosto e depositei um beijinho em seu maxilar. Ele sorriu e beijou o meu cabelo, voltando o carinho em meus dedos.

— Quer que eu vá dormir no meu quarto? — Indagou.

— Não, Yoonie. Fique aqui, hm? — Levantei o rosto novamente e nossas bocas ficaram próximas, pois o mais velho estava com a cabeça inclinada em minha direção.

— Certo. — Selou nossos lábios rapidamente. — Desculpe, eu não resisti.

— Só não faça mais, tudo bem? — Pedi envergonhada.

Yoongi assentiu e logo adormecemos. Na manhã seguinte, o meu irmão estava deitado atrás de mim, uma de suas mãos estavam em minha cintura, apertando-me contra o seu peito de um modo possessivo. Suspirei e resolvi esperá-lo até que o mesmo acordasse. Meu estômago roncou alto, e o Suga riu.

— Dorminhoca! — Beijou o meu ombro.

— Hm, bom dia, Oppa. — Sorri querendo ficar em baixo daqueles cobertores quentinhos.

— Está frio. O que acha de um chocolate quente, princesa?

— Acho ótimo, Yoonie! — Exclamei sorridente.

Nós dois levantamos e arrumamos a minha cama. O loiro beijou a minha bochecha e saiu do quarto, indo para o seu. Tirei um moletom limpo de dentro do meu guarda roupa, junto a um conjunto de lingerie preto e rendado. Tranquei a porta do quarto, e deixei a roupa sobre a cama. Tirei o blusão e coloquei-o para lavar, assim como a minha calcinha.

O frio estava de matar. Abri o chuveiro e grunhi baixinho sentindo a água morna deslizando por meu corpo. Meu banho não demorou muito, já que estava frio. Vesti o meu moletom o mais rápido que consegui e pendurei a toalha no banheiro. Amarrei meu cabelo em um rabo e borrifei perfume, indo para a cozinha. O meu Oppa estava na cozinha, ele também usava o seu moletom favorito, um cinza e que combinava bastante com ele.

— Vai ficar me secando por quanto tempo, maninha? — Deu risada colocando o líquido escuro em duas canecas.

— Idiota. — Ri também.

Esfreguei minhas mãos na tentativa de aquecê-las, e caminhei até a mesa, sentando-me de frente para o mais velho. Suga, sorriu e levou a caneca até a boca. Ele fez uma careta e eu ri ao ver seu desespero.

— Quente! Quente! Quente! — Falava abanando a língua.

— Quer água, Oppa? — Parei de rir ao vê-lo ficar vermelho.

Peguei um copo limpo e abri a geladeira. Meu irmão havia bebido o líquido claro rapidamente, e sorriu aliviado.

— O que seria de mim sem você, huh? — Sorriu com os olhinhos marejados.

— Está emocionado? — Rimos.

— Foi o chocolate quente. — Limpou o cantinho do olho esquerdo.

— Oppa, você tem que ser mais esperto, hm? O chocolate estava pegando fogo e você tentou beber. — Segurou o riso vendo um biquinho manhoso apoderando-se de seus lábios.

— Desculpe, Senhorita. — Colocou os cotovelos sobre a mesa, e perdeu o rosto para o lado, fitando-me. — Já falei que você fica linda de moletom?

— Uh, obrigada. — Encarei a minha caneca vermelha, eu deveria estar daquela cor.

— Não precisa ficar corada. Você é bonita e sabe disso, (S/N). — Pronunciou sério.

Assenti e bebi um pouco do meu chocolate.

— Delicioso, maninho. — Murmurei.

— Obrigado. — Sorriu convencido.

— Você, e não o chocolate! — Arregalei os olhos. — Não.... O-Oppa não foi isso... — Fui interrompida por sua risadinha.

— Eu entendi, maninha. — Sorriu torto, e umedeceu os lábios. — Entendi que você me acha delicioso.

— Ya! — Escondi meu rosto entre as mãos. — Desde quando ficou tão atirado assim, hm?

— Qual o problema de você me achar gostoso? — Arqueou a sobrancelha.

Não era esse o rumo que a nossa conversa deveria tomar.

— Yoonie, por favor. — Desviei o olhar.

— Ok. — Foi tudo o que ele disse antes de se retirar da mesa.

Fiquei encarando a cadeira vaga em minha frente e terminei o meu chocolate quente em um gole só. Fui para a sala e liguei a TV, estava passando desenho. Tirei meu celular do bolso e entrei em meu Kakao, tinha uma mensagem, mas não era de ninguém importante. Suga desceu a escada, com outra roupa, uma calça rasgada no tom claro e uma blusa de frio por cima, na cor preta.

— Vai sair, Oppa? — Indaguei.

O loiro não disse nada, apenas pegou a sua chave que estava sobre a mesinha, e saiu porta a fora sem me responder. Bufei e cruzei os braços emburrada. Meu celular despertou com uma mensagem, e meus olhos arregalaram-se ao ver a foto da pessoa que me mandou o sms.

Jeon Jungkook!

M E N S A G E N S 

Kookie: (S/N), podemos conversar pessoalmente?

Eu: Quando?

Kookie: Hoje mesmo.

Eu: Hm, não sei se posso, Jeongguk.

Kookie: Dê um jeito, eu quero te ver.

"Eu quero te ver".

Eu: Pode ser no Shopping? Tenho que falar para o meu que irei sair com a Hyuna.

Kookie: Pode. Seis horas?

Eu: Pode ser.

Kookie: Ansioso para te ver...

— Droga coração, não seja ridículo! — Coloquei a mão sobre o lado esquerdo do peito, meus batimentos estavam altíssimos.

Certo. Agora é convencer o papai a deixar-me ir com a Gata Borralheira.

[...]

Papai estava em seu escritório, e eu estava parada perto da porta criando coragem para bater e pedir para ir ao Shopping. Depois de muito tempo travando uma guerra comigo mesmo, resolvo bater na porta. Appa, murmurou um "entre" e senti minhas pernas estremecerem.

— Papai... — O chamei manhosa.

— Diga, querida. — Sorriu.

Ele parece estar de bom humor. Vai que é sua, (S/N)!

— Posso ir ao Shopping com a Hyuna? — Caminhei até o mais velho.

Papai afastou a sua cadeira, parecia pensativo. Namie retirou os óculos lentamente, e eu aproximei, sentando-me em seu colo.

— Deixa, pai? — Fiz uma voz manhosa.

— Que horas? — Questionou.

— Seis.

— Quero você de volta às oito. Peça ao Yoongi que te leve, ok? — Beijou a minha bochecha.

— Obrigada, papai! — Exclamei sorridente.

Saí do escritório ainda sorridente e dei de cara com o meu irmão. Nos olhamos rapidamente e quando o maior ia saindo, eu segurei a sua mão. Suga olhou-me confuso e olhou para as nossas mãos entrelaçadas.

— Oppa... — Sussurrei.

— Eu fui um idiota, eu sei. — Resmungou puxando-me para um abraço.

— Amo você. — Dei um beijinho em sua bochecha.

[...]

Estávamos a caminho do Shopping, foi muito fácil convencer o meu irmão a ir comigo e com a Hyuna. Jimin não podia ir, porque estava em um festa de família. Eu, usava um vestido rodado, na cor azul caneta, uma sapatilha preta e uma maquiagem básica. O clima estava pesado dentro do carro, a Gata Borralheira estava perdida em pensamentos, enquanto olhava para o meu irmão. E eu, torcendo para que chegássemos logo, já eram quase seis horas.

M E N S A G E N S

Kookie: Estou no segundo andar, perto das cabines.

Eu: Já estou quase chegando.

Kookie: Certo.

Por que Jeongguk queria conversar comigo? Logo chegamos no Shopping, e como sempre estava lotado. Eu não havia contado o real motivo para estar ali, para a Hyuna. Ela seria a distração para o meu irmão, enquanto eu iria conversar com o Jungkook.

— Oppa, eu e a Hyu vamos ao banheiro, ok? — Forcei um sorriso segurando o braço da loira.

— Vou ficar exatamente aqui, pequena. — Sorriu ladino.

Assenti e arrastei a Hyuna até o segundo andar.

— Você quer ir nesses banheiros daqui? — Ela indagou.

— Não, Hyu. Eu marquei de me encontrar com o Jeongguk aqui. — Mordi o lábio.

— Você ficou doida? Ai meu Deus, (S/N)! — Ela riu, fazendo-me rir também, só que de nervosa. — Vocês vão transar em qual das cabines?

— Hyuna! — Bati em sua mão, e a mesma riu. — Por favor, distraia o meu irmão. 

— Certo, amiga. Só não grita, viu? — Sorriu maliciosa.

A loira afastou-se e eu peguei o meu celular.

M E N S A G E N S

Eu: Em qual das cabines você está, Kookie?

Kookie: Na terceira, entre rápido.

Guardei o telefone dentro da bolsa e caminhei até perto das cabines. Uma, duas, três! É essa mesmo. Olhei para trás e não tinha ninguém próximo, então abri a porta rapidamente e a tranquei. Fui surpreendida pelo moreno beijando-me ferozmente.

— Jungkookie... — Gemi.

Shhh... Não quer que eles descubram o que vamos fazer, ou quer? — Sorriu malicioso jogando a minha bolsa para o chão.

— Ya! Meu celular. — Resmunguei.

— Não sabe como estou louco para lhe comer aqui dentro. — Disse rouco, acariciando o meu bumbum por baixo do vestido.

— Jeongguk... — Suspirei pesadamente.

— Eu vou enlouquecer se não te comer, (S/N). Vai, vira de costas pra mim... — Sorriu safado.

Ofeguei ao sentir a sua ereção roçando em meu bumbum. Suas mãos ágeis retiraram o meu vestido rapidamente. Jungkook jogou-o para o chão e esfregou seu pau em mim. Eu não estava de sutiã, e meus seios roçaram contra a parede gélida.

— Hm, Kookie... — Ele acariciou a minha bocetinha por cima da calcinha.

— Eu vou te comer bem gostoso, meu amor.

Aquela cabine era extremamente pequena, e a cada minuto ficava ainda menor. Jeon, deslizou minha calcinha até o joelho, e eu ergui os pés, para que o mais velho tirasse-a de mim.

— Gostosa! — Sussurrou rente ao meu ouvido.

— Kookie... — Eu estava excitada, aliás muito excitada.

O moreno abaixou-se e abriu as minhas pernas.

— Você já fez isso, não já? — Perguntou antes de passar a língua em meu clitóris.

— Uhum... — Ofeguei empinando o meu corpo.

— Isso, empina pra mim, gostosa! — Rosnou. — Tira aqui pra mim...

Virei-me de frente e tirei a sua camiseta branca, revelando todos os seus músculos. Mordi a boca e passei minhas unhas por seu abdômen, o mais velho roçou o seu pau contra o meu ventre.

— Outra hora você me chupa bem gostoso, mas agora eu não irei aguentar. — Agarrou o meu cabelo e beijou-me a boca, brutalmente. — De costas!

Ouvi o zíper da sua calça e empinei o bumbum.

— Rosinha... — Passou seu indicador em minha intimidade.

Apoiei minhas mãos na cabine e senti o pênis do Kookie entrando aos poucos. Gemi manhosinha e rebolei contra a sua dureza.

— Eu comando! — Puxou minha cintura de uma vez, fazendo com que seu pau entrasse com tudo. — Porra!

Kookie-ah!

Jeongguk metia tão forte e tão duro, que sentia minhas pernas enfraquecerem. Ele acariciava a minha bocetinha na frente, e abria as laterais do meu bumbum com a outra mão vaga. Mordia a língua para não gritar.

— Isso é covardia... — Gemi em contragosto.

— Por que? — Rebolou seu quadril contra o meu, deliciosamente.

— E-Eu quero gritar para que você me foda, Gukkie!

Ofego, ofego e ofego.

O contato de nossas peles é excitante. É quente. É delicioso. Quero gritar para que o melhor amigo do papai me foda bem gostoso. Quero ser dele em todas as posições possíveis e impossíveis. Jeon, diminuí a velocidade das estocadas, e acerta o meu ponto sensível, quando aumenta-as novamente.

— Sua gostosa...!

Uma, duas, três, quatro! Quatro investidas e chegamos ao nosso limite. Minhas pernas amolecem, e suas mãos fortes puxam-me para si. Sinto-me envergonhada, e minhas bochechas ardem. Jeon vira-me para si tomando meus lábios em um beijo delicado. Seus dedos afundam em minha cintura, e meus seios estão completamente colados em seu peitoral definido. Kook sorri entre o ósculo, e abraça-me assim que perdemos o fôlego.

— Você foi ótima... — Ele disse em um sorriso de coelhinho.

— Obrigada. — Nós rimos.

O moreno ajuda-me a vestir a roupa, e antes de sair da cabine, dou-lhe outro beijo. Intenso. Essa é a palavra certa para descrever Jeon Jungkook. O mesmo parece não querer deixar que eu vá embora. Ainda ofegantes, nos beijamos novamente e o maior pega-me no colo, prensando-me contra a parede.

— É melhor você ir... — Disse quase inaudível, distribuindo selinhos em minha boca.

Sorrio e mordo o seu lábio inferior, fazendo-o gemer arrastado.

— A nossa próxima foda será na pizzaria. — Mordiscou a minha orelha.

— Ya! — O repreendo. — Tenho que ir, o meu Oppa está me esperando.

— Pensei que o seu Oppa fosse eu... — Simula uma estocada contra a minha intimidade.

— Você é, se quiser. — Rio e acaricio as suas costas. — Agora eu tenho que ir, coelhinho.

— Talvez eu lhe faça uma visitinha mais tarde...

Safado, cachorro, gostoso!


Notas Finais


Vocês estão bem? :")

Perfil: @rabetania ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...