História Relações Perigosas - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Laura Prepon, Orange Is the New Black, Taylor Schilling
Personagens Laura Prepon, Taylor Schilling
Tags Drama, Fic, Laura Prepon, Laylor, Lesbian, Orange Is The New Black, Story, Taylor Schilling
Visualizações 1.291
Palavras 4.304
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi gente!

Aos sábados e domingos eu não estou postando então nas segundas eu vou sempre procurar compensar vocês postando um capitulo maior e mais cedo.
Antes também que leiam o capítulo de hoje eu já quero avisar que NÃO sou especialista em escrever HOT ok? Eu procuro sempre dar o meu melhor, então antes que venha algumas criticas negativas eu já peço DESCULPAS! 🙏

Um beijo e boa leitura! 💋

Capítulo 11 - Toda sua


Fanfic / Fanfiction Relações Perigosas - Capítulo 11 - Toda sua

(Laura POV)

A segunda chegou e hoje volta tudo ao normal, ontem eu dormi um pouco tarde, pois fiquei um bom tempo com a Kendall do lado de fora da casa, mas ainda bem que ela se acalmou e disse que tentaria ficar bem. Eu me levantei, tomei um banho e fui para o set. Assim que eu cheguei por lá fui para o meu trailer e mandei mensagem para a Taylor, é estranho sentir isso, mas eu estou com saudade dela. Eu mandei mensagem perguntando se ela estava bem e o que ela tinha feito ontem, ela respondeu em curtas palavras e finalizou o assunto. Pode ser que seja impressão minha, mas eu a notei muito estranha.
Me troquei e fui para o carro que me esperava fora do set, hoje eu vou fazer "externa" o dia inteiro. Quando eu cheguei a um dos locais eu já olhei pra quem ia dirigir a cena e vi que era a Kendall, ela estava com uma cara um pouco melhor conversando com a Lauren, assim que ela me viu ela veio até mim.

- Oi Ken.

- Oi Lau!

- Você parece melhor hoje.

- Fiquei mais animada depois que conversei com você ontem.

- Pela primeira vez conversamos e nos entendemos de verdade, espero que você realmente siga a risca tudo que eu te disse e que fique bem.

- Eu vou ficar. Eu prometo!

- Isso ai!

Se ela tá falando a verdade ou não eu não sei, eu só espero não ter surpresas.

(Taylor POV)

Acordei com o humor daquele jeito e fui para o set, a Laura mandou algumas mensagens e eu acabei respondendo grosseiramente e acho que ela percebeu, pois ela nem me mandou mais nada. Assim que eu cheguei, eu me troquei e fui direto para o set e fiquei esperando a hora de começar a gravar, aproveitei então para dar uma lida no texto e enquanto eu tentava ler a Tasha se aproximou de mim.

- Chegou, quase não falou com ninguém e agora tá ai sentada pensativa.

- Lógico que não Tasha, estou dando uma lida no texto.

- Não tá parecendo, a não ser que você saiba ler o papel de ponta cabeça.

- Eu realmente estou com o pensamento longe.

- É notável. Tá pensando no que aconteceu ontem né? Por que você não assume logo que está apaixonada pela Prepon e termina com a Carrie?

- Porque ela voltou com a Kendall e quem sobrou nessa história fui eu.

- Deixa de ser cabeça dura e vai ver se elas realmente voltaram, um abraço e um beijo na testa não quer dizer nada.

- Nesse caso quer dizer muito, mas enfim, depois eu vejo isso.

- Ai Taylor, às vezes dá vontade de socar a sua cara.

- Faz parte!

Depois que conversamos começamos a gravar.

(Laura POV)

Hoje seria o dia inteiro gravando fora só que o tempo acabou dando uma mudada e tivemos que interromper e voltar para o estúdio. Chegando lá houve uma pequena alteração na ordem das cenas gravadas e eu gravaria uma cena com a Tay assim que ela finalizasse a que ela estava gravando. Quando ela acabou de gravar a Jenji pediu uma pausa e a Tay saiu do set. Eu vi que ela olhou pra mim e disfarçou antes de sair então eu resolvi ir atrás dela. Ela pegou uma garrafa de água, seu texto e sentou no lado de fora em uma calçada.

- Posso saber por que você tá fugindo de mim?

- Eu não estou fugindo de você.

- Está parecendo. Foi curta e grossa ao responder minhas mensagens.

- Impressão sua Lau.

- Eu fiz alguma coisa?

- Nada!

- Então porque você está tão esquisita comigo?

- Não é nada, é coisa minha, a propósito espero que dessa vez dê certo com a Kendall.

- Como assim?

- Eu vi vocês duas abraçadas ontem na frente da sua casa.

- Agora eu entendi!

- Temos que voltar a gravar!

- Espera Tay, me deixa explicar.

- Temos que entrar!

E realmente tínhamos que entrar mesmo, a Jenji foi até o lado de fora nos chamar para que não atrasássemos o restante das gravações. Ela se levantou e foi na frente, eu entrei rindo atrás dela, agora eu entendi o porquê dela estar estranha, ela está pensando que eu voltei para a Kendall, isso quer dizer que ela está com um pouco de ciúmes do que viu e eu confesso que é a primeira vez que eu fico feliz sabendo que alguém está sentindo ciúmes de mim. Nós terminamos de gravar a cena e antes que fôssemos cada uma para um lado eu chamei a Tay pra avisar que eu queria conversar com ela depois.

- Tay?

- Oi.

- Podemos terminar de conversar depois?

- Pode ser.

- Pelo visto eu vou terminar de gravar um pouco mais tarde que você. Quando eu chegar em casa eu te aviso e você dá um pulo lá, pode ser?

- Tá bom!

Fomos cada uma para um lado e eu logo continuei a gravar.

(Taylor POV)

Eu não sei o que tanto a Lau quer explicar, mas enfim, mais tarde eu saberei. Eu segui gravando sem interrupções e a hora passou extremamente rápido, quando eu desci para o meu trailer pra me trocar a Carrie mandou uma mensagem dizendo que estava do lado de fora do set e perguntou se podia entrar pra me ver, eu disse que já estava de saída, mas falei pra ela entrar e vir até meu trailer já que ela já tinha vindo até aqui, ela então entrou e eu a recebi na porta com a bolsa já no ombro como se eu já tivesse de saída.

- O que você veio fazer aqui? Você não estava bravinha?

- Eu vim tentar me acertar com você, não quero continuar brigada, eu acho que exagerei.

- Ah você acha? Você tá pensando que eu sou o que? Puta? Escrava sexual? Tenho que estar sempre disposta quando você  quiser, é isso?

- Não Tay, eu errei e te peço desculpa por isso.

- Relaxa, não se preocupa.

- É só isso que você tem pra dizer?

- Não. Carrie eu quero um tempo!

- Tempo? Como assim?

- Um tempo, quero ficar um tempo sozinha.

- Você tá terminando comigo?

- A princípio eu quero um tempo.

- Tay o que é isso? Tudo isso foi por causa dessa briga besta?

- Não Carrie, o problema está em mim mesmo, quero parar e pensar sobre a gente e sobre mim e pra isso eu preciso estar sozinha.

- Tay eu não tô acreditando no que você tá dizendo.

- Acredite Carrie. Agora se você não se importa eu preciso ir embora, estou morta de cansaço. - Desci alguns degraus e passei por ela.

- Tay? - Disse ela com os olhos cheios de lágrimas.

- O que foi? - Me virei pra ela.

- Não faz isso, por favor!

- Eu preciso Carrie, a minha cabeça está uma bagunça e meu coração também.

- Você está apaixonada por alguém?

Eu olhei pra ela e não consegui responder e apenas continuei andando mexendo no meu celular, ela me chamou por algumas vezes enquanto eu me distanciava, mas eu não respondi e entrei no meu carro. É impressionante como eu estou me sentindo aliviada, é como se eu tivesse tirado um peso de cima de mim. Eu dei partida no meu carro e fui para minha casa, assim que eu cheguei eu tomei um banho, me troquei e deitei na minha cama esperando a Lau me mandar mensagem avisando que já estava em casa.

(Laura POV)

Eu terminei de gravar e fui para o meu trailer, eu gravei até tarde e fiquei com medo da Tay já ter dormido, então eu já sai do set mandando mensagem pra ela e não tive uma resposta rápida, mas quando eu estava no meio do caminho ela respondeu e disse pra que eu ficasse despreocupada que ela estava acordada e pediu pra eu que viesse com cuidado, nem preciso dizer que soltei um sorriso bobo quando li a mensagem. Em menos de uma hora eu cheguei em casa e fui direto para o banho, quando sai coloquei um shorts leve e uma regata. Peguei meu celular e avisei-a que já tinha chegado e saído do banho, ela então disse que estava vindo pra cá, eu falei que a minha porta estava aberta e pedi que ela subisse direto para o meu quarto que eu estava deitada. Em questão de minutos ela chegou, subiu, entrou no quarto e sentou na ponta da cama.

- Lau, antes de você começar a falar eu só quero que você saiba que você não tem nenhuma obrigação de me dar satisfação do que você fez ou faz da sua vida.

- Eu sei Tay, mas mesmo sem te dever explicações eu quero te explicar o que você viu, pois eu acho que você interpretou da maneira errada, eu e a Kendall não voltamos, ela ontem veio até aqui sem que eu soubesse e me mandou mensagem pedindo pra que eu descesse e eu mesmo contrariada acabei descendo, ela estava bem abatida e chorando bastante dizendo todas aquelas coisas de sempre, eu então apenas tentei acalma-la de todas as maneiras, ela me puxou e me abraçou e eu a abracei e fiquei pedindo pra que ela ficasse bem, pois eu não quero que ela continue sofrendo por mim, foi só isso.

- De longe parecia outra coisa, mas se você tá dizendo eu acredito e fico feliz por você não ter cometido o erro de ter voltado pra ela.

- Eu não vou voltar Tay, eu estou decidida.

- Que bom Lau, confesso que eu fiquei um pouco incomodada quando vi vocês duas juntas.

- Sério? Explica pra mim como foi esse incomodo.

- Ah Lau, foi um desconforto ver vocês duas juntas, só isso.

Eu dei risada antes de responder a Tay e ela se aproximou de mim engatinhando pela cama e começou a me dar leves tapas brincando dizendo que não tinha graça, eu puxei ela pra cima de mim e quando íamos nos beijar ouvimos um barulho de carro entrando na garagem.

- Tá esperando alguém?

- Lógico que não, ainda mais essa hora!

A Tay saiu de cima de mim e eu fui até a sacada do meu quarto e vi que era o carro da Kendall, ela saiu do carro e estava indo em direção a porta pra poder entrar.

- E ai quem é?

- Você não vai acreditar é a Kendall, além de esquecer de proibir ela de entrar no condomínio eu esqueci que eu dei uma cópia da chave daqui pra ela.

- Relaxa deixa comigo, você vai se livrar dessa mulher de uma vez por todas. Lau tira a blusa.

- Como assim?

- Faz o que eu tô falando.

Eu não entendi nada e fiz o que ela mandou, tirei minha blusa e fiquei olhando pra ver o que ela ia fazer, a Tay começou a tirar a blusa dela e o sutiã e jogou no chão e veio pra cima de mim e puxou o edredom.

- Tay você tá louca?

- Não fala nada e me beija logo.

Ela se inclinou e eu comecei a beijá-la, ela puxou minha mão e colocou no peito dela. Assim que ela ouviu os passos da Kendall se aproximando ela começou a gemer e a rebolar simulando que estivéssemos fazendo amor, ao mesmo tempo em que aquilo estava me excitando estava me deixando com muito medo, eu não sabia qual seria a reação da Kendall.

- Rápida você né Laura? - Disse ela batendo a mão com força acendendo o restante das luzes do meu quarto deixando ele totalmente iluminado.

- Eu não sei nem o que te dizer.

Ela passou a mão nos olhos e ainda não tinha percebido que era a Taylor, então a Tay se virou e ela ficou muito irritada.

- E ainda com ela? Não acredito que você teve coragem.

- Eu acho que a Lau é uma mulher solteira Kendall, ela tem o direito de trazer quem ela quiser pra cama dela.

- Cala a boca sua vagabunda, não fala comigo, eu quero matar você.

- Tay, por favor, não fala mais nada, deixa que eu resolvo.

- Não tem mais nada que resolver aqui, eu vou embora, mas não pensa que eu vou deixar barato Laura, isso não vai ficar assim.

Eu ia me levantar só que a Tay me segurou, a Kendall desceu a escada correndo e foi embora cantando pneu. A Tay continuou deitada com o edredom escondendo os peitos.

- Tay você é maluca? O que passou na sua cabeça?

- Só assim pra ela largar do seu pé, fiz mal?

- Não, foi até bom só que eu estou com medo do que ela possa vir a fazer.

- Cão que ladra não morde Lau, eu fiz um favor pra ela, agora ela vai sofrer de uma vez só e vai te esquecer.

- É verdade Tay, você tem razão!

- Eu sei, eu penso em tudo.

- Agora se troca porque eu estou fazendo uma força sobrenatural pra não te agarrar.

- Vai passar vontade?

- Eu odeio passar vontade!

Eu levantei, apaguei as luzes do quarto e apenas deixei os abajures dos dois lados da cama ligados. Com esse clima de meia luz eu tirei o edredom de cima dela aos poucos e fiquei olhando para o corpo dela acariciando levemente com uma mão, ela desabotoou o botão do shorts que ela estava e eu desci o zíper dela. Em seguida eu desci até seus pés e me ajoelhei na cama perto deles e tirei seu shorts e joguei no chão. Eu comecei lentamente a beijar cada pedacinho do seu corpo a partir de seus pés em diante, quando cheguei nas suas coxas eu passei bem devagar a língua na virilha dela e ouvi um singelo gemido. Continuei subindo passando por sua barriga, ainda inclinada eu me aproximei mais dos seus peitos e coloquei a minha boca em um deles e comecei a beijá-los dando leves mordidas enquanto acariciava o outro. A Tay fechou os olhos e abriu a boca gemendo bem baixinho. Eu subi, beijei seu pescoço e depois coloquei uma mão no seu rosto e ficamos nos olhando por um tempo, antes de beijá-la eu precisava perguntar algo.

- Tem certeza?

- Tenho.

- Não vai se sentir culpada depois?

- Não, eu terminei com ela antes de vir pra cá.

Eu ganhei a noite quando ouvi o que ela disse, eu imediatamente comecei a beijá-la com vontade, essa mulher será minha e eu serei dela essa noite. Enquanto nos beijávamos a Tay me ajudou a tirar meu sutiã e meu shorts, antes de tirar a minha calcinha eu primeiro quis tirar a dela e tirei lentamente e joguei no chão, eu passei a mão no seu sexo e senti ela completamente molhada, eu fiquei com mais tesão ainda. Eu e a Tay invertemos a posição e ela veio totalmente nua pra cima de mim, antes que ela se sentasse eu tirei a minha calcinha também. Assim que ela sentou e eu senti o seu sexo no meu eu fechei os olhos e respirei fundo, quando abri eu olhei pra Tay e ela mordeu o lábio inferior e sorriu, eu acariciei seu corpo e desci com as duas mãos até a sua bunda e comecei a movimentar ela em mim, ela se inclinou e me beijou acelerando seu próprio ritmo aos poucos. Dessa vez os gemidos eram verdadeiros, nossos corpos estão realmente colados um ao outro, é quase um sonho estar fazendo amor com essa mulher, que delicia de corpo.
Eu novamente inverti a posição com ela e fui por cima dela, desci com os dedos e comecei a tocá-la enquanto a beijava. Eu senti um pouco mais de confiança e enfiei um dedo nela que subitamente jogou a cabeça e o corpo pra trás soltando um gemido bem gostoso de ser ouvido, percebendo isso eu arrisquei e coloquei mais um dedo e acelerei o ritmo.

- Tá gostoso assim? - Disse baixinho em seu ouvido.

- Muito, coloca com mais força!

Eu então coloquei muito mais força ao colocar e tirar eles de dentro dela. A Tay gemia altíssimo e isso estava me deixando cada vez mais louca de tesão. Eu parei um pouco, encaixei nossas pernas e comecei a me mexer por cima dela, ficamos nessa posição por um bom tempo. Depois eu me levantei, abri as pernas dela e desci para chupá-la. Passei a minha língua lentamente pela virilha dela primeiro e em seguida me aproximei do seu sexo e passei a ponta da língua só para atiçar, ela imediatamente soltou um gemido e esperou por mais, eu então parei de enrolar e comecei a chupar aquela mulher com vontade, eu acelerei e desacelerei o ritmo por diversas vezes. Eu fiz ela se contorcer na cama de tanto tesão, ela soltou gemidos altíssimos e bateu na cama apertando o lençol por muitas vezes. A Tay começou avisar que iria gozar, então eu acabei mantendo o ritmo e esperei ela gozar, em questão de minutos ela jogou a cabeça pra trás, gemeu mais alto e gozou na minha boca, eu parei de chupá-la e dei um beijinho no seu sexo, ela respirava ofegante e assim que eu subi até ela, ela me jogou na cama e desceu rapidamente para me chupar também, assim que eu senti a sua língua eu gemi incontrolavelmente, a Tay manda muito bem no oral e conseguiu me deixar completamente louca de tesão fazendo esses movimentos circulares com a língua em mim. Eu até tentei segurar o orgasmo por diversas vezes, mas eu não consegui, ela conseguiu encontrar o ponto certo. Eu segurei sua cabeça colocando um pouco de força e gozei. Ela passou a língua e engoliu todo o meu gozo olhando pra mim. Eu sorri e chamei ela fazendo um sinal com o dedo indicador, ela subiu, segurou meu rosto e me deu um selinho bem demorado.

- Gostosa!

- Você né Lau?

- Não, você. Que delicia de corpo e como geme gostoso!

- Você me fez gemer assim!

Eu sorri e dei um beijo nela, ela deitou do meu lado e se virou e me puxou para abraçá-la de costas.

(Taylor POV)

Estou em êxtase ainda, nem acredito que eu fiz amor com essa mulher maravilhosa, vou levar bastante tempo para assimilar isso.
Nós ficamos abraçadas de conchinha por um bom tempo. A Lau me dava beijinhos na nuca enquanto conversava comigo.

- Eu sei que é chato tocar nesse assunto depois de te feito amor, mas eu preciso saber. Vocês terminaram mesmo?

- Na cabeça dela nós demos um tempo, na minha está bem claro que a gente terminou.

- E como você conseguiu?

- Eu aproveitei que já estava bem irritada com essa história sua com a Kendall e fui curta e grossa com ela dizendo que precisava de um tempo.

- Então você pediu um tempo e não terminou com ela.

- Foi o que eu disse. Pra ela nós demos um tempo, pra mim nós terminamos.

- Ufa, menos mal, só assim não corro o risco de ter que dividir esse corpo maravilhoso com ninguém.

- Pode ficar tranquila, esse corpo aqui a partir de hoje é todo seu.

- Acho muito bom.

Aqueles beijinhos que ela estava dando na minha nuca começou a me dar tesão novamente e acho que nela também, pois ela começou a passar a mão mim e apertar minha bunda.

- Desse jeito você tá me deixando com tesão outra vez.

- Que bom, porque eu já estou cheia de tesão faz tempo.

Eu me virei pra ela e ela me colocou em cima dela, eu me inclinei e a beijei me mexendo em seu colo. Nós duas voltamos a fazer amor e ignoramos completamente o relógio que marcava 03:40 da manhã madrugada.
Eu levantei meu corpo, joguei a cabeça pra trás e comecei a rebolar em cima dela. A Lau segurou a minha bunda com as duas mãos e foi acelerando o meu ritmo. Eu acho que eu nunca fiz amor tão gostoso desse jeito, ela está me deixando louca de tanto tesão.
Eu me inclinei mais uma vez e a beijei, ela passou uma das mãos pelo meu corpo até o meu cabelo, puxou pra trás e mordeu meu lábio inferior, eu continuei beijando com mais intensidade enquanto me mexia e fiz o mesmo, mordi o lábio dela e sorri. Invertemos as posições e ela veio por cima de mim, ela passou uma das pernas por dentro da minha e outra deixou pra fora e encaixou nos nossos sexos. É excitante demais poder sentir ela desse jeito em mim. A Lau começou a se mexer sem parar em mim e eu quero mais, não quero que ela pare.

- Mais rápido, não para. - Disse no ouvido dela.

- Gostosa! - Disse ela sussurrando.

Ela continuou se mexendo com muito mais rapidez e ao mesmo tempo apertava meu peito e beijava com vontade o meu pescoço. Eu não conseguia controlar o gemido sentindo ela daquele jeito. Ficamos nessa posição por um bom tempo, ela começou a respirar um pouco mais ofegante e acabou gozando enquanto me beijava. Fomos desacelerando o ritmo e ela deitou do meu lado, me puxou pra ela de conchinha, passou a minha perna pra cima da perna dela e já colocou dois dedos de uma só vez em mim. Nem preciso dizer que eu estava completamente molhada. Eu pedi que ela colocasse mais um e ela colocou e começou aumentar a velocidade das estocadas. Eu comecei a gemer altíssimo principalmente quando ela provocava e tirava os dedos e colocava os três de uma vez com força. Estava tão gostoso que não demorou muito eu comecei a sentir que ia gozar, então eu avisei e ela acelerou o máximo que pode, eu respirei fundo, passei o braço pra trás envolta do seu pescoço e gozei como nunca tinha gozado antes levando uma dedada.

- Muito calor ai? - Disse ela afastando meu cabelo e assoprando a minha nuca.

- Demais, acho que estou derretendo.

- Vou ligar o ar, eu também estou.

O calor estava insuportável, eu suei de verdade e ela também, mas aos poucos a temperatura foi ficando agradável com o ar ligado. Eu me virei e deitei no peito dela, a Lau começou a fazer carinho na minha cabeça.

- Estou apaixonada por você!

- Eu também Tay e cada vez mais!

- E agora?

- Deixa rolar.

- Definitivamente é o melhor a se fazer mesmo. Tá com sono?

- Não e você?

- Também não, mas deveríamos estar, não quero nem ver a hora.

A Lau pegou o celular no criado mudo e viu que já era 04:55, ela colocou o celular de volta no criado mudo e se sentou encostando na cabeceira da cama, eu levantei e sentei no colo dela. Ficamos trocando carícias e beijos longos. Se eu pudesse eu pediria que essa noite não acabasse nunca de tão especial que ela foi pra mim. Entre um papo e outro percebemos que estava amanhecendo e em menos de 2 horas teríamos que ir gravar. Antes de sair do colo dela eu me aproximei do seu ouvido para pedir algo.

- Posso fechar essa noite com chave de ouro?

- E como seria fechar a noite com chave de ouro?

- Vou te mostrar, deita!

Sai de cima dela e ela se deitou, eu abri as pernas dela e comecei a chupá-la, ela fechou os olhos e segurou minha cabeça acompanhando meus movimentos. Eu acelerei, desacelerei, fiz movimentos circulares e algumas vezes intercalei a língua com os dedos. Ela fez um pouco de força na minha cabeça e acabou gozando, eu senti o seu liquido escorrer na minha língua, eu então passei a boca e lambi. A Lau se levantou e me pegou pela mão.

- Banho?

- Sim!

Ela me agarrou por trás e fomos abraçadas até o chuveiro, eu entrei primeiro e ela entrou em seguida e me puxou pra me beijar. A Lau me virou de costas pra ela, encostou-se à parede e começou a me tocar.

- Minha vez agora! - Disse ela no meu ouvido.

- delicia!

Fechei meus olhos e apenas senti o dedo do meio dela me tocando em movimentos circulares. Ao mesmo tempo em que ela me tocava ela beijava o meu pescoço. Eu acelerei o ritmo dela e comecei a gemer sem parar e mais uma vez ela me fez gozar, eu me virei pra ela e dei um beijo e depois tomamos banho mesmo. Quando saímos já era hora de ir gravar, eu coloquei a mesma roupa que eu estava ontem e dei um beijo nela antes de sair.

- Obrigada pela noite meu amor!

- Eu que agradeço, valeu a pena ter perdido uma noite de sono dona Schilling.

- Valeu mesmo!

- Não precisa ir com seu carro, eu e você não dormimos então é melhor irmos e voltarmos num carro só, pelo menos vamos conversando.

- É melhor mesmo, eu vou pra minha casa trocar de roupa e você me pega lá.

- Tá bom princesa!

A Lau me deu um beijo bem demorado. A minha vontade era ficar ali o dia inteiro com ela. Essa sem dúvida foi uma das melhores noites da minha vida, eu quero que essa mulher seja minha pra sempre e vou fazer de tudo a partir de hoje pra isso acontecer. Não há mais incertezas, eu estou apaixonada pela Laura!


Notas Finais


💋


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...