História Relações Perigosas - Capítulo 40


Escrita por: ~

Postado
Categorias Laura Prepon, Orange Is the New Black, Taylor Schilling
Personagens Laura Prepon, Taylor Schilling
Tags Drama, Fic, Laura Prepon, Laylor, Lesbian, Orange Is The New Black, Story, Taylor Schilling
Exibições 310
Palavras 2.449
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 40 - Suécia I


Fanfic / Fanfiction Relações Perigosas - Capítulo 40 - Suécia I

(Laura POV)

Eu fiz um almoço pra mim e pra minha amiga Terasa que disse que passaria aqui pra me ver e bater papo. Quando ela chegou, nós nos sentamos à mesa e começamos a comer e a conversar.

- Tê, vou pra Suécia!

- Como assim?

- Promo de Orange is the New Black.

- Mas assim de última hora?

- Pois é. Mas eu até entendo a Jenji, essas negociações são chatas mesmo e quando eles decidem tem que ser tudo pra ontem.

- Isso é verdade. Vai muita gente do elenco?

- Só eu e a Taylor. Tá bom pra você?

- Mentira gente.

- Juro por tudo que é mais sagrado nesse mundo. Ela deve estar louca de raiva!

- E como. Estou chocada!

- Ainda mais depois do que rolou ontem.

- O que rolou ontem?

- A Lexa te falou que nós fomos num bar ontem numa comemoração do último dia de gravação desse ano da série?

- Falou, mas não entrou em detalhes. O que houve?

- Eu cheguei lá com ela e a Taylor estava lá com o namoradinho dela também, até ai tudo bem. Um pouco mais tarde a Lexa saiu pra atender uma ligação e eu fiquei sentada, a Taylor veio de onde ela estava e derrubou um suco "sem querer" na minha calça branca, pensa no estrago. Eu peguei um guardanapo de pano na mesa e fui até o banheiro e ela veio atrás de mim, entrou e ficou com um papinho de que foi ótimo eu ter aparecido acompanhada porque só assim eu largaria do pé dela e nós acabamos discutindo. Eu estava com tanta raiva naquele momento que eu puxei ela e dei um beijo e ela me correspondeu e eu arrisco até a dizer que ela quase cedeu.

- Ela deve estar louca de ciúmes amiga. Essa mulher ainda é louca por você. Você falou isso pra Lexa?

- Ah eu nem comentei, expliquei por cima do suco. Não quis entrar em detalhes, por mais que eu não deva satisfação a ela, seria um pouco chato falar tudo isso que eu disse pra você.

- É. Não ia ser legal, mas enfim, vamos esperar as cenas dos próximos capítulos dessa novela mexicana.

- Verdade! - Disse rindo

Eu e minha amiga acabamos passando o restante do dia juntas e quando anoiteceu ela subiu para o meu quarto e me ajudou a fazer a minha mala, ela é muito mais organizada que eu. Um tempo depois a Terasa foi embora e eu aproveitei pra tomar um banho e me deitar já que amanhã vou acordar bem cedo, pois a Jenji fretou um jatinho particular que está marcado pra sair antes da 06:00. Enquanto o sono não vinha eu fiquei conversando com a Lexa por mensagem e expliquei sobre a viagem e ela agiu naturalmente ao saber e apenas pediu pra que eu avisasse se alguma acontecesse entre eu e a Taylor e eu disse que ela poderia ficar tranquila que eu seria extremamente sincera com ela e ela me agradeceu. Depois de muito conversarmos eu acabei sentindo um pouco de sono, me despedi dela e dormi.

(Taylor POV)

A minha mala estava pronta desde hoje à tarde quando o John estava aqui. Agora à noite eu tomei um banho e me deitei, eu estou sentindo um desconforto um pouco chato, uma dor abdominal que está me incomodando um pouco. Enquanto eu via TV pra tentar pegar no sono o Rob me ligou.

- Oi minha linda!

- Oi Rob.

- Estava dormindo já?

- Ainda não, mas deveria.

- Por quê? As gravações já não acabaram?

- Já sim, mas as promos começaram. Amanhã eu estou indo pra Suécia  com a Laura pra representar a série por lá.

- Que bacana, ainda mais na companhia dela. Ela é uma pessoa bem simpática né?

- Como assim simpática?

- É que no bar quando você foi do lado de fora com a Tasha, ela veio até mim e nós ficamos conversando.

- Conversando sobre o que? Por que você não me falou?

- Porque eu não achei tão relevante assim. A gente não conversou nada de mais, ela pensou que eu trabalhava pra você e eu expliquei que não.

- E disse que nós éramos o que?

- Eu acho que ela entendeu que se eu não trabalho com você nós temos algo a mais, mas também não disse exatamente o que tínhamos, até porque nem eu mesmo sei.

- Entendi. Eu também não sei, mas tá bom assim não tá?

- Está sim.

- Então tá bom. Eu vou dormir porque daqui a pouco já estou de pé.

- Ok minha linda. Vou sentir saudade. Beijo!

- Eu também. Beijo!

Sentir saudade é demais, mas enfim é melhor eu manter esse nosso "romance" porque pelo menos ele está me ajudando a desviar um pouco o pensamento da Laura.
Eu tomei um remédio que tinha no meu criado mudo e pouco tempo depois acabei dormindo.

(Laura POV)

A noite foi péssima, eu dormi pouquíssimo e acordei até de mau humor. Eu tomei um banho pra despertar e fui até onde o jatinho estava e já logo entrei e me sentei. Pouco tempo depois a Taylor chegou e fez o mesmo e em seguida foi à vez dos seguranças que nos acompanhariam. O voo estava autorizado e nós fomos o caminho inteiro sem trocar uma só palavra. Nós chegamos por volta do horário do almoço e fomos para o hotel nos trocar. O quarto da Taylor ficava no mesmo corredor que o meu e antes dela entrar no quarto eu peguei na mão dela e ela se virou pra mim.

- O que foi Laura? A gente já não veio em silêncio?  Vamos permanecer assim.

- Tay para de ser tão dura e orgulhosa. Eu juro pra você que eu não vou falar mais pra você em voltar e nem em perdão, será que dá pra você pelo menos me tratar bem?

- Eu não tenho a menor vontade de ser sua amiga.

- Eu não estou te pedindo isso. Eu estou pedindo que você seja um pouco educada e que me trate bem. Eu e você vamos ter que conviver juntas por anos gravando Orange is the New Black. Deixa de ser boba e usa a cabeça. Vamos criar uma relação harmoniosa pelo menos.

- Tá bom. Você venceu!

- Uffa. Obrigada!

- Mas com a condição de você não tocar no assunto de perdão e pedir pra voltar.

- Ok. Eu prometo!

- Ótimo. Agora eu vou me trocar porque temos que sair daqui a pouco.

- Tá bom. Eu também!

- Até mais tarde.

A Taylor entrou e eu fui para o meu quarto. Eu estou me sentindo um pouco mais aliviada, pelo menos ela aceitou a se dar bem comigo, é muito ruim ter que trabalhar nesse clima que ela mesma deixou ente a gente.
A nossa visita aqui na Suécia será curtíssima, hoje daremos algumas entrevistas e a noite jantaremos com alguns produtores executivos da Netflix e amanhã pela manhã já retornaremos para NYC.
Eu me troquei rapidamente, desci e fiquei esperando a Taylor junto com os seguranças, quando ela veio nós seguimos para um carro que estava nos esperando e fomos até o local combinado. Chegando lá fomos bem recebidas e logo começamos a dar inicio a várias entrevistas e seguimos assim durante a tarde inteira. A Taylor era outra pessoa, estava simpática, sorridente e carinhosa comigo nas entrevistas. Ao voltarmos para o hotel seguimos cada uma para seu quarto pra poder dormir um pouco.

(Taylor POV)

Eu tentei dormir, mas não consegui por conta daquele maldito desconforto abdominal que voltou aparecer hoje e se eu bem me conheço isso é uma cólica renal, eu já tive esse problema antes e era tudo que eu não precisava nesse momento. Mesmo com a dor me incomodando eu segui junto com a Laura para o jantar com alguns produtores da Netflix que queriam nos conhecer. Chegando lá eu e ela nos sentamos e começamos a conversar. Eles começaram a comer e eu tive que disfarçar e tentei comer alguma coisa, mas eu estava totalmente sem apetite. Quando eles começaram a conversar entre eles a Laura começou a me perguntar se estava tudo bem comigo.

- Está tudo bem com você? Não vai comer nada?

- Tá sim. Eu só estou sem apetite.

- Eu percebi. Está enjoada também?

- Está querendo insinuar que eu estou grávida? Fica tranquila que não é nada disso. Eu estou apenas com um desconforto abdominal, nada de mais.

- Ok. Eu nem disse nada, calma!

- Nem precisou.

O jantar seguiu e por fim era hora de nos despedirmos deles e voltar para o hotel, a dor está ficando cada vez mais intensa e eu só preciso me deitar. Nós fomos para o carro com nossos seguranças e voltamos para o hotel. Eu subi para o meu quarto, troquei de roupa e me deitei pra ver se a dor passava, só que foi inútil, essa maldita dor só piorava e eu definitivamente comecei a passar muito mal. Eu corri para o banheiro diversas vezes vomitando sem parar e estava a ponto de me jogar no chão de tanta dor que eu estava sentindo. Eu preciso de um hospital só que só de imaginar o fato de não falar uma palavra do idioma daqui eu fico desesperada e sem saber o que fazer. Então eu não tive outra alternativa e liguei pra Laura.

- Laura?

- Oi. Ainda tem meu número? Que milagre!

- Eu preciso que você venha aqui correndo. Eu estou passando muito mal.

- O que aconteceu Tay? Calma. Estou indo.

- Vem logo a porta tá aberta.

- Ok.

A Laura veio extremamente depressa e entrou, eu estava me contorcendo na cama de dor.

- O que você está sentindo meu amor?

- Eu estou tendo uma crise de cólica renal. Eu preciso de um hospital, mas eu não posso ir sozinha, eu estou com medo. - Disse chorando

- Eu estou aqui. Fica calma que eu estou aqui. Eu vou ligar para o nossos seguranças e pedir que nos levem para o hospital. Fica calma! - Disse ela sentando na cama me fazendo carinho

- Ok. Não sai do meu lado, por favor! - Disse apertando a sua mão.

- Eu não vou sair meu amor. Pode me apertar. Deixa eu só pegar o meu celular e ligar pra eles.

- Ok!

Ela pegou o celular no bolso dela e ligou. Em questão de minutos eles estavam na porta do hotel outra vez e eu com muito sufoco desci abraçada com a Lau. Assim que chegamos no carro ela entrou comigo atrás e eu deitei com a cabeça em seu colo chorando de dor. Eu não vejo a hora de chegar em um hospital.

(Laura POV)

Eu estou tão desesperada em ver a Tay desse jeito, que já estou até chorando junto com ela. Assim que chegamos ao hospital corremos para a emergência e por lá pelo menos as pessoas falavam inglês e examinaram a Tay e a levaram para um quarto particular e colocaram medicamento na sua veia enquanto ela explicava com muita dor o que ela estava sentindo. Os nossos seguranças saíram e eu fiquei com ela no quarto. Ela segurou a minha mão e apoiou a sua cabeça em mim chorando.

- Tá doendo muito Lau.

- Calma meu amor. O remédio daqui a pouco vai fazer efeito não se preocupa. Tenta se acalmar.

- Tá difícil. – Disse ela fechando os olhos sentindo a dor

- Eu sei, mas você precisa ficar calma. Não vai adiantar se desesperar. Eu estou aqui e não vou sair do seu lado.

Eu comecei a fazer carinho na sua cabeça tentando acalmá-la um pouco. O remédio foi começando a dar uma amenizada, mas agora vieram as crises de vômitos. Que tortura ver a minha pequena assim. Depois de um tempo a dor passou um pouco mais e ela explicou para o médico que ela sempre teve problemas no rim, mas que fazia muito tempo que ela não tinha essas crises. Agora já um pouco mais calma ela acabou pegando no sono e eu aproveitei e fui falar com o médico.

- Doutor ela vai ficar em observação né?

- Sim. Vou tentar manter ela aqui pelo menos até amanhã de manhã pra garantir que a dor não volte, mas vamos ver como ela vai reagir.

- Ótimo. Eu não quero arriscar voltar pra NYC e ela ter uma crise dessa no meio do voo.

- De maneira alguma!

- Obrigada Doutor.

- Precisando é só me chamar.

- Ok.

Já que teremos que ficar eu vou ter que pegar mais uma diária no hotel porque eu preciso tomar banho e trocar de roupa. Então é melhor eu ligar pra Jenji pra avisar e ela se encarrega disso por mim.

- Oi Jen!

- Oi Laurinha. Aqui é de manha, mas ai é madrugada ainda. Algum problema?

- Sim. A Tay passou muito mal e eu estou aqui no hospital com ela e não vamos poder embarcar de volta pela manhã. Você pode resolver por mim a parte burocrática de ter que pegar mais uma diária pra gente? Pode ser um quarto só, é só pra tomar banho e trocar de roupa.

- Nossa, mas o que houve com ela?

- Uma crise de cólica renal. Foi bem tenso, mas agora ela está dormindo um pouco por conta do remédio.

- Que judiação Lau. Vocês estão precisando de mais alguma coisa além de outra diária? Tem alguma coisa que eu possa fazer por ela?

- Nao Jen, só isso mesmo. Fica tranquila que eu estou com ela e não vou sair do lado dela por nada. Não comenta com ninguém tá bom? Não quero ninguém ligando pra ela agora, eu quero que ela descanse.

- Pode ficar tranquila e qualquer coisa me comunique. Cuida dela viu?

- Deixa comigo. Beijo e obrigada!

- Outro!

Depois de me resolver com a Jenji eu me sentei numa poltrona que ficava do lado da cama olhando a Tay dormir. Ainda bem que o pior passou e ela dorme tranquila. Foi muito ruim ter que a ver chorando de dor. Dentro de mim só cresceu mais ainda a vontade que eu tenho de voltar pra ela e de poder cuidar dela. É estranho ter que pensar assim, mas espero que essa situação sirva pra que ela perceba que eu estou aqui pra cuidar dela sempre que ela precisar.
Depois de pensar bastante, eu aproveitei que ela não acordou e dormi também.


Notas Finais


🤒 💋


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...