História Relembre-me (Namjin) - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Debut, Fluffy, Jikook, Lemon, Namjin, Romance, Slash, Sugamon, Taejikook, Vhope, Yaoi, Yoonjin, Yoonseok
Exibições 27
Palavras 2.854
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Festa, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Slash, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


u.u
Oi meu povo~
Tudo bem? Ainda vivas após anunciarem o preço do show T.T? Eu quase não.
Tiros à parte, quero agradecer muitíssimo os favoritos que a fic teve já no primeiro cap, fiquei muito feliz com isso! Obrigada *.*
Também preciso agradecer a minha Unnie divosa que revisou o texto no meio da nossa semana de provas ~anabbc, sempre me apoiando e incentivando a tentar escrever <3
E, sim, eu infelizmente estou alguns dias atrasada e acho que o seguinte não vai sair no domingo (27), mas sim lá para quarta, a idiota aqui colocou na cabeça de fazer fanart para cada capitulo e quase arregou no segundo por ter que ficar estudando e não ter tempo para terminar.
Mas já deixando avisado que após o três já vou ter tomado vergonha na cara e tudo vai ser postado aos domingos!
É isso! Até lá embaixo >.<

Capítulo 2 - Quem me tornei


Fanfic / Fanfiction Relembre-me (Namjin) - Capítulo 2 - Quem me tornei

~Seokjin Pov

Após ser totalmente ignorado, permaneço com meu olhar sobre o elevador já fechado, indicando a descida do Namjoon, proporcionando-me um grande aperto no coração. Toda vez que o via sair por uma porta na tentativa de se livrar de mim, as lembranças daquele dia voltavam e isso definitivamente abalava meu psicológico. Não aguentava mais, só gostaria de saber o porquê de mesmo depois do que aconteceu conosco tudo em meu mundo ainda tinha que girar ao seu redor, como se ele fosse o sol e eu a lua, presa em uma rotação continua a Terra – meu trágico amor –, que também estaria atada em seu ciclo em frente à estrela.

Por mais que eu tentasse uma amizade entre nós, ele sempre me tratava mal, independentemente de minhas atitudes, podia estar ajudando-o ou até mesmo brincando, a sua resposta não mudava: caras bravas, gritos, ignoradas e o pior em minha opinião, os sorrisos seguidos de gestos carinhosos totalmente falsos, se eram necessários? Sim, fanservice faz parte de ser idol, todavia a repulsa pelo toque era maior do que qualquer outra sensação que o choque de nossas peles podia transmitir, pois diferentemente dos demais que viam apenas o monstro líder e atrapalhado, eu via o monstro estressado e cruel, eu sentia o monstro amoroso e verdadeiro em minhas memórias – o qual eu não me importaria de receber mais do que um beijo no rosto.

Por isso, era impossível me entregar novamente a esse Namjoon, já que ele não era nem de longe o cara por quem me afoguei inúmeras vezes em sentimentos bons, em ansiedade ao segurar sua mão, em paixão na mistura de nossos lábios produzindo sons “estranhos” no silêncio de seu quarto à noite com apenas a luz vinda da rua servindo de iluminação e guia para nossos olhares afobados. Ele foi o culpado da minha “transformação” e agora, tento viver um dia de cada vez sem pensar muito no assunto.

Sinto uma lágrima solitária escorrer de meus olhos e prontamente a limpo, afinal havia ficado tempo demais aqui fora, entro em casa ainda palpitante tomando a coragem imprescindível para encarar o que viesse com um sorriso no rosto pelos meus meninos.

Retiro os calçados, substituindo-os por pantufas cor-de-rosa enquanto observo um ser pequeno e pálido na minha frente com o rosto corado direcionado ao chão, junto de braços abertos prontos para partilhar a dor comigo – o Nam podia até ter sido o estopim para o início de nosso laço, mas hoje, ele não se comparava nem um pouco a toda extensão da minha relação com o Suga.

- Rápido – ele diz, arqueando as sobrancelhas em sinal de desaprovação – você só tem alguns minutos.

Sem pensar duas vezes, enterro minha cabeça em seu ombro, permitindo que tivesse meu próprio pescoço rodeado por seus pequenos bracinhos. Aconchego-me ainda mais, sentindo a frieza característica de sua pele, cada pedaço de sua armadura de espinhos que cobria uma das joias mais raras que eu já vi, ele mesmo. E, infelizmente, como nada em mim é perfeito – mesmo eu sempre dizendo ser, já que aquele garotinho inseguro não pode mais surgir nesse homem de cabelo rosado –, comparo amarguradamente a sensação de si com a de Namjoon, um abraço perfeito que me envolvia por inteiro, quente, abrasador, estimulador, totalmente diferente da calmaria reconfortante de Yoongi.

Por fim, ele afaga minha cabeça em sinal para que eu me afastasse, já que um grande estardalhaço na cozinha havia começado e o mesmo estava se direcionando para onde estávamos.

- Hyung! Hyung!

Jungkook, Jimin e Taehyung começam correr até nós, dando tempo somente de trocarmos um mostrar de dentes singelo antes do menor fechar a cara, ajeitando-se e lançando uma bronca cheia de palavras obscenas em um tom lento, porém bem agressivo. Sorte a minha ser hyung dele, pois se eu já tinha medo do Suga no colegial quando fazia isso, imagina agora!

- Querem parar com essa putaria de correr no dormitório e ficar gritando feito sei lá que merda? – falou cruzando os braços e encarando os três na sua frente.

- Você também está gritando, hyung! – disse Jimin, estufando as bochechas fartas enquanto lançava olhares para Tae e Kookie que tentavam segurar a risada.

- Mas eu não estou apanhando para fazer a high note na nova música – bufou, fazendo o mais baixo dos dongsaengs se encolher e ruborizar, vendo a situação, Jeon apertou a bochecha do acinzentado ao passo que soltou as primeiras mostras de seu sorriso, tornando-se o próximo alvo daquele que abriu a boca parecendo incrédulo com a falta de respeito das três figuras perante sua presença – muito menos tô com dificuldade para decorar a parte minha parte na música – o mais novo murmurou algo como desculpe e corou juntamente com o colega, se agora estavam salvos? Não, havia uma última vítima restante, a qual já estava quase deitado no chão de tanto rir – ou estou enrolando para ensaiar a minha faixa, não é, Taehyung? Levanta da merda desse chão AGORA!

- Nós só queríamos saber onde o Appa foi e se a Omma não vai fazer o café hoje! – meu sorriso ao ver a ceninha do 93line se desfez ao ouvir Jimin falar sem nenhuma malícia virando sua íris para mim, sendo seguido rapidamente de Yoongi e Jungkook por saber do efeito que essa menção podia fazer comigo. Os dois que eram alheios à situação se entreolharam sem entender e eu forcei meu riso, tentando quebrar com o clima e balançando a cabeça como se também não entendesse a preocupação de ambos.

- Era só esperar, porra... – o branco disse, revirando os orbes com menos poder em sua voz – O Monster foi praquela merda mais cedo pelo jeito.

- Aish, hyung! Não precisa descontar seu sono na gente – o loiro retrucou, clamando para que a irritação subisse novamente à cabeça do Gi, foi o moreno levantar as pálpebras e sorrir ameaçador para que os três me olhassem em súplica para salvá-los, cruzei os braços e ignorei-os, afastando o sentimento de cuidado incondicional por alguns minutos ao me deliciar com aquela comédia.

- Quando eu quiser descontar a porra do meu sono em vocês aí sim, vocês vão ver! E implorar pra isso aqui, se vocês não tivessem feito a porra duma putaria desgraçada nesse inferno de apartamento sendo que temos que ir pra puta daquela empresa numa manhã broxante feito essa, não teriam que me ouvir reclamar – respirou pausadamente, tentando recuperar não só os minutos sem ar devido à rapidez com que pronunciara tudo aquilo como também sua própria cor, retirando todo o vermelho que se tornara roxo e posteriormente rosa ao ver uma certa pessoa se aproximar.

Antes mesmo que eu o reprimisse por usar um palavreado tão feio na mesma frase repetidamente na frente dos dongsaengs, uma risada ecoa no cubículo e braços envolvem os três garotos num aperto acolhedor, enquanto se percebia quase nítido o chacoalhar do ruivo agora presente entre nós em meio ao seu grande sorriso.

- Sugaaaa! – disse arrastado, formando um bico – Não seja tão mal com os nossos dongsaengs! Eles são tão fofos, menos o Taetae! – levou um chute no traseiro do amarelo – Aish, esse menino – fez uma cara feia e soltou-os, para logo acompanhar o quadradinho nos risos.

- Hope hyung! Bom dia! – Minnie falou aliviado, enquanto Kookie simplesmente acenou e passou a olhar para Suga que estava sem reação, esperando a revanche vinda de Hope.

- V-você não tem nada a ver com isso, volta pra merda de onde veio, Hoseok – há alguém no universo que duvide da fofura de Min Yoongi quando está com vergonha? E em como ele vai me xingar por ter dado um empurrãozinho nele fazendo com que se aproximasse do mais alto? Queria poder rir mais quando ele me lançou um olhar de puro ódio, mas tinha alguém em minha cabeça... Será que ao menos o Namjoon fez um curativo naquele dedo ao chegar à empresa? Balancei a cabeça, anda, esquece ele e se concentra nos seus amigos, Jin!

- Tenho sim, sabe por que, meninos? – perguntou maliciosamente, cativando as respostas ao saltitar até ficar a pouco espaço de distância do desconfiado.

- Porque ele é um rabugento que reclama dos nossos animes? – Tae praticamente gritou, sendo acompanhado por um Jeon afirmando várias vezes com a cabeça, porém ambos receberam uma careta do questionador, que prostrou seus braços em forma de “x” em meio a uma careta engraçada.

- Noooooooope! – deu uma tapinha na cabeça de ambos, vendo o pálido ficar cada vez mais bravo pelo transtorno do furacão J-hope e cruzar os braços.

- Porque ele é o Yoongi hyung! – agora foi a vez de Jimin animadamente até receber o mesmo gesto, fazendo uma cara de dor que imediatamente foi transformada pela mão de Jungkook acariciando o local em um sorriso tímido.

Os olhos do dançarino mais velho saíram do singelo “casal não assumido” e se direcionaram para mim, podia jurar que eles falavam “pela nossa amizade, pelos anos de colégio em que você me ajudava a estudar à noite, solta a bomba que eu preciso”. Sorri e afirmei com a cabeça, dirigi-me até estar entre os dois provocadores, passando por Yoongi e depositando um simples toque em seu ombro, dizendo em um tom não tão alto, mas o suficiente para que ambos ouvissem e Hoseok conseguir puxar o gatilho.

- Porque... – suspirei – ele não assume que gosta de alguém, falta algo talvez... – o menor prontamente acerta minhas costas em um estalo ardido, faço uma feição feia e corro para trás dos três espectadores da dança sensual improvisada que se iniciara em uma mistura do refrão de I need U com Blood Sweat & Tears feita pelo ruivo e dirigida à pessoa que era dona de toda a sua atenção.

- Isso! – começou lentamente para que entrássemos no clima – você não tem amor e sabe qual é a melhor forma de senti-lo? – arqueou a sobrancelha e o moreno começou a se afastar sendo impedido pelo móvel atrás dele. Os meninos se entreolhavam e eu suspirava, meu filho mais velho estava crescendo tão rápido!

- N-nem vem, H-hope – corou encurralado, ao passo que eu, e os três vocais começamos a rir instintivamente já que cada vez mais se aproximavam. Um pouco aflito, Yoongi tentou pegar algo de cima do móvel e apontar para o maior, mas foi impedido pelo mesmo com uma cara triste.

- É só um abraço do seu cavalinho – disse Hope com as mãos postas para segurá-lo.

- H-hobi, os meninos mancharam o sofá de suco, você viu?

- Fizeram o quê? – nessa fração de segundos em que distraíra J-Hope, o Min conseguiu escapar, mas não por muito tempo já que foi perseguido pelos infinitos cantinhos do local.

Realmente, só eles mesmo para fazer meu dia se animar, agora, enquanto Suga se encontrava sobre uma cadeira, tentado afastar Jung com um jornal enrolado como se o mesmo fosse um “cavalo mau”, os outros garotos se juntavam na torcida “pega ele, Hyung!”.

- Jin! Faz alguma coisa nessa merda! – disse, quase se desequilibrando sobre os quatro corpos frenéticos à sua frente, aproximei-me olhando para si, entretanto passei reto até a porta da cozinha, parando lá e respondendo um “não”, fazendo com que os gritos aumentassem.

- Puta merda, Jin, vai logo!

- E o respeito? Eu sou o que seu? – ao mesmo tempo em que Suga segurava sua ira ao escutar minhas palavras, se ouvia nitidamente os “uhhh” dos demais e eu ria, divertindo-me com a situação.

Sei muito bem que deveria acabar com isso em breve por causa do ensaio, mas eles precisavam de um momento pra relaxar. Às vezes ficamos tão absortos no trabalho que nos esquecemos de que acima de tudo, da banda, shows, que somos amigos, irmãos, família e são esses momentos nostálgicos que nos fazem recordar disso. É triste que eu não tenha a figura do Nam antigo abraçando minha cintura e dando um beijo em minha face ao mandá-los “circular” e ir comer.

Em um movimento súbito, Jungkook acaba pegando o Min no colo em estilo princesa, obrigando o mesmo a gritar e espernear xingando tudo e todos. O castanho o trouxe até mim ainda elevado, esperando a minha ordem sobre como prosseguir. Bufando em desaprovação, o claro começa a se render:

- Hyung – diz seco.

- O que foi, Yoonnie, acho que não ouvi – aproximei-me, colocando a mão em minha orelha como se realmente não tivesse escutado, ele me ignora e eu prossigo – Seja um bom garoto e diga o que eu quero! – bati em seu traseiro, alterando a cor de sua face, isso era uma brincadeira boba entre nós, porém percebi que Hoseok ficou levemente incomodado.

- Porra! Eu amo meu hyung de cabelo rosa! Agora parem com essa putaria!

Todos riam desse momento de fofura altamente corrosiva se assim poderia ser exemplificado esse “carinho” próprio de Suga. Estendi meus braços, ajudando-o a finalmente pousar no chão para que ele sem ao menos olhar para nossas faces, adentrar na cozinha pisando forte.

- Também te amo, dongsaeng – falo animado e os meninos me olham –, amo todos vocês – estendi os braços e eles vieram até mim.

- Pula no Jinnie! – Hobi gritou incitando aos demais, fazendo com que todos nós caíssemos dolorosamente no chão duro com o impacto.

- Omma! – falaram uníssono, aish, quase chorei novamente, mas agora era pela mais sincera alegria.

Se por inúmeras vezes cogitei desistir do grupo, seja pela dificuldade que é ser idol ou por puro capricho meu, já que não suportava mais ver as covinhas que tanto me cativaram a entrar nessa profissão se fecharem devido à mancha em nosso passado; toda vez que tinha os garotos assim comigo, meus dois melhores amigos do colégio, os dois carinhas por quem eles respectivamente tinham uma queda e meu maior inimigo declarado, juntos, meu coração se enchia de tamanha forma que não havia espaço para duvidas se eu estava no lugar certo ou não.

Pois meu lugar deve ser com aqueles que eu amo. Não sendo a primeira ou a segunda opção de ninguém, mas sim, fazendo os outros transbordarem aquilo que é de melhor em mim e lhes dando somente disso, plantando sem querer colher, doando-me por amor intensamente a cada um desses seres que passaram pela minha vida, seja pro bem ou pro mal.

Eu ainda daria meu amor ao Nam, deixando esse sentimento venenoso quando se tratava dele, virar remédio para as feridas, curando e aliviando, permitindo meu coração parar de bater forte em sua presença e somente querer abraçá-lo como o líder companheiro.

- Hyung, você está chorando? – Jeon disse preocupado, levantando o rosto que estava enterrado entre Jimin e Hoseok.

Balancei a cabeça negativamente com uma calma oriunda de um lugar desconhecido, tudo ali estava perfeito, entretanto eram quatro caras agitados em cima de mim me prensando a um lugar totalmente desconfortável. Como quem não quer nada, cutuquei o menor do amontoado e falei entre risos.

- Aish, Jimin, você engordou?

- Jinnie! E-eu não estou gordo, estou? – preocupado, olhou para o castanho que negou.

- Você está gostoso... – Kookie sussurrou, mostrando um sorriso travesso enquanto ambos coravam.

- Okay, agora querem parar de verdade com a putaria? Temos ensaio hoje, não sei se esqueceram – Suga chegou já erguendo Tae de cima da pilha de corpos, esperando todos ficarem de pé para me estender, por fim, a mão – agora, Jimin, Tae e Hobi vão terminar de preparar a comida, nós três temos que nos arrumar.

- Isso é injusto – o Kim contestou.

- Não é, os mais novos cuidam da comida por hoje, o Jin acordou cedo e precisa desse tempo para relaxar.

- Mas eu sou mais velho também! Por que o Jungkook e não eu? – J-Hope falou armando um bico.

-Porque ele demora um ano pra se arrumar, – encarou-o e depois desviou o olhar para os dongsaengs – Kookie, vai logo e para de fogo com o Jimin! Jin, vai também, mesmo não merecendo – sorriu para mim e segui meu caminho, mas ainda com tempo para ouvi-lo falar baixinho – e você está merecendo muito menos por aquela merda de manhã, Hoseok.

Calmamente o pálido saiu da visão do alaranjado, indo até o sofá e deitando-se.

- Ué, não vai se trocar, hyung? – o acinzentado fala, já com alguns aparatos de cozinha na mão.

-Não preciso, o Jinnie falou que já sou lindo assim – ele pisca mostrando sua língua e recebendo uma cara de descrença do Hope.

Sem mais delongas, entro em meu quarto, pegando uma muda de roupa simples e indo até o banheiro, após um banho breve, me visto, olhando meu reflexo no espelho e sorrio. Uma manhã sem pensar nele, talvez isso seja um recorde, talvez eu consiga passar o dia assim, ou talvez não, já que os óculos favoritos dele estavam bem na pia do recinto indicando que ele não os havia levado, muito menos um agasalho para um dia frio como aquele da forma que eu esperava. Como se o destino conspirasse contra mim, pego os dois itens e volto para o lugar onde todos estavam reunidos ruidosamente em volta de torradas mais que queimadas.


Notas Finais


u.u
Obrigada por lerem até aqui *.* esse começo pode estar um pouco lento, mas prometo que se esperarem um pouquinho as coisas vão melhorar ~pelo menos na minha cabeça~
E novamente, qualquer critica, sugestão, unicórnio, ingresso pro show dos meninos, ideias se esse comeback do seventeen vai ser dark mesmo ou só tão iludindo, só mandar <3
Kissus


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...