História Relv Pizza World Interativa - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Five Nights at Freddy's
Personagens Personagens Originais
Tags Fnaf, Interativa
Exibições 27
Palavras 2.082
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Luta, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


OBRIGADO PELOS 6 FAVORITOS E PELAS FICHAS CABULOSAS <3
é, eu quero fazer o capt agr, q eu to muito ansiosa :3
Lembrando que, ainda tem 2 vagas de seguranças e tals e 3 vagas animatrônicos (para homens de preferência) <3
aproveitem <3

Capítulo 2 - Capítulo I - Welcome


Relv Pizza World, 04:01, 23 de novembro

Um grande lote continuava á venda, diminuindo seu preço conforme os anos. Muitos diziam que este lote era assombrado, outros diziam que, caso não tivesse sido fechado, teria o mesmo destino que sua filial: Fazbear Pizzaria. Vários empresários e compradores já haviam se interessado no lote, porém, ao pesquisar mais sobre o mesmo, acabaram desistindo e retirando sua oferta. Menos um, William Afton, dono de outras empresas com animatrônicos. 

Depois de perceber que não haviam mais ofertas, o antigo dono da pizzaria resolveu vendê-lo ao Afton. O empresário, já ocupado com o próprio emprego, resolveu recrutar alguns funcionários para restabelecerem o estabelecimento enquanto o mesmo se preocupada com seu próprio emprego no Circus Baby. 

Dentre os funcionários, estava Madeleine Folie, que aceitou o emprego apenas por a chamarem de folgada. Ela estava na frente da pizzaria, encarando seu relógio enquanto passava pela porta, a trancando logo em seguida. 

- Cheguei atrasada? - suspirou alto, andando pelos corredores. - Se me lembro bem, as instruções estariam em cima da minha mesa...

Foi andando lentamente pelos corredores, admirando o local. 

- Uau, este local está caindo mesmo! - passou o dedo pela parede, notando a camada de poeira que formou em seu dedo. 

Tirou do bolso um mapa do local, que Afton havia lhe dado antes. Haviam dois andares: o térreo era, basicamente, onde se comprava o ingresso para ver os animatrônicos e onde ficam algumas mesas de jantar, para os que não gostariam de comer com animatrônicos ao redor; e o subsolo, lugar onde os animatrônicos se apresentavam e haviam algumas atrações e mesas de jantar. 

A sala do segurança era no térreo. Madeleine andou até a sua sala, entrando pela mesma, não haviam portas, riu fraco. Sentou na sua cadeira e começou a girar pela mesma, se distraindo do tédio.

- O que eu faço agora?

Sob sua mesa encontrou um telefone, que vibrava e tocava a mesma música irritante de sempre. Resolveu atendê-lo por curiosidade.

"Alô? Alô? Ah, haha, pensei que não estivesse ai..."

Ela tentou responder, mas percebeu que era uma mensagem gravada, esperou o mesmo continuar a falar antes de tirar suas próprias conclusões.

"Hm... Bem-vindo ao Relv Pizza World, ninguém quer vir aqui, haha... Quero dizer, não se assuste!"

Madeleine riu fraco, enquanto procurava algo interessante pela sala, deixando o telefone em cima da mesa no modo auto-falante. 

"Eu vou dar suas instruções, para que não te demitam... Bem, para começar... Ér... Como já deve saber, você ficará aqui por uma semana, e tem que vigiar os animatrônicos... Hm, sobre eles... De noite, eles são programados para andarem pelo estabelecimento... O porquê? Para seus sistemas não travarem de dia..."

Ao ouvir sua última frase, entendeu rapidamente que essa mensagem se tratava de uma conversa de anos atrás, quando a pizzaria ainda estava aberta.

 "Seu trabalho é bem simples, vigie-os pelas câmeras de segurança, e não os deixe sair do subsolo de jeito nenhum... Bem, boa sorte, o vejo amanhã!..."

E foi assim que a mensagem acabou. Ela suspirou alto, sentando-se na cadeira novamente e pegando o tablet em cima da mesa. Arqueou a sobrancelha.

- Estou com 20% de bateria? Eu nem fiz nada... - ditou, fazendo biquinho. - Esqueceram de recarregar essa merda?

Clicou no quadrado "CAM1: Palco Principal", dando-lhe uma bela vista do palco, onde eram para estar os animatrônicos. Todos olhavam de modo assustador para a câmera.

Camy The Bunny estava virada para a câmera, uma de suas mãos estava na guitarra e a outra levantada para cima, acenando. William estava virado para frente, com o baixo em mãos, o canto de sua boca estava com uma espécie de comida. Harleen Chase estava no meio dos dois, segurando o microfone, sorrindo de forma psicopata e sua face dizia que queria sair dali o mais rápido possível.

Madeleine suou frio e resolveu ir para outra câmera. "CAM2: Palco de dança" e então viu Frisk dançando e pulando pelo palco, sem se preocupar com a interferência das câmeras. Mudou para outra câmera, suspirando aliviada. "CAM4: Auditório de Relv". Se assustou ao ver que o animatrônico principal da pizzaria não estava ali. 

Foram-se segundos antes que a luz acabasse e Madeleine pudesse sentir um frio lhe percorrendo o corpo. Procurou qualquer coisa pela sua mesa, da qual pudesse lhe ajudar, acabou por pegar um diário.

"19 de agosto, 1986, Querido diário, hoje acabou a luz e tive que ir no subsolo ativar a economia de energia para emergências, espero que os animatrônicos não me notem, não quero morrer... Ei?! U-Uma música está t-tocando... Me ajude! Eu n-"

Antes que o diário terminasse, o resto da folha foi arrancado. Madeleine, na hora, não se importou e saiu correndo em direção ao único lugar que interligava o térreo e o subsolo, as escadas. Desceu as mesmas. Pegou uma lanterna, que estranhamente, estava em cima da mesa da bilheteria. Pulou a corda que bloqueava a entrada do subsolo. Olhou admirada, eram várias atrações. O local era enorme, o maior que já havia visto.

Balançou a cabeça para o lado e deu tapas em suas próprias bochechas.

- Eu só tenho que encontrar o reator de energia! - falou para si mesma, iluminando sua frente com a lanterna.

- Hah? Um guarda noturno? Relv, você não disse que estávamos abandonados? - Uma voz doce ecoou na sala, parecia brava. 

Virou para trás, com medo, procurando quem era dona da voz. Ouviu mais sussurros, porém estes estavam na direção contrária.

- Você não deveria estar aqui... - a mesma voz disse, contrariada. 

- É um milagre que tenha alguém novo aqui e, eu não acredito em milagres! - outra voz feminina falava, com ironia na voz. 

Madeleine sentiu algo frio a tocar seu ombro, recuou para o mais longe que pode, correndo sem rumo. Quando achou que estava longe o suficiente, resolveu parar. Se apoiou nos joelhos, respirando ofegante. No caminho ela largara a lanterna. Não estava sozinha e estava no escuro. 

- Ei, é arrogante não se explicar. - Uma espécie de gato humanoide cruzou os braços, encarando Madeleine. Ao ver a mesma tentando correr novamente e falhando ao tropeçar e cair no chão, se agachou ao seu lado. - Eu não tenho interesse em assustá-la, se é isso que tem medo. 

- O-O que é você? - ela perguntou sentando. O humanoide sorriu e sentou ao seu lado.

- Willian. - respondeu o mesmo.

- Sou Madeleine.

- Me surpreende que você tenha vindo, estamos aqui há uns 10 anos! - William suspirou. - Então, o que aconteceu?

- Fui contratada, querem reformar o lugar. - Madeleine disse, por mais estranho que pareça, parecia que estava falando com um velho amigo. William sorriu.

- O que te traz aqui?

- Acabou minha energia!

- Quer que eu te leve até o reator? - perguntou, gentil. 

- Mas você acha que vai durar até o fim da noite? - Madeleine se levantou, estendendo a mão para o humanoide.

- Tudo dura, até verdura. - Deu uma piscadela e fez Madeleine sorrir pela primeira vez no trabalho, se puxando na mão da mesma e, por colocar muita força, cair no chão.

- E-Está bem? - perguntou preocupada, ajudando o mesmo a se levantar.

- Sou meio desastrado... - afirmou colocando a mão nas costas. 

- Ei Will, você viu o Relv, é que uma humana entrou aqu-

A pequena raposa parou sua fala ao ver a humana ao lado de William, este coçou a nuca sorrindo com as bochechas rubras. A albina avançou na mesma, porém foi interrompida pelo outro animatrônico.

- Se acalme, ela não está aqui para nos ferir. - ditou colocando suas mãos nos ombros tensos da outra. - Sweet?

- Você sabe que eu não gosto de guardas noturnos! - Disse emburrada, apontando para Madeleine, que acenava com vergonha.

- Madeleine essa é Sweet e, Sweet esta é Madeleine. - William apresentou as mesmas e saiu andando, com as duas ao seu lado. 

- O que faz aqui? - Sweet perguntou, cruzando os braços.

- Preciso ligar a energia. - Madeleine respondeu.

Um alarme ressoou no ouvido dos três. 

- Não precisa mais. - Sweet falou sorrindo. 

Madeleine os olhou confusa, e logo lembrou do que Afton lhe disse: "Quando um alarme tocar, quer dizer que você acabou ser turno".  Saiu correndo em direção as escadas.

- Vejo você amanhã? - William perguntou, intrigado. 

- Se eu não for demitida! - Madeleine saiu, acenando. Estava se referindo ao fato de ter chegado atrasada no primeiro dia de trabalho. Sendo que chegou as 4:32, quando era para ter chegado as 00:00. Suspirou fundo, saindo do estabelecimento. Pensou nos outros animatrônicos, se bem se lembra, eram para ter 11 animatrônicos, mas quando ela foi no subsolo, só sentiu a presença de 3. Arqueou a sobrancelha, mas sorriu.

\~(^0^)~/

Matthew ligou mais cedo para Afton, dizendo que teria que faltar o primeiro dia no trabalho, estranhamente, Afton aceitou e desligou antes que o mesmo pudesse agradecer. 

Foi pra cozinha e pegou uma torrada, e se dirigiu á sala, sentando-se no sofá e ligando em um canal qualquer.

"É um grande lote, que William Afton afirmou que reconstruiria mesmo que estivesse aos pedaços. Ele também comentou que fará manutenção nos animatrônicos e os botará para funcionar novamente. As crianças estão bem alegres! Mas seus pais..."

Saiu da sala. 

- É impossível que ele não seja a notícia em todos os canais - sussurrou para si mesmo, arqueando a sobrancelha. 

Pegou o celular de cima da mesa da cozinha e desbloqueou o mesmo. Algumas mensagens.


"Amanda [11:23]: Vc ealmente vai trabalhar lá?"
"Brian [11:36]: Matthew is wasted."
"Amanda [14:07]: Q vácuo do krl ein? Quero conversar mais n, ridículo!"

Parece que ele virara notícia também. Amanda era uma espécie de amiga super protetora, que nunca iria deixar ele trabalhar em um local daqueles. O plano era deixar ela não descobrir, por que ela com certeza não o deixaria ir até lá, não sozinho. Brian era o amigo que gosta de brincar com tudo, leva a vida como uma brincadeira, xinga os amigos por qualquer coisa e gosta de 'tacar o foda-se' em todo mundo. E tem Matthew, um amigo normal, até conhecer os seus amigos.

Seria muito deixar eles não descobrirem do seu novo emprego?  

Foi em direção ao espelho, olhar-se para ver suas condições, já que estava prestes a sair para caminhar. É, estava do mesmo jeito que sempre. 

Saiu de casa com o celular, colocando os fones de ouvido e caminhando pela calçada. Por ironia, era uma música que os animatrônicos Fazbear's cantavam. 

- Break break break my mind... - cantou baixinho.

Avistou o lugar do qual teria que trabalhar mais a frente, estava cheio de jornalistas e apresentadores tentando conseguir uma informação. Digitou um número no celular e o colocou ao lado do ouvido, esperando o outro atender.

- Senhor Afton? 

- Fale, estou meio ocupado agora. - ditou, impaciente.

- Ah, nada de mais, só tem uns reportes tentando quebrar a porta e entrar no Relv's, mas nada de mais, o mesmo de sempre, sabe? - falou com um sorriso irônico estampado no rosto. Afastou o celular do ouvido, ouvindo de longe os gritos de preocupação do Afton.

- Entre lá e acabe com essa bagunça!

- Esera, eu o-

- Tchau. - Afton disse indiferente.

Foi como se Matthew se auto empurra-se para trabalhar. Caminhou até o local, e foi desviando dos repórteres, se preguntando o porque todos estavam parados. Ao chegar mais a frente, conseguiu ver o motivo. Uma menina folgada, sentada na frente do portão, atrapalhando a entrada de todos, dormindo. Matthew conseguiu se aproximar. 

- Ela que foi no turno da noite? - Matthew pensou cutucando a bochecha da menor. 

Ela soltou um breve bocejo e coçou os olhos, se espreguiçando logo em seguida. 

- Onde eu estou? - ela perguntou. Matthew sentou ao seu lado. 

- No portão da Relv Pizza World. - respondeu, rindo sorrateiramente.

- HAH?! - ela elevou a voz, colocando as mãos ao lado da cabeça e balançado-a. Olhou para Matthew. - Não foi um sonho?!

- E eu vou saber? - ele ditou rindo.

- Senhorita, o que aconteceu ali dentro? - Um repórter se aproximou, apontando o microfone em direção a Madeleine.

- Só posso falar quando Senhor Afton terminar. - bocejou mais uma vez. 

Logo os entrevistadores saíram, um por um, de cara emburrada por não conseguir fazer uma boa matéria. 

 


Notas Finais


Então?
Aos criadores dos personagens: Me digam por favor se eu fiz a personalidade diferente do que vocês queriam >w<
Os animatrônicos que não apareceram nesse, apareceram no próximo :3
Obrigado por sua atenção :3
LEMBRANDO QUE AINDA TEM VAGAS!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...