História Remember? - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Ino Yamanaka, Karin, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, TenTen Mitsashi
Tags Drama, Naruto, Romance, Sasusaku
Visualizações 180
Palavras 1.361
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Romance e Novela, Violência
Avisos: Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oláaaaa, como vão xerosos? <3
Obrigado pelos cometários do capítulo anterior, me animaram bastante <3

Agora vamos para a Sakura sofredora-chan 👇

Boa leitura ♡

Capítulo 10 - Capítulo dez


Remember?

 

–... Quem é você?

A pergunta foi dita apenas uma vez, porém soou diversas vezes em minha mente.

Permaneci com o corpo estático, pasma com o olhar tão diferente que Sasuke me direcionava.

– Q-Quem sou eu...? Como assim? – As palavras saíram em sussurros de minha boca seca.

Sasuke estreitou seus olhos e analisou o local em que estávamos minuciosamente. O encarei nos olhos, procurando algo ali, não sei ao certo o que encontrei.

O moreno notou a mordida que recebera na cintura e tocou no próprio sangue que escorria lentamente.

– Ei... Está tudo bem? – Perguntei preocupada. O moreno focou sua atenção em mim, me fitando de cima a baixo. O olhar vibrante me queimava. Seus olhos pararam quando fitaram a espada em minha mão direita.

Ele retirou rapidamente a faca que ficava em seu bolço e em um piscar de olhos retirou a espada de minhas mãos batendo-a com a faca.

– Fique parada. – Encostou a faca afiada em meu pescoço. A voz que saía de seus lábios finos era ameaçadora. – Pra quem você trabalha?

O que está acontecendo?!

– E-Eu... – O encarei embasbacada. – S-Sasuke e-eu...

– Se sabe meu nome então está me caçando. – Ele nem me deixava falar direito, sua expressão exalava perigo. – Não sei como, mas parece que conseguiu me golpear... – Colocou a mão na ferida para estacar o sangue. – Porém vejo que está ferida também – Disse ao perceber meu calcanhar esquerdo ferido.

– N-Não é isso que está pensad-

– Calada. – Encostou mais a faca em meu pescoço.

Engoli seco.

– Responda. Para quem trabalha?

– N-Ninguém... – Sussurrei assustada.

Meu pescoço ardeu muito quando Sasuke o cortou, não foi um corte profundo, mas o suficiente para me fazer suar frio.

– Quem? – Insistiu na pergunta.

Nem precisava da faca, só o olhar dele já me deixava em pânico.

 – Não trabalho ‘pra ninguém, sou sua amiga... – Encolhi os ombros.

Estremeci quando ele abriu um sorriso de lado.

 

Que sorriso é esse?

Quem é esse homem?

 

Minhas esperanças foram quebradas depois que Sasuke em um ato rápido e cruel cortou meu rosto. O corte foi tão rápido e forte que me fez desequilibrar para trás.

Caí de joelhos colocando minhas mãos no rosto, observei aterrorizada o sangue cair em minhas mãos, no pescoço e em meu vestido.

 

Que dor é essa?

Se ele cortou meu rosto... Então por que a dor vem de dentro do peito?

 

– Certo, vamos lá, “amiga”? – Falou irônico. – Hn... – Olhou ao redor. – Onde está Kuro?

Fiquei parada, temendo o próximo movimento desse homem “desconhecido”.

Sasuke guardou a espada e a faca, E se abaixou em minha frente.

 

O sorriso...

Esse sorriso...

Por que me assusta tanto?

Por que dói tanto em mim?

 

– Vamos lá! – Em um movimento rápido Sasuke me jogou em seu ombro.

– Ugh... – Grunhi de dor devido à violência dele.

Sasuke rumou para frente.

Esfreguei as mãos em meu rosto na tentativa falha de parar o sangramento.

– Estranho... Que lugar é este? – O moreno resmungou para si mesmo.

– Estávamos indo para Tarayma! – Respondi intrometida.

– Já mandei você ficar quieta. – Alertou rude.

– P-Por que não acredita em mim?! – Questionei em choro.

– Estava indo à Jornes, mas fui barrado em Tahama... – Fui ignorada completamente. Sasuke conversava sozinho, se lembrando do caminho em que havia feito, porém não se lembrava do mais importante... De mim! – Por que não estou em Tahama?! – Olhou ao redor. – Será que isso é obra dos soldados? – Alisou o queixo, pensativo.

A cada segundo que se passava, mais eu acreditava no cartaz que dizia que Sasuke era um criminoso.

Fui carregada até onde Kuro estava amarrado. Observei a fogueira apagada e a cama de folhas, uma dor agoniante me tomou.

Até uns segundos atrás Sasuke era o homem em que eu confiava e acreditava ser bom...

O moreno pisou nas folhas até chegar perto de Kuro.

– Oi amigão, sentiu minha falta? – O cavalo relinchou em resposta. – É, foi difícil escapar do último ataque daquele soldado esquisito, mas no fim conseguimos, não é? Ainda bem que você me jogou no jardim. – Acariciou o animal.

– Espera aí... Você está falando “daquele” jardim? – Virei meu rosto para poder encará-lo.

– Se bem que... Ainda não entendo o motivo de ter acordado aqui! – Fui ignorada outra vez.

– Não estamos em Tahama, saímos de lá há semanas! – Contei esperançosa, queria que ele se lembrasse de mim.

– Eu já mandei você se calar! – Me jogou de barriga em cima do cavalo. O animal pulou, assustado com a atitude repentina do dono. – Não sei quem te enviou, mas irei fazer você confessar! – Estou encrencada, com toda certeza! – Vamos voltar para Tahama.

– O quê??! – A indignação e surpresa estavam claras em minha voz. – Nós estamos indo para Tarayma! – Me levantei e saí de cima do Kuro – Para TARAYMA! – Repeti em alto e bom som. – Sabe por que estamos indo para lá?!

Sasuke ficou sério, me encarando friamente.

– Porque você quer me matar. – Concluiu sozinho.

– Ãn?! – Arregalei os olhos, assustada com aquela resposta. – Você quer encontrar sua família Sasuke! – Expliquei rapidamente. – Estamos tentando descobrir quem é você! – O olhar negro de Sasuke estava me causando medo. Estava insegura até para falar.

– Há! – O sorriso torto enfeitou a face irritada – Eu sei quem eu sou. – Apertou meus ombros com força e fechou a cara. – Agora, não sei quem é você... – Fiquei sem palavras diante o rosto irritado de Sasuke. Ele me jogou novamente em Kuro e subiu em seguida. – Se eu te jogar em frente ao portão de Tarayma sabe o que irá acontecer? – Perguntou.

– N-Não... – Sussurrei assustada.

– Os arqueiros matam você. – Respondeu sério.

Engoli em seco, me lembrando dos contos que os camponeses contavam em Tahama.

Tarayma é realmente terrível!

 – Ainda quer ir para Tarayma? – Perguntou o moreno.

– N-Não, estava apenas te seguindo mesmo... – Dei de ombros – Onde você for eu vou também... – Sasuke virou-se para mim interessado. – Se não quer voltar para o seu reino, tudo bem!

O moreno hesitou e parou um pouco para pensar. Encarou o chão por um longo tempo.

Acho que minha resposta tinha dado algum resultado.

– Você disse que estava me acompanhando? – Perguntou desconfiado.

– Sim... – Afirmei temerosa.

Ele observou meu vestido sujo e meu pé machucado, depois levantou o olhar para o meu rosto cortado pela faca.

Me fitou curioso e perdido.

– Quem é você? – Perguntou pela segunda vez naquela noite. Porém, desta vez a pergunta era mais amigável.

– Sakura... Sua amiga. – Respondi.

Ele estreitou os olhos, descrendo.

– Por que será que não acredito em você? – Questionou sério.

– Estou falando a verdade! – Retruquei.

– Hn. – Entortou os lábios. – Devo admitir que tem algo errado... – Olhou ao redor e coçou o cabelo.

– Pare de ser teimoso e me escute, por favor... – Implorei.

O moreno desceu de Kuro e me puxou também, caí em seu peito e fui abraçada pela cintura.

Devo confessar que isso mexeu comigo, minhas bochechas queimaram.

Ele me largou quando meus pés descalços tocaram o chão de terra. O moreno se sentou no chão e bateu no espaço ao seu lado, me mandado sentar ali, me sentei acanhada.

– Pode começar a falar!

– Bom, eu sou Tahariana, te encontrei no jardim que fica no meio da floresta, perto da cabana de papai. Você não se lembrava de nada, então, comecei a te ajudar... – Contei tudo para ele, desde o começo, com todos os detalhes.

Sasuke escutou tudo com uma serenidade admirável.

– Entendi... – Coçou o queixo.

– Acredita em mim agora? – Perguntei hesitante.

Ele deu de ombros, despreocupado.

– Não muito, mas sua história faz sentido!  – Falou tranquilo – Desculpe ter te tratado mal e te cortado, pensei que fosse inimiga...

– Tudo bem – Sorri aliviada. – Mas e você? – Questionei receosa.

– Hn?

– Você é um criminoso?

– Não. – Respondeu sincero.

– Se lembrou de tudo, de sua família? – Indaguei curiosa.

– Sim. – Disse seco.

– Que bom! – Não escondi meu sorriso satisfeito, estava feliz. – Agora você pode voltar a vê-los e...

– E é exatamente deles que estou fugindo. – Contou Sasuke. – Quem quer me matar é o meu Tio.

Minha boca se abriu em uma expressão muda e pasma.

– Ele descobriu recentemente que possui um sobrinho, e isso pode prejudicá-lo. – Explicou. – Ele quer que o filho dele fique com tudo.

– N-Não entendi Sasuke... – O encarei preocupada.

 

O moreno respirou fundo, e me fitou com seriedade.

 

– Sou o filho bastardo do Rei de Tarayma!

 


Notas Finais


Uooooh 😱 revelações~

Beijos ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...