História Remember Me - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Deidara, Fugaku Uchiha, Itachi Uchiha, Kiba Inuzuka, Madara Uchiha, Menma Uzumaki, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha
Tags Drama, Drama 2, Drama 3, Drama4, Narusasu, Naruto, Revelaçoes, Romance, Sasunaru
Exibições 60
Palavras 5.362
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Hentai, Lemon, Policial, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Capítulo 16 contando brevemente quem é Madara!

Nos vemos nos comentários

Espero que gostem!!

BOA LEITURA!

Capítulo 16 - Nem Tudo O Que Parece É...


Fanfic / Fanfiction Remember Me - Capítulo 16 - Nem Tudo O Que Parece É...

Me sentei no sofá da minha sala e passei minhas mãos na cabeça sentindo ela latejar fortemente, a sala estava silenciosa, todos mantinham os olhos baixos, Menma se sentou ao meu lado e passou seu braço pelos meus ombros, ninguém falava nada, a notícia era mesmo terrível, olhei para meu irmão e ele sorriu fraco, sabendo a dor que eu estava sentindo naquele momento.

-Eu pensei..., esse tempo todo eu pensei que foi apenas um acidente... – Murmurei olhando para ele, meus olhos arderam e Menma me puxou, me abraçando e colando minha orelha em seu peito.

-Eu sei, eu também fiquei tão surpreso quanto você Naruto, me sentindo estranhamente vazio – Ele murmurou com a voz fraca, mordi meu lábio inferior.

-Porque nossos pais não disseram nada? Porque esconderam isso se eles sabiam?! – Perguntei cerrando meus punhos, Menma suspirou e me afastou olhando em meus olhos.

-Eles não podiam, éramos muitos jovens para entender isso, você só tinha doze anos e eu iria fazer quinze, além de que, já tínhamos nossos próprios problemas também... – Comentou olhando rapidamente para Kiba, em seguida voltou para mim – Eles só não queriam nos colocar em perigo também, pois sabiam que se soubéssemos buscaríamos justiça por isso...eles não tiveram culpa nisso, Otouto – Menma acariciou meu rosto e eu funguei baixando os olhos.

-Eu sei disso...sei que eles não tinham culpa, e nem estou dizendo que tinham, só que, eu passei a minha vida inteira até hoje acreditando que foi apenas um acidente e agora descubro que o Ero-Sennin foi assassinado?! – Olhei para os demais na sala e Kyouya veio até mim se sentando ao meu lado e segurando minha mão.

-Sabemos o que está sentindo Naruto, mas agora sabemos bem do que ele é capaz, e se essa tal pessoa que você disse querer nos ajudar de fato nos ajudar, podemos derrotar ele, podemos dar a justiça que seu avô precisa da melhor forma possível... – Kyouya disse me encarando, suspirei e confirmei.

-Menma, você disse que seus pais contaram a você o que de fato aconteceu... – Itachi-san chama a atenção olhando para meu irmão, Menma confirmou suspirando.

-Sim, eles disseram...no dia que meu avô saia de Konoha para mais uma viagem sua, antes de ir foi até Madara, e discutiu com ele por algum motivo que nossos pais acreditam que seja pelo fato de Madara ter falido a empresa de Orochimaru...nosso tio, os dois eram grandes amigos e nosso avô não gostou nada dele ter feito isso, bateu boca com Madara e disse alguma coisa que o Uchiha não gostou, depois disso...aconteceu o que aconteceu... – Menma Falou olhando para Itachi que confirmou suspirando.

-Não posso acreditar que Madara foi capaz disso...não posso acreditar – Sasuke sussurrou cerrando os punhos com força com os olhos vidrados no chão.

-De qualquer forma, agora o que temos que fazer é juntar nossas forças e fazer o possível para parar esse cara, antes que mais alguém se machuque – Gaara comentou recostado na parede de vidro da sala, todos confirmam.

-Eu coloquei seguranças no orfanato para proteger as crianças e Sophie, coloquei também homens cuidando da cafeteria de Aijima-san, os irmãos de Kyouya estão fazendo a segurança da empresa, reforçando nossos seguranças também e já deixei ciente ao meu tio para se proteger também, Orochimaru depois que ficou sabendo o que está acontecendo ficou do nosso lado sem reclamar, aparentemente ele também não é nem um pouco amigo de Madara, provavelmente seja pelo o que ele fez com ele e meu avô naqueles dias, e disse que disponibilizaria homens na segurança de meus pais e da minha avó....irei contratar mais alguns homens na segurança de vocês enquanto estiverem aqui e não adianta vocês negarem...esse cara pode fazer qualquer coisa com todos nós e tão silencioso que nem deixaria rastros – Falei no final deixando todos em silencio, em seguida ouvi meu celular tocar na mesa, olhamos para lá, me levantei e fui até ele o atendendo – Alô?

-Uzumaki Naruto? Sou eu...Hashirama, estou nos Estados Unidos, e queria saber se podemos nos encontrar...acho que tenho coisas para dizer que você queira saber... – A voz do outro lado falou e eu sorri de lado.

-Será um prazer me encontrar com você, Hashirama-san...onde podemos nos encontrar? – Perguntei e ele pensou por alguns segundos.

-Estava pensando se não poderíamos nos encontrar no aeroporto do país, ele é bastante movimentado e Madara não poderá rastrear nossa conversa por lá...se você não se importar de me encontrar em um aeroporto – Falou do outro lado e eu confirmei.

-Irei sim, que horas você prefere? – Perguntei e ele deu as horas e o dia, confirmei tudo e por fim ele desligou, nem se quer levou um minuto nossa ligação, olhei para os demais na sala – Hashirama nos contatou, ele quer se encontrar comigo...decidimos nos encontrar no aeroporto, por ser o lugar mais movimentado do país... – Falei e os demais se entreolharam.

-Certo, vou avisar meus irmãos para colocarem alguns homens à paisana próximo a vocês dois... – Kyouya comentou com o celular em mãos e digitando rapidamente.

-Se importa se formos com você, Naruto? Queria conhecer esse cara e saber mais sobre meu tio – Comentou Itachi ao lado de Sasuke, suspirei e confirmei.

-Não acho que isso vá assusta-lo, então pode sim...vamos nos encontrar amanhã bem cedo, esteja lá por volta das sete da manhã – Comentei para os dois Uchihas que confirmaram.

-O resto de nós continuaremos pesquisando mais sobre ele e coletar dados e notícias que pode nos ajudar com provas se conseguirmos prender esse cara... – Kiba comentou se levantando e olhando para Menma, Sasori, Deidara e Gaara, todos confirmam.

-Certo, e espero que tudo corra bem com esse encontro...preciso saber mais sobre aquele maldito... – Comentei cruzando os braços e olhando para meu celular na mesa.

[...]

Assim que passei pelas portas duplas de vidro, olhei em volta a multidão andando de um lado a outro, apressados, alguns se abraçavam felizes, provavelmente era um reencontro, outros sentados esperavam seu voo sem pressa alguma.

Olhei para todos os lados tentando localizar alguém que poderia estar nos esperando, Itachi e Sasuke estavam logo atrás de mim, olhando para todos os lados procurando nosso possível aliado, senti meu meu celular no meu bolço vibrar e logo o atendi vendo ser um número desconhecido.

-Alô? – Falei e ouvi uma risadinha.

-Você veio mesmo, achei que não viria... – Hashirama comentou e olhei para os lados tentando localiza-lo, mas tinha muita gente.

-Trouxe alguns amigos, não se importará, certo? – Perguntei e ele negou.

-Não, está tudo bem, estou na ala de espera, próximo a janela de vidro... – Comentou e eu direcionei meus olhos para lá, vi um homem sentado com a perna cruzada, parecia olhar diretamente para mim e assim que percebeu meus olhos em si acenou, desliguei o celular e acenei para Sasuke e Itachi me acompanharem, os dois se entreolharam e me seguiram até Hashirama, ele era até mesmo bonito para quem era mais velho do que nós, tinha cabelos compridos e extremamente lisos na cor castanho escuro, olhos tão escuro quanto os cabelos, vestia um terno azul cobalto e sapatos lustrados preto, sua expressão era calma e seus olhos sinceros, tão sinceros que eu me senti confiante quanto a ele nos ajudar. Hashirama sorriu – É bom conhecer você, Uzumaki-san...por favor, sentem-se... – Comentou apontando para os bancos ao seu redor, olhei para Sasuke e Itachi e em seguida nos sentamos.

-Esses são Uchiha Itachi e Uchiha Sasuke, filhos de Uchiha Fugaku e sobrinhos de Madara... – Falei apresentando-os ao Hashirama, ele sorriu fazendo um aceno com a cabeça.

-Bem que vi a semelhança com Fugaku...nunca fui tão próximo ao garoto, mas de fato se parecem bastante com ele... – Comentou sorrindo gentil, suspirei.

-Então...o que pode nos dizer sobre Madara? – Perguntei sem rodeios, não tínhamos muito tempo por aqui, Hashirama me olhou e confirmou, ele também sabia que o tempo era curto.

-Certo...vou contar a vocês o que devem saber de Madara... – Começou Hashirama olhando para o movimento das pessoas de um lado a outro no aeroporto – Meu amigo sempre foi um garoto difícil de se conviver, quando o conheci, ele era um tremendo babaca, metido e beirava quase ao insuportável...e eu era apenas um garoto tímido e chorão – Hashirama riu suavemente, perdido em memórias passadas – Nós vivíamos naquela época em mundos totalmente diferentes, meus pais eram pobres e os pais de Madara ricos, ele era mimado e eu trabalhava junto com meu pai na lavoura de algodão além de ajudar minha mãe na colheita de arroz de vez em quando, nos fins de semana, eu ia para o paraíso, um lugar que eu gostava de ficar, na beira do rio e ficava sozinho por lá, não ia ao colégio e mesmo assim era inteligente, pois meus pais eram professores desempregados e eles me ensinavam tudo o que sabiam...certo dia, Madara foi com Mito, minha futura esposa que na época era melhor amiga de Madara, para onde eu sempre ficava, e naquele dia nos conhecemos – Ele suspira e olha para a aliança em sua mão – Madara caiu no rio e não sabia nadar, e como eu estava lá, pulei no rio e o salvei antes que ele pudesse se machucar ou até mesmo morrer, mas ele era um tanto orgulhoso e demorou um ano inteiro para admitir que eu o salvei, isso ainda com insistência de Mito... – Hashirama riu negando – Por sorte do destino, ou não, meus pais conseguiram emprego na mesma escola que Madara e Mito frequentavam, e com isso, eles me colocaram lá para estudar também, eu fiquei uma série atrás deles, mas já foi o suficiente para nos vermos todos os dias...Madara e eu discutíamos todos os dias, e Mito era quem sempre apartava a briga, ela era forte e destemida, alguém que até mesmo Madara respeitava, mais por medo do que por admiração, claro..., mas conforme os dias foram indo, eu comecei a me enturmar com os dois, e quando vi, estava tratando os dois como meus amigos e Madara, mesmo distante e muito relutante, também me aceitava como seu amigo, até que um dia...eu descobri que Madara era assim pois ele sofria muito em casa com o pai, o pai dele era um empresário rígido que ensinava aos dois filhos como eles deveriam ter respeito com o nome que tinham...e toda a história que os Uchihas sabem e que é passado a eles de geração em geração – Ele disse e olhou para Itachi e Sasuke que confirmaram sem jeito, Hashirama sorriu – Madara ficou fascinado com a história de seu nome, ele era um garoto que almejava ser o melhor, desde aquela época, e após saber que seu nome era tão importante assim, ele teve plena certeza de que nasceu para ser um rei...mesmo que naquela época não existia mais reis em nosso país...e eu estava lá para tentar amenizar essas ideias na cabeça dele, e mesmo assim, não fui o suficiente, Madara estava certo de que era destinado a ser um rei, que seu nome e seu sangue eram reais e que ele deveria ser o melhor dentre os melhores..., mas mesmo que ele tivesse tais pensamento egoístas e altos daquela forma...sua vida real, não era assim...não era o que ele esperava ser, sua mãe era doente, alcoólatra, vivia dando dor de cabeça ao pai e aos filhos, seu pai, rígido ao extremo, castigava os filhos, principalmente o mais novo que ainda era muito novo para entender os perigos da vida, e Madara se mantinha carregando um ódio profundo de seu pai e mãe, mas aquele ódio apenas ficou pior, quando sua mãe morrera doente e seu pai se casar de novo em menos de dois meses, foi naquele momento que ele viu que seu pai tinha uma amante e que era por isso que sua mãe bebia todos os dias...ele jogou a culpa da doença e da morte de sua mãe em seu pai, e com dezessete anos ele estava certo de que tiraria tudo dele, até mesmo a própria esposa...Mito e eu tentávamos pará-lo, tentávamos mostrar a ele que estava errado, mas ele não nos ouvia, e foi em seu aniversário de dezoito anos que ele disse ter cortado seus laços com nós dois....ele disse que fomos seus únicos e melhores amigos por muito tempo, e que teve momentos realmente felizes ao nosso lado, mas que ele precisava nos manter longe para que não sofrêssemos por culpa dele, ele sabia que as decisões que ele tomaria poderia machucar muitas pessoas importantes a ele, por isso, ele quebrou o laço de amizade que tinha com nós dois e prometeu que um dia, quando toda a dor dele acabar, ele voltaria para nós e voltaria a brincar com nós dois no rio..., mas a sede por dinheiro e poder apenas o cegaram e levaram embora nosso melhor amigo...no mesmo ano, ele tirou tudo de seu pai, empresa, poder, mulher e deu tudo ao irmão mais novo, para ele cuidar de seu império enquanto ele crescia mais e mais aqui fora...Mito e eu nos casamos dois anos depois e nem mesmo ele quis comparecer, Madara não é mais o mesmo...e depois que ele teve a coragem de matar o próprio irmão, eu tive a certeza de que precisava pará-lo, antes que mais alguém se ferisse por culpa dele, e quando conversei com Tsunade e ela contou que era sua avó, aí que não pude deixar quieto...eu devo muito a ela e a Jiraya...eles foram grandes amigos, por longos anos e por culpa de Madara...Tsunade perdeu quem mais amou... – Hashirama baixou os olhos bastante triste, suspirei olhando para o chão compreendendo as palavras dele.

-Espera...isso quer dizer que... – Olhei para Sasuke e ele parecia pasmo, assim como Itachi... – Nossa mãe é a amante do pai de Madara?! – Ele perguntou bastante pasmo e nisso olhei para Hashirama que sorriu de lado.

-Não...depois que Madara tirou a esposa do pai e a entregou para Fugaku, o pirralho a exilou da cidade e a vendeu para o mercado estrangeiro, não sei o que aconteceu com ela depois disso, se foi vendida como escrava ou se fora morta...apenas sei que ele deu fim à mulher algum tempo antes de conhecer sua mãe... – Comentou ele fazendo os dois Uchihas respirarem aliviados, aparentemente seria demais para eles imaginarem tal coisa de Mikoto, bem, não os culpo, até mesmo eu estava incrédulo com a possibilidade, Mikoto era alguém tão legal e sincera que era difícil acreditar que pudesse ter contribuído para tal catástrofe.

-E o que aconteceu com o pai de Madara? Ele morreu? – Perguntei ao Hashirama que coçou a nuca suspirando.

-Não sei dizer, sei que ele ficou completamente desamparado, todos os aliados que ele tinha estavam do lado do filho mais velho, deram as costas a ele sem pensar duas vezes, a esposa, apaixonada pelo filho, nem ao menos o consolou, apenas o abandonou como ele abandonou a esposa falecida, pelo o que sei ele foi embora com o pouco que tinha e depois se matou pulando de uma ponte – Comentou ele olhando para os Uchihas, Itachi suspirou e confirmou.

-Sim, depois que nosso avô desapareceu, meu pai colocou um grupo para encontra-lo, mas quando encontraram ele, ele tinha se afogado ao pular da ponte, meu pai abafou completamente o caso, pois isso poderia, segundo ele, manchar o nome dos Uchihas e o cremou assim que o corpo fora recuperado... – Itachi comentou e Hashirama confirmou.

-Depois de todo esse tempo, eu acredito que a dor de Madara ainda não está totalmente apagada, ele ainda sofre muito com as perdas que teve ao longo da vida, mesmo que ele tenha dito que cortara seus laços comigo e com Mito, eu sempre fiquei buscando saber o que aconteceu com ele, ano após ano, eu sempre o estive observando e vendo sua dor apenas aumentar...Madara pode ser para vocês um homem forte e sem sentimentos, talvez agora ele esteja mais forte mesmo, mas...sei que ele está sofrendo e muito, ele sempre foi bastante sentimental, acho que isso vem de todos os Uchihas, eles sentem muito mais do que as outras pessoas e acabam se ferindo e se machucando com mais facilidade e com isso no final, acabam se correndo de ódio por ter sentindo tanta dor, e Madara era muito orgulhoso para admitir isso... – Hashirama cerrou os punhos com força e seus olhos marejaram – Madara, mesmo com sua grande frieza e ambição, encontrou o amor...ele se apaixonou durante sua vida aqui no exterior, se casou com uma bela mulher, bastante parecida com Mito se posso dizer, logo que eu sempre soube que ele nutria sentimentos diferentes pela minha esposa, desde quando éramos jovens...ele conheceu essa mulher e se casou, tiveram até mesmo um filho juntos, mas Madara não teve muito tempo para compartilhar tal felicidade, pois toda a sua felicidade foi tirado dele em uma noite apenas, sua esposa e seu filho recém-nascido voltavam de carro para casa, depois de uma festa de negócios em que Madara teria apresentado sua família a seus aliados mais fiéis, ou nem tanto assim...na mesma noite, enquanto sua esposa e filho voltavam para casa, Madara recebera uma ligação para resolver algum problema na empresa, e deixara sua esposa ir para casa sozinha por estar cansada e seu filho também, mas não esperava que o motorista do carro tinha sido comprado por um dos aliados de Madara para dar um fim a esposa e ao filho, ele levou os dois para um lugar diferente do que deveria levar, algum lugar deserto e matou a mulher e a criança, ateou fogo no carro e em seguida se matou, pois sabia que não poderia fugir de Madara por muito tempo...quando Madara descobriu, ele ficou furioso e massacrou toda a linhagem de família de seu motorista desde a raiz, alegando que ele não deixaria que aquela linhagem de sangue deles continuassem a caminhar sobre a terra...desde então, ele faz isso, aqueles que o tiram do sério ou o traem ele apaga completamente a existência daquela pessoa, começando exclusivamente pela raiz – Disse ele e eu fechei os olhos cerrando os punhos ao imaginar o que ele teria passado com tudo isso.

-Então é isso...por isso nosso tio faz esse tipo de coisa... – Itachi comentou olhando para o chão enquanto processava a história, Hashirama suspirou recostando-se na parede.

-Sim, e eu quero que ele pare, pare antes que encontre seu fim, sei que ele deve ter sofrido muito, tal dor eu jamais gostaria de sentir, mas ele está errado, e não quero que ele sofra ainda mais, Madara pode ter dito que quebrara seu laço com nós dois, Mito e eu, mas eu não concordei com isso, nunca deixei de ser amigo dele e Mito também, lembro que ela chorou por dias quando soube o que aconteceu com ele, por isso, quero que ele abra os olhos e pare, antes que seja tarde demais... – Falou o Senju me encarando, confirmei.

-Eu sei como se sente Hashirama-san, e agora que sei o que ele passou, sei o que preciso fazer para pará-lo, sei que não posso desistir, mas quero que saiba que não irei medir meus esforços para pará-lo, eu sinto muito pelo o que ele passara esse tempo todo, mas não posso deixar que ele faça mau a alguém que amo, por isso, mesmo que ele precise morrer, eu farei... – Comentei fazendo Sasuke me encarar, Hashirama confirmou com a cabeça baixa.

-Eu também compreendo seus sentimentos, quero apenas que ele se arrependa de todo mau que fez e faz até hoje, quero que volte para nós dois...sendo meu melhor amigo e não esse homem frio e terrível... – Ele disse e eu confirmei.

-Obrigado por nos contar tudo o que precisávamos saber Hashirama-san...tenho certeza de que sua ajuda irá ser muito importante para nós... – Sorri e apertei sua mão, ele retribuiu com um leve sorriso no rosto.

-Eu que agradeço, pude compartilhar essa história com vocês...e pude também cooperar com vocês para parar Madara...obrigado por confiarem em mim e me ouvirem... – Falou, nos levantamos e com mais um aperto de mão, vimos Hashirama pegar uma pequena maleta e seguir para a área de embarque, sorri, ele não escolheu esse lugar por ser cheio de pessoas, escolheu por que ele pretendia logo voltar para casa.

Suspirei e olhei para Itachi e Sasuke que permaneciam sentados e com olhares distantes, sorri e olhei para o relógio, em seguida toquei no ombro de Sasuke que me olhou.

-Temos que ir... – Comentei e ele suspirou confirmando, ele cutucou o irmão mais velho que pareceu sair de um transe e os dois se levantaram, seguimos nosso caminho em silencio, cada um com seus próprios devaneios, não deveria ser fácil para os dois encarar essa história, mesmo que Madara seja um monstro e doente, ele ainda era tio dos dois e saber que sua família tinha tantas histórias tristes, não era de estranhar que algumas pessoas achavam que a família Uchiha era amaldiçoada, tantas história tristes e perdas terríveis que era até plausível alguém achar isso.

Olhei para Sasuke enquanto voltávamos para casa, ele estava sentado no lado do carona e olhava para a janela ao seu lado distante, seus olhos brilhavam enquanto ele mergulhava em devaneios, Itachi tinha ido para casa com seu carro e Sasuke voltava comigo para a empresa, suspirei e toquei em seu ombro o fazendo olhar para mim como antes.

-Como você está? – Perguntei olhando brevemente para ele, Sasuke suspirou e deu de ombros.

-Não sei o que dizer, não sei nem o que estou sentindo agora...acho que ainda estou digerindo essa história... – Comentou Sasuke olhando para o caminho a nossa frente, confirmei.

-É mesmo uma história e tanto... – Murmurei, Sasuke me olhou e levou sua mão até a minha me fazendo olhar para ele.

-Prometo que não vou deixar meu tio lhe machucar, isso é a única coisa que tenho certeza em dizer agora...mesmo com uma história dessas, não posso apagar o que de errado ele fez...Madara precisa ser parado e o ajudarei a pará-lo Naruto... – Falou e eu sorri segurando sua mão com força.

-Vamos proteger as pessoas importantes para nós dois juntos Sasuke, e vamos parar Madara... – Sorri e Sasuke retribuiu, em seguida ele acariciou minha mão quando paramos em frente a nossa empresa.

-Me desculpe por isso Naruto..., mas não posso mais aguentar – Comentou me encarando intensamente, Sasuke levou rapidamente sua mão em minha nuca e me puxou contra ele, arregalei os olhos quando senti seus lábios tocarem os meus em um beijo, tentei me afastar, mas ele firmou seus dedos em minha nuca impedindo que eu me afastasse, seus lábios pressionavam os meus com anseio, como se ele estivesse louco para fazer isso a muito tempo, meus olhos arderam e eu tentei empurrá-lo, fechei com força os olhos forçando ainda mais, não queria aquilo, meu coração acelerava cada vez mais enquanto que grossas lágrimas teimavam em querer cair, não sabia porque agora, nem o porquê daquilo, mas sabia que era errado, muito errado.

-Sasuke! – Exclamei conseguindo me afastar dele, levei minha mão aos meus lábios os tapando, Sasuke me olhou por um tempo e em seguida baixou os olhos.

-Me desculpe por isso, mas não pude mais aguentar tudo isso...sei que está com Kyouya, sei que o ama e que o escolheu, sei também que o afastei quando não me lembrava de você, mas vê-lo, ouvi-lo, sentir seus toques amigos em meus ombros, ou mão, ou seus abraços e saber que não é mais meu...acaba comigo, estou a ponto de explodir por conta de todo esse problema e saber que outra pessoa lhe beija, lhe abraça, lhe ama nas noites...acaba ainda mais comigo...tanto que não posso mais aguentar isso tudo...posso estar sendo louco agora, pois o momento não é o certo, acabamos de escutar uma história terrível, mas... – Sasuke me encarou e seus olhos brilhavam marejados, ele negou – Eu preciso tirar isso de dentro de mim, preciso tirar o máximo de tensão de dentro de mim para conseguir deixar você ir, e poder proteger as pessoas ao meu redor...Naruto...eu amo você, amo tanto que não posso mais esconder isso, não posso mais fingir que não me importo em vê-lo com Kyouya, que estou feliz por ver você com ele, estou feliz sim por você estar sendo o mesmo de sempre, feliz por você estar feliz, mas não posso e não quero aguentar ver você com aquele cara...eu quero ser aquele cara, quero ser o mesmo que te abraça nas noites, que te beija, que tem seu corpo todas as noites, que te dá prazer...estou dizendo isso porque preciso dizer, não aguento mais guardar isso para mim! – Sasuke chorava e me encarando despejava toda sua angustia dentro daquele carro, em silencio estacionei o carro na garagem e continuei ouvindo.

Meu coração estava acelerado, e doía com suas palavras, eu admito, admito que ainda sentia algo por ele, que não tinha apagado totalmente meus sentimentos por Sasuke, mas a dor que eu senti, a tristeza que eu senti durante todo esse tempo com ele era maior, e ouvi-lo falando tudo aquilo me fazia ficar triste novamente, sentia um bolo apertar minha garganta e as lágrimas forçarem ao máximo para descer.

-Eu esperei... – Comecei assim que ele parou de dizer, Sasuke me encarou após tentar secar suas lágrimas, cerrei meus punhos no votante encarando a parede do estacionamento da empresa fixamente – Eu esperei por muito tempo para que você me dissesse isso, que se lembrasse de mim...que pedisse perdão por tudo de ruim que disse e fizera comigo...eu esperei! Até que eu não conseguisse mais aguentar aquela dor e aquela tristeza em ver você se distanciar de mim mais e mais...por isso não é justo você vir agora e me dizer isso! Não é! – Exclamei deixando as lágrimas virem – Durante todo um mês inteiro eu lutei para não voltar até aqui e o fazer se lembrar de mim, ou até mesmo fazer você se apaixonar por mim novamente, você não sabe o quanto tive que me segurar para não voltar atrás!! E você nem ao menos foi até mim quando se lembrou...você não foi...então não faça isso...não faça mais!! – Exclamei e encarei Sasuke, percebi que ele sentiu em cheio o olhar que eu lancei a ele – Não traga aquela dor novamente Sasuke...porque não sou tão forte como você acha que eu sou....todos os dias, todas as horas, todos os minutos e segundo eu tenho medo!! Medo de perder mais alguém! Medo de alguém se machucar por nossa culpa, medo de ver você morrer, medo de não poder proteger ninguém!! Tenho medo o tempo todo!! – Exclamei abraçando meus braços, sentindo meu peito se contrair ainda, solucei alto – Não sou forte Sasuke, eu só sei fingir muito bem, sei engolir meu medo e dor ao máximo que posso...desde pequeno eu sempre fui assim, morria de medo de todo mundo, todos eram tão grandes em comparação a mim, meu irmão sabe disso, mas ele nunca disse nada, nunca dizia porque eu implorava, implorava para que não dissesse nada, mas eu chegava a vomitar de tanto medo que eu sentia...e isso nunca melhorou, eu apenas me forçava a ser forte, me forçava a aguentar tudo isso e mais um pouco porque sabia que podia aguentar, eu aguentava, mas estava sempre morrendo de medo, paralisado de medo!! E agora estou dizendo a você para parar...para me esquecer, para parar de fazer isso, de vir até mim quando estou pronto para deixar você ir de dentro de mim, você sempre faz isso, volta sempre que eu estou tentando lhe esquecer... – Olhei para Sasuke novamente e solucei, meu coração doía tanto, tanto, tanto, que era terrível até mesmo encarar Sasuke – Eu imploro Sasuke...não faça mais isso...eu não vou aguentar se fizer – Sussurrei implorando, abri a porta e saí do carro de Sasuke, tentando respirar um pouco, tentando amenizar aquela dor, era sufocante estar ao lado de Sasuke, sempre foi, e naquele momento estava ainda pior.

Ouvi Sasuke sair do carro, mas não me virei, não queria olhar para ele, só queria que ele fosse embora, que ele me deixasse ali por um tempo, eu poderia estar sendo horrível com ele, Sasuke estava confiando em mim para despejar suas angustias, estava permitindo que eu soubesse seus sentimentos mais profundos e dolorosos, mas não podia aguentar, era mais forte que eu, era mais doloroso do que eu podia aguentar, senti Sasuke caminhar para mais perto de mim e eu pedi em pensamento para ele não vir, eu não iria aguentar.

Sasuke segurou meu pulso e me virou, fechei os olhos com força sem conseguir olhá-lo, em seguida senti seus braços me rodearem e me abraçarem com força, abri os olhos quando meu rosto bateu em seu peito e senti seu perfume que nunca mudava.

-Não posso... – Ele começou baixo e me apertou contra si – Não quero...não vou... – Ele saiu do abraço e me encarou intensamente, senti meu coração pular dentro de mim conforme encarava seus olhos firmes, olhar esse que nunca tinha visto em seus olhos, decididos e em chamas – Não vou deixar você ir...sei que fiz coisas terríveis para você, sei que te fiz sofrer, mas não há ninguém nesse mundo que eu mais ame a não ser você...e dessa vez, depois que tudo isso acabar, depois que derrotarmos Madara eu vou até você, irei conquista-lo, irei fazer de tudo para ter você de volta, dessa vez não vou desistir, não vou fazer o que sempre fiz que era fugir e achar que o deixando ir era a melhor escolha, não vou deixar que Kyouya tire você de mim, eu sei! Eu sei que você ainda me ama, sei que você ainda me quer e que ainda não me deixou ir...por isso ainda tenho você, e enquanto tiver, vou fazer o possível para te ter de volta...saiba disso em primeira mão Uzumaki Naruto...essa vai ser a última coisa que falarei até que todo esse problema acabar...você pode dizer que não me ama mais, que me deixou ir e que escolheu Kyouya...você pode dizer tudo isso e muito mais, mas... – Ele acariciou meu rosto e sorriu de lado – Eu cansei de fugir do que eu realmente quero, eu sei...sei que levou muito tempo para que eu finalmente parasse de fugir, para que eu aprendesse que não posso continuar fugindo para sempre, mas sei que não é tarde demais...e juro, juro que irei trazer você de volta para mim, e que não vou nunca mais deixar você ir, que vou para o resto dessa vida te amar e pagar tudo o que devo a você de felicidade e paz que você tanto merece...não vou deixar Kyouya te fazer o homem mais feliz do mundo, esse é um trabalho meu, eu quero te fazer feliz e eu vou fazer você ser o homem mais feliz do mundo...

Não soube o que dizer, Sasuke disse tudo aquilo e sorriu me deixando sozinho naquele estacionamento enquanto retornava para dentro da empresa, fiquei ali, parado ao lado do carro digerindo suas palavras, seu olhar firme e intenso e as chamas irradiando em suas palavras serias e decididas, me recostei no carro sentindo minhas pernas amolecerem quando toda a avalanche de sentimentos me atingiu, Sasuke deve ter ficado louco, ele deve ter queimado um de seus neurônios depois de ouvir toda aquela história de Madara, ele não podia estar em seu juízo normal.

Levei minha mão ao peito, sentindo meu coração bater descompassado dentro de mim, não podia permitir que ele fizesse isso comigo, não podia permitir que ele entrasse novamente, eu amava Kyouya, eu havia escolhido recomeçar minha vida com ele, não posso permitir que Sasuke entre novamente em meu coração, não quero isso, fechei os olhos com força quando Kyouya invadiu minha mente, seu sorriso e seus olhos brilhando enquanto me dizia o quanto me amava, não, não podia permitir perder ele, Kyouya é o homem que me faz feliz, que fez tudo o que podia e ainda está fazendo para me fazer feliz, Sasuke não tem esse direito de machucá-lo também!

Sequei minhas lágrimas e me firmei, não vou deixar Kyouya, não vou permitir que Sasuke volte a me pertencer, ele é passado, eu já me decidi uma vez e não vou voltar atrás, o único com quem ficarei será Kyouya, para resto da minha vida!


Notas Finais


Abraço Da Uzuu Neko-chan :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...