História Remember Me - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Deidara, Fugaku Uchiha, Itachi Uchiha, Kiba Inuzuka, Madara Uchiha, Menma Uzumaki, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha
Tags Drama, Drama 2, Drama 3, Drama4, Narusasu, Naruto, Revelaçoes, Romance, Sasunaru
Exibições 75
Palavras 4.912
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Hentai, Lemon, Policial, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Capítulo novo, o final se aproxima, espero que estejam preparados!

Espero que gostem
Nos vemos nos comentários

BOA LEITURA!


!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! AVISO IMPORTANTE NAS NOTAS FINAIS !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Capítulo 18 - Nova Estratégia!


Fanfic / Fanfiction Remember Me - Capítulo 18 - Nova Estratégia!

Depois de uma hora escutando Kyouya me dizendo o quanto fui descuidado e o quanto fora perigoso, tomei banho rapidamente e dormi como uma pedra, nem ao menos me lembro de ter sonhado naquela noite, mas de fato no dia seguinte minha cabeça rodava e as imagens do dia anterior e tudo o que tinha acontecido pairavam em minha mente, eu sei que fui imprudente e não pensei direito, mas naquele momento eu estava com tanta raiva que não pensei em mais nada, apenas a ideia de que ele poderia prejudicar meus meninos me fez explodir e fazer coisas que eu não queria fazer.

Suspirei saindo do carro e entrando na empresa, assim que as portas de vidro se abriram os olhares caíram sobre mim, todos com olhares preocupados, também pudera, nossa empresa estava aos poucos perdendo todos os seus cooperados, suspirei entrando no elevador, nem ao menos consegui dar-lhes meu costumeiro sorriso pois sabia que as situações de cada um deles eram de níveis diferentes, mas algo igual era que não podiam ficar sem trabalho.

Assim que entrei no corredor presidencial, vi Lia sentada em sua mesa e assim que me viu eu apenas acenei para que não precisava me seguir ou se levantar de onde estava, abri as portas de madeira dupla e vi Sasuke em sua costumeira pose pensativa e irritada, cenho franzido e olhos fechados, a sua frente novas planilhas e nem precisa chegar muito perto para ver que nossas ações caíram ainda mais.

-Bom dia... – Comentei baixo colocando minha pasta na mesa e retirando meu paletó, Sasuke abriu os olhos e me encarou irritado.

-Bom dia para quem? – Perguntou ignorantemente, sorri de lado não querendo discutir, eu sabia bem que toda essa situação da nossa empresa e nossa guerra interna com Madara era extremamente estressante.

-Pelo visto o dia começou terrível, não é? – Perguntei retoricamente, pois Sasuke apenas se limitou a bufar.

-Não sei mais o que fazer, esse cara está nos colocando em uma situação verdadeiramente preocupante, fiz as costas de nossos fundos e.…não acredito que conseguiremos aguentar por mais dois meses tendo tantos gastos para pagar...se não fizermos nada, vamos ser forçados a dispensar boa parte de nossos funcionários – Sasuke comentou olhando para mim, me sentei na cadeira suspirando, mal entrei na empresa e minha cabeça já está latejando – E não é só isso... – Recomeçou Sasuke, ele se levanta e me entrega alguns documentos que logo vi ser uma conta bancária, franzi o cenho quando vi pequenos menos ao lado de alguns números até razoavelmente altos.

-O que é isso? Porque esses números estão em negativo? – Perguntei, Sasuke apontou para um deles.

-Esses números? São nada mais e nada menos que desvios...estão desviando dinheiro de nossa conta, Naruto, e isso não é de agora...algum de nossos cooperados desviou parte de nossos ganhos para uma conta privada...e agora com esse problema com Madara, ele aproveitou para retirar quantias ainda maiores pois sabia que estávamos...”desprotegidos” e com outros problemas maiores na cabeça... – Trinquei os dentes, isso era sério?! Como um aliado nosso pode ter feito algo do tipo?!

-Tem certeza que isso não é coisa do Madara? – Perguntei sentindo a dor em minha cabeça aumentar ainda mais, Sasuke negou.

-Absoluta, assim que vi esses desvios e contatei o desgraçado de nosso contador, ele disse que já havia meses que isso tinha se iniciado, e aquele...maldito decidiu por conta própria de sua estupides não nos contar, pois acreditava, segundo ele, que estávamos cientes desses desvios!! – Falou Sasuke controlando a voz para não falar mais alto do que devia, suspirei tremulo de raiva.

-Sabe quem está fazendo isso? – Perguntei e encarei Sasuke, ele confirmou e voltou em sua mesa pegando outro papel.

-Uma pequena empresa insignificante que achou no direito de querer mais do que recebia de nós..., mas não se preocupe, eu já contatei a polícia e eles faram o possível para pegá-los, mas o que me preocupa é que esse dinheiro levado por eles...teria nos ajudado bastante com essa crise, mas agora... – Ele deixou a frase no ar, nem ao menos precisava terminar, pois eu sabia bem o que estava acontecendo, deixei os papeis na mesa e levei minhas mãos aos cabelos apertando-os de leve sentindo minha cabeça doer terrivelmente, levei minha mão até a gaveta pegando um comprimido para dor e me levantando para ir até a mesinha que continha a jarra de água. Senti Sasuke colocar sua mão em meu ombro – Você está bem? – Perguntou e eu suspirei após tomar o remédio, olhei para ele.

-Não, não estou bem... – Comentei e caminhei para a parede de vidro da sala – Estou com raiva, muita raiva, quero acabar com aquele desgraçado do Madara..., mas acima disso, eu só quero poder viver em paz, só quero poder ter minha família... – Senti meu peito se contrair e meus olhos arderem enquanto tocava o vidro e olhava para baixo, para os carros minúsculos passando pela rua.

-Me desculpe...é sempre minha família que está envolvida nisso e que te impede de ser feliz... – Sasuke comentou logo atrás de mim, sorri fugando e impedindo as lagrimas de virem.

-Não precisa se desculpar por isso, Sasuke... – Me virei olhando para o rosto abatido de Sasuke – Você não tem nada a ver com isso, não tem que pedir desculpas pelo que sua família faz, mesmo que seja sangue de seu sangue, cada um tem seu próprio caráter e não é o sangue que conecta vocês que define isso...por isso, não peça desculpas pelos erros deles... – Comentei sorrindo suavemente, Sasuke levou sua mão ao meu rosto fazendo um leve carinho em minha bochecha.

-Eu queria tanto que você não tivesse nem ao menos me conhecido...queria poder ter continuado a ser aquele cara frio e idiota que você não suportava, assim não ficaríamos juntos e.…você não passaria por tantas coisas terríveis ao meu lado...mesmo que você diga que não tenho culpa, que meu sangue não define quem sou e sim meu caráter...ainda assim é minha família, é meu sangue que faz você sofrer assim... – Ele olhou em meus olhos que marejaram com a dor estampada no rosto de Sasuke – E mesmo assim, mesmo eu sabendo disso, mesmo me amaldiçoando por isso...eu ainda desejo ter você ao meu lado, ainda quero que você fique ao meu lado...ainda quero amar você todos os dias e todas as noites...quero ter você para sempre...mesmo sabendo o que eu faço com você... – Solucei e Sasuke me abraçou forte me fazendo esconder meu rosto em seu pescoço enquanto que ele afagava meus cabelos e costas, meu coração ardia com a dor que aquelas palavras me causavam, sim Sasuke, eu sei, eu sei muito bem o que você sente, porque mesmo que eu tente te esquecer, mesmo que eu tente recomeçar minha vida, mesmo que eu queira deixar de amar você, eu simplesmente não consigo, pois sempre, sempre que eu menos espero você volta a mim, eu posso correr, posso tentar me esconder, mas você sempre me acha, sua voz sempre me alcança, seus olhos me encontram esteja onde eu estiver, você sempre estará lá, me fazendo sofrer, me fazendo chorar, me fazendo quebrar, por que é isso o que você faz, é sempre isso que você faz...

E mesmo assim, mesmo me machucando, mesmo chorando, mesmo quebrando, eu ainda o mantenho perto de mim, porque se perto de mim dói, longe de mim dói muito mais.

Saí do abraço quando escutei o meu celular tocar, sequei minhas lágrimas e fui até minha mesa o pegando, vi ser o número de Cris, irmão de Kyouya, franzi o cenho.

-Alô? – Falei e ouvi barulhos de sirene e de pessoas falando assustadas do outro lado.

-Naruto? Acho melhor vir para cá! Está uma loucura aqui! – Cris começou com a voz alta, em seguida o som diminuiu, provavelmente ele tinha se afastado do barulho, ouvi ele suspirar – Desculpe, mas está uma loucura aqui...

-O que aconteceu? Onde você está? – Perguntei com o cenho franzido, Sasuke se aproximou e eu coloquei no viva voz.

-Bem, pelo o que vi você não viu as notícias...não o culpo, ouve um ataque no orfanato, os homens que você tinha colocado como segurança foram todos abatidos com um tiro na cabeça, muitas crianças ficaram apavoradas, mas nenhuma se feriu, pelo o que fiquei sabendo...apenas a freira responsável por cuidar das crianças se feriu, ela já foi mandada para o hospital da cidade...acho que vocês deveriam vir para cá – Assim que ouvi aquilo eu deixei o celular cair, mas ele foi segurado por Sasuke antes de atingir o chão, ele deixou o celular na mesa e me amparou achando que eu cairia, eu mesmo achei que apagaria ali mesmo, mas me forcei a ficar em pé.

-Sophie, ela está bem?! – Perguntei olhando para o celular.

-Nenhuma das crianças se feriu, por sorte..., mas estão bem – Comentou, Sasuke segurou o meu celular.

-Estamos indo para aí, obrigado por nos avisar Cris... – Comentou e o irmão de Kyouya confirmou desligando, olhei para Sasuke e ele me encarou – Vamos, eu levo você até lá, já que está nitidamente sem condições para dirigir... – Falou pegando seu paletó, fiz o mesmo e saímos apressados dizendo apenas um “já voltamos” para Lia que ficou preocupada quando saímos rápido de dentro da sala, descemos o elevador e corremos para o carro de Sasuke, entramos e ele logo partiu para o orfanato.

Meu coração pulava no peito, imaginando o quão doente era Madara, como ele poderia atacar crianças! Cerrei meus punhos com toda a força que eu conseguia naquele momento, sentindo minhas palmas das mãos se ferirem, como eu o odiava, como eu queria ser capaz de mata-lo com minhas próprias mãos, nunca pensei que pudesse odiar mais alguém além de Fugaku, mas Madara conseguiu esse mérito.

Quando viramos na rua do orfanato, vi muitos carros da polícia ali e uma ambulância, meu coração que já estava pulando, começou a saltar ainda mais conforme íamos se aproximando aos poucos, pois além de carros da polícia, também tinham pessoas curiosas espalhadas pela estrada, paramos alguns metros antes da entrada do orfanato e eu saltei do carro o mais rápido possível, pedi passagem no meio das pessoas e nem ao menos me preocupei que algumas delas pudessem me reconhecer.

Parei próximo a fita de segurança, que impedia a população de passar e passei por ela, sendo logo barrado por alguns policiais.

-Tudo bem! Eles estão comigo... – Cris exclamou vindo até Sasuke e eu, os policiais abriram espaço e corri para a entrada do orfanato e saí procurando em todos os lados minha pequenina, eu até mesmo respirava descompassado, estava desesperado, mesmo que Cris tivesse me dito que nenhuma das crianças tivessem se machucado, eu precisava ver com meus próprios olhos se minha filha realmente estava bem.

-Papai!! – Me virei para onde a voz gritava e a vi vindo correndo e chorando até mim, ofeguei e me agachei sentindo um alivio enorme, Sophie se jogou em meu pescoço apavorada, a abracei com toda a força que eu podia abraça-la deixando minhas lágrimas rolarem.

-Minha princesinha, graças a Deus você está bem... – Falei afagando seus cabelos negros, Sophie soluçava.

-Eu fiquei com medo! Eles machucaram a irmã... – Falou ela com sua voz tremula, saí do abraço e sequei suas lagrimas.

-Está tudo bem minha pequenina, está tudo bem, Papai não vai deixar que isso aconteça outra vez... – Falei e Sasuke veio até nós, Sophie voltando a chorar corre a abraça Sasuke que retribui o abraço apertado, nisso vi Cris se aproximar, sequei meu rosto e fui até ele enquanto que Sasuke acalentava Sophie assustada.

-Foi ele, não é? – Perguntei e Cris suspirou confirmando, grunhi – Como ele pode ter coragem de fazer isso?! São só crianças! – Exclamei nervoso e tremulo.

-Bem, você deve ter o deixado verdadeiramente furioso, ele usou até mesmo um atirador de elite para apagar os seguranças daqui... – Comentou olhando para um dos últimos corpos sendo colocado em uma caixa branca coberto com um saco preto.

-O que vai acontecer com eles? – Perguntei me referindo aos homens que meu tio disponibilizara a mim, o Sata deu de ombros.

-Provavelmente serão cremados e as cinzas enviadas para os familiares e aqueles que não tiverem...serão apenas jogados no lixo – Olhei assustado para Cris e ele deu de ombros – Essa é a realidade Uzumaki-san..., mas agora, o que precisamos fazer é levar as crianças para um lugar seguro, disponibilizando segurança e assistência psicológicas a elas...a freira que acabou ferida foi levada para o hospital e pelo o que fiquei sabendo não corre riscos de vida... – Comentou e eu suspirei passando minhas mãos pelos cabelos, nisso quando olhei para a entrada do portão vi Kyouya se aproximar junto com o Juiz que estava responsável pelo meu caso e de Sophie, senti um solavanco dentro de mim.

-Naruto... – Kyouya veio até mim me abraçando, olhei para o juiz e ele sorriu levemente para mim.

-Parece que vocês dois sempre estão envolvidos, não é? – Perguntou com a voz levemente afetada.

-Sinto muito por isso, não é como se eu quisesse que isso esteja acontecendo... – Senti um aperto e um medo me tomar, olhei para Sasuke e Sophie e ele me encarou por alguns segundos, e vi que ele estava tenso também com a chegada do Juiz naquele lugar.

-Pois é, Kyouya e eu estávamos no mesmo lugar quando vimos as notícias correndo pela internet e precisava vir aqui e ver se podia ajudar ou se alguma das crianças acabaram se ferindo... – Comentou olhando em volta, respirei fundo e senti Kyouya segurar minha mão, olhei para ele e o mesmo sorriu confiante.

-Por sorte... – Voltei meus olhos para o juiz – Nenhuma das crianças se machucaram, apenas a irmã que cuidava delas... – Cerrei meu punho baixando os olhos, eu me sentia horrível com fato da irmã que cuidava tão bem daquelas crianças tenha se tornado um alvo para Madara, isso acabava comigo mais do que eu esperava.

-Soube disso também, soube que ela fez o possível para proteger as crianças e com isso acabou ferida – Ele soltou um suspiro enquanto negava levemente – Mas também sei que o culpado de tudo isso não são vocês, é de fato alarmante que esse cara esteja atrás de vocês e causando tantos problemas, principalmente acertando pessoas inocentes..., mas infelizmente e com vergonha de dizer isso, nem mesmo a justiça tem poder o suficiente contra ele, é de se lamentar que estejamos tão impotentes por causa de uma pessoa apenas – Ele comentou cruzando os braços e fechando a expressão em desagrado, o encarei.

-Está falando sério? Nem mesmo um Juiz pode dar um fim a esse cara? – Perguntei me impedindo de engolir em seco, novamente ele suspirou.

-Infelizmente, somos altamente impedidos disso, a maior parte de nossos advogados, Juízes, todos que trabalham no tribunal e que tem um cargo mais...importante, digamos assim, tem medo desse Uchiha, ele é bastante influenciado dentro da casa judicial – Falou olhando para nós, neguei pasmo, esse cara é um absurdo.

-Pelo o que sabemos, esse cara é amigo até mesmo do presidente da Rússia, ele poderia promover uma guerra entre as duas potencias rapidamente, por sorte é que o Putin não é tão influenciável quanto ele imagina, por isso não é tão fácil para ele conseguir isso... – Cris comentou baixo e eu o encarei surpreso, o que é esse cara afinal? Putin? Sério?!

-Certo, isso é demais para mim...me desculpem a todos, mas precisamos voltar ao agora, muitas das crianças estão assustadas com tudo isso, precisamos encontrar algum lugar em que possam ficar seguras e além disso, que não as deixem mais assustadas ainda...elas não merecem nada disso... – Comentei e sorri para Sophie ainda com Sasuke.

-Sim, já estamos resolvendo isso...e quanto a segurança, não se preocupe, estamos cuidando para reforçar a segurança do orfanato e das crianças, agora que sabemos o nível de nosso inimigo vamos saber exatamente como nos proteger dele, e para isso... – Cris retirou um celular do bolço e me entregou – Vamos pedir que use apenas celulares grampeados por nós, pois desse jeito iremos conseguir rastrear as ligações de Madara e conseguir achar uma forma de captura-lo e prendê-lo antes que mais alguém se machuque com isso... – Comentou, nisso vemos Hana se aproximar falando ao telefone, assim que ela por fim chega até nós desliga o telefone e sorri.

-Olá Uzumaki-san, olá Juiz Thomas – Hana sorriu radiante como sempre, era como se tragédia alguma a fazia perder esse brilho de felicidade e seu sorriso, era até mesmo um pouco assustador, Hana olhou para mim ainda sorrindo – Uzumaki-san, eu acho, tenho quase certeza, que meu irmão não contou a você nossa nova estratégia de proteção, não é? – Perguntou olhando de soslaio para Cris que fez uma careta dando de ombros.

-Não...que estratégia? – Perguntei e ela sorriu levemente.

-Você e Kyouya irão ser levados para a casa de Sasuke para poder deixarem todos juntos e protegidos ao máximo, depois que soubemos o nível que Madara pode chegar, acho melhor não deixar vocês divididos, além de que, podemos usar os seguranças que estão na casa de vocês dois para reforçar a segurança no orfanato e na cafeteria do indiano – Comentou ela olhando para mim e para Sasuke, olhei para Kyouya que me abraçou de lado.

-Está tudo bem para você, Naruto? – Pergunta ele me encarando, confirmei suspirando.

-Está sim, já disse que se for para manter meus amigos e família a salvo faço qualquer coisa – Mas eu me importava sim, voltar para onde tudo começou ainda me deixava um pouco apreensivo e me trazia memórias não tão agradáveis assim, suspirei e olhei para Sasuke que se aproximava com Sophie, sorri segurando ela no colo e beijando sua bochecha.

-Certo, então...vocês podem ir para a casa de Sasuke, eu já mandei buscarem suas coisas na casa do Uzumaki-san – Hana comentou olhando para seu celular e voltou para mim sorrindo levemente.

-Espera um pouco aí... – Kyouya franziu o cenho e olhou para a irmã estreitando os olhos – Já tem algum tempo que estou querendo saber...porque você chama o Naruto de Uzumaki-san? – Pergunta ele, encarei Kyouya não entendendo onde ele queria chegar com aquela conversa, Hana voltou seus olhos para o irmão mais velho.

-Porque isso se chama respeito? – Perguntou ela confusa, Kyouya e Cris se entreolharam e ambos estreitaram ainda mais os olhos como se compartilhassem do mesmo pensamento.

-E porque você só tem esse respeito com o Naruto e não com Sasuke? Até hoje não te ouvi chamando Sasuke de Senhor Uchiha – Cris comentou olhando para a irmã com o cenho franzido e cruzando os braços, olhei para os dois irmãos e fiquei me perguntando se eles estavam mesmo tendo essa conversa aqui e agora.

-Qual é pessoal, isso faz diferença agora? – Perguntou ela revirando os olhos.

-É claro que faz, desde quando você tem tanta intimidade com Sasuke desse jeito? – Perguntou Kyouya bastante sério, sorri de lado, eles pareciam serem bastante ciumentos com Hana, olhei para ela novamente e a mesma bufou.

-Vocês estão sendo uns grandes otários, não há um porquê... – Ela resmungou corando levemente, arqueei uma sobrancelha e olhei para Sasuke, ele parecia absorto da conversa entre os irmãos enquanto brincava com Sophie em meu colo.

-Vocês já se conhecem? – Perguntei a ele que me encarou, nisso todos os três irmãos voltaram seus olhos para Sasuke, que fechou a expressão quase na mesma hora.

-Desde quando essa conversa ridícula tem a ver comigo? – Perguntou e eu revirei os olhos.

-Desde o início? – Perguntei retoricamente e ele me encarou por segundos, em seguida suspirou.

-Nos conhecemos sim... – Resmungou a contragosto, olhei para ele e o mesmo desviou os olhos, em seguida olhei para Kyouya e ele fuzilava a irmã, Hana, porém, suspirou.

-Tudo bem, vou contar de onde conheço Sasuke... – Ela olhou para mim e em seguida para os irmãos, levou sua mão a testa massageando um possível desconforto – Fazia poucos meses que tínhamos nos infiltrados na empresa para a segurança do Uzumaki-san e de Sasuke, ouvimos sobre o acidente quando estávamos na empresa e ficamos um pouco mais atentos aos dois, tanto que, quando Sasuke começou a sair para ir em festas e coisas do tipo eu fiquei responsável por seguir ele, não exatamente seguir, mas para a segurança dele tive que ficar próximo ao Sasuke, mesmo que ele não soubesse... – Hana suspirou e olhou para mim como se pedisse desculpas com seu olhar, franzi o cenho – No dia em que Sasuke foi para aquela boate e que eu fui também, eu acabei bebendo um pouco a mais do que eu poderia, mas naquele dia eu não estava muito bem, pois alguns dias antes daquele, Cris e eu tivemos um problema com algumas gangues e por um erro meu...eu quase perdi meu irmão – Hana olhou para Cris que fez uma careta, mas não a interrompeu – Com minha cabeça cheia daqueles pensamentos eu aceitei beber um pouco, só que acabei realmente bebendo demais, ficando bêbada, Sasuke estava bebendo a mais tempo que eu e acabamos nos aproximando durante a festa e conversamos por algum tempo...até que quando o Uzumaki-san chegou na festa para buscar Sasuke... – Nisso eu já sabia onde tudo terminaria, coloquei Sophie no chão que queria ir até seus outros amigos e respirei fundo levando minhas mãos cerradas nos bolsos da calça, as imagens daquela noite acertaram meu subconsciente novamente me fazendo fechar os olhos por alguns segundos – Sasuke me beijou e alguns minutos depois Uzumaki-san chegou e arrancou ele de perto de mim, sinto muito Sr. Uzumaki, eu realmente não quis ter feito isso, mas naquele dia, não estava muito bem mentalmente... – Ela falou e eu olhei para ela, Cris e Kyouya deram um tapa na cabeça da garota ao mesmo tempo.

-SUA IDIOTA! – Exclamaram os dois me deixando levemente surpreso.

-Você estava mentalmente desequilibrada?! Jura? Depois de todo um treinamento que teve você vem me dizer isso?! – Cris ditou olhando reprovador para a irmã – Eu já disse mil e uma vezes, a culpa não foi sua, fomos pegos de surpresa por aqueles desgraçados, nenhum de nós sabíamos que acabaria daquela forma, você não teve culpa de nada sua tonta! – Ele dizia bastante irritado.

-Você fala isso, mas se fosse você ao meu lado também sentiria culpa pelo erro! Você poderia ter morrido Cris! Como acha que eu ficaria sem você como meu parceiro?! – Exclamou ela com os olhos marejados, Cris bufou alto.

-Hana...isso não justifica você ter colocado seu trabalho em risco fazendo isso!! E depois... – Kyouya engoliu as palavras olhando para mim rapidamente – Você não faz ideia do quão problemático isso foi – Falou ele me encarando, baixei os olhos não conseguindo sustentar o olhar em Kyouya e nem ao menos olhar para Sasuke, me sentia pesado, com um bolo na garganta enquanto as memórias invadiam minha mente novamente.

-Eu sei o problema que acarretou por isso...e eu sinto muito por isso, sinto muito por ter sido fraca e ter deixado meus sentimentos falarem mais alto... – Ela caminhou até mim e puxou minhas mãos dos bolsos da calça as segurando, olhei para ela que mantinha uma expressão sincera, fui incapaz de não sorrir para ela, Hana era uma garota forçada e engolir seus sentimentos por conta do trabalho e eu conseguia ver o quanto ela era uma menina sentimental, sincera e ao mesmo tempo apaixonada pelo o que fazia.

-Não se preocupe com isso Hana...isso é passado, e passado se fica no passado, o que aconteceu apenas me deu forças para contar a verdade para Sasuke, de certa forma você me ajudou a liberar tudo o que estava guardando para mim naquele dia.…por isso, não fique se sentindo ruim por isso...e pode me chamar de Naruto, apesar de estarem trabalhando para nós, ainda somos uma família, certo? – Perguntei olhando para Cris e Kyouya que sorriram confirmando e assim que voltei meus olhos para ela vi os dela brilharem intensamente, achei quase que Hana choraria, mas ela pareceu se segurar muito bem e apenas apertou suas mãos nas minhas.

-Você é alguém que merece apenas o melhor Sr. Uzumaki, vejo em você alguém forte e decidido com sua vida, e vejo o quão sincero é, por isso, espero que seja feliz Naruto...que seja o homem mais feliz do mundo! – Exclama e me abraça forte – Mesmo que quem lhe faça totalmente feliz não seja meu irmão... – Sussurrou baixo em meu ouvido, para apenas eu escutar, Hana saiu do abraço e me lançou uma olhar que dizia saber todos os meus sentimentos, tudo o que se passava no fundo do meu coração e isso me deixou bastante tenso me fazendo olhar para Kyouya institivamente, ele me olhou e sorriu contente e isso me fez sentir um aperto estranho dentro de mim, sentimento que se desprendeu ou nasceu após o que Hana dissera.

-Bem, de qualquer forma, vocês precisam ir para casa por hoje, como as coisas saíram um pouco do controle, Kyouya, Naruto e Sasuke devem ir para casa...logo mais, Hana e eu iremos até vocês e passaremos o relatório do que precisam saber... – Cris comentou após bagunçar o cabelo da irmã, Kyouya suspirou seguido de Sasuke.

-Bem, parece que teremos que dividir uma casa...espero que você pelo menos tem mantido a casa arrumada, Uchiha... – Kyouya alfinetou com um sorriso de lado, apenas para quebrar aquela tensão momentânea, Sasuke franziu o cenho para ele.

-Pode ter certeza que sim, Sata... – Comentou quase entre dentes, sorri com os dois se alfinetando com os olhares e em seguida me virei para procurar Sophie.

-Onde está Sophie? – Perguntei olhando em volta, Cris apontou para um grupo de crianças próxima a diretora do orfanato e eu logo a vi no meio das crianças olhando para o movimento frenético dos agentes do FBI trabalhando de um lado a outro, suspirei sorrindo e caminhei até eles – Sophie... – Chamei e ela virou para mim vindo correndo, me agachei recebendo um abraço apertado dela e fechei os olhos sorrindo levemente sentindo o abraço caloroso que ela me dava.

-Papai...porque esses homens estão correndo de um lado ao outro? Eles vão ficar assim para sempre? – Perguntava ela saindo do abraço, ri suavemente e fiz carinho em seus cabelos compridos e escuros.

-Não minha pequena, esses homens estão apenas trabalhando para proteger vocês, eles irão arrumar o orfanato para poder manter os monstros e aquelas pessoas assustadoras longe de vocês... – Falei olhando para ela que olhava frenética para os seguranças, Sophie voltou seus olhos para mim e me encarou por alguns segundos.

-Eles irão manter os monstros longe? – Pergunta ela curiosa, sorri e confirmei.

-Eles irão e o Papai também vai lutar para manter eles longe da princesinha do papai – Falei e ela me encarou por alguns segundos antes de sorrir e me abraçar.

-Não se preocupe papai, eu sei que eles não são monstros e sei que o papai não vai deixar essas pessoas malvadas fazer mau a gente de novo...e quando eles forem embora, Sophie vai poder ter uma grande família e vai ter um final feliz – Ela disse com a voz um tanto embargada, surpreso eu não pude segurar o soluço de escapar de minha garganta, abracei aquela criança com força e deixei as lágrimas correrem por meu rosto sentindo meu coração ao mesmo tempo que se aquecia com aquelas palavras se apertava ainda mais por estar colocando Sophie e todas aquelas crianças nesse perigo.

-Eu juro minha pequena, juro que não irei deixar ninguém machucar vocês, juro que irei trazer um final feliz para você, não vou desistir nunca – Saí do abraço e olhei para ela segurando seu rostinho, ela sorriu deixando algumas pequenas lágrimas rolarem de seus olhinhos grandes, as sequei e beijei sua testa – Quero que fique junto de seus amiguinhos, e que obedeça ao que os seguranças pedirem, eles vão proteger vocês daquelas pessoas malvadas, você pode fazer isso para mim? – Perguntei e ela confirmou, deu um beijo em meu rosto e sorriu com as bochechas coradas, em seguida correu para junto da diretora do orfanato e de seus amiguinhos, suspirei me levantando e secando minhas lágrimas.

-Naruto... – Me virei quando ouvi Kyouya me chamar, ele vinha em minha direção com um pequeno sorriso, me abraçou forte beijando o topo de minha cabeça – Pediram que fossemos para a casa de Sasuke por agora e deixassem o resto com eles... – Comentou e eu abraçando-o de volta suspirei depositando minha cabeça em seu peito.

-Tudo bem, eu já me despedi de Sophie e....podemos ir – Comentei cerrando levemente minhas mãos na camisa de Kyouya, ele acariciou minhas costas.

-Se não quiser ir...eles vão entender, Naruto – Murmurou ele me olhando, sorri e beijei ele rapidamente, negando em seguida.

-Está tudo bem, não é como se fosse ficar sozinho naquela casa...tenho você ao meu lado, sei que posso aguentar até que tudo isso acabe – Falei e Kyouya suspirou confirmando, ele entrelaçou nossas mãos e caminhamos para perto de Sasuke, Cris e Hana.

-Estão prontos? Suas coisas já devem estar na casa então, acho melhor irem, antes que os repórteres os vejam por aqui e comecem a especular coisas – Cris comentou olhando para o portão e vendo o aglomerado de curiosos, suspirei e olhei para Kyouya e Sasuke.

-Então é melhor irmos mesmo...tudo bem Sasuke? – Perguntei olhando para ele que estava inquieto, ele me encarou.

-Está tudo bem, só é....estranho – Comentou franzindo o cenho e olhando de mim para Kyouya, sorri e confirmei.

-Vamos logo... – Puxei ele e Kyouya e fomos para onde os nossos carros estavam, Kyouya sorriu apertando levemente meus dedos me fazendo rir, era estranho, era muito estranho voltar para aquela casa depois de tudo o que aconteceu, mas precisava aguentar isso tudo.


Notas Finais


AVISO: Como nossa fic está chegando ao final, decidi fazer algo diferente, na verdade meu amigo que deu essa ideia, e eu irei usa-la agora kkkkkk
E o seguinte, aqueles que quiserem fazer algum tipo de pergunta para os personagens, deverão deixar nos comentários e eu irei respondê-las em um capítulo especial no final, então façam suas perguntas para nossos amados garotos e garotas e então eles responderam no capítulo especial!!! ESPERO QUE PARTICIPEM! VALENDO QUALQUER PERGUNTA! ACREDITO QUE NOSSOS AMADOS IRÃO ADORAR RESPONDER SUAS PERGUNTAS!!!

OBRIGADA DESDE JÁ :3

Abraço Da Uzuu Neko-chan :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...