História Reminiscence - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Namseok, Vmin
Exibições 19
Palavras 968
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Bishounen, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Seinen, Shonen-Ai, Shounen, Visual Novel, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Desculpem a demora pra postar o segundo capitulo, sei que demorei bastante mais prometo que vai ser diferente daqui pra frente.

Espero que gostem desse capitulo, confesso que deu trabalho viu, rsrsrs.

Boa leitura^^

Capítulo 2 - Capitulo 2


Fanfic / Fanfiction Reminiscence - Capítulo 2 - Capitulo 2

– N– NamJoon – foi a única coisa que eu consegui pronunciar naquele momento, minha cabeça estava atordoada de mais para eu conseguir formular qualquer coisa coerente.

– Como sabe o meu nome? – Perguntou levemente desconfiado, naquele momento senti meu coração falhar uma batida ao entender o teor daquela pergunta, fiquei chocado, como assim ele não me conhecia? Ele se esqueceu de mim? Por quê? Eram tantas perguntas que eu já sentia meu estomago embrulhar.

– Hobi, você está bem? – Fui despertado pela voz de Jimin que se encontrava levemente preocupada, logo notei meu estado, eu estava abaixado com as mãos em meus cabelos os puxando e pude sentir lagrimas descendo pelo meu rosto, sem duvidas eu estava deplorável.

– Ele esta bem? Eu posso ajudar em algo? – Namjoon perguntou demonstrando sua total preocupação e isso doeu ainda mais em, “não faz isso Namjoon, não me trate como um desconhecido”.

– Nã-não precisa se preocupar, eu me viro com ele, pode ir pelo seu caminho. – Falou Jimin sorrindo forçado e o mesmo assentiu indo pelo seu caminho nos deixando apenas um até logo me desejando melhoras. Vendo-o partir fez meu peito apertar dolorido, me fazendo aperta-lo, eu fechava meus punhos sentindo cada vez mais o ar me fazer falta. Encarei Jimin em um pedido mudo de socorro.

 

Depois daquele momento inusitado em meio a rua, Jimin com muito custo conseguiu me trazer de volta pra casa, ele sabia que eu estaria sem condições de ver ninguém, eu apenas queria ficar sozinho, pra pensar talvez, ou apenas pra fugir da realidade que caiu como bomba em minha vida.

Nesse momento estou deitado em minha cama, já marcava meia noite e eu ainda não havia pregado o olho, rolei de um lado pro outro na intenção de fazer o sono vir mas a única coisa que vinha era a imagem de Nanjoom me perguntando da onde o conhecia.

Bufei inconformado com isso, era difícil de acreditar que ele havia me esquecido, é doloroso de mais pensar em tal possibilidade, eu queria esquecer ter visto ele, eu queria esquecer que ele tinha voltado, eu queria muitas coisas mais infelizmente querer não é sempre poder. Eu estava ao ponto de explodir, eram muitos sentimentos misturados dentro de mim, meu peito doía a cada vez que me lembrava dele, chegava a me dar falta de ar ou era vontade de chorar? Não sei a que momento isso começou, só sei que quando me dei conta eu já estava quebrando tudo a minha volta, entre lagrimas, gritos, raiva, rancor, tristeza, era muito peso pra eu suportar, eu apenas queria que aquilo parasse.

– Nanme porque você fez isso comigo HEIN – Gritei jogando um jarro de flores em qualquer parede, me sentindo cada vez mais impotente, sem forças, desabei no chão ainda pondo tudo pra fora, tudo que eu havia guardado entre esses cinco anos de pura farsa, eu nunca iria me curar da morte de minha mãe, do abandono do meu pai, do sumiço de Namjoon, já era um fato isso, e nenhum psicólogo de merda poderá me ajudar.

 

Fazia um tempo que eu estava deitado como um feto no chão do meu quarto remoendo o passo, porém mais calmo me obriguei a levantar decidido a tomar um banho quente a fim de relaxar meus músculos contraídos, fui em direção ao banheiro já despido entrei d´baixo do chuveiro sentindo a água quente percorrer por todo o meu corpo, senti meus músculos relaxarem gradativamente fazendo com que um suspiro de alivio saísse de meus lábios, não me demorei muito ali e logo sai enrolado em uma toalha, me vesti com uma roupa qualquer e fui ver se comia algo, notei que já era inicio da noite e como um flash, lembrei que não havia dado sinal de vida a ninguém, provavelmente todos estavam preocupados, casei meu celular o encontrando jogado no sofá e vi que havia mais ligações perdidas do me lembrava. Eu não estava muito a fim de falar com ninguém por isso desliguei o aparelho e voltei para o quarto, não estava me sentindo muito bem, sabe quando você sente que tem um buraco dentre de você, isso me deixava angustiado, a vontade de chorar não passava e por mais que eu tentasse segurar, isso fazia com que meu peito doesse cada vez mais. Já dentro do quarto olhei fixamente pra debaixo de minha cama, sendo carregado pelas minhas pernas inconscientemente me abaixei e peguei uma caixa de papelão preta, não era muito grande, a pus em cima da cama, passei minha mão sobre ela tentando tomar coragem de abrir. Nela havia lembranças minhas sobre Namjoon, parece besteira mais foi a forma mais eficaz de trancar meus sentimentos por ele, patético eu sei, mais isso me ajudou e me ajuda a superar, infelizmente não ajudou muito ao me permitir seguir em frente.

 

Abri a caixa e a primeira coisa que encontrei foi uma foto nossa de quando éramos crianças. Sorri com a imagem, eu lembro bem desse dia, deixei minhas lagrimas saírem como quisessem, eu não me importava mais, ele não me conhece, não sabe quem eu sou e eu pretendo fazer o mesmo. Limpei as lagrimas com certa força e desespero, peguei a caixa e fui até a cozinha, peguei álcool e despejei dentro e sem exitar joguei um palito de fósforo já aceso vendo as chamas se espalharem pela caixa rapidamente. Nossa foto estava visível e começava a queimar, lentamente, nessa hora meu coração se apertou e rapidamente peguei a mesma apagando o fogo que ainda a queimava. Droga, eu não consigo me livrar dele, corri para o quarto não me importando com a caixa em chamas, me deitei na cama abraçando a foto com toda a força que tinha chorando ainda mais por me sentir culpado, culpado por querer apagar uma parte dele que me fez feliz.


Notas Finais


Então é isso pessoal...

Desculpem qualquer erro e até a próxima^^

bjs da kawaii. <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...