História Renaissance - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Exibições 117
Palavras 2.271
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Ecchi, Hentai, Lemon, Mistério, Orange, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Boa leitura!

Capítulo 13 - Irritação


Kurenai se sentou sobre a beira da cama da ex enteada, para ter mais conforto na hora de ler o que julgava ser um livro. Aproveitaria que seu esposo estava trabalhando e Hanabi e Konohamaru, assim como Naruto e Hinata, haviam saído para ler o objeto com calma.
— Bem, ela não vai se importar! - passou os dedos sobre o caderno, sentindo que deveria lê-lo. - Mas é se isso for o diário dela... - titubeou, mas sua curiosidade foi ainda mais forte que seu senso de privacidade alheia. Decidiu abrir o diário, lendo seu começo.

"Hoje o Naruto finalmente olhou pra mim, fiquei tão feliz agora que sei que ele sabe que eu existo. Será que um dia ele vai gostar de mim assim como eu gosto dele?"

— Que fofos, então eles sempre se gostaram, desde pequenos. - sorria apreciando a meiguice das palavras infantis de Hinata, passando para a próxima página, estranhando seus borrões que manchavam a escrita. - Parece que alguém escreveu isso chorando... - sentia que algo estranho e forte estava escrito a seguir, por isso temeu a continuação da lleitura, mas sua curiosidade, mais uma vez, foi mais forte. Continuou a leitura, se horrorizando com a escrita da Hyuuga.

"Hoje foi o pior dia da minha vida. Minha mãe acabou de ser enterrada, minha irmãzinha adoeceu e, pra piorar a minha situação, o papai abusou de mim!"

— KAMI-SAMA! - não pôde conter o grito de horror e nojo. Como podia ter sido casada com aquele homem tão monstruoso por tempo considerável e sequer ter notado algo tão nojento? Agora entendia o porque de Hinata sempre ter sido tão fria e sequer ter chorado durante o funeral de Hiashi. Gravida, o enjoo natural de seu estado facilitou para que externasse todo o nojo que sentia do falecido ex marido. Pelos relatos lidos, nem ao menos quando eram casados o homem deixará de abusar de sua filha mais velha, chegando a ameaça-la usando o amor de irmã que a mesma sentia por sua filha mais nova. - Hinata... - sentiu um aperto no peito em imaginar por quanto sofrimento a jovem havia passado. Desistiu de ler completamente o diário, deixando-o jogado no mesmo canto e do mesmo jeito em que o achara. Uma hora conversaria com Hinata, mas sabia que não deveria ser naquele momento, não enquanto o nojo a consumia. Olhou mais uma vez para o caderno, o caderno que devia exprimir todas as dores, os traumas e a vergonha de sua ex enteada, algo pessoal que não deveria ter violado, se praguejando pelo ato. - Eu não devia ter lido aquele diário!

— Eu sei do seu segredo, Hyuuga! Eu sei que você não presta! - Hinata gelou, via sua vida social acabar diante de seus olhos e iria ter um ataque de nervos implorando para que a loira não contasse para todos sobre seu histórico de abusos, mas fora contida por um abraço de Naruto.
— Do que está falando Ino? - perguntou esperando que a Yamanaka não soubesse daquele segredo. Não poderia, não teria como sua ex amante saber sobre os estupros sofrido por sua namorada durante a vida de seu intragável sogro. A loira sorriu, um sorriso de deboche.
— Eu sei que bem que enquanto ela se fingia de santinha pra todos ela devia estar fazendo loucuras pra te segurar e te tirar de mim. Ela fala tanto de mim e é pior do que eu! - enquanto o Namikaze suspirava de alívio, a azulada bufava de raiva, se soltando do loiro e 
partindo para cima da Yamanaka, a derrubando no chão e batendo em seu rosto.
— Sua filha da puta! - bradava extravasando seu susto. Nunca sentira tanto medo na vida, nem mesmo durante os abusos. Ino havia ferido seu calo.
— ME SOLTA! - revidava os socos e tapas da Hyuuga, até serem novamente separadas por Naruto. - LOUCA!
— NUNCA MAIS, NUNCA MAIS... - pensou antes de terminar a frase, não queria deixar claro que tinha um segredo não fútil a esse nível para ser revelado. - NUNCA MAIS OUSE BATER EM MIM E TENTAR REVELAR "SEGREDOS" QUE NÃO EXISTEM! - gritou irritada enquanto a loira ajeitava suas roupas. 
— Você não passa de uma...
— VÁ EMBORA INO, JÁ DEU UM GRANDE SHOW HOJE! - foi a vez de Naruto se exaltar, não queria que a discussão das duas continuasse e acabasse por revelar segredos que deviam permanecer ocultos. A loira, mesmo contra a vontade, deixou o casal para trás. - Você está bem? - perguntou segurando suas bochechas.
— Ela me assustou! - soluçou enquanto algumas lágrimas escorriam por sua face. - Eu pensei que ela soubesse de...
— Ela não sabe, está bem? Fica calma, minha linda... - a apertou contra o peito, logo limpando suas lágrimas. - Escuta, ninguém vai saber de nada nem vai sair espalhando algo seu por aí, está bem? - a Hyuuga assentiu respirando fundo.
— Está bem, mas ela vai me pagar! - embicou-se nervosa.
— Que bico mais lindo! - zombou o loiro lhe dando um selinho. - Vamos, melhor terminar esse trabalho logo!

Enquanto isso, Ino bufava irritada pelo estado em que ficara pela briga com Hinata, sendo seu ódio ainda pior pelo fato de Naruto defendê-la. A verdade era, não gostava tanto assim do loiro, apenas queria provar para si mesmo e para Hinata que poderia ser melhor que ela em algo.

Flashback on:
— Ela é a melhor de novo! - uma pequena Ino, com seus cabelos até então curtos, bufava baixo com inveja da premiação de Hinata como a melhor amiga da classe novamente, enquanto ela ficara em segundo lugar. 
— Parabéns, amiga! - Sakura congratulava a azulada enquanto a loira apenas as observava. A rosada era a sua melhor amiga, até passar a andar com a Hyuuga, a Hyuuga que tanto lhe atrapalhava. Como tudo sempre pode piorar, vira Naruto, o menino que mais admirava pela força e pela alegria, que, mesmo que o loiro houvesse perdido o pai recentemente, não deixava de ostentar, indo até sua "rival", a parabenizando e sendo ignorado, e a ignorando quando tentara consolá-lo.
"Até ele prefere ela do que eu..." - se sentia humilhada, queria que toda a atenção que Hinata tinha se voltasse para ela e faria de tudo por isso. 
Flashback off

Desde então, a Yamanaka se transformara, passando a ser sempre o centro das atenções, principalmente das masculinas. Não se importava com o que achavam, só o que importava é que conseguia ofusca-la, ofuscar Hinata. Nunca conseguirá superar a Hyuuga como aluna, mas já não interessava. Ela tinha Naruto, tinha o loiro que tanto gostava da azulada e que sabia que ela, mesmo tendo se tornado uma pessoa "morta", retribuia mesmo que no fundo o sentimento e isso era a sua vitória, vitória que agora dera por acabada novamente.
— Ela me paga, eles me pagam! - sentenciava firme. - Bem, mas agora tenho que me preocupar com o Shukaku! - pegou o celular enviando uma mensagem para Gaara. - Me encontra em meia hora no shopping pra fazer o trabalho... - lia a mensagem em voz alta. - Eu vou fazer você comer na minha mão, Gaara! - passara em casa, não iria a lugar algum toda suja de terra, aproveitando disso para se vestir provocante na medida certa. Sua meta? Conquistar o ruivo para humilhá-lo. Ao chegar no shopping, seu companheiro de dupla já o esperava, não ligando para todo o charme que a Yamanaka esbanjava para todos os lados, ao contrário dos demais homens do local. - Bom dia, Shukaku, como está? Não acha que eu to bonita?
— Você tá parecendo uma puta! - foi sincero como de costume, irritando Ino. - Deixa de vagabundagem e senta nessa merda de cadeira, tenho um compromisso depois daqui
— Caralho, Ino, você sempre parece uma puta, mas hoje você tá de parabéns, loira! 
— SEU FILHO DE UMA PUTA! - tentou bater no homem, mas o ruivo segurou seu pulso. 
— Não precisa me bater! - disse frio - Vá até um ponto de prostituição desse jeito e espere por uma hora. Se durante esse tempo ninguém te perguntar quanto tá o programa, eu mudo de opinião! 
— EU NÃO SOU UMA PUTA! - retrucou irritada.
— Pois parece e se porta como uma, a única diferença é que elas ao menos cobra... - a loira lhe deu uma bofetada, ofendida. - Me bater, loira, não vai fazer isso ser menos verdade. Eu penso isso, o Sasuke pensa isso, as suas amigas pensam isso, a Hinata pensa isso, o Naruto pensa isso... Até você pensa isso! Só que eu tenho a coragem de te falar. - olhou nos olhos azuis de Ino, o que a ofendia ainda mais. Ele conseguia lhe falar tanto olhando em seus olhos, revelando a verdade de suas palavras. - Você sempre será a número dois, ninguém nunca vai te dar o posto de mulher oficial porque você não passa de uma... - outro tapa, esse ainda mais forte.
— Você não sabe nada sobre mim, Shukaku, você não sabe nada de mim! - pegou sua bolsa e saiu correndo, deixando as lágrimas rolarem por seu rosto enquanto rumava ao banheiro. - Ruivo idiota, ruivo idiota! - soluçava trancada em um dos box. Era humilhante ouvir as palavras de Gaara pois, mesmo que negasse, era verdade. Sentia que havia chegado num nível crítico, mesmo sendo livre para isso, nem ela mesma se sentia confortável em ter vários amantes. Apenas achava que aquilo preencheria seu vazio, mas não, apenas o aumentara. Gaara no fundo tinha razão. Nunca superou Hinata, sempre foi a diversão de Naruto e dos outros com quem se relacionava. - A número dois, sempre a número dois... - chorava se sentindo "um lixo", mas logo enxugará as lágrimas, não iria se abalar. - EU VOU FAZER AQUELE POBRE DE MERDA SABER ONDE FICA O LUGAR DELE!

Naruto e Hinata chegaram em casa depois do escurecer. Kurenai não estava mais, havia ido se encontrar com Asuma para uma consulta de seu pré-natal, então aproveitaram para fumar um pouco de "erva" no quarto da Hyuuga. 
— Eu nunca imaginaria que tu puxa um, Hinatinha... - falava sorrindo, já no auge do efeito da droga. Logo observou um objeto jogado sobre o piso. - O que é aquilo? - apontou. Só então a azulada percebera o diário caído sobre o chão.
— Caralho... - falava aérea pela droga. - Eu já devia ter queimado essa merda! 
— Queima agora! - entregou o isqueiro para a azulada que pôs fogo no caderno, vendo-o queimar dentro da lixeira de metal. - Pronto, não corre risco mais! - sorria. - Agora fala, como você começou a usar? - Hinata puxou bastante da droga, tragando a fumaça.
— Relaxava, dava uma boa relaxada depois que ele... - seus lábios foram tocados pelo namorado, calando-a.
— Não vamos falar nisso, ta? - lhe beijou suavemente. - Só por isso? - "trocou de assunto". 
— Eu vejo a minha mãe, Naruto. É como se isso me desse a chance de ter o colo dela de novo... - suspirava para logo tragar a droga. - Olha ela ali rindo!
— Pensei que só fumasse pra ver os meus pais! - zombava de si próprio tragando seu cigarro. - Ta vendo essa ruiva linda? Minha mãe ela! - de fato, os dois combinavam até nisso. Pouco a pouco, os dois terminaram de se drogar, com o loiro puxando um último baseado do bolso, já fazendo menção à acendê-lo.
— Me dá mais um também! - protestava tomando o cigarro e o isqueiro das mãos do Namikaze, já acendendo o baseado antes que ele pudesse reagir.
— Ei! Me dá isso ai! - protestou enquanto a namorada lhe jogava o isqueiro. - Divide esse ai comigo que esse é o último! - pegou o baseado das mãos da azulada, tragando a droga.
— Naruto sem droga? O que houve? - zombava.
— Droga eu tenho, mas alguem roubou minha maconha, né dona Hinata? - a azulada disfarçou risonha. 
— Nem foi só eu. Minha irmã e o seu irmão também pegaram! - se defendeu. - Mas se você não tem maconha, tem o que? - o loiro procurou bem nos bolso e retirou de lá dois pinos de cocaína.
— Pó! - dizia normalmente. - Você não vai usar isso! - guardou os pinos novamente no bolso.
— Porque não? - perguntava indignada.
— Forte demais, linda, melhor evitar! - dizia entregando a ponta restante do baseado. - Só deixo você usar isso por um motivo bem forte!
— Ta bom! - concordou. Um barulho interrompeu o casal, era o barulho do bater de uma porta de carro. - FODEU!
— TIA KURE! - o loiro engoliu em seco. Se livraram dos vestígios de droga, mas ainda havia um problema. - O cheiro...
— Tem um aromatizador de ar logo ali! - apontou para a gaveta da comoda e tapou o nariz para não se sufocar com a substancia. - Pronto e os olhos? - perguntava. 
— Vem cá! - a puxou a azulada pra cama, a fazendo corar e se debater. - Calma, não vou te fazer nada, é só pra ela pensar que a gente tá dormindo! - acalmou-a a acomodando em seu peito esperando que Kurenai fosse até o quarto, o que demorou alguns minutos.
— Ah, já estão dormindo! - falou a morena fechando a porta do quarto da azulada enquanto o loiro suspirou leve.
— UFA! Hinata, pronto eu já... - olhou para a azulada, que dormiu em seu peito, cansada pelos efeitos da maconha. - Dormiu. - acariciou o rosto de sua namorada com carinho. - Acho que vou ficar com você hoje, minha linda! - beijou sua testa a aninhando melhor. - Minha Hinata!


Notas Finais


Então Kurenai agora sabe do segredo de Hinata enquanto Ino não sabia de nada kkkkkk. Falando nela, o que acharam desse recalque histórico? É a humilhação das palavras do Gaara? O que acharam? Espero comentários, beijos!
Não percam no próximo capítulo: a próxima vítima de Deidara!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...