História Renascido nas trevas - Capítulo 40


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bleach
Personagens Aizen Sousuke, Ichigo Kurosaki, Isshin Kurosaki, Kenpachi Zaraki, Personagens Originais, Renji Abarai, Rukia Kuchiki
Tags Amizade, Aventura, Bleach, Guerra, Ichigo, Personagens Originais
Exibições 424
Palavras 3.910
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Fantasia, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Saga, Seinen, Suspense, Violência
Avisos: Canibalismo, Linguagem Imprópria, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá pessoal, eu vou ser bem sincero, o capítulo 40 ficou pronto há alguns dias, mas eu não tinha nenhuma motivação em posta-lo essa semana, o baixo número de comentários que o capítulo anterior teve foi algo realmente frustrante, mas em nome do leitor ~yamihibiki, que leu e comentou todos os capítulos, eu decidi postar, mas acho que devo ter feito ter feito algo muito errado no capítulo passado, se teve algo que vocês não gostaram, podem dizer, e para aqueles que ainda não comentaram no capítulo anterior, por favor, que façam isso agora, minha intenção era chegar ao final dessa saga com uma média de 25 comentários, mas isso está se tornando um sonho cada vez mais distante...

Enfim, o inicio do capítulo será um pequeno trecho do mangá, falando um pouco sobre ‘’dose letal’’, a habilidade do Quincy Askin Nakk Le Vaa, um dos poucos Quincies que eu curti, espero que gostem.

Capítulo 40 - Dose letal


Fanfic / Fanfiction Renascido nas trevas - Capítulo 40 - Dose letal

                            No Capítulo anterior...

 

Após andarem por quase três horas, as duas Arrancars fitaram a paisagem a sua frente, se tratava de um vale extremamente profundo com uma encosta vertical, ela parecia se se estender por dezenas de quilômetros, Kanzaki notou que haviam centenas de entradas de cavernas cobriam a encosta.

- Tem certeza que estamos no lugar certo? – Kanzaki perguntou.

- Sim. – A Espada confirmou - Tenho 99% de certeza que estamos no caminho certo.

Por algum motivo esses 1% estão me preocupando bastante.

- Mas algo parece errado... – A Espada murmurou. – Vamos logo para lá. – Kanzaki assentiu e ambas desapareceram usando o Sonido.

...

Ao chegarem ao local, as Arrancars notaram que a paisagem havia sido severamente danificada, e só havia uma explicação para isso.

- Esse lugar foi atacado – A Espada analisou - Sinto vestígios de Reiatsus hostis por toda a parte, fique atenta Kanzaki, quem quer que tenha feito isso ainda pode estar aqui perto.

- Quem poderia ter feito isso? – Kanzaki notou com horror que a menos de trinta metros dela havia um cadáver de um Arrancar, seu corpo estava coberto de hematomas, parece que ele havia sido espancado até a morte.

- Alguém que não gosta muito de Arrancars. – Neliel deduziu.

 

- Corretíssimo. – As duas Arrancars imediatamente se viraram na direção de onde veio essa voz.

 

- Ora veja só o que temos aqui... – Neliel observou que três figuras, trajando uniformes de cor branca se aproximaram delas, a Espada analisou o poder espiritual dos seres desconhecidos, dois deles era bem fracos, mas Neliel não conseguiu analisar com precisão o quão poderosa era a figura que andava na frente deles.

 

-... Parece que duas belas senhoritas se juntaram a nós.

.

.

.

Quando um ser vivo absorve uma substância, se a quantidade excede um certo limite, ela morre, é o que chamam de ‘’dose letal’’.

Já que a dose letal depende da espécie da criatura, estagio de desenvolvimento, condições de absorção e tempo, é impossível definir uma quantidade exata para todos os seres.

Por isso, o conceito de ‘’dose letal mediana’’ (é a dose necessária de uma dada substância ou tipo de radiação para matar 50% de uma população de uma certa espécie) É usada como padrão de quantidade para referência.

Essa quantidade é 0,01 para a tetrodotoxina encontrada no baiacu, 0,1 para a aconitina encontrada nos acônitos, 1 a 7 mg para nicotina, 200 mg para a cafeína, 12.000 mg para a vitamina C...

.

.

.

                                    Capítulo 40 – Dose letal

 

- Eu já estava cansado de ter como companhia apenas homens brutos e sem estilo do esquadrão do Kirge, por isso ver garotas tão bonitas assim é como uma lufada de ar fresco. – Neliel estreitou os olhos para o sujeito de aparência extravagante na sua frente, finalmente tinha conseguido analisar ao menos parcialmente sua Reiatsu, e ela era bem poderosa, mas não se assemelhava a de um Hollow, e muito menos com a de um Shinigami.

- Quem é você? – Ela perguntou.

- Mas que falta de educação a minha. – Ele se curvou um pouco e fez uma pequena reverência – Eu sou um Quincy, meu nome é Askin Nakk Le Vaa, muito prazer.

- Aski... Na... Na...  – A Espada tentou repetir o nome dele, sem sucesso – Desisto, seu nome é bem estranho. – Ela observou - E difícil de pronunciar.

- Que rude. – Ele fez cara feia - E como você se chama senhorita?

- Neliel Tu Odelschwanck. – Ela respondeu, Askin abafou uma risada.

- Ora, se não é o sujo falando do mau lavado, vejo que o seu nome não é muito melhor que o meu.

- Isso não é verdade. – A Espada se virou para Kanzaki, que até então estava sendo deixada de fora da conversa - Não é mesmo Kanzaki?

- Neliel-san. Acho que estamos nos desviando um pouco do motivo de termos vindo aqui... – Kanzaki parou de falar, pois nesse instante ela sofreu uma epifania e rapidamente voltou sua atenção para Askin - Espere um pouco, você disse que é um Quincy?

- De fato. – Askin concordou, e notou que o rosto de Kanzaki mostrava sinais de descrença - Interessante, pelo modo que você está reagindo, parece que sabe um pouco sobre a nossa espécie.

- Sim... – Kanzaki acenou brevemente com a cabeça - Talvez um pouco.

- Ora, por essa eu não esperava, mas agora eu fiquei curioso, o quanto exatamente você sabe sobre os Quincies?

- Sei que a espécie de vocês foi reduzida drasticamente nos últimos séculos, e que estão a beira da extinção.

- É nisso que todos acreditam. – Ele sorriu.

 

- Humm... – Neliel levantou o braço – Estou com a impressão que fui colocada meio de lado nessa conversa, alguém poderia me explicar o são esses Quincies? – Kanzaki se virou para a Espada.

- Acho que posso compartilhar com você as informações que constam na biblioteca de Las Noches. – Ela fez uma pequena pausa e depois começou - Os Quincies eram humanos que possuíam grande sensibilidade ao mundo espiritual, por isso conseguiam detectar até mesmo a presença de Hollows, e quando eles presenciaram toda a destruição que os Hollows eram capazes de fazer, começaram a treinar e desenvolver formas de lutar de igual para igual contra eles, criando assim artefatos especiais que possuíam grande poder, mas tendo como característica principal o uso de arcos espirituais. Eles tinham como finalidade confrontar os Hollows assim como os Shinigamis, no entanto, apesar deles terem obtido poder suficiente para derrotar os Hollows, seus métodos eram bastantes distintos dos Shinigamis. Os Quincies não purificavam os Hollows, somente os destruíam, o que era prejudicial para o equilíbrios entre os mundos, pois existe uma corrente de trocas de espíritos entre o Mundo Real e a Soul Society, e mantê-la instável é o trabalho dos Shinigamis, por isso eles também são conhecidos como ‘’Balancers’’ (Reguladores), mas como os Quincies destruíam completamente os Hollows, o ciclo das almas foi se tornando cada vez mais instável, e se as coisas continuasse assim, a balança dos dois mundos iria desmoronar, seria o fim de tudo. Aparentemente foram feitas várias reuniões entre os Quincies e os Shinigamis, mas os Quincies ignoraram completamente todas as advertências dos Shinigamis e continuaram a exterminar os Hollows, foi por este motivo que a mais de 200 anos atrás, os Shinigamis receberam a ordem para exterminar os Quincies.

 

- Impressionante. – Askin começou a bater palmas – Foi um belo resumo, estou muito surpreso que existem Arrancars que conheçam nossa história, ou pelo menos parte dela.

- Eu já li essa história diversas vezes, e mesmo achando que os Shinigamis não estavam totalmente errados, nunca deixei de pensar se não existia outro método de resolver essa situação. 

- Com certeza havia outros métodos, mas fazer sacrifícios pelo bem maior... – Kanzaki sentiu a amargura na voz de Askin ao pronunciar ‘’bem maior’’ - É bem típico dos Shinigamis, para eles as coisas são tão simples, se o extermínio de milhares de Quincies conseguisse salvar o mundo inteiro, então qual é o problema?

- Eu sinto muito pelo que aconteceu. – Kanzaki murmurou.

- Não sinta. – Askin deu de ombros – Pode acreditar, nós já superamos isso há muito tempo.

- Mas o que Quincies como vocês estão fazendo aqui?

- Ah! – Ele pareceu se lamentar por alguma coisa - Essa conversa que tivemos foi bem interessante, nunca pensei que conseguiria dialogar com um Hollow dessa forma, mas creio que devemos parar por aqui e assumir nossos verdadeiros papeis de agora em diante.

- Vejo que você está enrolando demais para responder a pergunta. – Neliel observou. – Você tem algo a ver com o que aconteceu aqui?

- É provável. – Ele fez que sim com a cabeça - Mas sinceramente eu não fiz muita coisa, já que o ‘’chefão’’ deles não estava aqui.

- Então isso quer dizer que...

- Isso mesmo, Demigra era o nosso alvo principal, mas infelizmente ele não se encontrava, por isso tivemos que nos contentar em capturar alguns de seus seguidores, Kirge-san e seus subordinados foram os primeiros a retornarem a Wandenreich, eu decidi ficar mais um pouco, pois tinha a impressão que iria encontrar algo bem interessante, e parece que eu estava certo.

- E porque você iria querer captura-los? – Kanzaki perguntou

- Sabe, o nosso Imperador acredita que vocês Arrancar dariam bons soldados, em minha opinião que eles deveriam se sentir honrados com tal oferta, mas infelizmente houve uma pequena rebelião, e o Kirge-san juntamente com seus homens tiveram que... Humm, vejamos, como posso dizer isso gentilmente? Já sei, tivemos que disciplina-los. – Os olhos de Neliel se estreitaram ao entender o que ele quis dizer com ‘’disciplina-los’’.

- Isso quer dizer que vocês espancaram os Arrancar que viviam aqui até ficarem inconscientes e os levaram a força para onde quer que seja o local que vocês habitam.

- Oh você é mais esperta do que aparenta, mas creio que foi um grande azar seu ter vindo para cá justo hoje, agora que eu estou prestando mais atenção, notei que vocês possuem um poder espiritual razoável. – As Arrancars ficaram em guarda ao notar o poder espiritual do Quincy mudar - E estou certo que Vossa Majestade ficará muito satisfeita se eu leva-las para Wandenreich, então se puderem ter a gentileza de virem comigo sem oferecerem resistência, eu ficaria muito agradecido.

 

- Eu sinto muito. – Neliel sacou sua Zampakutou, Kanzaki fez o mesmo. – Mas isso não irá acontecer.

- Foi o que eu imaginei. – O Quincy murmurou conformado.

 

- Kanzaki... – A Espada falou – Eu não sei se posso dar conta dele sozinha, então acredito que...

- Eu terei que lutar. – Kanzaki completou - Eu já entendi.

- Me desculpe, se eu soubesse que as coisas terminariam assim...

- Por favor, pare. – Uma sensação de Déjà vu veio à cabeça de Kanzaki ao escutar as palavras de Neliel, e em seguida veio as terríveis lembranças daquele dia fatídico, o dia que sua melhor amiga havia sido morta por causa de sua fraqueza.

 

Mas ela não iria permitir que algo assim se repetisse.

- Não... Não termine essa frase, e também não é necessário pedir desculpas já que fui eu que pedi para acompanha-la, na verdade eu fico feliz por ter vindo, sei que não sou tão forte quanto um Espada, mas mesmo assim irei fazer o possível para ajuda-la, e nós duas iremos retornar a Las Noches. – Neliel observou com surpresa o quanto Kanzaki parecia estar determinada.

Ela mudou bastante se comparada a primeira vez que nos encontramos. A Espada observou mentalmente, em seguida se virou para o Quincy.

- Vamos começar logo essa luta. – Neliel ficou em posição de combate.

- Luta? – Askin repetiu essa palavra como se ela lhe causasse estranheza. - A ‘‘luta’’ que você fala já acabou... – No mesmo instante, a areia que estava em volta das Arrancars adquiriu uma tonalidade escura, não demorou muito para que tanto Neliel quanto Kanzaki sentissem seus corpos entrarem em colapso, suas pernas cederam e ambas caíram no chão, completamente derrotadas.

 

-... E a vitória foi minha.

- O que é isso? – Neliel fez de tudo para sair do lugar, mas foi inútil – O que você fez?

- Eu chamo de Gift Bad (Banho ou piscina de veneno), pisar nessa piscina não é necessariamente ‘’letal’’, mas eu consigo diminuir a resistência de qualquer pessoa que esteja dentro do raio de minha habilidade, e dessa vez o que eu escolhi foi a Reiatsu, eu diminui drasticamente a resistência que seus corpos possuem de suportaram Reiatsu, nesse momento é como se vocês não passassem de humanos que ao serem expostos a uma grande pressão espiritual ficam completamente paralisados.

- Não pode ser... - Neliel sussurrou - Não é possível que alguém possua uma habilidade assim tão absurda.

Askin ignorou as palavras da Espada e se virou para os dois Quincies que estavam com ele.

- Capture-as. – Ordenou. – Mas ao menos uma vez sejam gentis, elas estão completamente paralisadas, então não precisa espanca-las como fizeram com os outros.

- Sim, Askin-sama – A dupla de Quincies começaram a ir na direção das Arrancars, mas um Cero que passou entre os dois fizeram eles recuarem.

 

- Fiquem longe... – Kanzaki falou enquanto se levantava lentamente.

- Isso... – Começou Askin franzindo o cenho –... É foi um pouco inesperado.

Neliel parecia ainda mais surpresa que Askin pelo fato de Kanzaki conseguir se mexer.

Nem mesmo eu consigo sequer mover um dedo após ser atingida pela habilidade dele, como ela conseguiu se levantar?

 

- Apenas por curiosidade. – Askin falou - Como você consegue se mexer?

-...

- Isso não é justo. – Ele observou ao notar o silêncio da Arrancar – Eu te dei tantas dicas sobre como funciona minha habilidade.

- Não me lembro de ter pedido nada. – Ela falou.

- Isso é verdade. – Askin teve que concordar, apesar de tentar transparecer calma, Kanzaki fazia o possível para controlar o pânico que insistia em tomar de conta dela, a Arrancar ponderava sobre o motivo conseguir se mover e qual seria seu próximo passo.

Nunca pensei que o fato de minha Reiatsu ser fragmentada poderia ser útil, parece que até mesmo uma sutil mudança do meu poder espiritual me torna inume a habilidade dele, mas não posso me dar ao luxo de ser atingida novamente, posso não ter tanta sorte da próxima vez, ela voltou sua atenção para o Quincy assim que um arco feito puramente de Reishi materializou-se na mão dele.

- Acho que vou ter que lutar pra valer afinal. – Ele murmurou, instintivamente Kanzaki deu passo para trás.

Derrota-lo está completamente fora de questão, tenho que encontrar uma forma de distrai-lo e pegar a Neliel-san para fugir de qualquer maneira.

Que pensamento de perdedora, uma voz ecoou em sua mente, se fosse eu, mataria esse Quincy num instante.

- Não... – Ela esfregou a têmpora, que estava começando a latejar - Agora não. – Num momento de descuido, Kanzaki não reagiu a tempo e a Gift Bad a atingiu novamente, a Arrancar sentiu seu corpo inteiro ficando dormente, mas novamente ela conseguiu reaver seus movimentos após alguns segundos.

Droga, não acredito que cai nesse golpe novamente.

- Já entendi... – Askin falou - Parece que sua Reiatsu é bem instável, e isso faz que ela adquira propriedades diferentes e se torne imune ao meu Gift Bad, isso é muito incomum. Será bem interessante ver até onde você consegue resistir aos meus ataques.

.

.

.

Ichigo havia acabado de entrar na sala de reuniões dos Espadas, ele sentiu que estava recebendo vários olhares curiosos, e até já imaginava a razão, Momoka caminhava ao seu lado, e o ruivo ficou se perguntando quem seria o primeiro que iria mostrar sua insatisfação, ele até pensou que seria o Barragan ou o Nnoitra, mas acabou sendo um dos Shinigamis subordinados de Aizen.

- O que essa garota está fazendo aqui? – Indagou Tousen se referindo a Momoka – Aizen-sama foi bem claro ao dizer que apenas membros dos Espadas podiam vir as reuniões.

- Ela não gosta de ficar sozinha. – O ruivo explicou - E só consegue ficar perto de mim e da Kanzaki, e como eu não encontrei a Kanzaki em lugar nenhum, não tive outra escolha a não ser trazê-la.

- Sobre isso... – Harribel comentou - Eu a vi saindo de Las Noches juntamente com a Neliel, parece que elas estavam indo a alguma missão.

- Uma missão? – Ichigo repetiu olhando diretamente para Aizen – Eu me pergunto que tipo de missão seria essa.

- Se trata de uma missão diplomática. – Explicou Aizen – Não é nada demais.

 

Ichigo ficou mais aliviado com a notícia, porém no mesmo instante sentiu que alguém estava puxando levemente o seu uniforme, ele baixou o olhar apenas para ver que Momoka o encarava, seus grandes olhos vermelhos nunca pareceram tão tristes.

- Papai... – Ela sussurrou - A mamãe... Ela está com problemas...

- Como assim?

- Ela... Ela está sendo atacada... E está sofrendo – Momoka começou a falar como antes, Ichigo descobriu que ela só falava assim quando estava nervosa - Eu posso sentir...

- Tem certeza? – Ela fez que sim com a cabeça, Ichigo não sabia como explicar, mas confiava cegamente nas palavras de Momoka.

- Muito bem. – O ruivo girou os calcanhares e deu meia volta - Eu vou garantir que nada de ruim aconteça com ela, vamos – Ele se virou para o Primera Espada.

- Starrk, se não tiver nenhum problema, deixarei Momoka com a Lilynette.

- Não me importo. – O Espada se limitou a dizer.

- Ótimo. – Ele caminhou em direção à porta, mas uma voz o fez parar.

- Volte ao seu lugar, Kurosaki Ichigo. – Ordenou Aizen – A reunião está prestes a começar.

- Pois para mim ela já acabou. – Ele respondeu batendo com força a porta ao sair.

Aizen suspirou resignado.

 

Controla-lo será uma tarefa mais difícil do que eu pensava.

.

.

.

Quando Kanzaki foi acertada com a Gift Bad pela terceira vez, ela tinha certeza que seria o fim.

 

Droga... Eu não consigo mais me mexer.

- Kanzaki... – Neliel só pode murmurar o nome de sua amiga, já que sua condição era tão ruim quanto à dela.

- Então são três. – Askin concluiu - Sua Reiatsu é fragmentada em três partes, você é uma espécie bem rara, tenho certeza que nossos cientistas irão gostar de examinar seu corpo. – O Quincy se aproximou lentamente das Arrancars, mas deu um salto para trás uma sentir uma forte intensão assassina que estava sendo direcionado para ele.

- Só pode ser brincadeira... – Askin falou – O que aconteceu agora?

- Ninguém aqui vai examinar o corpo da Kanzaki além de mim. – O Quincy estreitou os olhos para a figura que surgiu em sua frente.

 

- I-Ichigo... – Kanzaki murmurou - Que bom que você veio... – Só então as palavras de Ichigo ecoaram em sua cabeça - Espere um pouco, você poderia repetir a última parte? Acho que não escutei direito.

- Depois falamos sobre isso... – O Espada estranhou ao ver que nenhuma das Arrancars pareciam estar feridas, e mesmo assim era incapazes de se mexer - Quem é esse cara?

- Cuidado Ichigo... – Advertiu Neliel. – A habilidade... A habilidade dele é... – A Espada acabou engasgando e não conseguiu terminar de falar.

- Tente não falar nada. – Ichigo recomendou, em seguida ele se virou para o Quincy - Isso não vai demorar muito.

.

.

.

                                          Alguns minutos depois...

 

Kanzaki tinha uma imagem muito bem definida do Ichigo.

Ela acreditava que o Espada fosse invencível, esse pensamento podia ser extremamente infantil, mas ela acreditava plenamente que não importava o quão ruim fosse à situação, se fosse o Ichigo, tinha como resolver.

 

E era por isso que a última cena que ela esperava presenciar era Ichigo caído no chão, completamente impotente diante do inimigo.

 

Como estava acontecendo agora.

 

- Que droga é essa? – Ichigo estava se sentindo uma marionete cujas cordas foram cortadas, com os membros espalhados em todas as direções, incapaz de sair do lugar, mesmo se quisesse. - Eu não consigo me mexer.

- Não se preocupe. – O Quincy garantiu - Você não vai morrer, porém eu diminui sua resistência a Reiatsu até o seu limite, apenas o fato de você estar consciente já é impressionante.

- Droga... – Ichigo tentou se mexer, mas seu corpo não o obedecia.

- Vocês tem bastante sorte que o Kirge-san tenha ido embora. – Askin comentou - Ele não tem muita paciência, sabe?

- Seu maldito. – O Quincy estreitou os olhos quando Ichigo conseguiu se mover um pouco. – Eu vou te matar.

- Isso é bem surpreendente, eu reduzi sua resistência a Reiatsu, e ainda por cima foi atingido por uma Gift Ball de nitrogênio-oxigênio, mas você continua vivo, não sei se deveria elogia-lo ou te matar logo de uma vez para que não continue sofrendo. – O Espada escutava todas aquelas informações em silêncio, ao menos sua mente conseguia trabalhar sem problemas.

Pelo que eu entendi da habilidade, se houver uma mudança, não importa o quanto ela for pequena, da minha Reiatsu, eu poderei ficar livre do efeito da sua habilidade, ao perceber isso, Ichigo se esforçou para levar sua mão direita até o cabo da Zampakutou, no entanto, antes que ele a alcançasse, uma flecha foi fincada em seu pulso, a prendendo ao chão, em seguida, a mesma coisa aconteceu com sua outra mão.

 

- Opa. – Falou Askin – Essa foi por pouco, tive muito trabalho para deixa-lo nesse estado, e seria uma pena se você conseguisse se libertar, não é mesmo?

- Desgraçado. – Rosnou Ichigo.

- Acredito que Vossa Majestade ficaria muito feliz se eu trouxesse uma espécie tão poderosa como você, mas eu provavelmente teria que diminuir sua resistência ainda mais e isso me daria muito trabalho... – Sua expressão ficou mais séria ao acrescentar - Então lamento, mas acho que eu terei que te matar.

.

.

.

Mova-se, mova-se, mova-se... MOVA-SE...

 

Kanzaki tentava de todas as formas sair do lugar, sem sucesso, ela olhou de relance e viu que Neliel estava quase perdendo a consciência, então não podia contar com mais ninguém além dela mesma.

 

Ou talvez não.

Me deixe tomar o seu corpo. Kaguya sugeriu, você sabe que é muito fraca para fazer alguma coisa, mas se me der o controle eu posso salva-lo.

NÃO, Isso nunca mais vai acontecer.

Não seja idiota, você deve ter percebido como funciona a habilidade dele, minha Reiatsu é completamente diferente da sua, se eu assumir o controle, terei os movimentos de volta.

 

Kanzaki sabia que tudo isso era verdade, mas ainda estava relutante de passar por tudo aquilo novamente, no entanto, ela sentir toda a sua hesitação desaparecer ao ver que o Quincy criou uma flecha e a apontou para o ruivo.

Não importa, fique com o meu corpo se quiser, apenas...

 

... Salve-o. Kaguya pareceu contente com a decisão de sua ‘’amiga’’.

 

Agora sim vamos chegar a algum lugar.

.

.

.

- Alvo na mira. – Askin apontou sua flecha no meio da testa de Ichigo.

 

E atirou.

 

- Hã? – Ele franziu o cenho ao ver que sua flecha havia desaparecido logo após dispara-la.

- Perdeu alguma coisa? – Foi à última coisa que o Quincy ouviu antes de sentir uma dor aguda em seu ombro direito, ele olhou para esse local apenas para ver sua flecha cravada nela.

- Mas o que foi isso? – Ele se perguntou enquanto dolorosamente retirava a flecha de seu ombro.

- Você já está sangrando? – Uma Arrancar surgiu diante dele – Espero que você aguente mais um pouco, eu estive dormindo por muito tempo, sabe? E isso está bem longe de me satisfazer.

...

- Hã? – O Quincy franziu o cenho - Sua voz e aparência e poder espiritual estão bem diferentes, mas parece que você a senhorita cujo nome ainda não perguntei, admito que fui um pouco rude ao fazer isso, mas acho que você exagerou um pouco, não concorda?

- Na verdade eu não dou à mínima se você sabe o meu nome ou não, mas se você quiser saber o nome daquela que te matou preste bastante atenção, meu nome é Kaguya, Kaguya Otonashi.

- Irei me lembrar disso. – Askin olhou de relance para os Quincies atrás dele - Eu sugiro que vocês se afastem, não sei por que, mas tenho a impressão que essa ai vai me dar uma grande dor de cabeça.

 

- Quincy... – Murmurou Kaguya ao mesmo tempo em que apontava sua Zampakutou para Askin, diferente da Zampakutou da Kanzaki, esta tinha o cabo da cor vermelha.

 

-... Eu não tenho palavras para descrever o quão morto você está.

 

                                  Continua...

 

                             No próximo Capítulo – Renascido nas Trevas       


Notas Finais


Espero que tenham gostado.

Agora aqui vai uma pequena explicação sobre a Kanzaki.
A Reiatsu de Kanzaki é fragmentada em três partes, e como foi mostrado no passado dela, cada um desses fragmentos causa um efeito colateral se entrar em contato com o seu inimigo, isso faz parte do estado ‘’incompleto’’ dela que eu mencionei a alguns capítulos atrás.

Acho que alguns de vocês ficaram surpresos pelo fato do Ichigo ter sido derrotado tão facilmente, mas quem conhece o Askin sabe a habilidade dele é bem complicada, e que são poucos os que podem derrota-lo.

No próximo capítulo será a luta da Kaguya vs Askin, façam as suas apostas. Sinceramente não sei se conseguirei postar o capítulo na próxima semana, pois essa luta será bem complicada de se escrever, e estou tendo alguns bloqueios criativos no quesito lutas, mas se caso eu não terminar o capítulo vocês serão devidamente avisados.


Vejo vocês nos comentários.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...