História Replay - Capítulo 2


Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Drama, Lemon, Romance, Taekook, Vkook, Yaoi
Exibições 54
Palavras 1.747
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


espero que gostem💙

Capítulo 2 - Can you trust me?


-Boa noite a todos! Com muito orgulho, eu anuncio que estão oficialmente abertas as atividades do acampamento. Como em todos os anos, teremos o tradicional campeonato do acampamento Wild! Teremos diversas competições, entre as quais constam as individuais (natação, hipismo, tênis de mesa, judô, karatê, ciclismo e xadrez), as coletivas (futsal, vôlei, basquete e handball) e as em dupla (tênis, dança livre e corrida de revesamento). Cada uma dessas vale 100 pontos. Além das competições mais clássicas, teremos também a competição das bandeiras: diversas bandeiras brancas estão espalhandas por todo o acampamento, escondidas é claro, no final da competição, a equipe que possuir mais bandeiras ganha um bônus de 300 pontos. As equipes foram previamente divididas, de forma aleatória, pela equipe de organização do acampamento. Quem possui uma bandeira vermelha em seu dormitório, pertence a equipe vermelha, a mesma coisa com a azul. Apartir de hoje as equipes já podem se organizar. Isso é tudo, muito obrigada pela atenção, agora vocês podem continuar a festa sem  mais interrupções.- dizendo isso ela desceu do palanque e uma música eletrônica começou a tocar bem alto

Olhei para o ChungHo, com a intenção de perguntar o que faríamos agora, mas ele se adiantou e puxou meu braço, me guiando pelo meio da multidão. Paramos em frente a uma mesa cheia de comidas e bebidas que pareciam muito boas. Olhei as plaquinhas com os nomes, havia diversos tipos de doces e salgados que eu nunca havia visto e diversos sucos. Peguei um prato e comecei a enchê-lo com as delícias.

Tive a sensação de estar sendo observado e levantei o olhar. Ele se cruzou com o de uma menina de estatura média, cabelos alaranjados e nariz arrebitado. O meu olhar pareceu encorajá-la e ela começou a vir em minha direção com um andar confiante.

-Olá,  tudo bem? Meu nome é SunHee e eu notei que você e seu amigo estão bem quietos na festa. Eu e os meus amigos vamos fazer uma festa particular, com coisas mais interessantes que isso- ela disse, apontando para os sucos- se é que me entende...

- Essa festa tem a autorização da Sook?

- Claro que não.- ela riu da minha pergunta

- Então é uma festa clandestina? 

-Olha só,  "clandestina" é uma palavra muito forte. Que tal usarmos a palavra "íntima", não soa muito melhor?

- Hum... Não sei.

Se eu fosse pego e minha mãe descobrisse não sobraria JungKook pra contar história,  ela iria me matar.

- Quer dizer que o garotinho está com medinho?- ela ironizou -Aposto que você é o senhor certinho, não é mesmo? O orgulho da mamãe.- ela provocou

- Não,  nós vamos.

Merda, eu cai em sua provocação.  Tudo culpa da minha natureza competitiva, eu não sei dizer não a desafios.

A garota começou a andar em direção a um grupo de mais ou menos 10 pessoas que pulavam no ritmo da música. Eu larguei o prato ainda por fazer em cima da mesa e a segui, com o ChungHo ao meu lado. Ela falou algo para outra garota, de cabelos castanhos claros e estatura um pouco menor, que olhou para mim com uma expressão que eu não pude identificar. As garotas falaram com o resto do grupo e logo todos estavam se dirigindo em direção ao bosque. A garota fez sinal para que nós fôssemos também e nós começamos a seguir o grupo.
Depois de alguns poucos minutos andando no meio da mata, chegamos a uma pequena lagoa. Percebi wue já haviam algumas pessoas no local, que dançavam ao som de alguma música eletrônica que vinha de uma grande caixa de som. Havia uma mesa relativamente grande, em cima dela haviam diversas bebidas de diversas cores. Havia também algumas luzes que se moviam pela clareira. Eu realmente não tinha ideia de como eles conseguiram colocar tudo aquilo no meio do nada.

- Achei que seria uma festa íntima...-o ChungHo falou algo após todo esse tempo calado.

- Pois é- falo um pouco preocupado. 

Mais gente significava mais chances daquilo dar errado e mais chances de eu morrer mais cedo do que o esperado.

- Vocês vão ficar parados aí?- a garota falou, retirando-me dos meus pensamentos sobre minha provável e próxima morte.

-Ah, desculpa é que não conheço ninguém aqui.

-Sem problemas! Será que posso roubar o seu amigo por um instante?- ela se dirigiu ao ChungHo

-É claro, senhorita.- disse ele, fazendo uma reverência e piscando o olho para mim.

-Muito obrigada- ela disse e saiu me arrastando pelo braço até a mesa de bebidas.
Em frente à mesa haviam banquinhos, imitando um bar de uma boate.

-TaeTae, meu amor,  será que você poderia vir aqui fazer o seu papel por um instante?- ela gritou, fazendo uma voz irritantemente melosa- Opa, desculpa SunHee Barman Kim Taehyung ao seu dispor,  o que deseja?- o garoto que dançava mais cedo apareceu, todo atrapalhado e com o cabelo bagunçado.- SunHee, quem é esse? Não vai me apresentar ao seu amigo?- ele pareceu finalmente notar minha existência

-Ai meu deus, como eu sou mal educada! Esqueci de perguntar o seu nome, não foi?- ela deu um grito

-Ah sim, prazer, JungKook.

- Nossa, SunHee,não acredito que você nem perguntou o nome dele! Querida, o fogo no cu tá queimando seus neurônios?- ele riu

-Taehyung! Não fala assim, vai assustar o garoto! Só cala a boca e me vê dois drinks por favor.- ela riu

- É pra já, o que você quer?

- Dois de morango, e vejamos...- ela passou os olhos pelas bebidas coloridas- Que tal morango e cereja? 

-A senhora é quem manda.- ele pegou dois líquidos vermelhos, colocou em um recipiente, adicionou um líquido incolor, provavelmente vodka, algumas pedras de gelo, açúcar e começou a chacoalhar o recipiente.

Ah, merda, eu com certeza estava ferrado.

Ele colocou a bebida em dois copos e nos entegou sorridente.

- Espero que tenham gostado do serviço e voltem sempre!- disse ele quando - começou a se levantar- usem camisinha!- ele gritou e eu corei.

- Cala a boca Taehyung!- ela começou a se afastar,  me puxando pelo braço até algumas pedras mais afastadas.

Me sentei em uma das pedras e ela, ao meu lado, permitindo que nossas pernas se encostassem.

- Então, JungKook, você está aberto a novas amizades?- ela perguntou

- Sempre

- Ótimo! Então podemos ser bons amigos, adoro conhecer pessoas novas! Vamos fazer um brinde à nossa amizade! 

Nós brindamos e eu provei o drink. Era simplesmente delicioso,  o azedo do morango se misturava ao sabor doce e suave da cereja, resultando em um sabor único e inesquecível. 

Eu só tinha 16 anos e não estava acostumado a beber, o álcool logo mexeu com a minha cabeça e eu fiquei mais relaxado e descontraído. Eu e a SunHee conversamos durante muito tempo, o álcool não me permitiu saber o tempo exato.

- Então, JungKook, você é mesmo o orgulho da mamãe? 

-Na verdade eu estou aqui justamente por não ser o orgulho da mamãe. Nota vermelha em matemática, sabe...

-Ah, então ela te colocou aqui para ver se você toma jeito? Se depender de mim, você só vai piorar...- ela disse sugestiva,  enquanto colocava a mão em minha coxa e a deslizava para cima lentamente- Você não acha? Nós podemos nos divertir muito, querido JungKook.- ela começou a se aproximou de mim e sussurrou no meu ouvido.

Ela estava tão próxima que eu sentia sua respiração em meu pescoço. Fechei os olhos, tentando controlar as reações do meu corpo embreagado. Quando abri os olhos, ela me encarava com uma expressão sedutora. Uma leve brisa soprou seus cabelos para o rosto e ela, calmamente colocou os fios rebeldes atrás da orelha. Apesar de embreagado, esse movimento ainda estava muito presente em minha memória, a Yoojin tinha a mania de colocar a franja atrás da orelha. Rapidamente a imagem da Yoojin veio à minha mente, me dando a força que eu precisava para sair dali. Levantei-me e comecei a me afastar, mas ela foi mais rápida, segurou meu braço e me encostou numa árvore, me encurralando com seus braços.

-O que foi JungKook? Está com medo de mim? Não precisa,  eu não mordo.- ela disse, se aproximando do meu ouvido- Pelo menos não até você pedir...- sussurrou

-O que está acontecendo aqui?- disse uma voz grave

Ela se assustou e deu um pulo para trás, me dando a visão do dono daquela voz, o Taehyung, que ao contrário das outras vezes em que eu o vi, estava muito sério.

-Ah, Tae, é só você... Não me assusta assim.

-Eu não vou repetir a pergunta: O que está acontecendo aqui?

-Ah, não enche, nós estamos apenas nos divertindo.

-O seu amigo não parece estar se divertindo muito.- ele disse se aproximando de mim, que até então estava estático, e apoiando o meu braço em seu ombro.

-Ah, Taehyung, não seja estraga prazeres.

-Toma vergonha na cara, SunHee, você tá bêbada.- disse e saiu andando, me levando em direção às trilhas que davam no acampamento.

Estávamos quase saindo da clareira quando eu me lembrei do ChungHo.

-Não, não,  espera! O meu amigo, eu o esqueci.  Ah, não... O deixei sozinho durante todo esse tempo.

-Aquele ali?- ele disse, apontando para um tronco onde o ChungHo estava sentado, conversando com uma menina- Acho que ele está bem, vamos.

Falando isso, o garoto me puxou e passamos a caminhar por uma trilha de sentido oposto à festa. 

Apesar de achar isso estranho, já que nunca o havia visto na vida, continuei seguindo-o. Era esquisito, mas sentia como se pudesse confiar nele.

Passamos alguns minutos em silêncio, somente caminhando, contemplando a beleza da noite. Apesar de escuro, tudo estava razoavelmente nítido, e como estávamos longe da cidade, a lua e as estrelas tinham destaque no céu de uma forma que eu nunca tinha visto antes, simplesmente incrível. 

Despertando de meus devaneios, lembro-me do rapaz ao meu lado. Olho para ele, e fico, mais uma vez, impressionado. Seus cabelos loiros, assumiram um tom meio prateado, em contato com a luz da lua. Parecia um anjo. 

Ele estava com um olhar sonhador e encarava o céu enquanto andava. Passei a mão em meu pescoço, onde normalmente minha câmera ficava, mas não a senti. Eu me procuparia se não tivessse um ser tão perfeito diante de mim.

O garoto se virou para mim e sorriu. Percebi que estava encarando-o com cara de idiota, e obviamente ele também percebeu. Senti meu rosto corar imediatamente e desviei o olhar.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...