História Reply 2000 - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Deathfic, Jikook, Namjin, Vhope, Vmin
Visualizações 54
Palavras 2.748
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Mutilação, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


➸ Essa é a minha primeira deathfic depressiva, me desculpem se houver algo erro. Estou começando a escrever estórias desse gênero.

➸ A oneshot é um especial de natal, espero que gostem (esse é o meu presente de natal para vocês de todo o meu coração.)

➸ A one é inspirada no MV de Run e na oneshot Sad Boys, 2001 (afinal, super recomendo essa one). Mas, como eu disse, foi INSPIRADA, em nenhum momento há algo parecido. A estória é totalmente diferente.

➸ A one foi betada pela @woozikawaii do @navilleraedits. Aliás, recomendo que deem uma olhada no projeto, é um amor sz.

Boa Leitura <3

Capítulo 1 - Capítulo Único


Deitado em meu quarto, a única coisa que se podia ouvir era o silêncio de que um dia já me foi algo relacionado à paz e alegria. Observei a nossa última foto antes de nos separarmos e sorri. Se eu soubesse que depois daquele dia nunca mais nos veríamos, com toda a certeza teria tirado mais fotos para recordar-me de mais momentos. E se eu pudesse voltar no tempo e parar, com certeza voltaria para o ano 2000, onde tudo começou, e infelizmente acabou.

Newcastle, Inglaterra — Começo do Inverno, 2000.

— Scott, eu vou sair mais cedo do trabalho. — Falei saindo de trás do balcão. 

— Tudo bem, mas não se esqueça de que amanhã você terá que me ajudar a fechar a loja. — Scott falou enquanto eu pegava meu casaco e cachecol que estavam em um cabideiro. 

— Tudo bem. — Assenti pegando uma barra pequena de chocolate, que ficava em uma prateleira ao lado da porta. 

Trabalhava em uma loja de conveniências por meio período. Mesmo meus pais pagando a faculdade que eu frequentava, não gostava de depender apenas deles para tudo, por isso resolvi trabalhar em um local próximo da faculdade, para receber um pouco de dinheiro conquistado por mim, e não entregue por eles. 

Assim que saí do local, pude sentir pequenos flocos de neve caírem sobre minha cabeça. Eu estava sem touca, por isso os flocos caíam em meus cabelos alaranjados fazendo com que eu os bagunçassem a cada segundo.  

Pelo fato de meus pais trabalharem em uma empresa bastante conhecida na Europa, eu morava em um quarteirão onde havia apenas minha casa que era em um estilo vitoriano. A frente era coberta por árvores, já que logo no quintal se encontrava uma pequena floresta, e muitas pessoas apareciam ali para tirar fotos perto das grandes árvores que faziam uma passagem para minha casa. 

Assim que cheguei em frente de minha casa, vi um garoto parado ao lado das árvores observando os flocos caírem sobre as mesmas que ainda estavam coloridas por conta do outono.  

Ele era alto, seus cabelos eram negros assim como os olhos, havia um band-aid preto em seu pulso esquerdo e pude ver que em cada dedo de sua mão direita, exceto seu dedo polegar, havia a tatuagem das quatro fases da lua. 

— Aqui é um belo lugar, não? — Indaguei me aproximando do garoto. Sei que não era tão alto assim, mas ao seu lado eu era tão baixinho. 

O mais alto olhou para mim, mas permaneceu sem dizer uma palavra. 

— Minha mãe me ensinou a cuidar dessas árvores desde pequeno. Eu ainda não sei como elas continuam assim, tão lindas. — Falei em uma outra tentativa de puxar assunto, mas sem sucesso. — Bonita tatuagem. — Murmurei já frustrado enquanto abaixava a cabeça. 

— Obrigado. — Agradeceu ajeitando a sua touca. 

— Então você fala? — Perguntei arregalando os olhos. O moreno apenas sorriu sem mostrar os dentes. 

— Desculpa estar aqui em frente à sua casa. É que eu estava um pouco triste, pois meu namorado terminou comigo então vim para cá pensar um pouco. — Se desculpou olhando para uma folha vermelha sendo pintada de branco pelos flocos que caíam. 

Espera... Namorado? Não, eu não tinha nada contra. Aliás, eu também gostava de garotos, mas não esperava que um garoto daqueles também gostasse de outros garotos, ou muito menos que alguém terminaria com ele. 

Olhei para suas mãos e vi que este perfurava com força uma das veias de seu dorso da mão esquerda. 

— Não faça isso. — Disse segurando sua mão para que o mesmo parasse com tal brutalidade consigo mesmo. — Não machuque a si próprio. — O moreno apenas puxou a sua mão com força, me fazendo soltá-la. 

— Eu preciso ir. — Colocou as mãos no bolso de seu sobretudo.  

— Não, fique. Você parece com frio e cansado, irei preparar um chocolate quente para você. — Falei o impedindo de andar. 

E foi depois desse chocolate quente que eu descobri um pouco mais sobre o garoto, ou melhor, Jeon Jungkook.

Jungkook morava na Coreia do Sul, mas havia se mudado para Newcastle, pois queria tentar uma vida nova e conseguir novas oportunidades. Ele não me contou muitas coisas sobre ele, apenas o que achou que era necessário eu saber. Quando eu insistia em saber mais, Jungkook simplesmente ficava irritado ou chorava, o que boa parte do tempo me fazia sentir um estúpido por fazer aquilo.  

O perguntei qual era o motivo de ter escolhido as quatro fases da lua para uma tatuagem, mas o mais novo apenas replicou uma coisa simples: “Todos nós temos fases, assim como a lua.” 

Depois daquele dia, comecei a sair com Jungkook em todos os fins de semana. Nós realmente havíamos nos tornado amigos, porém Kookie, apelido que eu o dera, nunca me contava muita coisa. Ele sempre fora bastante fechado e me dizia apenas o que achava necessário. Confesso que gostava muito de Jeon, mas o moreno nunca se importou. 

Jungkook e eu ficávamos algumas vezes, apenas quando ele queria, mas tanto ele quanto eu, não nos pertencíamos. Jeon nunca foi meu. 

Era uma noite fria em que a neve caía freneticamente. Jungkook e eu havíamos resolvido comer peixe com fritas e ali estávamos, caminhando pelas ruas de Newcastle rodeadas por casais que saíam para jantar juntos em algum restaurante chique ou apenas para passear.  

Na verdade, Jungkook havia me chamado para sair e então, eu opinei de comermos peixe com fritas e ele aceitou. Eu estava cansado de ficar sozinho naquela enorme casa, sentado no centro da sala e observando aquela estúpida árvore de natal com seus piscas-piscas apagando e acendendo. 

Meus pais haviam ido visitar meus avós, que moravam na Coreia do Sul, para passar o natal e, como eu tinha que fazer algumas provas antes de dar um tempo na faculdade, acabei ficando aqui mesmo na Europa.  

— Jimin, você já conheceu os meus amigos? — Jungkook perquiriu cobrindo suas orelhas com a touca. 

— Você não me disse que tinha amigos. — Respondi em um murmúrio. 

— Ah, você quer conhecê-los? — Perguntou parecendo animado. 

Era raro as vezes em que Jungkook sorria ou ficava animado, ele sempre fora tão tímido e sério.  

— Sim. — Repliquei olhando para o seu pulso esquerdo e pude ver dois band-aid, por algum motivo, do bob esponja. 

— Venha comigo. — Segurou em minha mão e me puxou. 

Naquele dia, seguimos o caminho oposto do que estávamos acostumados a seguir sempre. Kookie havia me levado para uma casa mediana que parecia abandonada. Sua pintura branca estava descascando, as janelas do segundo andar estavam quebradas como se alguém tivesse jogado algo pesado de fora para dentro, e todo o quintal estava coberto por neve e algumas garrafas quebradas. 

Impossível viver nesse lugar, pensei.  

Mas, mal sabia eu que iria começar a viver ali com Jungkook e seus amigos. 

— É aqui que eu moro, com meus amigos. — Jeon disse me puxando para dentro da casa. Assim que adentrei, pude ver que era uma completa bagunça. 

O piso de madeira era desgastado, as paredes brancas eram pichadas e enfeitadas com piscas-piscas, o carpete que deveria ficar na escada estava caído nos últimos degraus, havia alguns desenhos colados na parede próxima à uma porta que ficava no fundo da sala e havia vários objetos espalhados pelo chão.  

— Pessoal, desçam aqui. — Jungkook disse em um tom alto e não demorou muito para que eu escutasse barulho de passos em contato com a madeira velha. 

Cinco garotos. Haviam descido cinco garotos, que depois de um tempo, tornaram meus amigos inseparáveis. 

O moreno de cabelos castanho-claro chorava enquanto brincava com uma navalha, o de cabelos rosa o abraçava enquanto segurava uma garrafa quase vazia de vodka, um moreno fumava um cigarro enquanto era abraçado por um garoto também moreno de sorriso retangular e o outro pálido com o cabelo tingido de verde, desenhava sua pele branca com a ponta acessa de seu cigarro formando várias queimaduras em seu braço. 

Aquela cena era tão deprimente, porém era assim que Jungkook vivia, era assim o modo em que ele agia e eu, o amava. 

Eu estava acostumado com aquele ar deprimente, mas não sabia que seus amigos também eram assim. 

— Oi, eu sou Jimin. — Sorri.  

— Jungkook falou muito de você. — O de cabelo rosa disse dando um gole em sua vodka. 

— Venha, vou dar algo para você beber. — O moreno ofereceu empurrando o garoto que o abraçava. 

Segurou em minha mão e me puxou escada acima enquanto os outros cinco vieram logo atrás. Foi então que eu descobri um pouco sobre cada um deles:  

O de cabelos castanho-claro se chamava Seokjin, que sofria de depressão, qualquer coisa o fazia se sentir inseguro, e chorava. O motivo de tudo isso foi porque quando completou dezoito anos, seus pais tiveram que voltar para sua cidade natal, Canadá, o deixando em Newcastle para terminar os estudos. Mesmo seus pais pagando sua faculdade, eles não mantinham contato com Jin, simplesmente o esqueceram por completo fazendo com que o mesmo sofresse por vários problemas psicológicos. O mais velho também tinha a mesma tatuagem que Jungkook, porém a tinha em seu braço esquerdo junto com uma coleção de cortes feitos por sua navalha.

O de cabelo rosa se chamava Namjoon. Kim Namjoon não tinha tantos problemas assim, mas era viciado em bebidas alcoólicas o que o obrigou a sair de casa. Ele foi adotado por uma família de ingleses, mas por uma ironia, sua mãe adotiva também era adotada, porém por uma família sul-coreana, o que fez com que Namjoon recebesse seu sobrenome “Kim”. Assim como Jin e Jungkook, Namjoon também possuía a tatuagem da lua, mas a possuía também um local diferente, na parte inferior de suas costas.

O moreno se chamava Hoseok. Jung não quis me dizer de onde veio ou algo relacionado à sua vida. Sofria de depressão, mas não quisera me contar o motivo, e adorava fumar um cigarro para se esquecer de seus problemas. Ele também tinha a tatuagem da lua no lado direito de seu pescoço. 

O de sorriso retangular se chamava Taehyung. Kim Taehyung não me disse muita coisa sobre ele, apenas me disse que era sul-coreano e que havia se mudado para Newcastle com seus pais quando fizera oito anos. Pelo o que os meninos me disseram de Tae, ele era bastante sentimental e sentia que ninguém gostava dele. Fugiu de casa, pois achava que seus pais não ligavam para ele, o que era total mentira. Seus pais mesmo não tendo mais notícias dele, continuavam pagando sua faculdade, pois sabiam que ele ainda a frequentava, a faculdade era a única coisa que fazia com que seus pais soubessem que Tae estava vivo e bem. Kim gostava de Hoseok, mas o mesmo não sentia a mesma coisa por ele. Vivia o desprezando e quando estava entediado, ficava com Taehyung.

Quando Hoseok não lhe dá a devida atenção que quer, ele chora e machuca a si próprio com laminas ou com suas próprias mãos. Tae possui a mesma tatuagem que todos, localizada abaixo de sua orelha esquerda. 

O de cabelos verdes se chamava Yoongi. Min Yoongi era sul-coreano, mas havia fugido de seu país, mas o motivo, não quis me contar. Chegando aqui, não escondeu sua paixão por piano, e o seu talento o fez ganhar uma bolsa na mesma faculdade em que todos nós estudávamos. O garoto tem uma obsessão em machucar a si próprio, criando uma coleção de queimaduras e cortes por todo o seu corpo. Assim como todos os outros, Yoongi possui a tatuagem da lua, mas a tem em seu tornozelo esquerdo.

Assim como Jungkook, eles não quiseram se abrir mais do que o necessário comigo, mesmo se passando tanto tempo. Eles me contavam apenas o necessário e sempre que eu os perguntava sobre a tatuagem das quatro fases da lua, era respondido da mesma forma: “Todos nós temos fases, assim como a lua.”

Os dias foram passando e eu fui ficando mais próximo dos meninos. Enquanto alguns os achavam estranhos por andarem sempre juntos, com band-aids pelo corpo e sempre andarem sérios, eu os achava legais e de algum modo, carismáticos. Eu via brilho no olhar de cada um, eu gostava da companhia de cada um, eu gostava de beber e fumar com eles e até mesmo de ouvir apenas o silêncio ao lado deles. Era um sentimento de paz e harmonia que eu não conseguia explicar. Eu gostava, eles eram meus amigos e eles gostavam de mim.

O fim de ano já estava prestes a acabar e resolvemos comemorar juntos em um parque abandonado. Namjoon bebia enquanto estava sentado ao lado de Jin, que chorava brincando com sua fiel navalha. Yoongi fumava enquanto acendia e apagava um isqueiro, Hoseok e Jungkook dividiam um cigarro e uma lâmina logo mais ao lado e Tae, se encontrava sozinho, chorando e perfurando friamente sua pele até sair sangue, tudo isso por Hoseok estar com Jungkook e não com ele.

Eu não gostava de ver meus amigos se machucando, aquilo era horrível, mas da última vez em que os tentei parar, resultou em duas semanas sem falar com eles. Só voltaram a falar comigo por um pedido de Jungkook e Namjoon. Às vezes, para vê-los felizes, eu também me machucava. Doía, mas eu fazia de tudo para, ao menos, vê-los sorrir, nem que fosse um sorriso de canto. 

Aproximei-me de Taehyung e segurei em sua mão o impedindo de se machucar. Tae me olhou com fúria e eu pude ver que seus olhos estavam vermelhos e pequenos de tanto chorar. 

— Não faça isso. — Pedi. — Não quero ver você se machucando, eu me preocupo com você. — Completei. 

Tae se aproximou de mim e em segundos, selou nossos lábios em um beijo. Olhei assustado para ele e em seguida para Jungkook. Eu gostava muito de Jungkook e não queria que ele tivesse visto aquilo, mas parecia que Kookie não se importava com isso, pois o mesmo estava de mãos dadas com Hoseok enquanto dividiam o cigarro em silêncio. 

Naquela noite, eu dormi com Tae e, pela primeira vez, ele não chorou por Hoseok não estar com ele. O ano de 2001 já estava começando e junto com ele viria o último ano da faculdade. Já fazia um bom tempo em que nós nos conhecíamos e eu havia mudado bastante por eles. Havia me mudado da casa de meus pais para morar naquela casa, com eles, não frequentava mais meu trabalho, usava drogas e me cortava, mas isso era apenas para vê-los felizes.

Porém, eles apenas sorriram de verdade uma vez na vida e esse dia ficara guardado para sempre em minha mente. 

O dia em que eu resolvi tatuar as quatro fases da lua abaixo de meu dedo polegar esquerdo, eles riram tanto, ficaram tão orgulhosos que valeu a pena sentir a dor. Depois desse dia, saíamos para vários lugares e a cada dia eu me perdia mais e mais com eles. Minha felicidade, agora era a minha tristeza e minha tristeza era a minha felicidade, mas eu ainda os amava incondicionalmente. 

Inverno — 2002

Fez-se apenas um ano, mas a saudade ainda existia mais do que nunca. Assim que a faculdade acabou, tive que viajar para New York para trabalhar na empresa em que meus pais haviam fundado lá. Acabei perdendo contato com os meninos, mas quando voltei para Newcastle, notícias nada boas me esperavam: 

Jin e Namjoon haviam morrido afogados em uma banheira. Quando os policiais chegaram ao local, apenas os viram já sem vida de mãos dadas. Yoongi cometeu suicídio em uma floresta qualquer com uma garota que depois descobriram ser sua namorada. Hoseok morreu em um acidente de carro, onde ele mesmo cometeu por estar chapado demais. Taehyung, quando soube, se sentiu sozinho e cometeu suicídio para “ir atrás do seu amado”. A polícia apenas encontrou uma carta que Tae havia deixado para mim. Jungkook também havia cometido suicido. A polícia apenas disse que ele morreu de overdose e em que em um de seus pulsos havia um corte escrito “JM” e um coração.

Meu coração se partiu ao saber que Jungkook gostava de mim, apenas nunca teve coragem de dizer. Meus amigos todos se foram e me deixaram apenas com boas lembranças. Eu mudei por eles, construí uma nova vida com eles e tudo isso foi desmoronado por causa da enorme tristeza e problemas que os cinco sentiam, mas nunca me contaram. Mas agora chegou a minha vez. Irei reencontrar os meus amigos e com Jungkook, e reviver junto com eles o ano que para sempre ficara marcado em minha vida. O doce ano 2000


Notas Finais


Por favor, não me matem com esse final e feliz natal sz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...