História Reset - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias VIXX
Personagens Hongbin, Hyuk, Ken, Leo, N, Ravi
Tags Androides, Chabean, Chabin, Chobits, Drama, Ficção Cientifica, Lemon, Levi, Nbin, Persocons, Robôs, Romance, Tragedia, Wontaek, Yaoi
Visualizações 69
Palavras 1.529
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Científica, Lemon, Romance e Novela, Sci-Fi, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi pessoal.

Reset está sendo um verdadeiro desafio pra mim.

Enquanto eu estava escrevendo um certo capítulo, aconteceram coisas parecidas com a fic na minha vida e eu estava com dificuldade em escrever certos trechos justamente por isso.

Eu peço desculpas se ficar estranho ou dramático demais. Eu ia parar e apagar a fic, mas resolvi continuar. (Eu sou uma contradição, mudo de ideia o tempo todo)

Enfim, espero que vcs gostem e continuem acompanhando.

Boa leitura, até breve.

Capítulo 6 - Wish you were here


 

Hongbin chamou Jinhyuk pra conversar e contou sobre o envolvimento com Hakyeon. De início ele ficou um pouco apreensivo, mas conhecia bem Hongbin pra saber que ele não brincaria com os sentimentos de seu filho e aceitou o relacionamento.

Depois de algumas semanas receberam a surpreendente notícia que o primeiro ministro tinha se casado com Yoohyeon, dando uma grande festa com centenas de convidados.

O casamento causou a maior polêmica e a mídia se aproveitou do fato pra condenar o uso dos androides. Dizendo que estávamos chegando ao fim da humanidade já que as pessoas estavam se relacionando com máquinas.

O governo acabou interferindo na produção dos androides. Eles foram proibidos de reproduzir a aparência, ou personalidade imitando um humano real específico, pra que as pessoas não pensassem em ter um androide igual a alguém que desejavam e não podiam, ou a algum ente falecido como o ministro tinha feito. Eles não queriam que essa moda de substituir um relacionamento humano por um com uma máquina se espalhasse.

Hongbin resolveu esconder N na sua casa. Ele nunca mais tinha ativado o androide depois que o projeto do ministro foi entregue. Nem mesmo chegou a testar se a personalidade estava mesmo parecida, mas ficou com receio de ver seu trabalho ser destruído. Apesar de não ser um androide completo, ele tinha um rosto igual ao de Hakyeon. Além dos programas de personalidade também baseados no mais novo e poderia ser confiscado se o encontrassem.

Ficou revoltado ao saber que, apesar de toda fiscalização pra cima da empresa, Yoohyeon não foi apreendida e continuou vivendo com o político. O poder e influência que o ministro possuía o ajudaram a passar por cima da lei.

Mas apesar de todo discurso do governo contra o uso de androides para relacionamentos, essa fama gratuita fez com que a empresa de Jinhyuk ganhasse ainda mais destaque e logo as encomendas de androides dobraram.

Muitos milionários passaram a desejar ter uma androide que pudesse fazer “papel” de esposa. A maioria não se importava que a aparência não fosse tão real. Pra dizer a verdade gostavam da ideia de ter uma mulher perfeita fisicamente. E logo Hongbin teve que se desdobrar pra atender todos os pedidos. Hakyeon continuou sendo a responsável pelos acabamentos dessas peças já que era o mais impecável nesse trabalho. Mas como eram muitas encomendas acabava dividindo o trabalho com uma equipe e só tratava dos detalhes finais ou supervisionava o serviço. Em pouco tempo, sem perceber, tornou-se líder nessa área.

Hongbin também começa a ter que dividir o trabalho e logo tem uma equipe trabalhando sob seu comando.

Eles vão se aprimorando cada vez mais e experimentando novos materiais e com isso o custo dos androides diminui, fazendo com que o preço final fique mais acessível. Ainda que um androide personalizado custasse mais do que um carro, eles faziam tanto sucesso que pessoas comuns juntavam dinheiro ou faziam empréstimos pra conseguir um e logo os androides se tornaram febre no país.

A empresa de Jinhyuk ganhou destaque nas mídias e a procura passou a se estender para outros países.

Hongbin ficou conhecido no país inteiro como o gênio que desenvolvia os melhores androides do mundo e com isso acabou ganhando muito dinheiro também.

Ele e Hakyeon estavam namorando há um ano, mas mal tinham tempo de se ver por conta dos inúmeros compromissos de Hongbin que era sempre chamado pra entrevistas e palestras. Às vezes viajava pra fora do país pra divulgação dos androides no ocidente.

Vendo que estava deixando seu relacionamento um pouco de lado Hongbin decide propor que morassem juntos.

Compram uma casa enorme, Hongbin manda reformar parte do andar inferior e transforma em uma espécie de laboratório, com todo equipamento necessário pra poder trabalhar de casa e assim ter mais tempo livre. Mas Hakyeon continua indo na empresa todos os dias.

Com as viagens constantes de Hongbin o mais novo começa a se sentir muito sozinho naquela casa tão grande e resolve ativar N. O mais velho fez questão de trazê-lo da sua antiga casa e deixa-lo no seu local de trabalho, brincava dizendo que olhar pra ele o inspirava. Ele ficava em um suporte de metal próximo a parede, já que seu corpo nunca foi terminado.

Hakyeon conectou os cabos ao computador e verificou se o sistema estava pronto pra ser ativado. N abriu os olhos e os manteve vidrados, como os androides sempre faziam no modo de verificação e recepção de dados.

 

-Sistema iniciado, todas as funções foram verificadas. Funcionamento em perfeita ordem. Ainda não existe uma senha de segurança, deseja ativá-la agora?

-Sim.

-Reconhecimento de voz ativado diga ou digite a senha de segurança, podem conter caracteres maiúsculos e minúsculos, símbolos e números.

Hakyeon digitou seu próprio nome como senha, variando as letras entre maiúsculas e minúsculas. Sabia que Hongbin ainda não tinha ativado a senha por que não pretendia usá-lo mais.

-Senha válida, aguardando comando.

Resolveu explorar as configurações e descobriu que Hongbin tinha acrescentado muitas coisas a sua personalidade. Achou graça ao ver a forma que o mais velho o enxergava.

Decidiu não alterar nada e tentar conversar com ele assim mesmo. Desligou os cabos e o ativou para o modo de convivência.

-Oi N. Meu nome é Hakyeon.

-Olá, muito prazer. Obrigado por me reativar.

-De nada. Eu quero conversar com você.

-Sobre o que você quer conversar?

-Não sei. O que você acha de ser um androide? –Hakyeon se achava um tanto estúpido conversando com uma máquina que representava ele mesmo, mas ao mesmo tempo achava divertido.

Conversou vários minutos com o robô sobre diversos assuntos e ficou imaginando que Hongbin o enxergava como uma pessoa gentil, mas ao mesmo tempo com uma personalidade forte pra fazer N daquele jeito. Ele respondia tudo com educação, era curioso, aprendia rápido, mas se irritava facilmente exatamente como Hakyeon.

No período que Hongbin estava viajando Hakyeon começou a ligar N todos os dias só pra ter com quem conversar, mesmo que esse alguém supostamente fosse ele mesmo.

Mas com o tempo, conforme conversavam mais vezes, Hakyeon reparou que não eram tão parecidos assim e achou isso mais interessante ainda. Sua personalidade foi criada através de um programa, mas suas experiências iam transformando suas reações.

Gostava de contar suas histórias de infância a ele e ensinar coisas novas sempre que podia. Viu que aquele androide era diferente de qualquer outro já criado antes. O achava complexo e bem desenvolvido até mais do que Yoohyeon.

O deixava ligado quase o tempo todo só o desativava quando Hongbin voltava pra casa. Hakyeon odiava se sentir sozinho.

 

Depois que termina a fase de divulgação no exterior e o ritmo das entrevistas diminui, Hongbin começa a ficar a maior parte do dia em casa. Apenas trabalhando na atualização e aprimoramento dos softwares dos androides.

Volta a mimar o mais novo de todas as formas que consegue imaginar. E é correspondido da mesma forma.

Hakyeon não conta que tinha ligado N durante sua ausência, como Hongbin não o ligava mais não ia reparar a diferença no sistema.

 

Hongbin gostava de acordar bem cedo, pois trabalhava melhor e tinha mais ideias nesse horário. Desde as quatro da manhã ele já costumava estar em seu laboratório. Antes de sair pra empresa Hakyeon sempre levava um café e algum lanche pra ele e se despedia com um longo beijo.

Estranhou ao olhar o relógio e notar que já eram oito horas e o mais novo ainda não tinha aparecido.

Saiu o procurando pela casa, subiu até o quarto e o encontrou deitado na cama ainda dormindo. Senta na cama e acaricia seus cabelos.

-Hakyeon, acorda. Vai se atrasar, já são oito horas.

Demora um pouco até ele abrir os olhos.

-O que foi Bin?

-Acho que alguém dormiu demais hoje. Vou ligar pro seu pai dizendo que você vai se atrasar.

- Não vou trabalhar hoje, vou ao médico. Meu pai já está sabendo. –Fala sentando-se na cama.

-Por que não me avisou? É consulta de rotina ou está se sentindo mal? –Passa a mão em seu rosto preocupado.

-Já passei em consulta essa semana, estou indo fazer alguns exames. Tenho sentido um pouco de dor nas costas na altura dos rins nos últimos dias. Como meu pai já teve cálculo renal, estou um pouco apreensivo.

-Por que não me contou antes?

-Eu não queria te deixar preocupado.

-Escute, a partir de agora, sempre que sentir alguma coisa eu quero ser o primeiro a saber.

-Tudo bem, meu amor. Me desculpe. –Fala puxando sua nuca e lhe dando um beijo carinhoso.

-Onde é o hospital? Eu vou levar você.

-Não precisa, meu irmão vai comigo. -Fala deitando-se novamente. -Me deixe dormir um pouquinho mais? Ele só vai chegar às dez. – Se espreguiça e logo se enrola nas cobertas.

Hongbin sorri e deposita um beijo na sua testa antes de sair do quarto.

Um pouco mais tarde aparece com o café da manhã em uma bandeja fazendo Hakyeon sorrir. Comem juntos sentados na cama.

Hakyeon toma um banho e se arruma, não demora muito pra Hyuk aparecer pra busca-lo.

-Me ligue assim que sair, ok?

-Pode deixar.

Trocam mais um beijo antes dele entrar no carro.

 


Notas Finais


Várias coisas acontecendo nesse capítulo.
Alguns detalhes desse capítulo vão ser muito significativos ao longo da história.

Comentem o que estão achando.
Obrigada por acompanhar.
Até a próxima. <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...