História Resistance - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias South Park
Tags Kyman
Exibições 162
Palavras 1.761
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Festa, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


* Era para eu ter postado ainda ontem, só que eu consegui não salvar o texto no notebook tendo que escrever tudo denovo ~olha só q delícia
* Eu estou caindo de sono, então talvez eu cometa alguns errinhos.
- mas vou voltar pra concertar
- eu sempre volto
* Sobre a narração do primeiro beijo ~de verdade~ do Kyle : eu quis descrever meio bobinho mesmo porque eu acho fofo essa coisa ''primeiro beijo '' e tal
* Esse começo é a continuação do final do primeiro capítulo

Capítulo 3 - O universo conspirando contra mim


      *Narração por Kyle Broflovski* 

 

                                                         * * * 

 Então isso era ser beijado? Uma língua insistente se enfiando dentro da sua boca? 

 O antissemita de bosta que eu odiei ao longo de todos os meus quinze anos de vida agora estava lá.. sugando cada parte da minha boca com a sua. Isso tem algum sentido? Eu tentava me esquivar de tudo quanto era jeito, até procurei com os olhos algum objeto com que eu pudesse ameaçá-lo porém a escuridão daquele cubiculo não ajudava nem um pouco.

 E do nada ele mesmo pausou o 'beijo' me olhando com uma expressão confusa.

— Que merda voce tá fazendo? 

Acho que ele estava se referindo a eu não correspondê-lo. Mas também como poderia? Eu nunca tinha beijado ninguém antes.

— Eu.. - realmente não queria admitir aquilo logo para ele - Eu sou bv

Segundos silenciosos. Segundos e mais segundos da risada mais irritante do planeta terra. 

— EU QUERO SAIR DAQUI! SE VOCE VOCE NÃO ME DEIXAR SAIR DAQUI AGORA EU JURO Q- 

Ele tapou a minha boca e me empurrou de volta na parede.

— Que tal assim? Eu te ensino como beijar e se voce aprender direito, está livre para ir embora Kahl.

Ele destapou a minha boca  e voltou a grudar nossos lábios outra vez. Eu parei de tentar afastá-lo com os braços porque sabia que não adiantaria de nada. Fechei os olhos um pouco assustado e isso meio que me fez sentir melhor as coisas..

 Sua língua fazia movimentos circulares por todo o interior da minha boca e eu resolvi tentar fazer o mesmo resultando em uma ''guerra de línguas'' entre mim e ele. Sem perceber eu fui me entregando á aquele momento. Inclinei a cabeça para frente afim de intensificar mais aquele beijo  e morri de vergonha por dentro quando o gordo sorriu de canto percebendo a minha ação. 

Novamente Eric encerrou nossas trocas de salivas e eu queria desesperadamente saber o motivo. '' Será que eu beijava mal? '' Meus pensamentos foram cortados quando ele atacou o meu pescoço chupando e dando mordidas em lugares que me faziam estremecer da cabeça aos pés. Ele era um vampiro por acaso? 

 — Isso dói, idiota! 

Falei me referindo as mordidas,  e isso só serviu para ele repetir o mesmo processo diversas vezes. Era incrível como ele adorava me judiar até nessas horas. 

Ouvimos um barulho do lado de fora e o gordo avisou que iria sair primeiro e mandou que eu esperasse alguns minutos lá dentro por segurança. Eu mal conseguia encará-lo depois do que acabara de acontecer, então apenas fiz que sim com a cabeça. 

'' Nós não acabamos ainda. ''

Ele susurrou no meu ouvido de uma forma provocante antes de me dar um curto selinho e vazar dali.

                                   * * * 

 

Um final de semana inteiro se passou depois daqueles estranhos dias. Eu não estava nem um pouco preparado para voltar para a porcaria daquela escola e ter que lidar com um certo  demônio disfarçado de Eric Cartman. 

 Minha mãe parecia um pouco preocupada comigo. Todos os finais de semana eu saía para jogar basquete ou me encontrava com Stan e Kenny, mas nesses últimos dois dias eu apenas assisti tv, joguei videogame e dormi.

 A verdade era que eu estava enlouquecendo sozinho por culpa dele. Sim! era tudo culpa dele, inclusive as marcas roxas que ele deixou no meu pescoço me impedindo de falar com a minha família sem usar um chalé. 

Suspirei exausto e tomei coragem para sair de casa.

            . . 

Assim que entrei no ônibus escolar Stan veio logo me interrogar.

— Porra Kyle! achei que voce tinha morrido cara! 

Stan e eu não quase não passávamos um dia sem nos ver. Algumas pessoas até estranhavam um pouco a nossa amizade apesar dele ter uma namorada.

Eu sorri e percebi que tinha sentido bastante a falta dele, então o abracei meio sem jeito. Eu sei que isso foi meio gay mas eu não pude evitar. 

— Ei! está tudo bem com voce, cara? 

— Está sim. 

Eu apoiei minha cabeça na janela enquanto ouvia as novidades de Stan. Praticamente tudo era relacionado a Wendy, mas ele deixou escapar um último comentário que conseguiu prender mais a minha atenção que os outros.

— A minha irmã anda sorrindo muito ultimamente, aí eu fico pensando.. será que ela e o Cartmam tem algum rolo? Eles são meio parecidos e andam bastante grudados de uns tempos pra cá.. 

— Acho que não, Shelly não seria tão louca de sair com aquela baleia jubarte que só sabe defecar pela boca. 

— Ah é, esqueci com quem eu estou falando. - ele riu - Outro dia ela me fez uma pergunta estranha sobre voce.

— Sério? - Fiquei curioso - O que?

— Se eu suspeitava que voce é gay, algo assim..

Gelei

— P-Porque ela te perguntou isso?

— Não sei. - deu de ombros - Olha só quem vai subir pra animar a sua manhã, Kyle. 

 Era ele mesmo. Com a maior cara de pau ainda parou no meio do ônibus para olhar diretamente para mim. Não sei dizer por quanto tempo permanecemos assim, mas deu tempo de lembrar de todas aquelas memórias vergonhosas.

— Ei, eu quero passar - anunciou Kenny vindo atrás dele tentando entender o que acontecia. O mesmo olhou para ele e depois para mim e Stan prendia uma risada do meu lado - Stan, eu perdi alguma coisa? 

— É só esses dois fazendo papel de Tom e Jerry como sempre. - respondeu Stan.

Eu revirei os olhos e passei a prestar atenção no céu nublado do lado de fora. Não estava afim de brigar logo cedo.

                                       ✡ ✡ ✡

 

 Eu sei que pareço estar exagerando, mas sério, eu estava a ponto de arrancar meus próprios cabelos e não ía dar nem 11 horas da manhã! 

 Era a hora do intervalo e estávamos eu, Stan, Kenny, Butters, Timmy e Token sentados na mesma mesa do refeitório. 

— Aquele filho da puta do professor de biologia tinha que mandar eu fazer dupla justo com o Cartman?! 

— Ha! se fudeu! - começou Kenny mordendo uma maçã

— Ele só tira nota vermelha nessa matéria, voce se fudeu bonito. - debochou  ainda mais Token 

 Porque eu não tinha aqueles tipos de amigos legais que me confortavam ao invés de só saberem rir da minha desgraça? 

 — Bom dia, pessoas! - chegou a morsa sentando-se entre mim e Stan - Para judeus só dia. 

— Vá a merda! - respondi o encarando no fundo dos olhos - Não pense que eu vou para a sua casa fazer o trabalho, bundão. 

— Por mim tanto faz, voce que vai fazer tudo mesmo.

Não medi as consequências quando levantei da mesa, abri o meu suco de morango e joguei o líquido em todo em sua cabeça. Deve ter sido uma cena de filme porque do nada o refeitório todo se calou olhando para nós. 

Cartman não ficou parado e arremessou seu hambúrguer predileto na minha direção sujando o meu casaco laranja. E quando todas as comidas da mesa cessaram nós íamos partir para uma verdadeira briga até ouvir uma voz conhecida gritando: 

— JÁ CHEGA! 

Era a Srta. Garrison ( é, ela ainda dava aulas na escola ) 

— PARA A DIRETORIA OS DOIS PESTINHAS! AGORA! 

  -x-

 

— Olhem garotos, eu costumo ser bastante tolerante.. - Sr.Mackey agora nos observava cobertos de comida em frente a mesa dele - Mas voces dois estão estuprando o límite da minha paciencia! 

 Me perguntei se um diretor podia falar assim com os alunos, mas estamos em South Park qualquer coisa é possível nesse lugar.

— Mas Sr.Mackey foi ele que-

— '' Ele implicou comigo por eu ser judeu'' certo Kyle? E Eric, já sei que ele te xingou de gordo também. 

'' Eu não xinguei ninguém, seu velho broxa! ''

— Voces já estão bem crescidinhos para saberem resolver seus problemas ao ficarem tacando comida um no outro! Por isso, - ele ajeitou os óculos toscos - Eu decidi que irei tratá-los que nem crianças daqui pra frente. Os dois irão ficar juntos na sala de detenção até o fim de todas as aulas.  

Eu pude ouvir uma risadinha provocativa de Cartman ao meu lado. Essa não.. 

— NÃO! O senhor não pode fazer isso! v-vamos perder as aulas e-

— Deveria ter pensado nisso antes, Kyle. - ele se levantou e nos entregou alguns papéis - Levem essas folhas de exercícios com voces, agora vão! 

 Uma mulher gordinha de óculos apareceu na porta para nos acompanhar até a sala. Era vergonhoso andar pelos corredores todo coberto de comida com pessoas apontando para nós. 

— Voce está mais ridículo do que o normal, Kahl. 

Olhei para ele fulminante e entrei na sala primeiro me sentando em qualquer lugar fingindo fazer os exercícios até a mulher fechar a porta e sair. 

— Cartman. - o chamei meio temeroso do canto da sala.

— Hum? 

— Voce falou alguma coisa de mim para a Shelly? - olhei para a mesa dele e vi que ele fazia barquinhos de papel com as folhas.

— Tipo o que? - Ahh que raiva!

— Voce sabe muito bem o quê! 

— Que eu tirei o seu bv? não contei - abaixei a cabeça constrangido - Ou que voce gozou na roda gigante? também não. 

— Já chega! 

 Pensei em perguntar qual era a relação dele com ela, mas eu tinha bom senso para saber que isso não era da minha conta. Mas por que eu queria saber aquilo? Parece até que eu estava com.. NÃÃO! EU NÃO ESTAVA COM CIÚMES! 

 O tempo foi passando e quando vi já havia terminado todos os exercícios. Olhei no meu relógio de pulso e ainda faltava 1 hora para bater o sinal. Virei para o outro lado da sala e ric estava adormecido com o rosto apoiado na mesa, cercado de barquinhos em volta. Eu não consegui deixar de sorrir com aquela cena. 

 Parecia uma criança balofa que acabara de fazer aniversário e estava descansando da festa, só faltava aqueles chapéizinhos decorativos. 

Eu fui me aproximando na ponta dos pés até a mesa dele com medo de acordá-lo. Retirei o celular do bolso e tirei uma foto. Ele nunca iria descobrir aquela foto.

Uns raios de sol que saíam pela janela batiam em seu rosto e foi bem estranho eu ter o achado bonitinho naquele momento. Não sei porque diabos eu fui inventar de jogar para trás umas mechas de cabelo castanhas que caíam em seus olhos. 

'' Mããe! eu quero mais biscoitos! ''

Resolvi me afastar depois ver que poderia ter feito ele acordar de seu sonho de gordo.. mas era tarde demais. 

— Judeu? - parei no meio da sala - Era voce?

 

Continua »»

                            


Notas Finais


Ficou cansativo? muito longo? muito curto? digam XD
Voces não tem noção do quanto eu fiquei perdida na cena do refeitório.. pensei em fazer eles caírem na porrada mesmo, só que lembrei que o Eric é bem mais fortinho que o Kyle e que isso não daria muito certo ~além de eu não fazer a mínima idéia de como escrever uma cena de violencia e tal e.e
Espero que voces gostem e não achem uma merda :/
Até o próximo ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...