História Retour Vers le Passé - Capítulo 8


Escrita por: ~

Exibições 183
Palavras 1.151
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Ecchi, Escolar, Famí­lia, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi pessoinhas ✌
Como vão?
Bom ultimamente ando meio desanimada para continuar escrevendo. Por isso to demorando a postar...😓
Mas em fim... Taí mais um cap pra vocês.
Tá meio curtinho, mas tudo bem...
Boa leitura.

Capítulo 8 - Primo mais novo


Fanfic / Fanfiction Retour Vers le Passé - Capítulo 8 - Primo mais novo

POV. Adrien

 

Cheguei em casa e o coloquei no chão. Minha transformação acabou logo em seguida.

 

- Gatinho! - Gritou Olliver, um tanto eufórico enquanto corria atrás de Plagg. Foi cômico.

- Sai pra lá pirralho! - Disse o kwami, com um tom grosseiro fugindo do menino, que começou a chorar no mesmo instante.

 

Eu o olhei com repreensão e cruzei os braços, mas antes que eu dissesse alguma coisa, alguém foi mais rápido.

 

- Deixa de ser grosso Plagg! Ele é só uma criança. - Disse Tora. - No meu tempo você ama brincar com ele.

- Isso nunca acontecerá. - Retrucou o gato, dando uma mordida em seu queijo.

- Plaaaaaaaaaagg! - Eu o olhei com raiva. Ele recuou, respirou fundo e disse.

- Tudo bem muleque. Vem cá. - Olliver correu para brincar com ele.

- Muito melhor! - Exclamei descruzando os braços. - Ah! A propósito está com fome Tora? O que você come?

- A viajem no tempo me deixou com fome sim! Eu aceito uma laranja. Eu gosto de frutas, mas amo laranjas. Obrigado Adrien.

 

A princípio me surpreendi da kwami saber meu nome, mas então me lembrei de que ela me conhece, no futuro, mas conhece. "Eu sou uma anta, um idiota!" Pensei.

 

- Vou na cozinha pegar algo para você Tora. Espere aqui com o Plagg, por favor. - Eu disse, depois me virei para Olliver e estendi minha mão, como um convite. - Venha! Vamos encontrar alguma coisa para você comer Olly.

- Oba! Eu quero biscoito de chocolate papai.

- Tudo que você quiser anjinho. Vamos jogar um jogo? - Ele assentiu com a cabeça, entusiasmado. - Você só vai me chamar de papai quando eu estiver como Chat Noir, o mesmo vale para a mamãe e sua irmã. E você não pode contar para ninguém sobre o Chat, o plagg ou Tora. Tudo bem?

- Sim! A última parte eu já sabia. - "Ótimo!" Pensei. - Mas por que não posso te chamar de papai?

- Porque as pessoas não entenderiam.

- Porque eu voltei no tempo não é? - "Garoto esperto! Ele realmente é meu filho!" Pensei.

- Isso mesmo. Na frente das pessoas me chame pelo nome, e se alguém te perguntar, você é meu priminho.

- Tudo bem papai. Ops. Ady.

- Ady?

- Sim! É assim que a mamãe te chama. - Ele respondeu enquanto caminhávamos rumo à cozinha.

- Sua mãe. Me fale sobre ela.

- Nao posso. One-chan pediu para eu não dizer nada. - Eu ia insistir quando ouvi a porta da cozinha se abrindo.

- Natalie?!? - "Droga! E agora?" Pensei.

- Adrien. O que faz de pé tão tarde? - Ela olhou para Olliver. - E quem é esse garoto?

- Ah... Er... Sabe o que é... Eu... Natalie esse é o Olliver. Ele é meu primo e ficará algum tempo conosco.

- Seu pai não me disse nada sobre isso.

- É que ele chegou de surpresa hoje. Meus tios deixaram ele comigo e disseram que depois falariam com meu pai.

- Tudo bem. Mas o que estão fazendo em pé a essa hora?

- Ele estava com fome, então viemos atacar a geladeira.

- Poderia ter interfonado para o Cheff, ele prepararia algo para vocês.

- Natalie, está tarde. Não queria incomodá-lo, ele provavelmente está dormindo.

- Mas esse é o trabalho dele.

- Sem mas! - Protestei. - Eu pegar algo com minhas próprias mãos uma vez na vida, não vai me matar.

- Tudo bem. Mas pegue e vão para o quarto.

- Sim!

 

Ela saiu da cozinha. Peguei alguns biscoitos para Olly e eu. Algumas frutas, principalmente laranjas, para Tora. E mais queijo para o esfomeado do Plagg. Subimos para o quarto.

 

- Tora. O Olly pode ser transformar? - Perguntei curioso enquando o observava comer seu biscoito de chocolate.

- Ainda não! - Respondeu ela. - Mas em casos extremos, caso algo coloque a vida de Olly em perigo... Tenho autorização do guardião para transformá-lo. Porém eu ficarei no controle. Seria como se ele estivesse dormindo, e eu controlarei seu corpo e sua mente. Mas apenas em ocasiões especiais. Até hoje isso não foi necessário, e espero continuar assim até que chegue o momento certo.

- E quando será o momento certo? - Perguntei.

- Quando ele souber diferenciar o certo do errado, o bem do mal. Ele é apenas uma criança, por mais pura que seja, uma criança ainda pode fazer coisas erradas e se tornar má. - Concluiu a kwami. - Agora será que podemos dormir? Estou morrendo de sono.

- Finalmente você disse alguma coisa boa. - Resmungou Plagg.

- Você não toma jeito, Plagg! Boa noite Tora. Boa noite Plagg. Vem Olly, vamos dormir. - Ele se deitou. Apaguei as luzes e me deitei ao seu lado. - Boa noite meu anjinho.

- Boa noite papai.

 

Acordei atrasado para a aula. Levantei com um pulo. Fui para o chuveiro e depois desci para tomar café.

 

- Tora, cuide do Olly enquanto eu estiver na escola. Não deixe ele se meter em confusão e não deixe que ninguém te veja.

- Claro.

- Olly, obedeça a Tora. Qualquer coisa que te disserem ou pedirem para você fazer, consulte a Tora primeiro. Ouviu? E não saia de casa.

- Tudo bem, Papai. - Ele sussurrou para que somente nós dois ouvíssemos.

- Pode ir Adrien, eu cuidarei dele. - Disse Natalie entrando na sala de jantar.

 

POV. Marinette

 

Cheguei na escola atrasada, como sempre. Quando eu passava pelo portão, vi o carro do Adrien parar. " Marinette, toma jeito! Você está namorando o Chat! Esquece o Adrien. Aliás, ele só te vê como amiga." Virei para entrar na escola.

 

- Marinette! - Gritou Adrien. - Me espera!

- Ah! Oi Adrien. Bom dia. - "Espera! Eu não gaguejei? Acho que realmente consigo vê-lo só como amigo." Pensei.

- Oi Mari. Bom dia. - "Ele me chamou de Mari! Tá! Parei!"

 

Entramos e sentamos em nossos respectivos lugares.

 

- Atrasada de novo em Mari! - Disse Alya.

- Pois é. O despertador não me despertou. - Disse irônica.

- E você Adrien? - Perguntou Nino.

- Ah, é que meu primo mais novo veio passar uns dias lá em casa. E ai meu horário descontrolou. - Ele disse tímido. "Nossa! Primo do Adrien? Ele deve ser uma gracinha!"

- Sério? Quantos anos ele tem? - Perguntei.

- Seis. - Ele respondeu.

- Ah, que fofo. Como ele se chama? - Perguntou Alya. Antes que ele pudesse responder, o sino tocou avisando que a aula já estava para começar.

- Queremos conhece-lo em Adrien. - Disse Alya. E eu assenti com a cabeça. Nino também concordou.

- Claro. A gente marca um dia para sairmos.

- Silêncio turma! Todos em seus lugares que a aula já vai começar. - Disse a professora entrando pela sala.


Notas Finais


E então o que acharam?
Nao se esqueça de comentar...
Bjs 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...