História Reveal Yourself - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Jeongguk, Menção!namkook, Taehyung, Top!taehyung
Visualizações 165
Palavras 1.759
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Cá estou eu outra vez. :)
Tenham paciência que o OTP logo aparece.


Espero que gostem ♡

Capítulo 2 - Strange


Coloquei minhas malas no carro da empresa, conduzido pelo meu chefe/melhor amigo, Kim Namjoon, e seguimos até Daegu. A viagem durou cerca de uma hora e meia, mas mesmo assim me sentia cansado, talvez por ter passado a última semana dormindo à prestação e ter ficado com o coração na mão por deixar minha família para trás. O carro foi estacionado em frente a um hotel de classe média que, apenas a fachada do edifício, denunciava que eu não conseguiria pagar sequer uma diária por ali com meu salário de secretário. Namjoon havia ficado responsável pela reserva de um dos quartos para mim, temporariamente, até eu conseguir me estabelecer no novo emprego. Desceu comigo do carro, indo até o porta malas e tirando duas de um tamanho mediano, até porque eu não possuía tantas roupas. Fui até ele e fiz menção de pegar as duas malas, o que ele negou de prontidão, me entregando apenas uma, com um sorriso doce nos lábios que deixava suas covinhas à mostra.

— Você parece nervoso. — devia ter me observado durante a viagem toda enquanto eu me remexia inquieto no banco do passageiro, nunca deixando nossos olhares se encontrarem.

— Eu não estou nervoso. — falei baixinho, parado ao seu lado, ainda observando a fachada daquele lugar, impressionado. Meu estômago estava agitado e sentia minhas mãos molhadas de suor frio. — É, eu estou nervoso. — admiti bufando e suspirando ao mesmo tempo.

— Mas não tem motivos para isso, Jeongguk. Sabe que se não se adaptar ou não gostar do emprego, pode voltar para o seu antigo e, que se precisar de algo, basta me mandar uma mensagem, certo? — Somos muito próximos desde que consegui o emprego na mesma empresa de cosméticos onde ele era o chefe, sempre conversávamos sobre assuntos bobos e fofocávamos sobre os funcionários que iam trabalhar se recuperando de ressacas causadas pelas noites de bebedeira no barzinho da rua de trás. Não me pergunte como eu me tornei o melhor amigo do chefe, é uma longa história.

Agora ele me fitava, com um sorriso amigável nos lábios e sua mão livre veio de encontro ao meu ombro e apertou o local, querendo, de alguma forma, transmitir um pouco de confiança. E eu estava realmente me sentindo mais confiante.

— Obrigado hyung. Eu vou me esforçar e dar o meu melhor nesse emprego. A propósito, quem vai ser o fotógrafo? — direcionei-lhe um olhar indagador, esperando uma resposta. Fiquei todos os dias, desde que recebi a proposta, apenas pensando em minha família, nas coisas que poderiam dar certo e nas que poderiam dar errado, que acabei me esquecendo completamente de me informar sobre quem seriam meus colegas de trabalho.

— Ele gosta que chamem-no de V. Apenas V. E, apesar de jovem e recém formado, de iniciante ele não tem nada, é muito talentoso, suas fotos são incríveis. — Namjoon começou a andar de vagar até a entrada do hotel, comigo em seus calcanhares, e encerramos o assunto.

Chegamos na recepção, e pegamos o cartão magnético que me daria acesso ao meu quarto, e Namjoon disse para que eu subisse, que ele acertaria toda a burocracia e logo subiria com a outra mala.

O quarto era muito confortável e luxuoso, pelo menos para mim, que sou acostumado a dividir um quarto com meus irmãos, e dormir numa cama de solteiro de colchão pouco confortável e com alguns calombos em pontos estratégicos. Entrei no quarto e deixei a mala perto da porta, ansioso para deitar na cama grande, estilo King Size, com edredons aparentemente fofinhos e quentinhos, mas me contive, e fui explorar o resto do ambiente.

O banheiro era grande e os móveis bem distribuídos, assim como os do quarto, a torneira era daquelas que saía água quente se você desejasse, e o chuveiro parecia feito por extraterrestres: era enorme e continha uma alavanca muito estranha. Fiquei pensando se seria fácil de fazer a água sair.

—Jeongguk? — a voz de Namjoon me tirou de meus pensamentos, e eu segui até o quarto, onde ele me esperava, ainda com a mala na mão. — Onde quer que eu coloque suas coisas?

— Coloque em qualquer lugar no chão. — não iria lidar com a bagunça das malas naquele dia nem que me pagassem, então tanto fazia o lugar onde ficariam. Mentalmente eu já estava deitado naquela cama na posição mais confortável que encontrasse, com os cobertores até a cabeça, sonhando com carneirinhos. — Quando é que eu começo com o trabalho? — perguntei ao meu amigo, que já havia deixado a mala junto com a outra, próxima a porta.

— Relaxe, ainda precisamos comunicar o fotógrafo de que você já está na cidade pronto para começar, para que ele prepare o estúdio para te receber. Quando ele me comunicar de que tudo está nos trinques, eu lhe aviso e você vai. — sentou-se na beirada da cama e se espreguiçou, tirou uma caneta do bolso da camisa e alcançou um papel do bloquinho que se encontrava no criado mudo, e o rabiscou com a caneta, como que testando para ver se funcionava. Vendo que sim, consultou seu celular e voltou a escrever no papel, depois devolveu o mesmo para o criado mudo, guardando a caneta de volta em seu bolso. — Aqui está o endereço do estúdio, quando tudo estiver pronto eu te ligo avisando, ou mando uma mensagem. Eu preciso voltar para Busan, mas qualquer coisa pode me chamar.

— Obrigado Namjoon, pode deixar que qualquer coisa eu entro em contato. — cheguei perto dele, que havia se levantado da cama, e lhe dei um meio abraço, que foi retribuído timidamente pelo mais velho. Nos separamos e ele já caminhava para a saída, com as bochechas levemente coradas devido ao contato surpresa, quando me ocorreu lhe pedir mais um favor. — Namjoon, espera! — ele se virou para me olhar, com um sorrisinho tímido.

— O que foi, Jeongguk?

— Será que você se importaria de passar uma ou duas vezes por semana em minha casa lá em Busan? Só para saber se minha mãe está lidando bem com a minha mudança. — sorri, um pouco desconfortável por estar lhe pedindo ainda mais coisas.

— Mas é claro, Jeongguk. Sabe que gosto muito da sua mãe e seus irmãos, vou cuidar para que não falte nada para eles. — E dizendo isso, sorriu ladino e fechou a porta, antes que eu pudesse agradecer.

Meu corpo todo doía, somado à dor de cabeça que me atingiu com toda a força de uma hora para a outra. Eu precisava descansar, ou essa nova vida não daria certo para mim. Arrumei uma roupa limpa para que eu pudesse tomar um banho, e fui para o banheiro, já me despindo antes mesmo de chegar lá. Contudo, não sabia mexer naquele chuveiro alienígena. Tentei tudo que me veio à mente, mas a água não queria sair daquela coisa. Bufei, me enrolando com a toalha na cintura, afim de encontrar alguém que pudesse me ajudar.

Logo que abri a porta, dei de cara com Namjoon com a mão levantada para bater na madeira escura, este se sobressaltou e quando reparou que eu estava apenas de toalha desviou o olhar e pigarreou.

— Ahn... eu só.. só voltei pra saber se você não precisaria de mais nada. — Ele não olhava pra mim, mantinha sua cabeça levemente abaixada e tombada para o lado. Se eu não conhecesse Namjoon, diria que ele estava envergonhado.

— Ah claro — dei passagem para que ele entrasse novamente —, chegou em boa hora. Eu estava indo procurar ajuda agora mesmo, o chuveiro é muito estranho, não consigo ligar. Será que você pode me ajudar? — Namjoon parecia um tanto desconcertado, será que ele achou muita estupidez de minha parte não conseguir ligar a porcaria do chuveiro?

— Claro que posso ajudar, vem comigo que te ensino. — e seguiu até a porta que levava ao banheiro. Abriu, e deve ter reparado na bagunça que fiz na pressa de tomar banho, mas não comentou nada, foi até o box, comigo em seu encalço, e esticou o corpo para abrir o chuveiro. Ele mexeu em algumas coisas, nas quais não prestei atenção, mas água nenhuma saía do chuveiro, e logo se virou para me dizer algo, mas devido à proximidade, ele acabou trombando comigo, por pouco não derrubando nós dois, que acabamos nos segurando um no outro. — Oh! Me desculpa Jeongguk, eu não vi que você estava tão perto e eu não consegui ligar o chuveiro porque a água ainda está desligada pra esse quarto e, me desculpe, você podia ter se machucado. — falou tudo em um fôlego só, ainda me segurando pelos braços.

— Tá tudo bem Namjoon, ninguém se machucou. — eu estava rindo, no entanto, ele me fitava com a expressão séria, sem um resquício de sorriso nos lábios, me deixando um pouco desconfortável com aquele contato. — Namjoon? Já pode me soltar agora.

— Certo, me desculpe. — me empurrou levemente para trás e quebrou o contato de nossos corpos. — E-eu vou pedir na recepção para ligarem a água do seu quarto, e daqui a pouco você pode tomar seu banho. Você estava puxando a alavanca para o lugar errado, ou estava girando-a. — falou entre risinhos.

— Obrigada Nam, não sei o que eu faria sem você, eu sou muito tapado mesmo. — Namjoon está corado ? Oh Deus, que dia mais esquisito. O que está acontecendo? Ele sorriu para mim, sem jeito, e eu segui para fora do banheiro, com ele andando a uma distância segura atrás de mim.

— Eu já vou indo —, começou — tenho muitas coisas para fazer lá em Busan, e ainda preciso avisar o V de que você está aqui. Você ainda precisa de algo?

— Não, estou bem. Só não esquece do que eu te pedi, sobre ficar de olho na minha mãe e meus irmãos, e me avisar se precisarem de mim. — eu já estava com saudades de casa, mesmo que tenha saído de lá há apenas algumas horas.

— Eu disse que podia contar comigo, não disse? Vou tomar conta deles, não se preocupe. — sorriu para mim, que retribui calorosamente. Nossa amizade realmente valia ouro.

Namjoon deixou meu quarto após uma rápida despedida, e certamente não se esqueceu de pedir para que ligassem a água, já que eu logo pude tomar meu banho. Depois de relaxar meus músculos com a água quente, vesti uma camiseta leve e uma calça de moletom, mesmo que não fizesse diferença, afinal, eu sempre tiro toda a minha roupa enquanto durmo, e caí na cama.


Notas Finais


Obrigada por ler ♡
Me desculpem os erros.
Eu vou tentar atualizar uma vez por semana, mas sem um dia específico.
Se quiserem me seguir no twitter para trocarmos umas ideias, o user é @ACuteWordF. Acabei de criar a conta.

Até mais :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...