História Revenge - Dua Lipa and Nash Grier - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Cameron Dallas, Dua Lipa, Jack & Jack, Martin Garrix, Nash Grier
Personagens Cameron Dallas, Dua Lipa, Jack Gilinsky, Jack Johnson, Martin Garrix, Nash Grier, Personagens Originais
Tags Criminal, Dua Lipa, Magcon, Nash Grier, Revenge
Visualizações 11
Palavras 1.354
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Incesto, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 16 - I'm going to hell


~ flashback ~ 

 

Estávamos na Praia curtindo o sol, o momento e todas as coisas, Dua estava deitada do meu lado em uma canga tomando sol, digamos que ela tenha um corpo maravilhoso e de chamar atenção tanto que tinha um grupo de cuzoes olhando pra ela e pra parar com aquilo eu descido ir pra água. 

- Vamos pra água  ? -- perguntei olhando pra ela

- Ah não, quero tomar sol -- ela disse colocando a mão eu seus olhos 

- Você vai por bem ou por mal -- falei agachando do seu lado e tirando seus óculos os som de protestos da mesma. 

- EII, você não vai me arrastar daqui! - ela falou levantando e cruzando os braços 

- ah não ? -- depois que eu perguntei, peguei ela no colo e antes que eu corresse pra água mandei um beijo pro grupinho que tava secando ela 

Comecei a correr e logo senti  água chocando com os nossos corpos e Dua me batendo por causa disso, ela começou a jogar água em mim e nisso fizemos uma guerra de água até eu decidir mergulhar, ela ficou me chamando e procurando até gritar quando eu peguei seu pé : 

- FILHA DA PUTA, que susto mano!! -- ela falou rindo

- Você não consegue ficar bravo comigo é impossível -- eu disse se aproximando ficando próximo a ela 

- Que mentira seu convencido. -- falou indignada, a água estava batendo nos nossos ombros mas senti que ela colocou suas mãos na sua cintura porque esbarrou em mim e logo falou de novo ;

- Eu vou sentir falta daqui, sabe dos lugares que a gente foi e que foram bem divertidos. -- Dua disse apoiando seus braços nos meus ombros e rodeando suas pernas na minha cintura.

- Essas duas semanas passaram bem rápidas e nem parece que a gente vai embora amanhã. 

- Verdade, me promete que a gente vai voltar ou melhor que um dia a gente moraria aqui!!-- ela disse me encarando nos olhos 

- Eu prometo -- e depois disso nos encaramos por volta de 1 minuto e logo voltamos ao normal. 

Voltamos para a areia e nos secamos  o que dava, decidimos voltar pro hotel, o caminho de volta foi em total silêncio e um climão se instalou no ar e não saia de jeito nenhum então finalmente quando entramos no quarto eu decidi quebrar o climão : 

- Se arruma quando depois que a gente vai jantar fora. 

Ela me olhou curiosa, sorriu e entrou no banheiro, enquanto ela ia tomar banho eu também fui e agradeci que tinham foi banheiros afinal o quarto era enorme e com uma vista linda, ele era dividido por uma porta de correr branca e de um uma lado ficava a cama e do outro o resto mas com uma cama só de casal porque a gente não se encomiada de dormir juntos afinal somos irmãos né. 

Após eu sair do banho vi que eu tinha esquecido minha roupa então fui de toalha até o closet aberto que tinha do lado da cama, coloquei minha cueca e ouvi alguém me chamando, fui até a frente do banheiro e falei : 

- Dua me chamou ? 

- Sim, a porta não quer abrir acho que emperrou! 

- Perae -- fui até a cozinha e peguei uma faca, a partir daí consegui destrancar rapidamente já que era bem simples por sinal. 

- Consegui -- falei e vi a Dua abrindo a porta me abraçando 

- Mds que agonia Ainda bem que você tava aqui! 

- Ei calma, já passou. 

Depois de nos acabarmos com esse momento fofo lembrei que eu tava só de cueca e vi que Dua estava de lingerie, levantei a sobrancelha e ela disse envergonhada :

-  Esqueci minha roupa.

- Rlx não é nada que eu já não tenha visto. -- falei piscando 

- A T A -- falou mostrando a língua pra mim e saindo correndo 

- CORRE NÃO EM QUE É PIOR!

E nisso começamos a correr igual duas crianças pelo quarto até que eu consegui pegar e colocar ela nos ombros com a mesma me batendo nas costas : 

- MARTIN ME SOLTA! 

- Com prazer! 

Soltei ela na cama comecei a fazer cócegas e ela a se debater e a gritar fazendo eu rir mais Ainda e quase caindo da cama : 

- PARA MARTIJN GERARD GARRITSEN!! 

- Ihhhhh, falou meu nome inteiro já vi que ficou puta em -- disse parando e encarando a mesma 

- Fiquei mesmo besta -- e com um movimento de perna ela me jogou pro lado e ficando em cima de mim

- Parece que o jogo virou não é mesmo -- ela falou e eu arfei com o toque das nossas regiões, afinal eram duas camadas que nos separavam, apenas duas camadas. 

- Dua acho melhor você sair de cima de mim. -- falei tentando move - lá mas ela continuou intacta 

- Por que Martin eu tô de boa aqui -- disse sorrindo e pulando enquanto eu arfava e trincava o maxilar 

- Dua sai, eu tô falando sério! 

- Por que martin? -- ela falou colocando uma mão em cada lado do meu corpo se abaixando e aproximando dando uma visão melhor de seus seios fartos, eu estava me controlando mas tinha que sair dali eu não aguentaria mesmo lembrando que nós somos irmãos. Consegui vira-lá ficando por cima mas ela enroscou suas pernas em mim e disse : 

- Eu vou pro inferno por causa disso. 

- A gente já ia mesmo -- e eu não sabia como mas depois estávamos nos beijando loucamente e só parávamos quando precisávamos de ar, voltávamos a beijar cada vez com mais intensidade e o calor ia aumentando mais e mais até ficar insuportável. Dua arqueou as costas arfando e com uma não tirei seu sutiã rápido e logo encarando deus seios e dizendo : 

- Você não sabe o quanto eu esperei por isso -- ataquei os mesmo enquanto ela arfava muito e agarrava meu cabelo, com um movimento ela me deixou por baixo e sentou em cima de mim, como eu tinha dito " 2 camadas apenas 2 camadas nos separavam", ela começou a fazer movimentos de vai e vem e eu já estava completamente duro querendo rasgar as únicas camadas que nos separavam. Coloquei meus dedos em sua calcinha sentindo molhada vendo seu sorriso crescer e com um puxão rasguei a mesma penetrando dois dedos e foi nesse momento que ouvi ela gemer, e eu queria ouvir mais daquilo, muito mais. Virei ela sem tirar meus dedos de dentro e comecei com um vai e vem enquanto ela arranhava minhas costas. 

- Martinn e..eu preciso de você! -- ela disse gemendo e arfando. Tirei minha cueca e penetrei com força fazendo ela gritar e começando com movimentos de vai e vem, até chegarmos nosso ápice ficamos cansados mas não paramos depois ela ficou por cima e começou a rebolar me animando de novo e com sua mão ia penetrando ao poucos e cada vez íamos gemendo mais, começou com movimentos de vai e vem e a rebolar mais rápido, colocava suas mãos no meu peito e jogava sua cabeça pra trás gemendo alto, depois de um longo tempo chegamos ao nosso ápice e nos jogamos na cama. 

- Isso foi... -- ela disse arfando e suando 

- Foi e eu quero repetir isso -- falei controlando a respiração 

- Martin esquecemos a camisinha. -- falou me olhando preocupada 

- Puta merda, amanhã a gente compra uma pílula do dia seguinte pra você relaxa -- falei olhando pra ela fazendo carinho em seu cabelo 

- Esse vai ser nosso segredo, nosso maior segredo. 

- Mas vai valer a pena. 

Nos entramos embaixo da coberta e ela se virou e dormimos juntos, até esquecemos do jantar mas eu não ligava afinal eu queria isso ah muito tempo e não sabia como ela reagiria se soubesse e bom ela reagiu bem pelo jeito, fui dormir pensando que essa foi a melhor viagem que a gente já fizemos.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...