História Revenge For Love - Capítulo 2


Escrita por: ~ e ~drezaestrela

Exibições 32
Palavras 1.490
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Let me in


Acordei atrasada, tomei um banho rápido vesti uma saia de cós alto com uma blusa branca e fui pra cozinha. Comi só um pedaço de torrada com suco.

Cheguei no escritório e pra minha sorte faltava 5 minutos para o horário de trabalho. Sentei na cadeira e comecei a organizar os horários dos clientes.

Hoje o dia estava calmo, não é tão normal por que as pessoas se metem em encrenca à cada um minuto. O telefone tocou e no terceiro toque atendi.

Escritório de advocacia Blank. Posso ajudar?

Sim, marca uma hora com seu chefe pra agora. - ele disse seco.

Ok senhor! Qual seu nome? - ignorei a grosseria.

Justin Bieber.

Sua voz soou irônica, e a ligação foi encerrada.

Marquei a hora e avisei pro senhor Blank que o próximo cliente estava agendado agora. Dez minutos depois chegou o mesmo homem que esbarrou em mim, mas hoje ele não tava com boné. Dava pra ver cada traço do seu rosto, confesso que ele parecia um deus.

- Olá, posso ajudar? - perguntei sorrindo.

- Você trabalha aqui, coincidência. - ele sorriu. - marquei uma hora com William. Liguei tem uns vinte minutos.- sorri sem graça e assenti.

Olhei na agenda e olhei novamente para o homem.

- Seu nome é Justin Bieber? - ele assentiu. - pode ir. O senhor Blank está lhe aguardando.

Um cara como ele não parece precisar de um advogado. Mas como dizem; as aparências enganam.

Voltei ao meu trabalho, mas de vez em quando pensava nele.

Justin Bieber POV's

Blank me chamou provalmente para mais uma ecomenda. Fui até o escritório no qual ele trabalha de advogado, entrei na sala e fechei a porta me certificando de que ninguém ia ouvir.

- Sua secretária é gostosa. - sorri e sentei na cadeira em frente a mesa de Blank.

- Tenho que concordar com você. Já me deu até vontade de comer ela. - sorriu malicioso.

- Vamos ao que interessa. - falei fechando a cara, além de ambicioso também era nojento. - Quem você quer eliminar?

Ele jogou uma foto na mesa de um homem barbudo que aparentava quarenta anos. Peguei a foto e guardei no bolso.

- Aqui está sua grana. - ele disse levantando um envelope. - é bom fazer negócios com você, Bieber. -Sorri sem ânimo e saí da sala, não podia dizer o mesmo.

Passei pela secretária e parei perto da sua mesa.

- Será que você pode me dá seu número, caso não consiga entrar em contato com o Blank? - sorri.

- Mas tem o telefone do escritório e os dois pessoais dele. - ela me olhou com sorrisinho no rosto.

- Mas e se for uma emergência e ele não atender?

- Você tá me pedindo meu número. - ela gargalhou. - Ok.

Ela me entregou um papel com o número .

- Qual seu nome mesmo?.

- Louie. Louie Carter. -sorri e soltei uma piscadela.

Guardei no bolso o número dela e entrei no meu Audi preto, amo esse carro.

Segui em direção à casa do cara que ia receber uma surpresinha. Primeiro parei o carro em um lugar afastado, vesti meu terno Preto, coloquei luvas e um óculos preto só pra dá um charme.

Chaz me deu o sinal que a casa já estava destravada pelo ponto no meu ouvido. Acelerei meu Audi e parei na frente da casa do cara, era um lugar afastado, melhor ainda. Ninguém vai me ver, e ele não pode pedir por socorro.

Entrei na casa e tudo estava em silêncio, provalmente ele estava dormindo ou comendo alguma puta. Subi as escadas e ele estava de costas para a porta enrolado em uma toalha, peguei minha arma silenciadora e apontei pra ele. Fiz um barulho para ele me olhar e sem dó nenhum dei dois tiros certeiros em sua cabeça.

Entrei no meu Audi liguei o som, tava tocando Zone do Khalil feat. Lil Za. Saí cantando pneu e cantarolando a música.

Cheguei na minha mansão que fica numa montanha longe de todos, assim ninguém tem como me achar, caso queira vingança.

Entrei tirei o terno, e os sapatos, ficando com a camisa branca por baixo com os botões abertos e de meia.

Me joguei no sofá e liguei pros caras avisando da balada que íamos hoje. Liguei pra Louie e ela demorou tanto de atender que desisti.

Subi tomei um banho bem relaxante pra tirar toda tensão e vestígio de morte, é prazeroso matar, as vezes quero sair atirando em todo mundo, mas isso é suicídio. Então prefiro que me paguem pra matar, Chaz me ajuda sempre com as câmeras, códigos de seguranças das casas, escritórios e até empresas.Seja o que for, ele, o Ryan e o Chris me ajuda. As vezes quando me descontrolo, saio por aí matando pessoas que não tem nada haver, Chris e Ryan sempre tão lá para limpar a minha sujeira.

Vesti minha calça preta com detalhes vermelho no bolso, uma camiseta com uma jaqueta preta, calcei meu supra branco e coloquei uma corrente de Ouro, peguei meu boné e desci as escadas. Peguei a chave da minha Ferrari azul, entrei e segui pra balada.

Assim que cheguei, vi os caras na área VIP, cada um com uma puta no colo. Fui até eles e cumprimentei todos.

- E ai. - falei sentando de frente pra Chaz.

- Fala bro. - respondeu Chris. Chaz e Ryan nem perceberam minha presença, parecia tão entretido com suas estirpes. Logo veio uma e me serviu whisky, depois sentou no meu colo.

Lembrei de mais cedo, de Louie, a garotinha desastrada. Peguei o celular e liguei pra ela.

Alô. - ouvi sua voz sonolenta.

Oi Louie.- sorri. - O que você acha de uma balada agora?

Não vai rolar, to cansada.- revirei os olhos.

A ligação foi finalizada, joguei meu celular no sofá, ele bateu e caiu no chão. O desgraçado não quebrou.

Voltei pra perto dos caras, escolhi uma vadia e mandei ela dançar pra mim.

Louie Carter POV's

Cheguei em casa parecendo um furacão, primeiro; tava com fome e segundo que William Blank não parava de encher meu saco com os casos dele. Se eu não fizer, provalmente perco o emprego, coisa que eu não posso perder.

Tomei um banho rápido e vesti um pijama, desci as escadas e fui pra cozinha comer alguma coisa. As vezes me sinto sozinha nessa casa, só vejo Faith de noite quando ela não chega muito tarde e as vezes de manhã. Agora achei um grude, um cliente do William fica me ligando querendo sair comigo. Lógico que não vou, Amanhã o senhor William vai arrancar meu coro se eu não terminar as planilhas, maldito emprego que fui arranjar.

Tomei um copo de vitamina com torrada, subi pro meu quarto e fui fazer as planilhas, não posso esquecer de levar comida, por que vou ficar umas três horas sentada sem levantar.

Fiquei metade do tempo pensando no Justin, é eu lembro o nome dele, impossível esquecer. Eu deveria ter aceitado, mas tenho meu trabalho e não quero parecer tão fácil.

Terminei as planilhas eram 2 horas da manhã, estava exausta. Deitei e capotei.

Acordei assustada com barulho de alguém batendo em algo, na porta da sala.

Levantei me enrolei no lençol e desci. Olhei pelo olho mágico, tomei um susto ao ver que o Justin Bieber estava na minha porta. Abri a porta e encarei seus olhos cor de mel.

- Já  que você não quis sair comigo. - ele falou meio embolado. - eu estou aqui pra sair com você.

- Justin vai embora. - tentei fechar a porta, mas foi falha minha tentativa.

- Eu não vou embora até você sair comigo. - ele falava tão rápido e embolado que quase não dava pra entender.

- Você ta bêbado. - falei sentindo o cheiro de álcool. - tem alguém pra te levar pra casa?

- Não preciso de babá, beleza?! - ri com sua grosseria e dei espaço pra ele entrar.

Ele entrou e sentou meio deitado no sofá.

- Espera aqui. - falei e fui até o quarto de Faith.

Entrei e não tinha ninguém dormindo na cama, olhei por todo o quarto e não tinha ninguém, ótimo! Vou dormir sozinha com um desconhecido bêbado.

Voltei pro meu quarto, peguei um lençol e um travesseiro, e desci. Ele estava olhando toda a casa, parecendo uma criança quando ver pela primeira vez um zoológico.

Fiquei da escada admirando cada passo dos seus olhos, até que se encontram com os meus. Andei em direção a ele e entrei o lençol e o travesseiro.

- Você vai dormir aqui no sofá. - falei ajeitando o sofá.

- Quero dormir com você. - ele sorriu malicioso.

- Querer não é poder, baby. - dei uma piscadela e subi pro meu quarto.

Deitei em minha cama pronta pra dormir, tava quase pegando no sono, quando o Justin começou a bater na porta do quarto.

- Louie, abre a porta. Deixa eu dormir com você. - ele repetiu isso por minutos, depois tudo ficou quieto. Abri a porta e ele tava sentado no chão dormindo, peguei o lençol e cobri seus braços.

Voltei pra minha cama, fechei os olhos mas não conseguia dormir

Ficava pensando no Justin, o quão retardado ele é. Aposto que quando ele acordar vai se arrepender de tudo isso. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...