História Revenge For Love - Capítulo 3


Escrita por: ~ e ~drezaestrela

Postado
Categorias Chaz Somers, Christian Beadles, Justin Bieber, Ryan Butler
Tags Barbara Palvin, Justin Bieber, Revenge
Exibições 12
Palavras 1.646
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boa leitura!

Capítulo 3 - Maybe one day


Fanfic / Fanfiction Revenge For Love - Capítulo 3 - Maybe one day

    

 Acordei com dor de cabeça por não ter dormido direito. Fiz minha higene matinal, vesti a roupa do trabalho e só passei um batom fraquinho e base pra esconder as olheiras. Lembrei da madrugada e abri a porta, Justin ainda tava dormindo na porta do meu quarto, ele vai ficar com no pescoço pela posição que dormiu. Desci as escadas e preparei um café com panquecas, pra mim fiz uma vitamina de morango.

Subi as escadas pra acordar Justin.

- Ei. - mexi no ombro dele. - Acorda porra, você tem que ir embora. - Ele se mexeu e abriu os olhos lentamente.

- O que você tá fazendo aqui? - ele me olhou confuso. Lenvantou com a mão na cabeça observando a casa.

- Aqui é minha casa. - revirei os olhos. - Se quiser tomar café, é melhor descer logo por que já vou trabalhar e você não vai ficar aqui sozinho. E ali. - apontei pra uma porta. - é o banheiro.

Ele foi ao banheiro e saiu de lá com a cara toda molhada e veio até mim na cozinha.

- Que dor de cabeça. - ele falou passando passando mão na cabeça. - tem remédio aí?

- Tenho, e se quiser pode tomar café aqui também. - apontei pra mesa.

Peguei minha vitamina e bebi comendo com as panquecas. Justin pegou um copo e encheu de café, virou tudo num só gole, acho que ajuda na ressaca, ou ele gosta mesmo. Percebi seu olhar sobre mim e ignorei, levantei e terminei de me arrumar ia pedir um táxi, Justin segurou minha mão.

- Eu te levo. - ele sorriu.

- Não precisa. - sorri amarelo.

- Para de orgulho, entra no carro.

Ele deu a volta e entrou naquela maravilhosa Ferrari azul. Abri a porta e entrei, fiquei boquiaberta com tanto luxo.

- Eu sei, é linda né?! - ele falou se gabando.

- Você se acha demais. - dei de ombros.- Já que vai me levar, deveria se apressar por que está ficando tarde.

Ele bufou e seguiu pro escritório de Blank. Ficamos em silêncio até metade do caminho.

- Por que você não quis sair comigo? - ele quebrou o silêncio.

- Por que eu tinha trabalho pra fazer.

- Então você não tava me rejeitando, só tava cheia de trabalho. - ele botou a mão no queixo. - Então se eu te chamar outro dia, você aceita?

- Não! - ele me olhou abismado. - Não tenho tempo pra me divertir, se eu não fizer meu trabalho certo, vou perder meu emprego, e não posso perder por que dependo dele.

- Mas um dia só não mata.

Chegamos ao escritório, desci sem responder me abaixei até a altura do vidro.

- Quem sabe um dia, Justin. E obrigado pela carona.- dei uma piscadela e saí rebolando.

E lá vou eu aturar essas pessoas estressadas com seus problemas, se o problema é deles, por que desconta na secretária? Não tenho nada haver com os problemas dos outros.

Sentei na minha cadeira e fui fazer agendamentos.

Justin Bieber POV's

Entrei no meu quarto fui até o banheiro, liguei a banheira e me despi. Fechei os olhos e relaxei na banheira.

Tenho todas as mulheres aos meus pés, todas me desejam, mas ela é diferente. Não vai demorar de ela ceder, e isso vai ser apenas uma diversão. Não sou homem de me prender a uma mulher só.

Saí da banheira, peguei uma toalha e me enrolei. Entrei no closet, escolhi um shot preto e uma camisa azul, peguei meu supra branco e um óculos escuro.

Meu celular tocou e aquele barulho deu uma pontada na minha cabeça, peguei o celular e antendi.

- Bieber? - uma voz feminina falava do outro lado.

- Quem é? - perguntei seco.

- Preciso de seu serviço. Passa aqui na minha casa.- Só podia ser Megan, conheço essa voz. Aposto que ela deve ta querendo matar mais um dos seus amantes. Megan sempre foi uma mulher perigosa, tem vários amantes e uma vez um amante ameaçou Megan, disse que ia contar tudo pro marido dela. Ela me ligou e pediu pra eu matar ele dá forma mais lenta e dolorosa, e assitiu toda tortura.

Peguei meu terno juntamente com meus sapatos preto e meu óculos, desci as escadas, e Maria estava limpando a casa, esqueci que hoje era dia da limpeza, ela odeia limpar a casa quando estou, por que sujo tudo antes dela terminar.

Sorri ao vê Maria me encarando com as mãos na cintura.

- Bom dia, senhor Justin. - ela deu um sorriso fraco.

- Bom dia Maria.

Fui até a garagem e escolhi minha lamborghini branca. Coloquei meu terno no banco de trás, e entrei no lugar do motorista. Segui em direção a casa de Megan que não fica muito longe, ela e o marido são uma das pessoas mais ricas da cidade, então são temidos por alguns, por serem poderosos.

Cheguei na mansão de Megan e tive que esperar um tempo até liberarem minha entrada. Ela apareceu na porta com um sorriso sinico, odeio esse sorriso, odeio a Megan, mas ela é uma gostosa do caralho deve ser por isso que é casada com o vice prefeito.

- Olá Bieber, bom te ver novamente. - ela sorriu e deu espaço para eu entrar.

- Qual é a dessa vez? - fui direto ao ponto, não gosto muito de enrolação.

Passamos pelo hall de entrada e fomos até o escritório. Seu marido James estava sentado na poltrona que fica de frente pra porta, Megan sentou no colo dele e ficou me olhando assim como ele.

- Quero que você mate o prefeito. - arregalei os olhos. - Com ele no meu caminho eu não vou ganhar essa eleição.

- Isso vai custar caro, James.

- Pago o quanto você quiser, Bieber. - eles me olhavam esperando uma resposta e eu não sabia o que responder. Estaria arriscando minha vida, ia me expor, e ele tem vários seguranças, seria impossível entrar na casa dele, mas isso envolve muita grana e o meu prazer por matar é muito.

- Eu aceito. - sorri e eles fizeram o mesmo.

- Quanto você quer?

- 3 milhões. - James me olhou, abriu a gaveta e tirou um talão de cheque. - cheque não, quero em dinheiro.

- Moleque abusado, vai ter sua grana quando matar o prefeito. - bufei e levantei indo de encontro com minha lambo.

Agora tinha um cara para dá misericórdia, Luke Anderson, engenheiro, 37 anos, solteiro e sem filhos. Melhor assim, não vou carregar culpa por matar um perrapado.

Parei o carro, vesti meu terno, abri o porta luvas, vesti minhas luvas pretas que estavam lá, e fiquei com os supra mesmo. Não quero tanto trabalho, isso vai ser rápido. Usar terno quando assassino alguém já é minha marca, se é luto, aproveito e já vou de terno, e também eu fico gostoso pra caralho de terno.

Segui para a empresa de Luke, e foi fácil entrar, entrei no elevador e apertei no número 13, o escritório dele não ficava muito alto, seria fácil descer sem ser pego. Tinha pessoas andando de um lado para o outro, mulheres com saias justas e os peitos pulando pra fora da blusa, por um momento me senti num cenário de filme pornô.

Entrei na sala anunciando minha presença, ele me olhou rapidamente e tentou pegar o telefone. Neguei com a cabeça e fiz um gesto de silêncio. Peguei minha silenciadora destravei e dei um tiro em seu peito, ele caiu no chão manchando o tapete branco com seu sangue.

Saí da sala sem ninguém perceber, passei por uma mulher e dei uma piscadela. Cheguei no primeiro andar, passei pelo hall de entrada e fui pra minha lamborghini.

Passei por uma lanchonete, e vi a amiga de Louie que mora com ela. Meu plano é seduzir a amiga pra mostrar a Louie tudo que ela ta perdendo. Só quero só quero mostrar que mulher nenhuma me rejeita.

Me aproximei dela e comecei a puxar assunto.

- Oi. - sorri.

- Oi. - ela sorriu tímida.

Ficamos ali um tempinho conversando, foi o suficiente pra ela cair na minha lábia.

Louie Carter POV's

Cheguei em casa e vi Faith com uma caixa na mão, o embrulho era preto com uma fita branca.

- Oi Louie. - ela falou sorrindo. - Olha o que eu ganhei.

- Foi o namorado? - sorri. - Faith, por que não me contou? Qual o nome? - fingi está brava.

- Justin Bieber. - quando ouvi aquele nome fiquei parada analisando.- Louie?

- Hummm, sua safada. - gargalhei e fui pro meu quarto.

Ele é tão cretino, queria sair comigo e agora do nada ta namorando minha amiga. Quando dizem que homem não presta, é verdade. Não é que esteja com ciúmes, só estou indignada com tamanha safadeza, ele quer pegar as duas. Mas eu ele não vai pegar, não sou mulher pra qualquer um.

Já tinha tomado banho, não tava com fome por que Blank me chamou pra jantar e eu tive que ir, ele disse que eu merecia isso por que sou uma ótima secretária, aceitei por educação e depois dele ter insistido muito.

Faith entrou no meu quarto sem bater e sentou na minha cama. Sentei também e fiquei olhando pra ela.

- Você gosta do Justin? Percebi que não gostou quando ouviu o nome dele. - ela começou.

- Claro que não. - e mesmo se eu gostasse não ia falar pra ela.

- Tem certeza? - olhei pra ela e sorri amarelo.

- Tenho, só toma cuidado com ele. Não quero que se machuque.- segurei na mão dela.

-Nós não somos namorados, só estamos nos conhecemos, mas eu gostaria de namorar aquele homem. - revirei os olhos e sorri.

- Tudo bem, Faith. Agora vamos dormir.

- Poxa Louie, hoje é sexta. - ela fez beicinho.- vamos sair.

- Faith, eu to com sono. - amanhã a gente saí. Hoje você pode ir com o Justin. - ela bufou e assentiu.

- Amanhã você vai, nem que eu te puxe pelo cabelo. - sorri.

Ela saiu do quarto e apagou a luz como eu pedi. Fechei os olhos e dormir, eu acordo muito cedo, e ficar sentada cansa.


Notas Finais


O comentário de vcs incentiva a continuar. É a nossa primeira história, e não sabemos se está agradando à vcs.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...