História Revenge, yes or no? that is the question - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Tags Naomi, Narukura, Personagens Originais, Talvez Sasusaku
Exibições 34
Palavras 592
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Magia, Mistério, Romance e Novela, Super Power, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Visual Novel
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sadomasoquismo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 1 - Prologo


— Criança tola, depois de todos esses anos sendo espancado e torturado, achastes mesmo que iriam reconhecer-te um dia? – Perguntou uma voz grossa em meio as trevas, alta e reçoante, amedrontadora o suficiente para botar medo no mais corajoso dos homens.

        — Confesso que ainda tinha esperança. – Respondeu outra voz, fina e infantil, porem fria e marcante.

Então em meio a escuridão, revelou-se um garotinho de no mínimo seis anos de idade, com os cabelos em um tom loiro vivo, dourado como o sol, arrepiados e despenteados.

        Seus olhos eram azuis topázio¹ porém, estavam opacos, sem vida, frios como um Iceberg e analíticos como o de uma águia, varriam o local de cabo a rabo em pura curiosidade.

 

        “Um esgoto sujo”

 

Em seu rosto, haviam seis “Bigodes” de gatos, três em cada lado da bochecha, e eram a marca registrada do loiro, bem como seu sorriso, sorriso esse que já não existia mais, em vez disso, o rosto do garotinho tinha somente uma expressão neutra e analítica, quem o visse se perguntaria, “Cade aquele garoto imperativo e cabeça oca?”

        Bem, sinto lhe dizer mais.... ele morreu...

        O garoto estava pálido, branco como papel, e magro, muito magro, parecia não comer direito a dias, e a qualquer hora poderia desmaiar.

 

        “Mas..... não se pode desmaiar em sua própria mente, não é mesmo?”

 

Em sua pele, alguns hematomas e cortes profundos ainda podiam ser vistos, mesmo com a rápida regeneração do loiro.

        — És mais tolo do que aparentas Gaki! Esperança? Esperança é para os fracos! Amor? Amor não existe! (N/A: Não existe mesmo u.u) O mundo? Hahahhahahha, o mundo hoje em dia é hipócrita, e as criaturas que tem o azar de viver nele são os que sofrem! Vocês humanos tendem a desprezar aquilo que não entendem, e o que nos resta? O ódio! A dor! Sofrimento! Simplesmente isso! – Disse a voz, se revelando em meio a escuridão.

        Das trevas se formou um ser enorme, com nove caudas, uma raposa.

        Tinha o pelo alaranjado, que brilhava conforme a fraca luz a iluminava, seus olhos eram vermelhos como o próprio sangue, quem os olhava via a morte de perto, e os que tinham a sorte de sobreviverem nunca mais se atreviam a olha-los.

        As nove caudas da raposa balançavam graciosamente atrás do garoto, fortes o suficiente para provocar Tsunamis, e partir montanhas ao meio.

        O sorriso felino do animal que exalava maldade ao ser direcionado para o loiro se abriu ainda mais, em quanto uma onda maçante de chackra começou a ser mandada para o garoto, curando os ferimentos que o mesmo adquirira algumas horas antes.

        — Então era você que me curava? – Perguntou o garoto para a grande raposa, em quanto deixava o “poder” consumi-lo.

        — Não é como se eu quisesse fazer isso, é esse selo que faz isso, então não m...

        — Obrigado. – Disse o pequeno, sem deixar a grande raposa terminar.

        —Não me interrompa! – Rugiu — Continuando, não é como se eu quisesse cura-lo, então, não me agradeça! – Completou a raposa, se deitando sobre suas próprias patas.

        — Por que você está aqui? Ou melhor, qual seu nome? – Perguntou o garotinho com um olhar curioso.

        — Bem garoto, seus pais me selaram em você. – Disse, e sem deixar o garoto perguntar nada, continuou. — Antes que pergunte o porquê, saiba que foi preciso, você era o único que aguentaria meu chackra. – Disse a grande raposa se aconchegando mais em suas patas, e logo depois com uma de suas caudas, fez sinal para o pequeno rapaz se sentar, e foi o que ele fez.

        — Bem Gaki, a história é longa, prepare-se.... 


Notas Finais


Oi gente, bem, esse foi só o prologo, no próximo explicarei tudo com mais detalhes e prometo fazer caps maiores tbm, tchauzinho ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...